terça-feira, 11 de junho de 2013

Por que Esquerdistas se unem aos Muçulmanos? (Três exemplos)


O Islã, pelo próprio nome, prega total submissão a Deus. O Alcorão discrimina as mulheres (não descreve nem o paraíso para elas) e os muçulmanos detestam gays ao ponto de enforcá-los. Dado que ser esquerdista significa ter um tendência de ser ateu e ser a favor das minorias (gays, mulheres e negros), por que os esquerdistas do mundo se juntam e respeitam os muçulmanos?

Para mim, a razão é simples, tanto esquerdistas como muçulmanos odeiam a cultura judaico-cristã,  odeiam os judeus e os cristãos. O ódio os une.

Vou mostrar três notícias de ontem que mostram este amor no ódio de esquerdistas e muçulmanos.

A primeira notícia vem do estado da Califórnia, mais especificamente da cidade de São Francisco. Seguramente, o estado mais esquerdista dos Estados Unidos é a Califórnia, e a cidade que mais representa este esquerdismo é sem dúvida São Francisco, uma cidade conhecida como paraíso para gays.

Mas não é que a prefeitura de São Francisco resolveu construir um local no Aeroporto Internacional de São Francisco para que os motoristas de táxi muçulmanos pudesse fazer seus asseios (limpeza com água de partes do corpo) e orassem (foto acima).

Algum americano poderia imaginar a prefeitura de São Francisco gastando dinheiro público para fazer um local especial para que cristãos e judeus orassem? Certamente os ateus e esquerdistas iriam destruir a prefeitura e atacar o prefeito. Cadê este pessoal contra esta construção no aeroporto???

A segunda notícia vem da academia, sempre cheia de professores esquerdistas até a tampa. A Universidade de Chicago resolveu retirar os bancos de dentro de uma capela de 88 anos para que os muçulmanos pudessem orar. Os cristãos e juideus se quiserem que sentem ou fiquem de joelhos no chão.

A terceira notícia vem da Europa e mostra o especial ódio aos judeus, que ainda há inclusive na Alemanha, país que conhece muito bem onde este ódio vai parar.

A Alemanha se juntou a 13 países europeus para discriminalizar os produtos de judeus que vem da região da Samaria e da Judeia, onde existem assentamentos judeus. Os produtos dos muçulmanos deste mesmo local não seriam descriminados. A medida visa atacar os assentamentos judeus em Israel. Mas se não há medida semelhante para atacar os russoS na Chechênia ou mesmo os Ingleses na Irlanda do Norte, então é puro anti-semitismo que remonta ao "Kauft nicht bei Juden" (Não comprem produtos de judeus) de 1933, quando começou os ataques a judeus na Alemanha de Hitler.

E assim caminha o mundo, odiando cristãos e judeus.

Que Deus nos fortaleça, pois o mundo é destes que nos odeiam.


(Agradeço as três notícias ao site Weasel Zippers)

8 comentários:

Rodrigo Adem disse...

Não estou convencido de que exista algo como herança judaico-cristã. Se os judeus não reconheceram a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, como podem ter algo a ver conosco?

Pedro Erik disse...

Bom, Rodrigo, Jesus Cristo respeitou a herança judaica. Ele disse que veio para "cumprir o que disse as escrituras (judaicas)". Não é possível desvencilhar Cristo (nem nós) disso.

Nós não precisamos que os judeus reconheçam isso, pois cremos em Cristo.

Abraço,
Pedro Erik

Rodrigo Adem disse...

Há quem diga que os judeus já na época de Jesus haviam abandonado o velho judaísmo, por isso o mandaram matar, e um Papa mandou queimar o Talmud, respeitado, segundo sei, até hoje pelos judeus. O fato é que não me sinto à vontade em falar em herança judaico-cristã. A herança é mesmo a da Igreja Católica, Apostólica, Romana, única Igreja de Cristo.

Pedro Erik disse...

Caro Rodrigo,

Na dúvida, eu olho as palavras de Cristo. A Igreja (eu, o Papa, todos nós) não pode fugir disso. E Cristo era judeu e respeitava todo o Velho Testamento.

Não importa se um papa queimou ou não o Talmud. Tivemos todo tipo de Papa. João Paulo II, em um ato sem cuidado, por exemplo, beijou o Alcorão, nem por isso sigo o Alcorão (Deus me livre disso)

Abraço,
Pedro

Rodrigo Adem disse...

O Papa mandou queimar o Talmud por esse livro conter blasfêmias contra Cristo e contra Nossa Senhora, Pedro Erik. Já João Paulo II ter beijado o Corão é uma tristeza só, mas compatível com o Concílio Vaticano II, com o qual eu tenho lá meus problemas.

Pedro Erik disse...

Pois é, um papa queimar o Talmud ou beijar o Alcorão são dois erros crassos, para Cristo, que sempre defendeu todos os profetas do Velho Testamento (inclusive apareceu aos discípulos rodeado de Moisés e Elias). Mas a Igreja vive e é forte. Rezemos por ela.

Com eu disse, os cristão não precisam dos judeus para aceitar e defender a herança judaica.

Eu me considero um judeu, sendo cristão, pois assim era Cristo.

Abraço,
Pedro Erik

Flavio Scaldini disse...

O livro do autor Bruce Walker,"Sinisterism: Secular Religion of the Lie" é um bom trabalho sobre o assunto.

Pedro Erik disse...

Obrigado, Flavio, pela dica.

Abraço,
Pedro Erik