sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Católicos Americanos Votaram em Trump por Maioria Recorde


As críticas que o Papa Francisco fez a Trump diversas vezes, disfarçadas ou não, não surtiram efeito. Os católicos votaram em grande maioria em Trump. O chamado "efeito Francisco" não derrotou Trump.

Aliás, por religião, Trump só perdeu entre judeus e ateus (ateísmo também é religião e pode ser bem radical). Os judeus americanos em geral são esquerdistas, ao ponto de defender o fim de Israel, não é de estranhar para quem conhece, apesar da mídia e os próprios esquerdistas de hoje divulgarem que judeus são banqueiros ricos.

Aliás, um católico pecará se votar em alguém que defende o aborto ou o casamento gay, como Hillary. Mas o Papa parece relevar isso.

A pesquisa do Pew Research mostra que 52% dos católicos votaram em Trump, e 45% em Hillary. Mais católicos votaram em Trump do que votaram em Obama em 2012.

Se considerarmos apenas os católicos americanos, excluindo os católicos hispânicos, 60% dos católicos votaram em Trump.  Trump recebeu a maior votação católica americana desde o início da pesquisa. Por sinal, esses católicos nunca apoiaram Obama.

Mesmo os católicos hispânicos, pode-se dizer que apenas 26% votaram em Trump, mas Trump recebeu mais apoio entre os católicos hispânicos que os outros candidatos republicanos que concorreram contra Obama.

Vejam tabelas da pesquisa abaixo:



4 comentários:

Adilson disse...

Boa notícia. Estou muito feliz pela vitória do Trump, não necessariamente por ele, mas pelos nossos irmãos católicos (e protestantes) de lá. Vou continuar rezando. Estou ansioso pelo discurso de Trump quando for assumir o cargo. Ele certamente tem um baita pacote de problemas criados e deixados pelo Obama e a esquerda internacional, bem como pela esquerda Europeia. Fico feliz de ver que os católicos dos EUA tenham dado essa chance ao Trump. O título dessa postagem, nobre Pedro, me trouxe à mente duas belíssimas e emocionantes fotos: 1) uma com Ronald Reagan e o santo papa João Paulo II e 2) uma do ex-papa Bento XVI e o ex-presidente George W. Bush. Parece-me que não haverá uma foto assim com Trump e o papa Francisco. E se houver, nem quero ver, pois o rosto do papa Francisco certamente não estará tão gracioso como estavam os de são papa Paulo II e papa Bento XVI. Mas rezemos. Obrigado por essas informações. Concluo com o seguinte: rezarei para que o Thyself O Lord tenha um 2017 cheio de notícias importantes, boas e menos dolorosas que as desses últimos anos. Até!

Pedro Erik disse...

Amém, meu amigo. se Deus quiser.
Grande abraço,
Pedro

Pedro Erik disse...

E muito obrigado pelas orações, preciso demais.

Isac disse...

Um católico optar por uma assumida abortista, anti cristã católica radical, em suma, declarada diabolista, compartilhará das más ações dos asseclas de Satã!
E sabendo dessa incompatibilidade, seria excomunhão automática aos católicos que a poiassem, corrento o risco dentro dessa penalidade os 60.376.000 eleitores da raposa vermelha, cria do Dragão cor de fogo!