terça-feira, 19 de setembro de 2017

1 Ano de Desprezo do Papa Francisco a Quatro Cardeais


No dia 19 de setembro de 2016,  há exatamente um ano, quatro cardeais apresentaram ao Papa Francisco cinco questões sobre a encíclica Amoris Laetitia, no qual o Papa deveria responder apenas sim ou não.

O Papa, que sempre fala que a solução para tudo é o diálogo, desprezou os quatro cardeais e não respondeu até hoje.

Dois desses cardeais morreram nesse 1 ano. Antes de morrer, o cardeal Caffarra, um dos quatro, escreveu ao Papa, pedindo audiência, mas foi sumariamente desprezado.

O Papa, claramente, não quer diálogo sobre o assunto, prefere a confusão.

Ele também não quer diálogo nas questões políticas que ele defende, como imigração e aquecimento global.

Outro dia eu li que ele desprezou pedido de audiência da Heartland para debater aquecimento global. Sobre imigração, ele simplesmente acusa aqueles que querem defender a cultura de suas pátrias de retrógrados e medrosos.

Neste aniversário de 1 ano de desprezo do Papa aos cardeais, o site Life Petitions fez uma petição ao Papa Francisco, assine clicando aqui.




segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Lady Gaga Posta Foto com Rosário e Diz que Sofre


Em um texto bem forte, Lady Gaga (acima) diz que sofre. Devemos acreditar. Se alguém pede oração, devemos oferecer.

Ela diz que tem problemas físico e mentais. E mostra um rosário na foto.

O site Church Pop diz que não é a primeira vez que ela posta foto católica. Já colocou foto com um padre segurando uma Bíblia.



Que ela leve mais luz ao mundo. Suas músicas e performances não ajudam ao mundo.

Que ela encontre mais Cristo.

Recentemente, ela cancelou show no Brasil.

Não sei, mas pelo visto, vim ao Brasil traz algumas dúvidas existenciais. O Papa Bento XVI deveria ter vindo ao Brasil, mas antes renunciou. Nossa Senhora. Apenas uma coincidência, deve ser.




sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Vídeo: Roger Scruton: "Se Você Não Sabe o Que é Belo, Não Sabe o Que Significa Viver"



O grande Roger Scruton explica a feiúra  das artes de nossos tempos, que não sabe o que é bom, nem belo, nem verdadeiro, e assim valoriza a morte, morte tão destruidora como a arte do Santander na exposição "queer"

A beleza importa como uma necessidade humana objetiva, seja nas artes, seja na liturgia da missa, viu Papa Francisco?


(Agradeço a indicação do vídeo ao facebook do Veritatis Catholicus)


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Arte, Santander, Chico Buarque e Roberto Carlos


Muito debate está ocorrendo no Brasil por conta de uma exposição realizada pelo Santander que faz apologia à pedofilia e à zoofilia. Alguns dizem que a arte deve "transgredir", outros dizem que a arte devem trazer beleza.

Entre esses dois extremos, eu me coloco do lado daqueles que dizem que a arte deve trazer a beleza. Mas beleza tem um significado teológico muito forte. É preciso definí-la.  Para engrandecer o ser humano, a arte deve ter uma verdadeira beleza. Os desfiles militares nazistas e comunistas são muito belos, mas qual o caminho para o ser humano que traçam?

Nada é imparcial, as coisas têm lados teológicos. A arte leva pessoas para algum lado no espectro do que é bom e mal. E aí chegamos na necessidade de dizer o que é bom e mal, e seguramente, teremos de falar de Deus, pois sem ele não há base para se dizer o que é bom e mal.

Eu vou dar um exemplo, usando duas músicas, de dois ilustres compositores brasileiros, Chico Buarque e Roberto Carlos. Eles são, vamos dizer assim, teologicamente bem diferentes em suas músicas. Eles têm também origens bem diferentes. Chico é filho ilustre de um escritor, Roberto Carlos não tem família ilustre, nasceu modesto em Cachoeiro de Itapemirim.

