quinta-feira, 28 de abril de 2016

Padre Jesuíta: "Islã é a Pior Praga que a Humanidade já Produziu"


Além de padre e teólogo, o espanhol Manuel Carreira é astrofísico famoso mundialmente, com inúmeros trabalhos na NASA, a agência espacial americana, e costuma dá aulas de filosofia em universidades americanas. 

Padre Manuel (foto acima) deu uma entrevista ao jornal El Español no dia 24 de janeiro, que só agora está sendo divulgada em inglês pelo mundo, em inúmeros sites. Eu cheguei a entrevista vendo o site The Eponymous Flower. Daí, eu pesquisei até achar a entrevista completa original em espanhol.

Nessa entrevista, padre Manuel mostra que além de saber astrofísica e teologia, sabe também muito bem o que é o Islã.

E é taxativo, diz em espanhol, que está claro para quem entende português:

"El Islam es la peor peste que le ha ocurrido a la humanidad"

Padre Manuel na entrevista ressalta:

- As raízes cristãs da Espanha e da Europa;
- Que nunca o Islã se adaptará ao modelo cultural europeu;
- Se o muçulmano se adaptar ao modelo cultural europeu, ele será um infiel, não seguirá o Islã;
- Refuta o pensamento de Stephen Hawking. Diz que não conhece nenhuma contribuição de Hawking para a ciência, e que se Hawking não fosse doente não seria conhecido.
- Que a Espanha não pode aceitar a educação islâmica;
- Que o Islã é a pior peste que a humanidade já viu nos últimos 2 mil anos.
- Que não conhece nenhuma contribuição positiva do Islã para a sociedade moderna, capaz de assegurar o direito de todos;
- Que o Islã simplificou até a morte o cristianismo, eliminando tudo que eles não entendiam, como a trindade santa e a incarnação de Cristo. 
- Que o Islã não tem um teologia própria, mas um modo de pensar elementar.

Além disso, perguntam ao padre Manuel sobre filosofia, pensamento versos matéria, big bang, partícula de Higgs...Ele sempre responde com grande conhecimento.

Vejamos parte da entrevista do Padre Manuel, leiam toda no site El Español:


