terça-feira, 21 de março de 2017

O Café e a Guerra entre Cristãos e Muçulmanos


No meu livro sobre Guerra Justa, desde o Império Romano até o Estado Islâmico, além de teólogos, santos e papas, eu tento mostrar que a guerra entre cristãos e muçulmanos, que se alastra desde o surgimento do Islã, também está presente na literaratura, como em Dante (Divina Comédia) e Cervantes (Dom Quixote).

Hoje, leio também que a aceitação do café pelo ocidente também mostra o problema do Islã. Conta-se que em 1600 não se desejava aceitar o café, porque era uma bebida islâmica. Mas um Papa (Clemente VIII) disse "Essa bebida de Satanás é tão deliciosa que nós deveríamos enganar o diabo e batizá-la".

Leia aqui a descrição da lenda feita pelo site ChurchPop, interessante.



2 comentários:

RICARDO LIMA disse...

Acredito que o Café foi a única coisa boa introduzida no ocidente pelo islamismo. :)

Isac disse...

O CAFÉ DOS ISLÃMICOS POSSUI CERTAS VANTAGENS, OU NÃO!
O café, tendo a cafeína como agente principal, é semelhante ao chá verde - 1/3 da cafeína - é um estimulante semelhante ao contido em similares, cono na cola, chocolate - 1/3 do café - e TODos são viciantes!
Particularmente para quem necessita de estímulo, caso dos astênicos é bom, e os que o ingerem, sendo agitados, pioram o quadro e podem ter insõnia, agindo como um chicote, mantendo a mente em alerta, variando os efeitos de uns para outros.