Eles possuem uma música sobre o mesmo tema: cotidiano (ou rotina) da vida de um casal.

A música de Chico Buarque se chama "Cotidiano" e o personagem da música quer escapar todos os dias das garras do casamento e detesta a rotina que têm. Detesta até os carinhos da esposa. A esposa dele é apenas como "toda mulher". O que isso significa? Que a rotina é péssima, se afaste de casamento, o bom seria estar livre disso.

Veja abaixo:




A música de Roberto Carlos se chama Rotina e exalta a rotina, exalta o amor do marido pela esposa, exalta o casamento, o quanto o marido deseja estar perto da esposa. E o quanto ele detesta ter de trabalhar e se afastar da rotina do casamento.





Qual é mais bonita? Qual é a melhor em termos teológicos? Qual é a que ensina o que é divino?



quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Papa Francisco: "Nenhuma Guerra é Justa. Só a Paz é Justa"


Ao dizer que não existe guerra justa, o Papa simplesmente pregou a eliminação de qualquer forma de polícia ou exército. Cristo, quando esteve entre nós, disse que ninguém tinha mais fé nele do que um centurião do exército romano. Não há nenhuma palavra de Cristo ou em toda a Bíblia condenando exércitos. 

A Teoria da Guerra Justa, como eu explico no meu livro, é a teoria mais consolidada, constante e imutável da história da Igreja, desde Santo Agostinho, passando por São Tomás de Aquino, São Francisco de Assis, Santa Joana D'arc, canonistas e papas. É uma teoria que não há nenhuma alteração significante desde que Santo Agostinho tratou do tema em diversos livros e cartas.

Mais um vez, o Papa Francisco age de forma irresponsável, dizendo palavras que desprezam santos e mártires da Igreja.

É incrível e ao mesmo tempo,infelizmente, imbecil.

Os santos também trataram do que ele chamou de "paz justa". Bom, em poucas palavras, eles disseram que isso só é encontrado no Paraíso. Não é possível paz justa na Terra. Aqui, no máximo, nós temos a justiça junto com a caridade, uma boa definição de guerra justa.

No meu livro, eu trato das opiniões do Papa Francisco. E acreditem em mim, durante esse breve e confuso pontificado, ele já defendeu a guerra, sendo sempre de forma confusa e desinformada sem que se possa levar a sério a opinião dele, infelizmente.

No meu livro, além de santos, mártires,  e papas, trago até a defesa da guerra justa feita por Cervantes e Dante. Vejam lá.



terça-feira, 12 de setembro de 2017

Quem é Mais Pró-Vida: Trump ou Papa Francisco?


Ontem, o Papa Francisco alegou que Trump não deve ser pró-vida porque ele deseja rever uma lei (inconstitucional, diga-se de passagem) feita por Obama que permite que imigrantes ilegais que entraram como crianças ou jovens nos Estados Unidos fiquem no país. Trump quer elaborar uma nova lei que respeite a Constituição do país. Tanto democratas como republicanos já declararam que a lei de Obama é inconstitucional.

Por incrível que pareça o Papa atacou Trump mesmo declarando que não conhecia a lei. Aliás, na entrevista que deu ele disse desconhecer vários assuntos (aquecimento global, Coreia do Norte e Venezuela) mas deitou a comentar todos. Não é comportamento de homem de Estado, nem muito menos de um Papa, se declarar tão desinformado e ao mesmo tempo falar sobre o assunto e atacar um presidente de república.

O site católico The Remnant ficou estupefato com as palavras de Francisco contra Trump, porque Trump tem nomeado vários membros pró-vida para seu gabinete, nomeou um juiz da Suprema Corte que é pró-vida e acabou o financiamento internacional ao aborto dado pelos Estados Unidos. O site questionou quem é mais pró-vida se Trump ou o Papa. Trump não é um perfeito católico, nem católico é, mas o Papa está se comportando como cachorrinho dos que odeiam a Igreja, dos que pregam o aborto. Isso é fato, infelizmente. Rezemos por ele e pela Igreja

Vejamos o texto do The Remnant


The Pope doesn’t agree with the President’s policies on immigration, so naturally, he attacks Trump’s pro-life values…?

