terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Papa Francisco É Contra Quem Diz que Cristo é a Única Verdade.



Nós cristãos dizemos há milênios que "Cristo é a Verdade". Cristo é a única verdade.  Mas o Papa Francisco não concorda com isso. E ele ainda quer combater quem pensa assim. Para ele, se você acredita nisso seria como fazer idolatria ao dinheiro.

O Papa acaba de condenar todos os santos católicos.

Para justificar, ele disse que cristãos fizeram massacres, como o de São Bartolomeu e que saquearam Roma. Bom, o que massacres feitos por reinos cristãos têm a ver com a verdade absoluta de Cristo? O Papa Francisco está colocando a fé em Cristo dependente da fraqueza humana.

Há massacres na Bíblia feitos em nome de Deus, será que o Papa condena todos esses massacres? Moisés, Josué, Davi e Salomão não foram condenados por Cristo.

O Papa Francisco parece ser adepto do relativismo religioso.

E ele ainda acha que usar camisinha ou não usar não é um assunto importante. Ele quer acabar com a pobreza e salvar o meio ambiente antes.

É óbvio que é da natureza da religião ser absolutista, crer em uma verdade absoluta, caso contrário, seria o relativismo religioso e não seria religião. Até o ateísmo crê em uma verdade absoluta, luta contra todas as religiões, pois todas seriam mentiras, para ele.

Perdão, mas hoje o Papa Francisco falou  bobagens demais. Meu Deus. O Papa está me pressionando para deixar o cristianismo. Pode?

Vejam texto do site LifeNews.

Pope Francis attacks ‘fundamentalist’ Catholics, dismisses condom ban as unimportant

ABOARD THE PAPAL PLANE, November 30, 2015 (LifeSiteNews) -- On the plane returning from his journey to Africa today Pope Francis made his clearest remarks in condemnation of ‘fundamentalist’ Catholics.

"Fundamentalism is a sickness that is in all religions," Francis said, as reported by the National Catholic Reporter’s Vatican correspondent, Joshua McElwee, and similarly by other journalists on the plane.  "We Catholics have some -- and not some, many -- who believe in the absolute truth and go ahead dirtying the other with calumny, with disinformation, and doing evil."

"They do evil," said the pope. "I say this because it is my church."

"We have to combat it," he said. "Religious fundamentalism is not religious, because it lacks God. It is idolatry, like the idolatry of money."

Turning to Islam, the pope spoke of his friendship with a Muslim, adding, “You cannot cancel out a religion because there are some groups, or many groups in a certain point of history, of fundamentalists.”

"Like everything, there are religious people with values and those without," he said. "But how many wars … have Christians made? The sacking of Rome was not done by Muslims, eh?"
STORY: Vatican’s liturgy chief contradicts Pope Francis on Communion for non-Catholics
On the same flight a journalist asked about the use of condoms in the fight against AIDS and if it was time for the Church to change its position.

The pope acknowledged that condoms are one method of prevention, saying that the Church was faced with a perplexity of whether to follow the fifth commandment (Thou shalt not kill) “or that sexual relations are open to life.”

He dismissed this however as ‘not the problem’ and said it reminded him of the question asked Jesus, “Tell me, teacher, is it lawful to heal on the Sabbath? Is it obligatory to heal?’

Catholic News Agency carries the fullest rendition of the pope’s quotes on the matter, relating his words thus:
“Let’s not talk about if one can use this type of patch or that for a small wound, the serious wound is social injustice, environmental injustice,” Pope Francis continued. “I don’t like to go down to reflections on such case studies when people die due to a lack of water, hunger, environment...when all are cured, when there aren’t these illnesses, tragedies, that man makes, whether for social injustice or to earn more money – I think of the trafficking of arms – when these problems are no longer there, I think we can ask the question ‘Is it lawful to heal on the Sabbath?’”
 “Because, if the trafficking of arms continues, wars are the biggest cause of mortality...I would say not to think about whether it’s lawful or not to heal on the Sabbath, I would say to humanity: ‘make justice,’ and when all are cured, when there is no more injustice, we can talk about the Sabbath.”
While in Africa the pope used very strong language to promote the climate change agreement at the Paris climate summit that started today. He said it would be a “catastrophe” if it did not achieve acceptance in Paris in the coming days and added that the decision came down to the choice “either to improve or to destroy the environment.”

Speaking at the United Nations center in Nairobi on November 26, Pope Francis said, “In a few days an important meeting on climate change will be held in Paris, where the international community as such will once again confront these issues. It would be sad, and I dare say even catastrophic, were particular interests to prevail over the common good and lead to manipulating information in order to protect their own plans and projects.”

 

14 comentários:

Anônimo disse...

Notícia em portugês: http://papa.cancaonova.com/no-voo-papa-fala-de-vatileaks-fundamentalismo-e-cop21/

Pedro Erik disse...

Obrigado, caro Anônimo.

