terça-feira, 24 de maio de 2016

Papa Francisco e o Populismo Decadente das Esquerdas Latino-Americanas


Quando o Papa Francisco foi eleito, o site Rorate Coeli pediu a opinião do jornalista argentino Marcelo Gonzalez. Gonzalez escreveu dizendo que a eleição de Bergoglio era "O Horror", pelas inconsistências e fraquezas doutrinárias do Papa. Gonzalez chegou a dizer que Bergoglio era a pior escolha possível.

Bom, vivemos o pontificado de Francisco e não se pode afirmar que Gonzalez estava de todo errado.

Mas Gonzalez não mencionou a posição política do Papa Francisco. Hoje, no entanto, temos uma clareza de que ele tem um visão bem esquerdista de mundo. As fotos abaixo falam mais do que mil palavras. A primeira dele mostrando frieza e até insatisfação ao ser fotografado com o presidente argentino Maurício Macri, que derrotou o Kirchinerismo, e a segunda foto mostra o Papa animado recebendo um presente controverso (para dizer o mínimo) de Evo Morales.




Bom, o populismo de esquerda na América Latina foi um desastre. Muita corrupção e aceleração da pobreza. Esse populismo está em decadência na América Latina e o povo latino está sofrendo as consequências desses governos esquerdistas. E o que tem dito o Papa sobre isso?

Dr. Samuel Gregg escreveu um ótimo texto sobre o assunto. Gregg lembra que  mo caso da Venezuela até os bispos católicos atacam o regime chavista, mas não ouvi nada do Papa. Leiam aqui partes desse texto de Gregg.


May 22, 2016
As populist regimes implode across Latin America, it’s unclear that the Catholic Church in the age of Francis is well-equipped to cope with whatever comes next.

Venezuela is now in an advanced state of political and economic collapse. Such is the fruit of seventeen years of the “21st century socialism” pioneered by Hugo Chávez and pursued by his successor Nicolás Maduro. On a daily basis, the reality of Venezuelans is one of empty shops, massive corruption, triple-digit inflation, an absence of necessities like food and medicine, and omnipresent violence as law and order breaks down. This is the logical consequence of a populist regime that, in the name of “the people,” nationalized entire industries, demolished the central bank’s independence, ploughed oil-revenues into inefficient and corrupt state-owned enterprises, printed money to cover escalating government spending, and then tried to control the rapidly-deteriorating situation through price and currency controls.

Politically-speaking, Venezuela is now one of the world’s most polarized and repressed societies. The government regularly uses the police and its own “national militia” to terrorize its critics. Most of the press has been muzzled and the judiciary’s independence severely compromised. Civil society has, for all intents and purposes, been pulverized—all in the name of the people’s socialist revolution.
The one institution that’s maintained its integrity in this midst of Venezuela’s disarray is the Catholic Church. Catholic university students have played a central role in bringing the regime’s abuses to international attention. Likewise, Venezuela’s Catholic bishops have been unstinting in their criticism of the Chavistas’ economic and political experimentation. In January 2015, for instance, the Venezuelan bishops’ conference formally denounced the nation’s economic crisis as the result of “a “politico-economic system of a socialist, Marxist, or Communist nature.” That’s strong language. The bishops also condemned the regime’s demonization of its opponents, its demagogic language, its systematic violation of human rights, the imprisonment of thousands of government opponents, and the torture of political prisoners.

The Church and the populists
Given these facts, many have wondered why, of all the Latin American heads of states who could have attended the Pontifical Academy of Social Sciences recent conference to mark the 25th anniversary of Saint John Paul II’s encyclical Centesimus Annus, the only two present were left-wing populists: Ecuador’s Rafael Correa and Bolivia’s Evo Morales. Are we to believe that not a single other serving Latin American head of state was able and willing to attend?
Since Pope Francis often states that realities are more important than ideas, let’s recall some basic realities about presidents Correa and Morales. Both are professed admirers of Chávez and committed to what Correa calls “socialism of the 21st century” or what Morales describes as “communitarian socialism.”

Both men have also followed the classic populist playbook. This involves (1) dismantling constitutional restraints on power; (2) blaming their nations’ problems on foreigners and foreign interests; (3) following a political logic of internal confrontation with those designated as “enemies of the people”; (4) fostering a cult of personality around a charismatic leader; and (5) creating large constituencies of supporters through disbursement of state largesse. The result has not only been political oppression. The economies of Bolivia and Ecuador are now formally classified as “repressed” in the 2016Index of Economic Freedom. That means they are among the least free, most corrupt, and statist in the world.

