quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Renato Aragão (Didi), Papa Francisco e o Islã.


Que mistura, não é? Como combinar Didi, Papa Francisco e o Islã? Vocês vão entender.

Ontem, passou um especial na Globo News sobre a vida do Didi. E como sempre fui fã dos Trapalhões, resolvi assistir.

Foi emociante ver o Didi beijando a mão do Cristo Redentor e caminhando para a Igreja Nossa Senhora Aparecida.

Mas depois das imagens a repórter pergunta sobre a religião do Didi. Ele responde: "Eu sou católico, pois minha família é católica, mas todas as religiões...veja, outro eu vi que perguntaram ao Dalai Lama qual era religião dele. Ele respondeu que era a bondade. Eu achei lindo. Ele é um santo".

Esta resposta pode parecer bonita mas é terrível. Primeiro porque uma religião não pode ser apenas bondade, pois cairia em um vazio só. É necessário determinar o que é certo e errado. É necessário a definição do pecado. Cristo falou muito disto. A bondade precisa ter olhos abertos para o pecado, senão vira maldade.

Mas o Didi revela a religião secular muito comum hoje em que quer abandonar todas as religiões em favor do "humanismo". Basta ser "bonzinho". O homem não precisaria mais de Deus.

Dalai Lama tem inimigos bem claros. Ele não tem palavras bondosas para eles. Será que o Dalai Lama seria bondoso a ponto de deixar a China escolher outro " Dalai Lama"? Sem falar que o Dalai Lama tem sérios pecados inclusive para os critérios de sua própria religião. Outro dia, ele diz que prefere ser o último a ter um "estúpido" como sucessor! Pecando contra as próprias crenças da religião dele, que sempre tem um sucessor, mostrando não acreditar nisso, e afirmando que um Dalai Lama pode ser estúpido.

Um teólogo que fala muito sobre isso é William Craig. Ele mostra que o humanismo leva necessariamente ao niilismo.

O Papa Francisco por vezes se mostra refletindo e até defendendo esta religião secular do humanismo. Ontem, ele falou sobre os ataques terroristas islâmicos na França. Ele condenou os ataques, mas disse que há limites para a liberdade de expressão (ok), deve-se respeitar as religiões (ok), e novamente disse que é "uma aberração matar em nome de Deus" (aí não).

Outro dia, eu comentei aqui que, ao afirmar que não se mata em nome de Deus,  Papa Francisco estava tirando emprego do São Miguel Arcanjo. O Papa Francisco também joga no lixo o que disseram e fizeram vários santos, como São Francisco de Assis, São Tomás de Aquino, São Bernard Clairvaux e São João Capistrano que defenderam as Cruzadas, e assim mortes em nome Deus. Sem falar em boa parte do Velho Testamento e em Santo Agostinho.

É o Papa dominado pelo humanismo que anula a Verdade, os santos e o próprio Deus.


8 comentários:

Nik disse...

Querido Pedro, como vai? Espero que bem. Tenho comentado (agradecido e elogiado, na verdade) pouco aqui nos últimos dias pois, no momento, minha atenção está para o que se têm escrito por aí sobre causas, motivos e repercussão do atentado contra do pasquim francês.

Penso que o Dalai Lama foi contaminado pelo ocidente. Parece que somos fortes a este ponto, contaminamos até os cândidos budistas com nosso pessimismo e incredulidade...

A religião universal está em processo acelerado de ser oficializada, conforme se lê pelos preparativos para a celebração ecumênica dos 500 anos da reforma...

http://fratresinunum.com/2015/01/15/os-preparativos-para-a-celebracao-ecumenica-dos-500-anos-da-reforma-em-2017/

O ruim disso é que parece não haver agenda para os 500 anos de Fátima; a ser assim, garantindo o próximo capítulo da futura revisão do livro do Padre Kramer, O Derradeiro Combate do Demônio...

http://www.devilsfinalbattle.com/port/content2.htm

E Fátima, meu Deus, tendo em vista o jubileu da aparição, mais dramática se apresenta na minha mente, tendo em vista uma série de fatores, inclusive o ressurgimento do Islã. Talvez Sheen tenha razão, aguardemos:

http://fratresinunum.com/2014/05/13/maria-e-os-muculmanos/

A pergunta chata é no que pode dar esse ecumenismo deturpado como sabemos, de S.S. o Papa, conforme pergunta o Sidney Silveira aqui, artigo que reli outro dia: http://contraimpugnantes.blogspot.com.br/2013/03/uma-pergunta-catolicamente-chata-e-para.html

Nós sabemos no que vai dar, por este motivo, com mais assombro retomei a leitura de O Senhor do Mundo, do Benson, semana passada. Mais um dos profetas que ignoramos, com certeza.

Excelentes artigos, amigo. Paz e bem e um feliz e próspero ano novo.

Pedro Erik disse...

Caríssimo Nik,

Muito bons comentários e sugestões de leitura.

Estou pensando em propor um tema para o New Saint Thomas Institute, que tem a ver com Dalai Lama. Não concordo que ele seja tão cândido assim, meu amigo.