Vi no site que ele ainda foi mais longe falou do massacre de São Bartolomeu feito por um reino cristão. Ele poderia lembrar outros massacres, mas isso não tem nada a ver com Cristo ser a única verdade.

Quanta bobagem esquerdista, ele aparente ser adepto do relativismo religioso e não de Cristo. Infelizmente.

Abraço,
Pedro Erik

Adilson disse...

Bom dia, nobre Pedro e a todos os seguidores deste lindo e rico blog.

Nosso nobre Pedro tem feito realmente um grande trabalho em nos trazer boas notícias(sejam felizes ou sejam tristes) sobre o que anda acontecendo pelo mundo, especialmente sobre o Vaticano. Isso é o principal motivo por que acolhi na internet e em meu coração o Thyself. Nem todos tem o tempo, a boa vontade e a inteligência para fazer o que Pedro faz, mesmo sendo ele um homem com tantas coisas e problemas para cuidar. A única coisa em que devo ser duro contra o Pedro transpareço na seguinte pergunta: "quando irás aparecer em Curitiba, homem?" (risos)

Quanto a postagem de hoje só quero dizer uma coisa: estou profundamente triste pelo comportamento do papa, mas também profundamente feliz por que o comportamento dele só evidenciam duas coisas, ao menos para mim: 1) nossa geração não é melhor que as do passado no que se refere a enfrentar tempos sombrios; e 2) Os apóstolos e a Santa Escrituras se confirmam diante disso, pois sempre nos falaram e nos falam sobre tais pessoas.

Abraços.

Pedro Erik disse...

Grande Adilson,

Bom, se tudo ocorrer como estou planejando com a editora, e meu livro sobre guerra justa sair no início de 2016, pretendo viajar um pouco para lançar o livro, nem que seja por minha conta. Daí, podemos combinar Curitiba, que eu adoro. Só tenho boas lembranças de sua cidade.

Marcamos em 2016, se Deus quiser.

Abraço,
Pedro Erik

Marcelo Britto disse...

Em inglês: "who believe in the absolute truth" - que acreditam na verdade absoluta.
Na tradução em português da Canção Nova: "que acreditam estar com a verdade absoluta "
O que não é a mesma coisa.
Quem será que distorceu o discurso?

Pedro Erik disse...

Não tem muita importância, meu amigo Marcelo, pois a obrigação de todo cristão é acreditar que Cristo é a verdade absoluta, assim como é obrigação de todo muçulmano acreditar que Alá é a verdade absoluta.

Abraço,
Pedro Erik

flavio disse...

Como já disse, na pratica o catolicismo do vaticano já eh relativista, independente das teorias....e o povo católico já eh protestante de uma forma geral, com pequenas exceções.

Anônimo disse...

Daí, Pedro!


Primeiro queria compartilhar dois links com os amigos:

http://www.bbc.com/news/blogs-trending-34966066

http://www.bbc.com/news/blogs-trending-34975848

O primeiro é sobre um cara condenado à morte por comparar a Arábia Saudita ao Estado Islâmico.

O segundo é sobre uma campanha no twitter na qual pessoas compartilhavam os motivos porque deixaram o Islã. A campanha foi atacada pelos muçulmanos por ser "agressiva", por ser uma campanha de ódio... ora, suscitar um debate não é ser agressivo, não é pregar o ódio ao outro, é simplesmente ser racional!


Jonas

Anônimo disse...


Seguindo, sobre o post:

Sobre a fala do Papa: quando eu a li tive uma impressão diferente das vossas. É óbvio que o termo "verdade absoluta" não foi bem empregado. Mas o que o Papa quis dizer, na minha visão, foi que muitos católicos são agressivos ao tentar converter irmãos e não admitem de forma alguma uma posição inicial diferente da deles.

Isso é muito ruim... Eu tento converter um amigo homossexual ao catolicismo: "Olha, todo o homem quer a felicidade, não? Aqui está a felicidade: Cristo!" Devagarinho tento destruir todos os muros construídos pelos inimigos da Igreja, aqueles rótulos, estereótipos, as ideias ruins que por meio da propaganda são incrustadas nas mentes destas pessoas. Depois de muito tempo investido, depois que o meu amigo já vê a Igreja com bons olhos, vê Cristo como um fim para a vida dele, está se propondo a se conformar ao caminho que leva a Cristo (as normas da Igreja, dentre elas a moral sexual); depois de todo este esforço, chega um outro católico e o chama de "sodomita", "invertido" e "satânico"... Quando eu tento dizer: "calma, cara, não é assim", esse católico diz "essa é a Verdade, tem que falar a Verdade, e se não quer assim se exploda".

Minha impressão é que o Papa falou nesse sentido, para termos cuidado com esse tipo de conduta, não para que não tenhamos Cristo como Verdade (isto é uma premissa do Cristianismo). O problema não é a pessoa que acredita na Verdade (todos os católicos acreditam nela); é a pessoa que acredita na Verdade e vai em frente caluniando os outros, sem compreender os outros, e fazendo maldades em nome desta Verdade (o que é uma má compreensão da Verdade).