The fact, however, that Correa and Morales were invited to speak at a conference at the Holy See reflects the Church’s ambiguous relationship with left-populist movements and governments in recent years. The Venezuelan bishops’ willingness, for instance, to name and shame a populist regime so directly for its destructive policies is the exception rather than the rule.

During his years as Archbishop of Buenos Aires, Pope Francis was censorious, sometimes vividly, of aspects of the populist presidencies of Néstor and Cristina Kirchner. Yet in July 2015, the pope appeared with Morales before the “Second World Meeting of Popular Movements” and delivered a speech which had more than a populistedge to it. Indeed, in the numerous addresses, press conferences, and interviews given by Francis since becoming pope, it’s hard to find any clear criticism of left-populist policies that comes close to matching his impassioned denouncements of market economies.

---
Opportunity in the darkness?
The good news for Latin America is that populist movements and governments are on the wane. Late last year, the main Perónist candidate for the Argentine presidency was defeated in national elections. In February this year, Evo Morales lost a referendum that would have permitted him to seek a fourth term. In Venezuela, the opposition now controls the National Assembly and is trying to force a deeply-unpopular Maduro into a recall election.

For the Catholic Church, however, the question is what it can learn from populism’s failures. One step forward would be for the Church in different Latin American nations to ask itself some serious questions about the degree to which populist language and preoccupations have shaped its engagement with political and economic issues.

One example is the constant references to “neoliberalism” invariably found in documents issued by Latin American bishop conferences. Throughout Latin America, neoliberalismo often functions as a synonym for unfettered markets. But it is also a straw man. Unfettered markets simply don’t exist, including in the United States.

One might also ask if some Catholics’ constant invocation of “neoliberalism” (or “imperialism,” “the anonymous influence of mammon”, “neoliberal lords of capital,” “markets that kill,” or name-your-populist-slogan) as a primary cause of Latin America’s problems reflects an unwillingness to accept that many of the region’s difficulties have resulted from choices made by Latin Americans. After all, the Chávezs, Kirchners, Peróns, Morales, Correas and Maduros of Latin America were all democratically elected. Perón wasn’t imposed upon Argentina by foreign corporations. No Western government forced Venezuela down its present path to anarchy. And if anyone’s propping up the increasingly brutal Maduros regime, it’s surely the crony-Communist prison-camp otherwise known as Cuba.

It’s an open question how many Latin American Catholic leaders would be willing to engage in such soul-searching. In many respects, it’s easier to chase phantoms or excoriate anonymous actors “out there.” The work of helping societies which take liberty and justice seriously to grow out of the rubble of populism is harder, less glamorous, and very much a long-term project—one which requires acceptance that preserving and promoting freedom, rule of law, and social justice rightly-understood actually requires restraints on the popular will.

The sad irony is that as populist movements and governments falter in Latin America, they’re on the march throughout the rest of the world. Given their recent experiences, Catholics throughout Latin America have a unique opportunity to help the universal Church respond to a phenomenon that represents a significant threat to nations which aspire to be free and just. In light, however, of its recent past and some of its on-going preoccupations, Latin American Catholicism’s ability to do so is presently, at best, uncertain.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Papa Bento XVI Diz que a Igreja Liberou Sim Todo o Terceiro Segredo de Fátima


Recentemente, eu mencionei um artigo que dizia que o amigo do Papa Emérito Bento XVI, padre Dr. Ingo Dolinger, declarou que a Igreja não divulgou todo o terceiro segredo de Fátima. Bento XVI teria confessado isso ao padre Dolinger.

Bom, a  Santa Sé divulgou um comunicado negando isso. Aqui vai o comunicado:

“ Several articles have appeared recently, including declarations attributed to Professor Ingo Dollinger according to which Cardinal Ratzinger, after the publication of the Third Secret of Fatima (which took place in June 2000), had confided to him that the publication was not complete. In this regard, Pope emeritus Benedict XVI declares ‘never to have spoken with Professor Dollinger about Fatima’, clearly affirming that the remarks attributed to Professor Dollinger on the matter ‘are pure inventions, absolutely untrue’, and he confirms decisively that ‘the publication of the  Third Secret of Fatima is complete’.”