ENTREVISTA A  24.01.2016

El jesuita Manuel María Carreira (Valdoviño, 1931) no deja indiferente. Aúna a su faceta de teólogo y filósofo la de astrofísico. Perteneció a la junta directiva del Observatorio Vaticano durante 15 años, asesoró a la NASA en varios proyectos y durante más de 30 años ha impartido clases de Filosofía en universidades como la John Carroll University o la Universidad Pontificia. Como estricto hombre de ciencia se resiste a hablar de política y defiende la “secularización creciente”, pero como humanista reivindica la compatibilidad entre ciencia y religión porque “desde la física o la química no se puede explicar el pensamiento o la búsqueda del bien, la verdad y la belleza” .
El estudio minucioso de la materia ha confirmado su conocimiento sobre la trascendencia del hombre y de Dios, reivindica la “raíz cristiana de España” -como hizo Julián Marías-, prohibiría “con gusto” los toros y el boxeo, advierte contra el islam, asegura que existen “espíritus malignos” y “endemoniados”, y no duda en refutar a ídolos laicos como su colega Stephen Hawking: "Si tuviera buena salud nadie le haría caso”.
¿Qué valoración le merece la situación política e institucional que atraviesa el país?
No me siento capacitado para hablar de política, no siento esa necesidad y no me interesa quién es quién en política. Prefiero hablar de ciencia, teología y fe.
Hace ya 84 años Manuel Azaña, en uno de sus más importantes discursos en el Congreso, afirmó que España había dejado de ser católica. ¿El tiempo le ha dado la razón o le ha refutado?
Una afirmación así necesita que se definan términos. ¿Qué significa que España es o deja de ser católica? El Estado no es quién para imponer un modo de pensar la religión, no le toca. Dad al César lo que es del César y a Dios lo que es de Dios. El Estado debe ser un sistema de organización del país y nada más. No le toca hablar de religión. Toda nuestra ética es de base cristiana y, en ese sentido, el Estado sí debe tener en cuenta los principios éticos, pero no le toca definir cómo han de hacerse las cosas en el ámbito religioso.
Julián Marías, sin embargo, aseguraba que el catolicismo es un hecho constitutivo de la identidad española.
El catolicismo es un elemento clave en la evolución del país. No podemos decir que da lo mismo una España de tradición católica de siglos que si hubiera sido arábiga o islámica. España ha sido un país católico y está en la raíz de nuestro modo de pensar. Pero al Estado no le toca decidir qué creencias son aceptables o no en cada persona.
---
La relación entre el Estado y la Iglesia, entre las administraciones en su relación con el hecho religioso, ¿ha mejorado o empeorado en los últimos decenios?
La sociedad española no puede prescindir del elemento religioso. Nuestra historia está marcada por una tradición de base cristiana. Es posible, aunque no lo puedo decir como algo estudiado, que exista una secularización creciente. En cierto sentido, es de esperar que sea así. No podemos convertir la creencia de nuestra fe en un elemento político. Hay que mantener los campos bien distintos, pero el Estado sí tiene que reconocer el carácter del pueblo que rige, y el carácter del pueblo español es de una raíz cristiana muy obvia. Ahí no ha habido un cambio drástico, pero sí hay una tendencia más secularizante, y hasta cierto punto es deseable. El Estado no puede imponer una creencia religiosa y tampoco debe impedir las creencias de nadie mientras no vayan en contra del bien público. El Estado debe limitarse a proteger el bien público de cualquier creencia. Otra cosa es que un musulmán quiera tener varias esposas: pues el Estado debe intervenir porque tendría consecuencias de orden social no aceptables; ahí sí puede haber una ley que limite el ejercicio de esa costumbre.
¿Cuál es el principal problema de España?
Se necesita partir de una base concreta antes de hablar de algo así. Está el orden público, la economía, la educación de los ciudadanos... Todas estas cuestiones se tienen que tener en cuenta a partir de la tradición cristiana del país. Lo que no puede ser es que venga aquí alguien a decir que va a montar una educación basada en el islam.
¿Qué le parece la gestión de la crisis de los refugiados?
No sé cómo se organizan los poderes públicos en este asunto, pero probablemente habrá una gran variedad de grupos y de situaciones distintas dentro de lo que llamamos refugiados.
Huyen de las guerras de Siria, Irak y Afganistán y de la organización terrorista autodenominada Estado Islámico.
No soy un experto, pero de una forma probablemente hiriente yo diría que el islam es la peor peste que le ha ocurrido a la humanidad en los últimos 2.000 años. Es totalmente incapaz de establecerse dentro del mundo con respeto a los Derechos Humanos. No quieren eso. O acepta uno su modo de pensar o es un infiel y hay que asesinarlo. Eso es lo que se traduce del modo de hablar y actuar de, como mínimo, una porción importante de los que aceptan el islamislam. No sé de ninguna contribución positiva del islamislam al modo de estructurar una sociedad moderna, en la que se respeten los derechos de todos. Tal vez sea ignorancia mía.
¿Impediría la construcción de mezquitas en España?
No diría que haya que impedir la construcción de mezquitas, lo que hablan en un edificio, si no tiene efectos nocivos en la sociedad, allá ellos. Pero no me parece plausible decir que un estado islámico es coherente con los derechos de una nación de Europa. El Estado es una entidad laica, es de por sí aconfesional, no tiene capacidad de decirle a uno lo que ha de creer o no, pero lo que no puede permitir es que haya un modo de pensar corrosivo que impida precisamente aquello que el Estado está dispuesto a proteger. Libertad religiosa siempre que no vaya en contra del bien público.
¿Le parece el islam una secta o una religión?
¿Qué diferencia hay entre secta y religión?
Su reconocimiento social y su número de adeptos.
Puedo aceptar esa descripción. El islam tiene ciertamente muchos seguidores. Ahora, parte del islam rechaza el extremismo, pues bien. El islam nació como un cristianismo descafeinado, nació en el siglo VI como un modo de apartar a los tratantes de camellos de la idolatría. Digo que es un cristianismo descafeinado porque quitaban lo que no entendían: no se habla de la trinidad, o de la encarnación simplemente porque no lo entendían. Hicieron una especie de cristianismo reducido a lo mínimo pero siempre con el deseo de apartar la idolatría. No tienen una teología propia, sino un modo de pensar muy elemental que les sirve para andar por casa.
¿Impediría el uso del velo integral?
Las normas aceptadas universalmente por razones de seguridad, por ejemplo, que a una persona se le debe poder ver la cara en un control, hay que preservarlas.
¿Un refugiado debe aceptar los valores de la sociedad que le recibe?
Probablemente.
---
En el siglo pasado en España escribieron filósofos tan importantes como Unamuno, Zambrano, Zubiri, Ortega... ¿Ha perdido relevancia la fisolofía española?
Yo me pregunto dónde tiene sus límites la filosofía. Los puntos más básicos de la Filosofía no los podemos comprender. Nadie puede expresar lo que es el tiempo de una forma adecuada. Todos experimentamos el tiempo, pero si pregunto qué tienen en común dos cosas que coexisten o qué tienen de distinto dos cosas que no coexisten, nadie tiene la respuesta. Las principales preguntas que nos hacemos en el campo de la Filosofía no tienen respuestas satisfactorias. En mi opinión hay que admitir que, del mismo modo que hay una carga eléctrica existe una carga temporal que cambia constantemente y que, en la medida en que es compartida por dos cosas, esas dos cosas coexisten.
¿La ciencia puede probar la existencia de Dios y la trascendencia del hombre?
A la ciencia sólo le atañe a lo que se puede comprobar mediante experimentación. Lo demás son hipótesis más o menos razonables. Algo es ciencia cuando es comprobable mediante un experimento. La ciencia no va a darme ninguna razón de por qué yo puedo pensar, porque no hay ningún experimento que pueda medir el pensamiento. La ciencia define la materia y, una vez definida la materia, hallamos lo que puede atribuirse a la materia y lo que no. Si una realidad innegable como es el pensamiento humano no puede explicarse por las fuerzas de la materia entonces entonces hay que aceptar que hay una realidad no material que es lo que hace que el hombre busque el bien, la verdad, y la belleza.
¿La bioquímica no explica por qué tenemos sensaciones y pensamiento?
La bioquímica no explica el pensamiento: explica lo que sucede entre cuerpos químicos cuando uno actúa sobre otro, pero no tiene nada que ver con el pensamiento.
¿Qué opina sobre el 'big bang' como origen del universo?
El 'big bang' explica que hubo un periodo de rápida expansión cuando el universo empieza a existir en un estado de alta densidad y temperatura. Eso no tiene nada que discutirse. Todavía vemos los resultados de esa rápida expansión: hubo una explosión, llamémoslo así, y desde entonces el universo está enfriándose y aumentando de volumen. Eso no se discute, son datos científicos. No es una elucrubración filosófica ni teológica.
¿El bosón de Higgs explica el origen del universo?
No. Los que no saben inglés traducen "partícula de Dios" como si fuera algo de orden sobrenatural. La frase en inglés es the god damn Higgs boson, 'el maldito boson de Higgs'. 'Maldito' porque nadie lo puede encontrar. Las teorías sobre el origen del universo y las partículas elementales exigen que exista, pero nadie lo ha podido encontrar.
Stephen Hawking asegura que Dios no creó el universo, que el universo se creó de la nada.
Esa es una idiotez que si él tuviera buena salud nadie le haría caso cuando la dice. De la nada no hay propiedad alguna que pueda producir algo. La nada es nada, así que quédese en nada y cállese.
¿Y por qué la Academia Pontificia de las Ciencias lo declaró miembro pese a su declarado ateísmo y pese a que, según usted, sus teorías no se sostienen?
No conozco ninguna contribución de Stephen Hawking a la ciencia, así de claro lo puedo decir. ¿A qué ha contribuido él en el campo de la ciencia? Pues quizá sea ignorancia mía, pero digo que nada.
¿Es un farsante?
Él se hace famoso por la limitación de su enfermedad. Si tuviera una salud normal nadie le haría caso.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Cientistas mostram Luz que surge quando Esperma encontra Óvulo


Que fantástico!! Cientistas fotografaram o momento em que o esperma encontra o óvulo. Nesse momento, uma luz é irradiada (foto acima).

E a luz pode até determinar a qualidade da vida que nasce. Pesquisadores da Universidade de Northwestern de Chicago dizem que quanto mais forte a luz, maior a chance do bebê ser saudável.