REMNANT COMMENT: I wonder if it’s possible for Pope Francis be any more in the tank for the Far-Left than he is now.  For the purposes of this Remnant Comment, it makes no difference what one thinks about President Trump's personal beliefs on the pro-life issue.  The point is this: A massive disruption in global pro-death politics came about in November of 2016 when a man named Donald Trump convinced pro-life, pro-God, pro-family America that he'd take up their cause.Was it just politics? Who knows!  But Trump rode to the White House on the shoulders of pro-lifers. This is why the Left hate him, because he convinced good people that although his pro-life cred was far from established, he'd nevertheless make their cause part of his cause, along with the core issues that have long defined him—Second Amendment rights, education choice (including home-schooling), appointing conservative judges, tightening up the national borders, making America user unfriendly to the George Soros, NWO, EU whackos, etc.  


And so far Trump gets a B+ for effort, despite overwhelming opposition from the "conservative" GOP who've been lying to and exploiting the same group of voters for nearly half a century. At least Trump is trying to make good on his word to regular God-fearing Americans. 


So, for the Pope to continue to blast this particular President while obstinately ignoring what's going on at the level of pro-life America reveals a positively Titanic Leftist keeling over of the Barque of Francis.  


And for Francis to suggest some sort of moral equivalence between the slaughter of millions of babies in their mothers' wombs on the one hand, and the MSNBC caricature of Trump’s DACA decision on the other, is beyond scandalous. Even if Trump were really planning to send illegal kids back to Mexico without their families (and he’s not, of course), this would not come close to the satanic depravity of murdering millions of unborn babies every year. I realize the Holy Father is no great theologian, but even he should be able to glean the difference between killing millions of kids in their mothers’ wombs and sending a few thousand home every year.


It's so obscene, in fact, that even those of us here at The Remnant who defend the Church's teaching against the separation of Church and State are tempted to encourage the Holy Father to begin listening to his own blather on the great merits of the secular state and the need to maintain proper separation from the Church.  In the case of Francis, good idea!   Perhaps the Holy Father could be persuaded to give pro-life America a break, in fact, and stay out of our politics altogether.  


Really, Holiness, you’ve done enough. It’s time to stop talking.



Filme: "Não Podemos Falar Sobre Terrorismo Islâmico?"



Começou a ser apresentado nos Estados Unidos o filme "Can´t We Talk About This?"  que traz ilustres estudiosos, políticos e líderes descrevendo as ações do terrorismo islâmico e de como a mídia, as organizações internacionais e os políticos não querem falar sobre o assunto. Os produtores do filme mostram até como a própria polícia persegue quem quer denunciar o terrorismo islâmico.Vejam o trailler acima.



O filme é uma produção da AFDI - American Freedom Defense Iniative.

Vejam uma descrição do filme feita pelo site Jihad Watch:

Can’t We Talk About This? The Islamic Jihad Against Free Speech is a shocking new film and follow-up video series detailing the concerted effort by international organizations to compel the U.S. and other Western countries to curtail freedom of speech and criminalize criticism of Islam.
Featuring exclusive interviews with Pamela Geller, Ayaan Hirsi Ali, Geert Wilders, Mark Steyn, Milo Yiannopolous, Raheem Kassam, Robert Spencer, Douglas Murray, Ezra Levant, Lars Vilks, Garland Muhammad cartoon contest winner Bosch Fawstin, and many other heroes of freedom, this web series will be the first ever to expose the war on free speech. It is certain to shock the American public and awaken many. These interviews reveal events at Garland and its aftermath that have never before been made public and demonstrate how far advanced the war on free speech really is.
“In this film, we’re setting the record straight about our Garland free speech event, at which we were not only targeted by Islamic jihadis but apparently by the FBI as well,” Pamela Geller wrote at Breitbart News. “But we’re doing much more as well: we’re telling the whole, as-yet-untold truth about the war on free speech.”