Traduzindo:

"Muitos artigos têm aparecido recentemente, incluindo declarações atribuídas ao Professor Ingo Dollinger dizendo que o Papa Bento XVI, depois da publicação do Terceiro Segredo de Fátima (que foi divulgado em junho de 2000), tinha confessado a Dollinger que a publicação não tinha sido completa. Sobre isso, o Papa Emérito Bento XVI declara que "nunca conversou com Professor Dollinger sobre Fátima", claramente afirmando que as declaração atribuídas ao Professor Dollonger sobre o assunto são "puras invenções, absolutamente não verdadeiras", e ele confirma decisivamente que "a publicação do Terceiro Segredo de Fátima está completa".


De outro lado, Hickson que teria colhido a informação de Dollinger voltou a confirmar o que ele disse

---
Bom, meu blog com isso coloca o ponto de vista do próprio Papa Bento XVI sobre o que tem sido dito sobre o terceiro segredo de Fátima. Há muitas conjecturas, não tenho condições de avaliá-las, a irmã Lúcia não está mais entre nós.

Rezemos, como Nossa Senhora de Fátima nos ensinou.


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Papa Francisco Iguala Terroristas Islâmicos com Missionários Cristãos.




Há algum tempo ando bem cansado de falar sobre o Papa Francisco, mas a última entrevista dele teve tanta bobagem e erros teológicos e históricos, que vou deixar registrado aqui.

O pior foi  comparar o objetivo conquistador do Islã com as palavras de Cristo enviando os apóstolos para todas as nações, descritas no evangelho de São Mateus.

Nas fotos acima a gente pode ver como os "missionários" islâmicos são parecidos com os missionários cristãos.

O Papa, em tão poucas palavras, ofendeu a Cristo e seus missionários.

Além dessas palavras realmente "nonsense" (para não ter de usar palavras em português agressivas a quem deve ser líder e impulsionador dos missionários cristãos), há muitas outras bobagens ditas pelo Papa.

Para evitar que eu sofra escrevendo sobre elas, deixo vocês com a ótima análise feita por Carl E. Olson no site The Catholic Report.

Ele destrincha e destrói os argumentos que são até bobos do Papa.

Leiam. Usem google translate se não souberem inglês

Rezemos pela Igreja e seus missionários.


quarta-feira, 18 de maio de 2016

Aprenda com o Institute of Catholic Culture. Aprendi que Darwin é Ideologia, Não é Ciência no Sistema Bioquímico, Por Exemplo.


Meu ilustre amigo, Caleb, me informou que nos Estados Unidos o Institute of Catholic Culture está oferecendo de graça diversas palestras sobre os mais diversos temas. As palestras são dadas por ilustres palestrantes, e vêm com vídeo e apresentações em pdf.

Sensacional.

Vejam alguns seminários disponiveis:

Catholicism, Communism and the Common Good

Unlawful Union: How “Gay Marriage” Has Conquered America

Darwin’s Black Box: The Case for Creation

Light of the World: A Study of Christ’s Sermon on the Mount

The Crucified Christ: Stumbling Block or Stepstone?

Ontem, eu assisti a uma palestra do professor de bioquímica, Michael J. Behe,  sobre design inteligente e a tese de Darwin (mutação randômica e seleção natural) no sistema bioquímico.

Michael J. Behe é autor do livro "The Darwin's Black Box"

Vejam aqui o Vídeo  e  a Apresentação de Michael J. Behe.

Para quem não entende inglês, aqui vão alguns pontos da apresentação de Behe:

Michael Behe, bioquímico, professor da Universidade de Lehigh.

Principais pontos da palestra:

1) Alguns sistemas biológicos, no nível molecular, parecem ser feitos por design inteligente;

2) Design inteligente e a teoria de Darwin (mutação randômica, seleção natural) são completamente incompatíveis.

O debate em relação à criação se feita por de design divino ou por método natural é um debate longuíssimo na história.

O debate depende do  que se sabe sobre a natureza.

Darwin em carta disse que o Deus não parece ser tão bom, porque há cobras, ratos e leões que podem comer o ser humano.  Ele não via benevolência, então para ele não tem designer.