Atenção abortistas, a partir desse momento a vida nasce, uma pessoa diferente da mãe e do pai surge. A partir daí não se pode matar essa pessoa, seria assassinato.

Espero que a luz sirva para calar abortistas, apesar de ter poucas esperanças com isso. A ciência já sabe há muito tempo que a vida biológica de uma pessoa começa no exato momento que o esperma encontra o óvulo, mas os abortistas estão preocupados com a carreira e em fazer orgias despreocupados.

E pior, abortistas podem usar a luz para matar aqueles que consideram menos aptos.

Eu, por exemplo, segundo o que dizem os cientistas, posso imaginar que a minha luz não foi muito forte. Quando eu nasci o médico me deu três meses de vida. Ele estava errado.

Viva a Luz!


terça-feira, 26 de abril de 2016

Obama dá Conselhos para as Igrejas Cristãs: "Esqueçam Aborto, Casamento Gay, Eutanásia. Falem dos Pobres"


A imprensa bajula, bajula, bajula. E em geral não mostra as inúmeras mentiras de Obama (aqui vai uma pequena lista de 10 grandes mentiras, e aqui uma lista maior de 1063 mentiras e hipocrisias de Obama) e também não mostra as inúmeras gafes de Obama, são tantas e de tantos tipos. Tem uma semelhante a da Dilma que disse que o Meio Ambiente é um risco para a humanidade. Obama disse que "Oriente Médio é realmente um problema que tem sido uma praga para a região há séculos". Brasil fica falando da burrice da Dilma, mas Obama não quer perder a corrida por gafes mais estúpidas.

Os jornais brasileiros exaltam coisas como: "Obama disse que os jovens devem abandonar o pessimismo". O que isso quer dizer? Nada, absolutamente nada, mas é bonitinho.

De tanta receber bajulação, Obama resolveu ser o lider cristão mundial e dizer que as Igrejas cristãs deveriam deixar de lutar pela família, e contra o aborto, o casamento gay e a eutanásia, e focar nos pobres.

Em suma, as igrejas cristãs para Obama deveriam ter a plataforma política esquerdista do partido dele, abandonar questões relativas ao eterno, à alma e focar em coisas transitórias como a riqueza e a pobreza. Pior é que eu acho que muitos líderes cristãos pleo mundo idolatram Obama e apoiam essa estupidez.

O site LifeNews fala da pesquisa da PewResearch que mostra que igrejas cristãs que aceitam a plataforma esquerdista perdem muitos dos seus fiéis, a igreja se esvazia. Ora é claro, como dizia Chesterton, ninguém precisa de uma igreja para dizer que se está certo, a igreja é importante para corrigir a pessoa, para levar a pessoa ao eterno, a Deus. Igrejas esquerdistas não são igrejas, são cultos em homenagem a algo como a áurea. Em suma, nada.

Leiam parte do que relatou o site LifeNews.

Obama: Churches should stop focusing so much on protecting life and marriage

WASHINGTON, D.C., May 18, 2015 (LifeSiteNews.com) – Basing his comments on "my own Christian faith," President Obama told the Catholic-Evangelical Leadership Summit that churches should spend less time focusing on abortion and same-sex “marriage.”
During a panel discussion on poverty at Georgetown University last Tuesday, Obama criticized churches for how they engage politically, focusing on "divisive issues" such as protecting life and preserving marriage.
The president said, "When it comes to what are you really going to the mat for, what’s the defining issue, when you’re talking in your congregations, what’s the thing that is really going to capture the essence of who we are as Christians, or as Catholics, or what have you, [poverty] is oftentimes viewed as a 'nice to have' relative to an issue like abortion."
While campaigning for president, Obama lightly dismissed the question of abortion, telling megachurch pastor Rick Warren that knowing when human life begins was “above my pay grade.”
In contrast, the president argued last week that churches would gain more followers if they embraced the “powerful” idea of helping those in poverty. “I think it would be powerful for our faith-based organizations to speak out on [poverty] in a more forceful fashion,” he said.
The president also said that advocating the redistribution of wealth is “vital to following what Jesus Christ, our Savior, talked about.”
"I reject his premise,” blogger Stan Guthrie, an editor at large at Christianity Today, commented. “People of faith already do far more for the poor than secular leftists.”
President Obama's comments, he said, exemplified “unbelievable ignorance on display."
The unusual scene of a sitting president criticizing churches for emphasizing traditional doctrines opened the question of whether the president and others on the Left intend to influence, cajole, or bully Christians into altering their fundamental moral beliefs. Obama's remarks came shortly after presidential candidate Hillary Clinton declared that religious beliefs against abortion "have to be changed."
She had previously likened beliefs that homosexuality is immoral to “honor killings, widow burning, or female genital mutilation.”
At the Georgetown forum, Obama admitted that focusing on poverty to the exclusion of moral issues such as abortion would be politically advantageous to Democrats in the next election. Clinton is the front-runner to become the 2016 Democratic presidential nominee.
Those churches which have emphasized issues like economic redistribution or climate change have had the most precipitous loss of members, according to a new Pew Research Center report on the decline of Christianity in America.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Vídeo: Jerusalém é de todos? Brasil é todos? Somos todos Campeões?


Só Deus é de todos, mas nem todos são de Deus. Nada humano é de todos. Pertence apenas a alguns. Eu  não sou igual a você, há coisas que você possui que eu não possuo, há coisas que eu possuo que você não possui. Nem todos são brasileiros, nem todos os brasileiros gostam de ser brasileiros, nem todos defendem o Brasil do jeito certo, muitos destroem o país, Um país deve extirpar (prender, expulsar) quem destrói o país, sendo brasileiro ou estrangeiro. O Brasil não pertence a ninguém, nem pertence a todos.

Aqui vai um exemplo de hoje sobre o resultado de "um país de todos". Li hoje que uma cidade do Reino Unido não ia celebrar a festa de São Jorge, padroeiro do país, porque a cidade era "muito multicultural". Imaginem isso no Rio de Janeiro que também tem São Jorge como padroeiro.

Nem todos são campeões, quem diz que "todos são campeões", como é o slogan da Sportv, está mentindo. Se todos são campeões, não haveria a Sportv, pois não haveria esporte. No esporte, deve haver um campeão. Dizem que o frescobol é um esporte sem campeões. Eu acho que não é esporte, é apenas lazer, como duas pessoas fazerem castelos na areia.