Grande abraço e feliz ano novo.

Rezemos pela Igreja, mesmo vendo o líder rasgar a Bíblia.

Abraço,
Pedro Erik

Nik disse...

Nem eu! Era ironia!!!

Eu nunca entendi por qual motivo o homem fugiu do Tibet... e foi parar na Califórnia. Não estou julgando, mas constatando, o povo dele sendo morto, censurado, oprimido e ele vai pregar em outras paragens... deve ser um mandamento deles, e aqui não estou sendo irônico. Era a oportunidade perfeita de uma resistência pacífica, penso eu tendo Santa Perpétua e Felicidade em vista...

Pedro Erik disse...

Ok, grande Nik.
Li o texto de Sydney Silveira que você indicou. É triste e bisonho ver o Papa ajoelhado para protestantes.
Abraço
Pedro Erik

Nik disse...

Salve o tempo em que os papas... bem, eram cristalinos. Leia essa, se puder:

"Interessante comentário do papa Leão XIII acerca do bergoglismo (aqui). Está em sua carta apostólica Testem benevolentiae ao cardeal Gibbons. Igualmente interessante é que esta carta não aparece no site da Santa Sé:

O princípio subjacente a essas novas opiniões é que, para atrair com maior facilidade aqueles que dela diferem, a Igreja deva moldar seus ensinamentos de acordo com o espírito da época e afrouxar um pouco a sua antiga severidade e fazer concessões às novas opiniões. Muitos creem que tais concessões devam ser feitas não só quanto ao modo de vida, mas mesmo em relação às doutrinas que pertencem ao depósito da fé. Argumentam que seria oportuno, para conquistar os que diferem de nós, omitir certos pontos do ensinamento que são de menor importância e amenizar o significado que a Igreja sempre atribuiu a eles.
Não são necessárias muitas palavras, querido filho, para provar a falsidade dessas ideias, se tivermos em mente a natureza e a origem da doutrina proposta pela Igreja. Diz o Concílio Vaticano [I] acerca deste ponto: "Pois a doutrina da fé revelada por Deus não foi proposta como uma invenção filosófica a ser aperfeiçoada pelo engenho humano, mas entregue como um depósito divino à Esposa de Cristo para ser fielmente conservada e infalivelmente declarada. Por isso esse significado já declarado pela nossa Santa Madre Igreja deve ser perpetuamente conservado e jamais abandonado com a alegação ou pretexto de uma compreensão mais profunda dele" (Constitutio de Fide Catholica, capítulo IV).

No comentário dos leitores do blog do padre Z ao post de onde foi extraída a citação acima, duas pérolas:

O verdadeiro sentido da autoridade docente do Papa consiste em ser o advogado da memória cristã. O Papa não impõe de fora. Ao contrário, ele elucida a memória cristã e a defende.
(Bento XVI)

Primeiro convém lembrar que a Igreja está sempre em avanço em relação ao mundo. Esta é a razão pela qual dizem que ela ficou para trás no tempo. Ela discutiu tudo há tanto tempo, que as pessoas se esqueceram da discussão acerca desse ponto.
(Chesterton)

Um bom exemplo do que diz Chesterton é o problema do culto das imagens, bandeira dos neopentecostais, mas já exaustivamente discutido e resolvido na Igreja do século VIII."

Fonte: http://www.christeeleyson.com/2014/12/leao-xiii-comenta-heresia-bergogliana.html

Pedro Erik disse...

Genial, Nik, Chesterton, Leão Xiii e Bento XVI.
Obrigado pelas frases.

Abraço
Pedro Erik

Henoc disse...

Tempos atrás, Didi quis encenar uma parodia a respeito de Jesus e as pressões na mídia o fizeram desistir - fui um desses - eRenato Aragão desistiu de fazer o filme "O Segundo Filho de Deus", projeto já aprovado pela Ancine para captação de recursos no mercado (Leia mais em Lançamento do Didi).
Daí, Renato foi vítima de ataques em sites na internet, e os portais especularam que o roteiro mostraria Didi vindo à Terra para cumprir uma missão que Jesus Cristo não conseguira.
Mais um "salvador à vista", como muito que aparecem aí com suas "soluções" eficazes, como as ideologias marxistas!
A repercussão ruim aliada a falta de apoio da Sony Pictures fizeram Renato Aragão deixar a ideia de lado por enquanto e seria um fiasco de bilheteria, além das pressões de ser chamado de "Novo deus" de barro e se não fossem as pressões, admitiu esse relativista seria mais um a "restaurar o mundo".
Quanto ao politicamente correto Islã, por si mesmo diz tudo, ainda aliado dos comunistas!
Papa Francisco? Aguardemos o Sínodo próximo para ver as atuações dos possiveis infiltrados na Igreja Kasper & Cia e suas reprovações a eles ou não, o qual no tempo do saudoso Bento XVI foi descartado!

Pedro Erik disse...

Não sabia deste filme, Henoc. Informação muito importante e bisonha sobre a vida do Didi.
Muito obrigado, amigo.

Abraço
Pedro Erik