Darwin disse que se alguém descobrir um organismo que não foi formado pela mudança lenta, por numerosos e sucessivos  movimentos, a teoria seria derrubada.

Há duas questões: 

1) A natureza mostra sinais de design inteligente?
2) Qual é a natureza do designer?

primeira pergunta é científica, a segunda é filosófica. Ele tratará da primeira.

Mas diz que muitas teorias científicas têm implicações teológicas. Não é caso isolado do design e inteligente. A teoria do Big Bang, por exemplo, tem inúmeras implicações filosóficas e teológicas.

Além disse, ele lembra que algumas descobertas científicas que conseguem tem uma boa capacidade de previsão não necessariamente são explicadas cientificamente.  Ele usa como exemplo a descoberta da gravidade por Isaac Newton. Na época de Newton, a atração entre os corpos era tida como coisa de louco. Então, perguntaram a Newton sobre qual seria o mecanismo de atração de corpos da teoria dele. Ele respondeu hypotheses non fingo. (que poderia ser traduzido por: "não faço a menor ideia")

Design é deduzido da estrutura física do organismo, não é nada místico.
  

A análise celular nos mostra que nós somos comandadas por pequenas máquinas que estão nas células.

Essas "máquinas" já sofreram escrutínio científico, sendo assim denominadas, "máquinas". Essas máquinas não poderia sem formadas por mudanças sucessivas, lentas, como defende a teoria de Darwin. Porque as partes não fazem sentido isoladamente, apenas em conjunto. Tirou uma parte tirou a função.

Cientistas, mesmo aversos ao design inteligente, têm aceitado que a teoria darwiniana é uma ilusão, não está presente nos sistemas bioquímicos. 

---
Assistam a palestra de Behe, ele é muito bom e até divertido em sua palestra.

E vejam os outros vídeos e apresentações do  Institute of Catholic Culture.



segunda-feira, 16 de maio de 2016

A Terceira Parte do Segredo de Fátima Não foi Revelada Totalmente?


Já falei aqui de como a Igreja demorou a cumprir a Segunda Parte do Segredo de Fátima, que era a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. O pedido foi feito em 1917 e só foi cumprido em 1984 pelo Papa João Paulo II, depois de tentativas que não cumpriam o que pediu Nossa Senhora. Cabe lembrar que a Primeira Parte é a visão do inferno mostrado por Nossa Senhora aos três pastores.

Por meio de sites católicos, Big Pulpit e Pewsitter, fui levado a ler sobre a Terceira Parte do Segredo de Fátima nesse final de semana.

O site Big Pulpit traz dois textos interessantes.

O primeiro mostra em resumo de cinco pontos do terceiro segredo que foram analisados pelo então cardeal Joseph Ratzinger em 2000, quando era Prefeito para a Congregação da Doutrina da Fé.

Mas o segundo texto do Big Pulpit é bem mais interessante.Diz que o Terceiro Segredo de Fátima não foi revelado em sua totalidade, que a parte que não foi mostrada fala de um "mal concílio e má liturgia". A base da informação é um renomado teólogo alemão muito amigo do Papa Bento XVI, o Dr. Ingo Dollinger. O Dr. Dollinger, inclusive, foi o primeiro reitor do Instituto de Teologia de Anápolis em Goiás em 2004.

Em conversa com a alemã Maike Hickson,Dr. Dollinger disse que o Papa Bento XVI lhe afirmou que parte da Terceira Parte do Segredo não foi divulgada e que essa parte trata de "mal concílio e má liturgia da missa". Ao que parece fala do Vaticano II que determinou mudanças na liturgia e é um concílio controverso.

Vejamos o original do relato do Dr. Dollinger.

Not long after the June 2000 publication of the Third Secret of Fatima by the Congregation for the Doctrine of the Faith, Cardinal Joseph Ratzinger told Fr. Dollinger during an in-person conversation that there is still a part of the Third Secret that they have not published! “There is more than what we published,” Ratzinger said. He also told Dollinger that the published part of the Secret is authentic and that the unpublished part of the Secret speaks about “a bad council and a bad Mass” that was to come in the near future.

O site PewSitter me remeteu a um outro artigo que trata do mesmo assunto e revela que a Dra. Alice von Hildebrand, filósofa renomada, e esposa do falecido ilustre filósofo católico Dietrich von Hildebrand, afirmou que em conversa com o monsenhor Mario Bohem em 1965, que na época era editor do jornal L'Obsservatore Romano, este afirmou que parte da Terceira Parte não tinha sido revelada e que fala de um "mal papa".

