sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Marcha pela Vida nos Estados Unidos. Obama Celebra o Aborto e 12 Fatos Terríveis sobre Aborto.


Ontem foi o dia da tradicional Marcha pela Vida nos Estados Unidos, na luta contra o aborto. É a maior Marcha pela Vida do mundo. E relembra tristemente o dia que o aborto foi legalizado nos Estados Unidos por meio da disputa jurídica Roe vs Wade de 1973.

A pessoa que pedia a legalização do aborto no caso na época (Jane Roe, cujo nome real é Norma MCorvey) depois se converteu ao catolicismo e hoje está na luta contra o aborto.

Mas o estrago é de proporções gigantescas: mais de 53 milhões de abortos nos Estados Unidos desde 1973. 53 milhões de crianças mortas.

Obama celebrou o aborto ontem, como faz sempre. Ele é facilmente considerado o mais abortista de todos os presidentes da história, quando era senador por Illinois ele chegou a defender que a criança que sobrevive a um aborto não deve receber socorro médico, deve ser deixada para morrer de inanição. 

Ontem, ele divulgou carta de apoio à decisão do Roe vs Wade, e alegou que "aborto é um direito da mulher" e que o "aborto faz com que as meninas tenham os mesmos direitos e liberdades que os meninos".

Eu já tinha ouvido a desculpa de que o aborto era um direito da mulher. A mulher teria o direito de matar outro ser humano, que é bem diferente dela, tem DNA completamente diferente e pode ter até outro sexo, simplesmente porque está dentro dela.

Sobre isso, Ryan Mayer mostrou 10 razões científicas e lógicas por que a criança no útero não é parte da mãe. É outro ser humano.

Mas eu nunca tinha ouvido a desculpa de que esta matança de crianças no útero torna as meninas com os mesmos direitos e liberdade dos meninos. Isto é completamente estúpido. Nem sei como se pode justificar isso e Obama não justificou, vejam a carta da Casa Branca.



Vejamos 12 fatos terríveis sobre o aborto, divulgado pelo site Church Pop, destaco o fatos 6 (maioria das mulheres que abortam estavam usando anticoncepcionais), 7 (minorias abortam mais, especialmente os negros), 8 (45% dos abortos são feitos por solteiras) e 11 (66% dos abortos ocorrem depois de quase dois meses de gravidez. Na oitava semana, a criança já tem todos os órgãos formados, mesmo que nem todos estejam funcionando completamente)

1) Since 1973 (with Roe vs Wade), there have been over 53 million abortions in the United States alone

To put that in perspective, that’s an average of about 1.3 million a year, about 108,000 a month, and over 3,500 per day. [Source]

2) Since 1971, there have been 336 million abortions in China alone [Source]

3) According to one estimate, since 1973, there have been 1.72 billion (1,720,000,000) abortions worldwide [Source]

4) By age 45, about 30% of U.S. women will have had at least one abortion [Source]

5) 42% of U.S. women who have abortions have incomes below the federal poverty level ($10,830 for a single woman with no children)

Another 27% of U.S. women who have abortions have incomes between 100% and 199% of the federal poverty level. Together, that means that 69% of U.S. women who have abortions have incomes below twice the federal poverty level. [Source]

6) 51% of U.S. women who have abortions were using a contraceptive method in the month they got pregnant [Source]

7) Minority women in the U.S. are over-represented in getting abortions

Black women have 30% of the abortions in the U.S., even though blacks make up 12.6% of the population. Hispanic women have 25% of abortions, even though hispanics make up 16.4% of the population. [Source]

8) 45% of abortions in the U.S. are obtained by women who have never been married and are not cohabiting [Source]

9) 57% of abortions in the U.S. are obtained by women between the ages of 20 and 29 [Source]

10) 17.4% of abortions in the U.S. are obtained by teenagers

15-17 year olds obtain 6% of abortions, 18-19 year olds 11%, and teens younger than 15 obtain 0.4%. [Source]

11) 66% of all abortions occur after 7 weeks

At that point, an embryo has a heart beat, blood flow, brain activity, hair, is capable of motion, and the beginnings of all essential organs. [SourceSource]

12) 37% of women obtaining abortions in the U.S. identify as Protestant, and 28% identify as Catholic [Source]

--

E no Brasil?

Nos Estados Unidos a luta é contra todo tipo de aborto, mesmo de crianças fruto de estupro, incesto ou quevtenham má formação genética. Pela simples e lógica razão que defendesse a vida e todos merecem o dom da vida. Sem falar que a criança não é a mãe, nem o pai. É outra pessoa.

Mas no Brasil mesmo renomados católicos defendem aborto para "certos casos" , uma desgraça e uma contradição.

Rezemos pelos seres humanos mais indefesos: aqueles que estão no útero das mães.



4 comentários:

Anônimo disse...

Só aprova o aborto quem já nasceu - RReagan
Henoc

Pedro Erik disse...

Verdade, meu caro Henoc.
As vozes das criancas no ventre, nossas vozes, têm de gritar bem alto.

Abraco

Anônimo disse...

Querido amigo, bom dia!
Notícia terrível.

Tem que ser muito estúpido mesmo para dizer que "aborto faz com que as meninas tenham os mesmos direitos e liberdades que os meninos".

Fragmento do texto "Virgindade, pureza e beleza" do antigo site da Associação Montfort:
"Os romanos diziam que Roma se manteria, enquanto ela fosse capaz de suscitar homens e mulheres virgens, e que Roma pereceria quando não tivesse mais força de gerar virgens. E isso é muito sábio. Com efeito, um povo que despreze a virgindade e a castidade formará uma juventude ávida de prazer sexual. Ora, o moço que só busca o prazer detestará a dor, e não terá força para sofrer. E então, o país que só tiver uma juventude luxuriosa não terá jovens capazes de dar a vida pela pátria. Roma pereceu depois que se tornou tão impura que não havia mais nem vestais virgens, nem heróis. Teve então que contratar, entre os bárbaros que a atacavam, os mercenários que a defendessem por dinheiro."

Eis um retrato fiel da nossa sociedade.

Rezemos.

A Paz do Senhor.

Gustavo.

Pedro Erik disse...

Muito interessante essa percepção romana sobre a virgindade, Gustavo.
Realmente, hoje, a depravação é valorizada e a virgindade, ridicularizada.
E assim temos milhões de abortos.
Abraço
Pedro Erik