A quem pertence Jerusalém? O que os católicos devem responder? Os católicos, por Jesus Cristo, aceitam que os judeus fazem parte do povo escolhido e assim remontam sua crença ao Rei Davi que fez seu reinado e o templo em Jerusalém, confirmado por achados arqueológicos.

Mas o patriarca de Jerusalém, segue o lema do governo brasileiro, e  acha que Jerusalém é de todos. Dizer que Jerusalém é de todos é desprezar o rei Davi e o próprio Jesus Cristo, que é descendente de Davi.

Ele também acha que a culpa das guerras intermináveis no Oriente Médio é do Ocidente. O patriarca, que é um religioso, despreza o valor das religiões na vida humana ao jogar para "o Ocidente", a culpa das guerras. Não existia guerra por lá não antes da criação do chamado Ocidente? Antes da criação dos Estados Unidos? 

Daqui a pouco ele vai dizer também que  quem derrubou as torres gêmeas em Nova York foram os Estados Unidos.

Tenha santa paciência!!!

Quanta estupidez, estou perdendo a paciência.

Vejam o vídeo do Rome Reports em espanhol do tal patriarca, cujo nome é Fouad Twal. O texto do vídeo vai abaixo também.





Patriarca latino de Jerusalén: Si Occidente crea guerras debe aceptar sus consecuencias

2016-04-25
Hoy los cristianos de Oriente Medio viven una de las situaciones más delicadas de su Historia. Son una población mermada que corre el riesgo de desaparecer de la Tierra de Jesús víctima de la guerra, la pobreza y el radicalismo religioso.

PATRIARCA FOUAD TWAL
Patriarca Latino de Jerusalén
"Somos la Iglesia del Calvario por todo lo que vivimos: la situación, la economía, el conflicto, la ocupación... Pero en la iglesia del Santo Sepulcro, a pocos metros, también está la tumba vacía, es la Resurrección. Es hermoso poder vivir ambas dimensiones”. 

Desde hace unos años, la falta de entendimiento entre israelíes y palestinos se ha materializado en forma de un muro que separa Jerusalén de Belén y que divide algo más que dos territorios. 

PATRIARCA FOUAD TWAL
Patriarca Latino de Jerusalén
"Estos muros que veis cuando venís a Jerusalén nos hacen pensar en otros muros, en los del corazón del hombre: el miedo, el odio, la incomprensión, la desconfianza”.

La reciente intifada de los cuchillos ha viciado incluso más si cabe el ambiente entre israelíes y palestinos, entre los que parece difícil la paz. Hay cuestiones especialmente comprometidas como el estatus de Jerusalén

PATRIARCA FOUAD TWAL
Patriarca Latino de Jerusalén
"Jerusalén no es para un pueblo, no es para Israel, no es para los musulmanes, no es para los cristianos sino que todos somos Jerusalén. Jerusalén es la madre que nos acoge a todos”. 

Por desgracia, Oriente Medio es cada vez más una tierra peligrosa para millones de personas. Las guerras en Siria y en Yemen, la violencia en Irak y la tensión entre Israel y Palestina están provocando un auténtico éxodo que los países occidentales no están sabiendo gestionar.

PATRIARCA FOUAD TWAL
Patriarca Latino de Jerusalén
"La intervención de Europa y América ha provocado la guerra en Siria. Si han querido la guerra, tienen que aceptar las consecuencias: los refugiados son consecuencia de esta política”.

Monseñor Twal habló de esta difícil situación en la cuna del cristianismo durante un encuentro en la Pontificia Universidad de la Santa Cruz de Roma. 

El Patriarcado latino de Jerusalén abarca también Jordania, donde se concentran la mayor parte de los refugiados sirios. Muchos de estos prófugos son además palestinos, doblemente refugiados que tras escapar de una guerra en su tierra, se encontraron con otra peor en Siria.







sexta-feira, 22 de abril de 2016

Turquia vai Tomar Igrejas Cristãs


O governo daTurquia, aproveitando conflito com os curdos, resolveu tomar todas as igrejas cristãs da cidade de Diyarbakir e transformá-las em propriedade do estado turco. São igrejas católicas, protestantes e ortodoxas.

O governo alega que faz isso para reconstruir a cidade que tem sofrido com a guerra e que vai fazer isso com as mesquitas também. Acontece que as mesquitas na Turquia são financiadas com dinheiro publico, pelo estado turco, por isso não terão nenhum problema em se refazer. As igrejas cristas são mantidas apenas com a caridade dos fiéis.

Uma das igrejas cristãs que a Turquia quer tomar tem 1.700 anos.

A Turquia segue ajudando a eliminar o cristianismo do lugar onde nasceu, como faz o Hamas e o Fatah na Palestina e o Estado Islâmico na Síria. E como fizeram e fazem países muçulmanos e países comunistas.

Erdogan, presidente turco, tem sido conhecido pelo controle da imprensa e  pelos ataques à liberdade religiosa.

A Turquia quer entrar na União Europeia, será que a União  Europeia vai reagir a essa decisão da Turquia. E a ONU? E o Vaticano, vai dizer alguma coisa?

A comunidade cristã turca está reagindo e precisa de ajuda.

No mundo todo, está claro que o cristianismo está sob ataque, ataques de forças comunistas, muçulmanas e esquerdistas em geral (feministas, movimento gay, movimentos pró-aborto...).

Lutemos.

Rezemos.


quinta-feira, 21 de abril de 2016

ESPN é Esquerdista Radical


Meus amigos, sabendo que acompanho imprensa internacional, costumam me perguntar sobre a vertente ideológica de jornais, TVs e jornalistas internacionais. Não sou especialista, mas tenho boa noção.

Por exemplo, NYT, The Guardian, the economist, CNN, MSN e le Monde têm vertente esquerdista, por vezes, radical. Enquanto WSJ, the Spectator, Fox News e the Telegraph têm vertente mais a direita.

As redes esportivas tendem a ser esquerdistas, porque em geral os jornalistas têm pior formação, mas a ESPN se destaca pelo radicalismo esquerdista. Tanto nos Estados Unidos, como no Brasil, onde é liderada por José Trajano, um esquerdista radical.

Vejamos um caso recente nos EUA.