Para finalizar, é bom que se diga, que todos os textos citados falam que mesmo diante das heresias, o coração Imaculado de Maria e Cristo triunfarão.

Aqui vai a Terceira Parte do Segredo como foi revelado em 2000, nas palavras da Irmã Lucia, em 1944:

A terceira parte do segredo revelado a 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria-Fátima. 

Escrevo em acto de obediência a Vós Deus meu, que mo mandais por meio de sua Ex.cia Rev.ma o Senhor Bispo de Leiria e da Vossa e minha Santíssima Mãe. 

Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fôgo em a mão esquerda; ao centilar, despedia chamas que parecia iam encendiar o mundo; mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro: O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: PenitênciaPenitênciaPenitência! E vimos n'uma luz emensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n'um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Varios outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de juelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam varios tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, n'êles recolhiam o sangue dos Martires e com êle regavam as almas que se aproximavam de Deus. 

---

Os artigos contém muita informação, cabe lê-los totalmente.

Tudo que possa vir de Nossa Senhora deve ser lido.

---
PS: Atualização: Papa Bento XVI negou as informações atribuídas a Dollinger. Santa Sé divulgou comunicado.


domingo, 15 de maio de 2016

Vídeo: Estátua de Nossa Senhora Derramando Lágrimas em Fresno Califórnia


Li na reportagem que a última vez que a Igreja aceitou uma imagem de Nossa Senhora chorando como milagre foi em 1954, pelo Papa Pio XII, para um caso em Siracusa na Itália, em que os médicoa comprovaram que as lágrimas eram humanas. Há ainda o caso famoso de Akita no Japão, na década de 70,  em que as lágrimas e o sangue de Nossa Senhora foram também atestados por diversos médicos como humanos. A Igreja declarou o caso de Akita como inexplicável mas ainda não declarou oficialmente como milagre. A Nossa Senhora de Akita teria aparecido também à freira Agnes Katsuko Sasagawa e disse que ia ter muita heresia dentro da Igreja, com o demônio atacando especialmente padres. O Papa Bento XVI declarou certa vez que a mensagem de Akita era semelhante à mensagem de Nossa Senhora de Fátima.

Não é o caso de Akita, que veio acompanhado de mensagens, mas lágrimas milagrosas de Nossa Senhora milagrosas exigem que os próprios fiéis decifrem seus significados.

E já ocorreram muitas fraudes

No caso do caso descrito agora em Fresno na Califórnia, a estátua aparece chorando na casa de Maria Cardenas. Ela diz que a estátua começou a chorar depois do assassinato de seu primo. E que a casa está aberta para todos verem. E alega que padres já foram lá e não conseguiram explicar.

Repórteres que foram ao local disseram que as lágrimas são oleosas e cheiram a rosas.

Vejam a reportagem abaixo:





Pode ser fraude? Pode. Tem cara de fraude em Fresno? Tem. Mas pode ser milagre? Pode.


sexta-feira, 13 de maio de 2016

Obama: "Alunos Transgêneros Podem Usar Qualquer Banheiro"


E a guerra do banheiro continua nos Estados Unidos. Obama agora quer que as escolas públicas deixem os alunos "transgêneros" entrar no banheiro que quiserem" .

A Reuters relata a posição da administração Obama.

Na minha terra, ia aparecer uma enorme quantidade de alunos "transgêneros".

Será que esta estupidez vai chegar por aqui? Não duvido, a América Latina, historicamente, gosta de copiar o que há de pior no mundo rico.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Guerra Fria Voltou? EUA e Rússia em Risco Nucear de Novo


Leio hoje que os Estados Unidos implantaram um sistema contra mísseis atômicos nucleares na Romênia, e a Rússia não gostou.

A Rússia quer saber se o sistema protege de ataques de mísseis russos. Os EUA negam dizem que protege só de misseis iranianos.

Russos desconfiam, americanos desconversam.

Que é isso gente? Voltamos à guerra fria? Está faltando problema no mundo?

Achei que o risco de guerra nuclear era apenas de terroristas terem acesso às bombas nucleares, mas os americanos e russos andam estimulando velhos inimigos.

Vejam detalhes clicando aqui.