segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Cisma Católico Por Causa dos Gays? Sim, já está ocorrendo.

O que você faria se durante um debate no seu trabalho seu chefe dissesse que qualquer amor sexual vale, seja irmão com irmão, pai com filha, mãe com filho, etc?

Foi isso que ocorreu a uma amiga minha católica, e ela, de tão assustada, não conseguiu dizer nada. Apenas deve pedir para mudar de setor no trabalho.

Outro dia, como  mostrei aqui no blog, eu entrei em um debate sobre união homossexual com pais de crianças que  estudam em colégio católico. Fiquei sozinho no debate defendendo a posição de Cristo.

Hoje vejo à seguinte história, contada por Phil Lawler no site Catholic Culture, que ocorreu em uma paróquia da Irlanda.

Jacinta O'Donnel e Geraldine Flanagan são duas membras proeminentes da paróquia de São Miguel na cidade de Athy na Irlanda.

Uma é diretora do coral e a outra é ministra da Eucaristia.

As duas são parceiras lésbicas e resolveram se casar no civil. Distribuíram o convite de casamento aos paroquianos e membros do coral.

Dai, Anthony Murphy, editor do Catholic Voice, reagiu dizendo que elas estavam propagando um ato contrário à posição da Igreja dentro da própria Igreja. Sendo membras proeminentes da Igreja isso era ainda pior, sugeria que a Igreja apoiava atos lésbicos.

O padre da paróquia, Frank McEvoy, não aceitou as objeções de Murphy.

Daí as duas mulheres voltaram em triunfo para o coral e foram aplaudidas durante uma missa pelos paroquianos.

Na oportunidade havia outro padre na missa, Brendan Kealy, pois era uma missa em homenagem para aos 50 anos de ordenação de outro clérigo.

Padre Kealy ficou muito chateado com a missa, que se tornou propaganda para lésbicas.

Ao fim, Murphy, aquele que defendia a Igreja e Cristo, foi expulso da paróquia.

---+---

Lawler conta que esses conflitos dentro da Igreja por causa de gays "surgiram nos anos 60, atingiram o pico nos anos 70 e 80, diminuiram, mas cresceram muito após a chegada do Papa Francisco".

Bom, no meu debate no colégio dos meus filhos, muitos usaram o Papa contra mim. Eu sei do que Lawler fala.

O Papa Francisco tem que agir para conter essa onda, criada por ele mesmo.


6 comentários:

Anônimo disse...

Eu entendo que não se fala mais de pecados e erros nas pregações públicas, naqueles discursos dados a mídia, pelo Papa ao público e tal. Até tem um porquê, não se deve tacar pedra em cachopa de abelha se não tem coragem de aguentar ferrão. Os tempos são difíceis para a Igreja. A mídia não perdoa e manipula as pessoas.
O que me preocupa é dentro das igrejas! nas homilias é o tal do amor, e amor e amor....blá blá blá. Claro que são tempos específicos, problemáticos e a pedagogia deve ser diferente do que sempre fora. Mas orientação espiritual e cotidiana para os católicos zero. Raras exceções, e todas que conheço é pela internet, e muitas vezes radicais, incompatíveis com os tempos modernos em sua forma de expressão. Sacerdócio sem sal como diz Jesus, serve para serem jogados fora. Cristãos sem formação, aliás, bem formados pela Rede Globo e pelos judeus e maçons norte americanos nos filmes de Hollywood.


Ah, e também deve acabar com ministério de eucaristia. Ministro de eucaristia são sacerdotes e os diáconos ajudam. Isso é abuso dos progressistas que usurparam o CV 2. E olha que sou simpático aos ministérios leigos e gosto da liturgia em vernáculo, da participação dos leigos pelas pastorais (desde que com orientação sacerdotal). Mas uma coisa é modernizar, ajustar conforme necessidades a vida da Igreja. Outra é dessacralizar e ficar no erro buscando desculpa e querendo tornar Igreja em comunidade evangélica, templo maçom ou coisa parecida.