Nos Estados Unidos, esquerdistas radicais chegaram ao banheiro. Isto é, eles acham que os banheiros não devem ser separados por homens e mulheres, isso para eles seria discriminação.

Ai, um empregado da rede ESPN, chamado Curt Schilling, vendo a estupidez de tudo isso, colocou o meme acima em sua página de facebook.

O meme diz: "Deixe ele entrar no banheiro com sua filha, se você não deixar é porque você é estúpido, não tem coração, racista intolerante, que merece morrer".

Schilling é um ex-jogador de basebol que está no hall da fama do esporte.

Com a meme, a ESPN demitiu Schilling com a seguinte mensagem:


A mensagem da ESPN diz: "Demitimos Schilling porque a ESPN é inclusiva".

A ESPN acha certo ter banheiro sem separação de sexo.

Será que o chefe da ESPN deixa a filha dele entrar no banheiro com o cara acima?

O mundo está estúpido demais.


terça-feira, 19 de abril de 2016

Por que Não "Por Deus, Pelos Filhos e Pela Família" ?


Até o Reinaldo Azevedo, que se considera um católico conservador, achou errado os deputados disserem que estavam votando por Deus, pelos filhos e pela familia na votação pelo impeachment. Pareceu-me que o Reinado Azevedo estava com medo da reação de gente como Caetano Veloso.

Não sou muito fã do estilo de Reinaldo Azevedo, mas agradeço a ele muito por ele ter me apresentado um escritor que mudou minha vida: G K Chesterton.

Chesterton dizia que todo debate é um debate teológico. Ele tinha razão.

Você não acha que a ética petista é devastadora para a familia e para a doutrina católica?

O debate pelo impeachment é um debate teológico, de visão de mundo, de alma. E não apenas sobre a constituição (aliás, muito dedicaram o voto à constituição).

O PT depois que chegou ao poder fez os maiores casos de corrupção da história do país e os líderes do país mentem com despudor nunca visto. Roubo e mentira estão condenados nos 10 mandamentos

O PT desde sempre apoiou o aborto, o casamento gay, a eutanásia e o ateísmo comunista. Cristo é vida e disse que a família é entre um homem e uma mulher.

Nada mais certo do que dizer que se estava votando por Deus e pela família contra o PT.

Errado tá um deputado de um partido chamado PHS que chegou na tribuna e disse que era contra o aborto e a ideologia de gênero e que votava pela Dilma. Isso sim é estúpido.


domingo, 17 de abril de 2016

Papa Francisco dá Razão a Quem o chama de Herético e Comunista.



Difícil imaginar palavras piores para um papa, deve ter sido a pior entrevista de um papa na história.

Nem consegui ler toda.

Aqui vão quatro desastres:

1. Disse que sim, que está prensando em mudar a doutrina milenar da Eucaristia. Doutrina determinada a partir da  Carta aos Coríntios de São Paulo.

Ao seu perguntado sobre isso disse

"Quero mudar sim. E ponto final"

2. O Papa levou três famílias muçulmanas para serem refugiadas na Itália. 

Em tempos da maior perseguição muçulmana contra cristãos da história, fica registrada como o Papa ajudou os cristãos. E ainda disse que não fez distinção entre cristãos e muçulmanos refugiados.

Um político pode dizer isso, um papa tem obrigação de fazer distinção. São Paulo defendeu essa distinção de forma explícita.

3. Perguntado sobre os tipos de refugiados, uns que fugiam da guerra e outros da fome, o Papa disse que a culpa é da "exploração da terra". Resposta típica de comunista.

4. O Papa criticou que quem acha que ele se encontrar com o comunista Sanders, candidato a presidente nos EUA, seria um ato político. O Papa disse que quem pensa assim tem de " procurar um psiquiatra"

Os sites católicos estão centrando muito no primeiro ponto, com razão pois é o mais importante, mas tem pelo menos esses três outros pontos terríveis.

Vejam a entrevista clicando aqui.

Tá difícil aguentar pontificado do Papa Francisco. Ele se comporta como político ateu comunista.



sexta-feira, 15 de abril de 2016

Um Papa que Recorrentemente Defende Judas Iscariotes


Não pensei que viveria para ver isso. Tão trágico e absurdo, mas é a verdade dos fatos. O Papa Francisco por duas vezes, pelo menos, defendeu Judas Iscariotes.

O site Amateur Brain Surgeon relatou essas duas vezes que o Papa Francisco defendeu Judas Iscariotes e também disponibiliza a doutrina católica milenar sobre Judas Iscariotes, que por sinal é bem simples de ser entendida. A Doutrina diz que Judas Iscariotes traiu Deus em pessoa, traiu a Igreja, merece fogo eterno. Judas Iscariotes não se arrependeu de última hora e voltou seus olhos para Deus, ele teve o remorso comum às almas perdidas no inferno!!

Mas o Papa Francisco parece discordar.

Ele sempre usa Judas para atacar aqueles que o Papa acha que não são misericordiosos, especialmente católicos conservadores e teólogos.

Em 29 de outubro de 2014, o Papa Francisco disse:

"Judas não foi o pior dos pecadores. Eu não sei quem foi o pior pecador...Judas, pobre homem, é aquele que  se fechou para o amor e por isso se tornou um traidor. E eles todos fugiram durante a Paixão de Cristo e abandonaram Jesus. Eles todos são pecadores".

Nessa semana passada, dia 11 de abril, o Papa voltou a defender Judas Iscariotes, Ele disse que os líderes judeus tinham sidos cruéis com Judas por não aceitarem as moedas de volta que foram pagas para matar Cristo, assim o líderes judeus teriam provocado o suicídio de Judas. Em suma, a culpa é dos líderes judeus!, para o Papa Francisco.

Vejamos as palavras dele:

"Me dói quando eu leio pequenas passagens no evangelho de São Mateus, quando Judas, que tinha se arrependido, vai aos sacerdotes e diz: "Eu pequei e quero dar...dá a eles as moedas, Quem se importa - os sacerdotes dizem para ele, não é nosso problema. Os sacerdotes fecharam seus corações para este pobre, arrependido homem, que não sabia o que fazer. E Judas foi e se enforcou. O que eles fizeram quando Judas se inforcou? Eles falaram entre eles: "Ele era um pobre homem?" Não. Aquelas moedas foram o preço do sangue, eles nãpo devem entrar no templo...Eles se referiam à uma regra ou outra regra....Os doutores da lei."