Alguns, às vezes, parecem querer forçar, por exemplo, um homossexual a seguir a norma católica sem que o cara sequer tenha ideia das premissas católicas (que dão razão as normas inferiores), sem que o cara reflita sobre se os princípios do seu próprio pensamento são corretos - muitas vezes este homossexual nunca refletiu sobre as premissas das quais parte, e, quando se volta a elas, vê que está errado. Ao invés de alguns católicos "sofrerem com paciência as fraquezas do próximo" (Das obras de misericórdia, Catecismo de S. Pio X, Cap IV), simplesmente dizem: "tu és filho de satã, és um sodomita pervertido!"... Ora, isso não é usar a verdade para a correção, mas usar a verdade para ofender. Ao invés de trazer a pessoa à Igreja, a afasta, reforçando todos os rótulos e estereótipos que os inimigos da Igreja constroem para afastar as pessoas dela.

Se converterá almas ao catolicismo com blogs como este, onde temos a Verdade apresentada com argumentos, com racionalidade; tentando abrir o caminho para que Cristo converta (pois é Cristo quem converte, não o homem), para que a inclinação natural de todo homem ao Verbo se manifeste e se imponha no íntimo daquele homem.


Quanto à fala sobre a camisinha, acho que o Papa deu um nó retórico no repórter. O cara quis posar de santo preocupado com a humanidade com a pergunta e o Papa devolveu "ora, se estivesses mesmo preocupado com a humanidade, estarias fazendo reportagens sobre a fome de muitos, sobre a sede de muitos, sobre a miséria de muitos, que matam muito mais do que a AIDS"; ou de outra forma, "se a Mídia estivesse mesmo preocupada com a humanidade falaria da fome, da sede e da miséria de muitos, dos cristãos que morrem no Oriente Médio, e não sobre a camisinha". A esquerda ficou furiosa com o Papa, porque este jogou a acusação dela contra ela mesma.


Reforço que esta foi a minha impressão ao ler as entrevistas e respeito a tua, Pedro, e dos outros amigos. Sei que este Papa não é claro e inteligente como o anterior, e, considerando que a conversa é meio informal, interpretei desta forma na primeira vez que li.

Deixo aí para reflexão do pessoal e para que corrijam os meus erros.


Grande abraço,

Jonas

Pedro Erik disse...

Obrigado, caríssimo Jonas.

Excelentes links.
Só gostaria de lembrar que, como já disse São Tomás de Aquino e até Miguel de Cervantes (falo disso no meu livro), o Islã não respeita racionalidade, porque o próprio Alá não respeita.

Abraço,
Pedro Erik

Pedro Erik disse...

Caro Jonas,

Analisando apenas o caso em voga, como se nós fôssemos ETs e tivéssemos apenas a informação dessa entrevista do Papa, veja que ele não está falando de "proselitismo" que é o ato de tentar converter. Se fosse o caso podia até ser que você estivesse certo.

O ponto da argumentação dele é simplesmente o "fundamentalismo". Ele condena o fundamentalismo, simples assim.

Sobre o possível "nó" que você fala, perdão meu amigo, mas ele comparou discutir o uso de camisinha com a adoção do Sábado como dia sagrado. Ele não quis dar nó nenhum. Se o Sábado pode ser eliminado a camisinha pode ser usada.

Outra coisa, abandonando a hipótese de ET. Dentro do "espírito" do que é o Papa Francisco, fica muito difícil sua interpretação.
Lembremos do que ele disse reiteradamente na Bolívia sobre "direitos de todos por terra, trabalho e moradia".

E lembremos como ele trata o Islã. Certa vez ele igualou os dois livros sagrados Bíblia e Alcorão. Acho que coloquei o vídeo desse discurso dele.

Abraço e obrigado pelo seu comentário,

Pedro Erik

Anônimo disse...

Só uma correção,

O primeiro link é sobre a comparação feita no twitter entre os direitos humanos no Estado Islâmico e na Arábia Saudita, na qual as pessoas constatam que não há muita diferença entre um e outro.

A condenação de mais um homem à morte por promover o ateísmo e zombar de versos do Alcorão em público foi o que suscitou o debate... e o autor do primeiro twitter exaltando a semelhança entre os dois Estados parece estar sendo processado pelo governo saudita.


Obrigado, Pedro

Grande abraço,

Jonas

Vic disse...

Discordo de v, Erik; aproveite o que prestar do papa Francisco, como faço, e os resto fora do Magisterio de sempre, descarte e se apoie em papas confiaveis, no Magisterio de sempre da igreja, como o papa João Paulo II, no saudoso Bento XVI, particularmente antes do Vaticano II - quantas diferenças!
Confiras as profecias de N S do Bom Sucesso e la Salette e tire suas conclusões - desanimar, nunca!
Suponho que se fosse ortodoxo, o papa Bento XVI o recomendaria, mas está caladiiiiiinho...

Pedro Erik disse...

Pois é, Vic, tento fazer isso.
Abraço,
Pedro Erik