Pedro Erik disse...

Ótimo comentário, muito obrigado, amigo(a) Anônimo.

Abraço,
Pedro Erik

Vic disse...

RELATOS À VOLTA DA VISITA À GEORGIA E AZERBAIJÃO DO PAPA FRANCISCO.
Teoria do género
... Sobre a teoria do género, definida pelo Papa Francisco como “grande inimiga, uma ameaça contra o matrimónio”, o pontífice disse que acompanhou na sua vida de sacerdote as pessoas com tendências e práticas homossexuais.
“Eu as acompanhei e aproximei do Senhor. Nunca abandonei ninguém. Quando uma pessoa tem essa condição e chega diante de Jesus, o Senhor não lhe dirá: Vai embora porque você é homossexual! Não! Eu me referi sobre a maldade que se faz hoje com a doutrinação da teoria do género. Uma coisa é a pessoa ter essa tendência, *ESSA OPÇÃO, E TAMBÉM QUEM MUDA DE SEXO. Outra coisa é ensinar nas escolas esta linha para mudar a mentalidade. Isso eu chamo de colonizações ideológicas”, disse o Papa.
O Santo Padre disse que no ano passado recebeu uma carta de um espanhol que contou a sua história de quando era menino e garoto. Era uma menina, uma garota e sofreu muito porque se sentia garoto, mas fisicamente era uma garota. Quando se tornou adulto foi operado, mudou sua identidade civil, **SE CASOU E TRABALHA NUM MINISTERIO.
, “As tendências ou desequilíbrios hormonais causam muitos problemas e devemos estar atentos a não dizer: É tudo a mesma coisa! Mas acolher, acompanhar, estudar, discernir e integrar cada caso, sempre com a misericórdia de Deus.”
* ** grifos meus para considerações.

Pedro Erik disse...

Há pessoas com tendências ou desejos homossexuais? Há.
Há pessoas com tendências o pecaminosas de todo tipo.

O pecador deve ser acolhido e instruído a não pecar mais.

O pecado é que nunca deve ser acolhido. Se o pecador exalta o pecado, ele deve ser anátema.

O Papa deveria diferenciar.

Abraço,
Pedro

Vic disse...

Isso, Pedro; algumas vezes o papa Francisco deixaria brechas para se entender de forma de atender as conveniencias ou opções pessoais.
Jesus a todos acolhia com afeto, mas aos pecadores as advertencias se seguiam.

flavio disse...

O primeiro comentário anônimo eh meu, esqueci de identificar.

Eu vou acrescentar mais: Não se culpe Francisco ou CV2 pelas moléstias. Eles são frutos de uma árvore que já existia na igreja. Não vi nenhum documento da Igreja no CV2 mandando aceitar viados ou tarados na igreja. Achar que o relaxamento de muitos padres é fruto da falta de batina ou de sal na consagração da agua benta é porquê não conhece a história da Igreja. Quem acha que por causa do vernáculo ou porque não se canta gregoriano as missas hoje estão vazias é inocente. Claro que estas coisas ajudam ou aceleram a maldade, mas não são a semente, mas efeitos.
A igreja está inserida no mundo e como tal sofre as mazelas dele. Sempre foi assim, a diferença é que PERDEU-SE a fé no Senhor, inclusive nos seminários. Começou no iluminismo, devagarinho foi contaminando os fiéis, e chegou aos seminários, onde-se desenvolveu na forma da Nouvelle Teologie, que é uma negação da cristocentria plena e da catolicidade ordinária e ativa no cotidiano como necessários a salvação. Perdeu-se a fé e no mundo cheio de matéria e comunicação, vive-se como Deus não existisse. Mas devemos desesperar? Ora, lamentamos tudo isto, mas as escrituras e Jesus não consignaram estes fatos e os profetas de Deus (Santos, Maria, Beatos e Confessores) não vinham avisando?