Quem poderá ir ao inferno, se quem trai Deus mereceria o perdão?

Pela lógica do Papa Francisco, se Judas merece perdão, os sacerdotes que lhe pagaram as moedas também mereceriam, pois todos eles fizeram o mesmo pecado, traíram Deus. Não se pode dizer, pelo menos um Católico não pode dizer, que os sacerdotes seguiram a lei, pois Cristo é a Lei. Cristo é o cumprimento do Velho Testamento.

Leiam no site Amateur Brain Surgeon o que a Doutrina da Igreja fala de Judas, que como  eu disse é simples. Judas não se arrependeu a Cristo (Deus) e sim cometeu mais um pecado, o pecado do desespero do remorso ao se matar. E os sacerdotes também são condenados por Deus por insistirem no cumprimento do acordo com Judas.

Vejamos algumas passagens:

The devil is so crafty,” says S. Chrysostom, ‘that he allows not a man (unless very watchful) to see beforehand the greatness of his sin, lest he should repent and shrink from it. But as soon as a sin is fully completed, he allows him to see it, and thus overwhelms him with sorrow and drives him to despair. Judas was unmoved by Christ’s many warnings; but when the deed had been wrought, he was brought to useless and unavailing repentance.” 

Repented himself. 

Not with true and genuine repentance, for this includes the hope of pardon, which Judas had not; but with a forced, torturing, and despairing repentance, the fruit of an evil and remorseful conscience, like the torments of the lost. In Gr. μεταμεληθείς.

Brought again the thirty pieces or silver to the Chief Priests

. To rescind his bargain. As if he had said, “I give back the money; do ye, on your part, restore Jesus to liberty.” So S. Ambrose (in Luc. xxii.), “In pecuniary causes, when the money is paid back, justice is satisfied.” And S. Hilary, “Judas gave back the money that he might expose the dishonesty of the purchasers.” And S. Ambrose, “Though the traitor was not absolved himself, yet was the impudence of the Jews exposed; for though put to shame by the confession of the traitor, they insisted wickedly on the fulfilment of the bargain.” 

Judas then added to his former sin the further sin of despair. It was not a more heinous sin, but one more fatal to himself, as thrusting him down to the very depths of hell. He might, on his repentance, have asked (and surely have obtained) pardon of Christ. But, like Cain, he despaired of forgiveness, and hung himself on the self-same day, just before the death of Christ. For he could not bear the heavy remorse of an accusing conscience. 

 Thus S. Leo, “0 Judas, thou wast the most wicked and miserable of men, for repentance recalled thee not to the Lord, but despair drew thee on to thy ruin!” And again, “Why dost thou distrust the goodness of Him who repelled thee not from the communion of His Body and Blood, and refused thee not the kiss of peace when thou camest to apprehend Him? But thou wast past conversion (a spirit that goeth and returneth not); and with Satan at thy right hand, thou followedst the mad desire of thy own heart, and madest the sin which thou hadst sinned against the King of Saints to recoil on thine own head; that thus, as thy crime was too great for ordinary punishment, thou mightest pronounce, and also execute, the sentence on thyself. 


quinta-feira, 14 de abril de 2016

Refugiado Muçulmano Admite que Tocou Fogo em Centro de Refugiados e Fez Suásticas para Condenar Grupos Anti- Imigrantes


Isso tem até nome em inglês, chama-se "Fake Hate Crimes" (que poderiam ser traduzidos por crimes de ódio falsos). Existe um site que cataloga esses crimes falsos, o site é chamado fakehatecrimes.org.

Esse tipo de coisa é muito comum nos Estados Unidos, grupos que se posicionam como vítimas, gays, negros, etc, forjam um crime para condenar supostos inimigos racistas.

É muito importante ter isso em mente toda vez que se lê sobre um crime de ódio na imprensa. Pois em geral, a imprensa divulga o suposto crime, mas se for descoberto que o crime é falso não é divulgado. Por isso o site fakehatecrimes.org. faz um trabalho importante.

No Brasil, o caso mais clássico é o da brasileira que forjou crimes de ódio na Suiça, se cortando toda com gilete desenhando suásticas. Mas, a gente consegue lembrar desse caso, porque a Suíça reagiu e mostrou que o crime era falso, mas inúmeros outros que aparecem em especial no site UOL (que adora relatar crimes de ódio, especialmente contra gays).

Claro que nem todos os crimes de ódio são falsos, mas deve-se desconfiar de todos. Mesmo porque os jornalistas que reportam esses crimes têm posições ideológicas que podem exacerbar ou reduzir o tamanho do crime de ódio.

Outra coisa que deve-se ter em mente é que quando o governo não faz aquilo que tem de fazer de mais importante, que é proteger a população, naturalmente a população vai se armar para se defender, e assim surgem inúmeros crimes.

Vejam essa notícia da Alemanha em que o próprio refugiado, acolhido pelo povo da Alemanha, jogou fogo no centro de refugados e pintou suásticas na parede para que se pensasse que o incêndio tinha sido feito por radicais nazistas contra a imigração.

Syrian refugee admits to setting shelter on fire, spray-painting swastikas to frame far-right


A Syrian refugee has admitted to setting fire to a German shelter where he was staying, spray-painting swastikas on the walls to make it look like a political crime. The asylum seeker said the arson attack was in response to poor conditions at the shelter.
"During police questioning, the man admitted that he had set [a] fire in the cellar of the multi-use building," police spokesman Achim Hansen told NBC News, adding that the refugee had also stated that he “had a lack of hope for the future."
The 26-year-old refugee sprayed three swastikas on the exterior in the building, located in the town of Bingen, in an effort to make it seem like the fire was started by far-right protesters.
The refugee, who says he acted alone, has been sent to jail to await trial. He had been living at the shelter for around six months, according to investigators cited by The Local.A total of 26 people were inside the building when the fire was started on Thursday. Two firefighters and four residents suffered minor injuries as a result of the blaze. In addition to refugees, the building houses migrant workers from other European countries.
Although this particular attack was designed to frame Germany's far-right, other attacks on refugee shelters have indeed been launched by German nationalists.
There were over 800 attacks on refugee shelters in 2015, according to Germany's Criminal Police Office. Those numbers represented a four-fold increase from 2014, when there were 199 cases.
In February, a planned refugee center in Bautzen, Saxony, erupted into flames as onlookers cheered and tried to prevent firefighters from extinguishing the blaze. Later that month, another Saxony building slated to host asylum seekers was hit with multiple gunshots, after previously being flooded and stoned. 
An overwhelming 1.1 million refugees came to Germany in 2015, largely due to Chancellor Angela Merkel's open-door policy for refugees fleeing war and persecution. However, many of the country's citizens have lost hope in the government's ability to handle the crisis, with a recent poll showing that 81 percent of people believe the crisis to be “out of control” under Merkel's authority. 
Europe continues to face its worst refugee crisis since World War II. Most of the asylum seekers arriving on the continent are from Syria, where 250,000 people have been killed and more than 12 million displaced since the country's civil war began in 2011, according to UN figures.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Pesquisa: 2/3 dos Muçulmanos Ingleses Não Avisarão Autoridades se Souberem de Terrorismo


Trevor Phillips ajudou a disseminar a palavra islamofobia, ele é ex-líder de Igualdade e Direito Humanos, Trevor Phillipps, do Reino Unido. Mas agora ele admite que os muçulmanos não vão se integrar na sociedade britânica, disse que eles vivem em um mundo a parte.

Eu que já morei na Inglaterra, e qualquer um que mora lá, sabe disse há muito tempo, basta andar nas ruas.

Mas disse Phillips:

“For a long time, I too thought that Europe’s Muslims would become like previous waves of migrants, gradually abandoning their ancestral ways, wearing their religious and cultural baggage lightly, and gradually blending into Britain’s diverse identity landscape.”

“the unacknowledged creation of a nation within the nation, with its own geography, its own values and its own very separate future.”

(Traduzindo: "Por muito tempo, eu também pensei que os muçulmanos da Europa se tornariam como ocorreu com as ondas migratórias do passado, gradualmente abandonariam suas maneiras ancestraus, usando apenas levemente suas bagagens culturais e religiosas, e gradualmente se misturando à diversa identidade Britânica. Ocorreu, no entanto, a criação de uma nação dentro de outra nação, com sua própria geografoa, seus próprios valores e com um futuro muito separado")  


Hoje, foi divulgada pesquisa em que 2/3 dos muçulmanos no Reino Unido não avisarão às autoridades se souberem de algum plano terrorista


Pergunta-se: quantos muçulmanos vivem no Reino Unido?

Dizem que há aproximadamente 3 milhões de muçulmanos no Reino Unido (quase 5% da população total), então 2 milhões de muçulmanos seriam cúmplices, colaborariam com seu silêncio com ações terroristas.

É terrorista demais, não é?

E está chegando mais. 

terça-feira, 12 de abril de 2016

Hamas destrói Ruínas de Igreja Cristã de 1800 anos.


O Hamas, que domina a faixa de Gaza, quer construir um shopping na Cidade de Gaza, em um bairro chamado Al-Daraj. No processo de escavação para o shopping, acabaram encontrando ruínas de uma Igreja cristã bizantina de 1800 anos.

O que fez o Hamas?

Continuou a construção do shopping destruindo as ruínas e artefatos encontrados.

Um cristão que mora na Cisjordânia, outra área dominada por palestinos pergunta: "Onde estão os líderes das igrejas cristãs do mundo? Onde está o Vaticano e a UNESCO? Onde estão os líderes políticos mundiais que falam tanto em preservação de relíquias de lugares sagrados?

Pois é, onde estão?

O padre Ibrahim Nairouz fez uma carta ao primeiro-ministro da Palestina, Hamdallah, perguntando se ele permitiria a destruição se encontrassem  uma sinagoga ou mesquita?

Ouve-se muito falar em destruição de monumentos históricos pelo Estado Islâmico, Vaticano e lideres politico mundiais criticaram tanto isso,  mas o Hamas fez mesmo e ninguém diz nada.

Vemos a história sendo destruída.

Leiam a descricao do fato no site do Gatestone Institute.


segunda-feira, 11 de abril de 2016

"O Diabo está nos Detalhes" - O Rodapé 351 do Amoris Laetitia


Diante de um texto enorme, confuso e ambíguo, que é o Amoris Laetitia do Papa Francisco, o site The American Catholic viu o demônio no detalhe de um rodapé.

Realmente, esse rodapé, de número 351, é bastante perturbador para dizer o mínimo.

Vejamos o rodapé 351:

"Em certos casos, poderia haver também a ajuda dos sacramentos. Por isso, « aos sacerdotes, lembro que o confessionário não deve ser uma câmara de tortura, mas o lugar da misericórdia do Senhor» [Francisco, Exort. ap. Evangelii gaudium (24 de Novembro de 2013), 44: AAS 105 (2013), 1038]. E de igual modo assinalo que a Eucaristia «não é um prêmio para os perfeitos, mas um remédio generoso e um alimento para os fracos» [Ibid., 47: o. c., 1039]".

---

Toda a Doutrina da Igreja estabelece que a Eucaristia é para aqueles que são dignos, que estão em estado de graça, que se confessaram e podem assim participar da mesa de Cristo.

Isso é assim desde sempre, pois São Paulo disse que 1 Coríntios 11:26-29:


26 Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.
27 Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.
28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice;

O  texto do Papa fala em "perfeitos", acontece que não existem seres humanos perfeitos. Então, deixa o texto mais uma vez confuso e ambíguo, o diabo costuma entra por aí.

O Dr. Peter Kwasniewski falou do desprezo que o Papa Francisco teve às passagens em 1 Coríntios 11:26-29. E colocou as algumas vezes que Igreja declarou a necessidade de que aquele que come o pão e bem o cálice de Cristo esteja no caminho da perfeição em Cristo.

Ele mostra textos de João Paulo II e São João Vianney, conhecido como Cura d'Ars.

João Paulo II menciona isso na Encíclia Ecclesia de Eucharistia, Ele lembra que é condenado quem participa da Eucaristia de forma indigna, vejamos:

"Com a sua grande eloquência, S. João Crisóstomo assim exortava os fiéis: « Também eu levanto a voz e vos suplico, peço e esconjuro para não vos abeirardes desta Mesa sagrada com uma consciência manchada e corrompida. De facto, uma tal aproximação nunca poderá chamar-se comunhão, ainda que toquemos mil vezes o corpo do Senhor, mas condenação, tormento e redobrados castigos »"

"Entretanto a celebração da Eucaristia não pode ser o ponto de partida da comunhão, cuja existência pressupõe, visando a sua consolidação e perfeição. O sacramento exprime esse vínculo de comunhão quer na dimensão invisível que em Cristo, pela acção do Espírito Santo, nos une ao Pai e entre nós, quer na dimensão visível que implica a comunhão com a doutrina dos Apóstolos, os sacramentos e a ordem hierárquica. A relação íntima entre os elementos invisíveis e os elementos visíveis da comunhão eclesial é constitutiva da Igreja enquanto sacramento de salvação.(71) Somente neste contexto, tem lugar a celebração legítima da Eucaristia e a autêntica participação nela. Por isso, uma exigência intrínseca da Eucaristia é que seja celebrada na comunhão e, concretamente, na integridade dos seus vínculos."

---
Que texto lindo esse de João Paulo II, nada de ambiguidades, mas clara Doutrina da Igreja. Porta fechada para o demônio.


sexta-feira, 8 de abril de 2016

Teólogo e Canonista Ed.Peters Não Gostou do Amoris Laetitia. Robert Royal viu Problemas Também.



Eu suma, eu até fiquei aliviado que o Papa Francisco não desprezou os ensinamentos da Igreja sobre casamento e aborto. Mas novamente temos problemas enormes em argumentos do Papa Francisco, alguns desses problemas podem ser considerados erros básicos de Doutrina Católica. E ambiguidade é uma característica perigosa do Papa Francisco, o que também é problemático.

Quando eu quero saber sobre os aspectos canônicos de um documento da Igreja, eu recorro a Edward Peters no site In the Light of the Law. Peters é renomado mundialmente, acostumado a dar aulas para bispos e cardeais até em Roma. Procuro fugir da falácia da autoridade, olhando outras fontes, mas em geral Peters é mais convincente e profundo que o resto. Aqui mostro a opinião de Peters e também de Robert Royal.

Fica evidente que Peters não gostou de Amoris Laetitia. Robert Royal, outro católico renomado, autor de diversos livros, também viu coisas muito preocupantes no texto do Papa.

Primeiro vamos aos argumentos de Peters. vou fazer um resumo:

1. Primeiro, Peters achou que o texto não estava tão bem escrito, nem tão lógico, e com muitas platitudes, mas disse que o Papa Francisco é assim mesmo, não é claro e apela para platitudes;

2. Depois, ele trata dos problemas canônicos do texto. Eu ressalto as letras "a",  "d" e "e". O erro mais crasso para mim é a letra "e":

a) Sobre comunhão para divorciados que se casaram novamente - Peters diz que o Papa Francisco não aprovou a comunhão, mas também o Papa não reiterou claramente o ensinamento da Igreja. Outro problema é que o Papa usa a expressão "casamento irregular", quando a Igreja usa a expressão "pseudo-casamento" para uniões que não são reconhecidas pela Igreja. Além disso, o Papa colocou a palavra irregular entre parênteses, como querendo dizer que ele não considerava irregular.

b) O Papa Francisco ainda falando sobre os divorciados que vivem em segunda união civil comentou sobre a sugestão canônica de que eles vivessem como irmãos, e usa uma passagem de Gaudium et Spes que trata do período de abstinência sexual entre casamentos reconhecidos pela Igreja. Peters disse que o Papa Francisco usou de "forma errada e perigosa" (serious misuse) o Gaudium et Spes, uma vez que a Igreja considera adultério a segunda união.

c) O Papa Francisco falando de casamentos cristãos, como reflexo da união entre Cristo e a Igreja, disse que algumas formas de casamentos contradizem essa união e outras realizam essa união pelo menos em parte. Peters disse que o Papa deveria ter elaborado mais, pois formas de união que contradizem a união de Cristo e a Igreja são adúlteras e pseudo-casamentos e formas de união que realizam pelos menos em parte são todas formadas pelo casamento natural entre homens e mulheres. Essas duas formas não são variações de um mesmo tema, são dois tipos completamente diferentes. O Papa parece não entender isso;

d) O Papa Francisco disse que alguns casamentos de divorciados podem exibir fidelidade, generosidade e compromisso cristão". Peters disse que muitos podem se perguntar como um casamento considerado adúltero pela Igreja pode exibir fidelidade e compromisso cristão.

e) O Papa diz que "ninguém pode ser condenado para sempre, porque essa não é a lógica do Evangelho". Peters disse que pelo contrário: é justamente a lógica do evangelho que alguém pode sim ser condenado para sempre.

f) Na passagens sobre a educação sexual dos jovens, Peters ressalta que o Papa não faz nenhuma menção sobre os direitos dos pais nessa importante área. Ele deveria ter feito pela circusntâncias atuais.

Leiam todo o texto de Peters, clicando no link.

Robert Royal achou o texto "Bonito, Emocionante, mas Divisivo".

Os dois últimos parágrafos de Royal são fantásticos. Ressaltam que o texto do Papa Francisco é muito ambíguo e por isso traz problemas para a Igreja.

Vejamos esses dois últimos parágrafos de Robert Royal, que dizem que o Papa Francisco em Amoris Laetitia não segue o que disse o cardeal Newman, que afirmou que a Igreja deve ser clara nos seus ensinamentos, e que o Papa parece mais interessado em trazer conforto para as pessoas do que em buscar a conversão para o que Cristo ensinou sobre casamento. O beato Newman condenou aquele que busca demasiadamente o conforto das pessoas esquecendo o caminho da santidade.

When he was embroiled in controversies that eventually led him to the Catholic Church, the great Cardinal Newman warned his Anglican brothers and sisters about mere verbal solutions to concrete differences in faith and morals: “There are no two opinions so contrary to each other, but some form of words may be found vague enough to comprehend them both.” And added: “If the Church is to be vigorous and influential, it must be decided and plain-spoken in its doctrine. . . .To attempt comprehensions of opinion. . .is to mistake arrangements of words, which have no existence except on paper for. . .realities.” We know where that led for Anglicans.

For all his claims to the contrary in these many pages, Francis seems more interested in bringing people comfort than full conversion to what Christ clearly taught on marriage. Newman had seen that too: “Those who make comfort the great subject of their preaching seem to mistake the end of their ministry. Holiness is the great end. There must be a struggle and a trial here. Comfort is a cordial, but no one drinks cordials from morning to night.”