segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Quem são os Progressistas?

-

Nos Esados Unidos, o termo progressista (progressive) se refere àqueles que defendem bandeiras da esquerda, se aproximam do socialismo, defendem o aborto, a eutanásia, o casamento gay. A matança do ser humano no útero da mãe e na velhice e a destruição da família deturpam o termo progresso.

O progressismo deveria definir aqueles que defendem a democracia, a liberdade individual, e a livre expressão.

Isto pode ser visto claramente no que aconteceu na semana passada nos Estados Unidos.

O dono da rede de fast food, Chick-fil-A (símbolo acima), Dan Cathy, disse em uma entrevista que Deus iria punir os Estados Unidos pela aprovação do casamento gay.

Daí, os defensores dos homosseuxais resolveram pixar as lojas do Chick-fil-A com palavras de ódio, alguns (pouquíssimos) resolveram se reunir em frente ao restaurante para um beijaço gay e até um governador resolveu defender o fechamento dos restaurantes.

Mas como isto aconteceu nos Estados Unidos, o povo americano também se levantou em defesa da livre expressão e fizeram filas imensas para comprar produtos do Chick-fil-A, em protesto contra os "progressistas". Mas eles são os verdadeiros progressistas, estão na linha de frente da democracia e da liberdade.

O programa mais assistido na TV a cabo dos Estados Unidos, o jornal nacional de lá, chamado The Factor, do jornalista Bill O´Reilly, tratou o fato como uma grande vitória dos valores tradicionais.

E ainda lançou uma pergunta que não quer calar: por que os grupos defensores dos gays não atacam os pastores negros que fazem campanha contra o casamento gay, inclusive atacando o presidente Obama? Isto é, vários pastores negros de igrejas cristãs que apoiaram fortemente Obama estão agora atacando o presidente pela defesa do Obama ao casamento gay. E o movimento gay silencia. Por quê? Por que não pixam as igreja destes pastores, por que fazem beijaço durante as cerimônias religiosas deles?

O´Reilly não diz, mas para mim a resposta é óbvia: mais de 90% dos negros votam no Obama, os gays não querem prejudicar a base eleitoral do presidente.

Abaixo, vai o vídeo do youtube com o programa Bill O´Reilly sobre o Chick-fil-A (traduzo em azul).



Milhares de pessoas se alinharam ontem para comprar frango em mais de 1.600 Chick-fil-A restaurantes em todo o país. Eles fizeram isso porque alguns políticos esquerdistas querem expulsar o Chick-Fil-de suas cidades. 

MULHER NÃO IDENTIFICADA: Nós acreditamos na liberdade de expressão e estamos muito orgulhosos por aquilo que defendemos. E nós amamos Chick-Fil-A. 

MULHER NÃO IDENTIFICADA: Condenar uma pessoa por causa de suas crenças religiosas pessoais, condenar uma empresa inteira, porque o seu fundador é um cristão, é simplesmente errado. Errado. 

MULHER NÃO IDENTIFICADA: É definitivamente injusto. É uma tática intimidação (bullying). Feito pela mídia. 

MULHER NÃO IDENTIFICADA: Em resumo, se você não acredita naquilo que Chick-Fil-A defende, não coma lá. 

O'REILLY: Exato. A polêmica começou quando Dan Cathy, o chefe do Chik-fil-A disse que Deus iria punir os EUA por abraçar o casamento gay. Sr. Cathy também doou dinheiro para proteger o casamento tradicional e isto provocou a ira de seus adversários ideológicos.As crenças de ambos os lados devem ser respeitadas. Isso é o que significa liberdade de expressão.Quando os políticos tentam atacar um negócio, porque eles não gostam da política de sua gestão, é completamente anti-americano. 

E o argumento de que as pessoas que defendem o casamento tradicional violam os direitos individuais é totalmente falso. O casamento não é um direito constitucional. Esperamos que o Supremo Tribunal Federal defina melhor essa questão, mas o casamento é regulado pelos Estados e é um sacramento em muitas religiões. 

Também digno de nota é o fato de que os políticos liberais estão agora atacando o Chick-fil-A, mas não atacam os muitos pastores afro-americanos que são publicamente contra o casamento gay. Você não ouve falar de boicote contra as igrejas deles, não é? Então há muita hipocrisia em curso e também fascismo.  

A principal característica dos regimes totalitários, sejam elas comunistas, fascistas ou simplesmente opressivas é deslegitimar a oposição, silenciá-la, puni-la. Isso é o que os prefeitos de Boston e Chicago e San Francisco querem fazer, punir Chick-Fil-A. 

Meu programa "Talking Points" acredita que a grande maioria dos norte-americanos condenam essa postura. Há pessoas boas em ambos os lados da questão do casamento gay. E devemos proteger suas crenças sinceramente. Não é errado ou intolerante a acreditar que sociedade americana é mais forte quando a unidade familiar é formada pelo casamento entre um homem e uma mulher.Também não é errado para os americanos homossexuais querer paridade, tanto quanto puderem. Debate robusto é uma coisa boa, ameaças e intimidação é anti-americano. 

Este é o memorando de hoje.

Eu já falei aqui no blog sobre:

1) O que a Bíblia diz sobre homossexualidade;
2) O que pensa São Tomás de Aquino sobre homossexualidade;
3) O que diz um padre espanhol;
4) O que diz a ciência sobre homossexualidade;
5) O que mesmo os gays dizem sobre casamento gay;
6) E na semana passada vi o vídeo abaixo sobre o que Santo Agostinho falou sobre homossexualidade no seu livro Confissões.


Isto é, se você é cristão ou judeu, deve ser contra o casamento gay. Aliás, eu não conheço religião que defenda o casamento gay. É por isso que muitos gays odeiam Deus.


6 comentários:

Anônimo disse...

Casamento é invenção da sua religião?

Pedro Erik disse...

Será que não havia casamento antes do Cristianismo? Será que os imperadores romanos não casavam? Será que os judeus do antigo testamento não realizam casamentos? Será que os homens das cavernas não tinham uma espécie de casamento?

Anônimo disse...

Todos tem o direito de casar e, uma vez sendo responsabilidade do Estado garantir direitos ao cidadão, o casamento de indivíduos do mesmo sexo deve ser permitido. Com dois, três, quatro. O Estado não deve escolher o tipo de casamento de uma religião e se limitar nele.

Pedro Erik disse...

Claro que não anônimo. O casamento representa a família e a família e a base da formação humana que é a base da sociedade.

Ao dizer que todos devem casar com quem bem entender (com quantos bem entender), você desrespeita a importância de uma mãe e de um pai. Quem sabe o que representa uma mãe e um pai não diz o que você diz. O pai e a mãe, nas suas diferenças, fornecem a melhor formação de um ser vivo.

Você acha que teríamos um mundo melhor com filhos de casais homossexuais. Com filhos sem pai ou sem mãe? Com filhos de uma relação que adotou a poligamia? Você acha que a sociedade não seria afetada?

Além disso nada impede os gays de se unirem. Eles pdoem se unir em sociedade. O Estado não interfere nisso, mas deve interferir para defender a sociedade, o casamento gay ou poligamia destróem a sociedade.

Os gays não podem exigir que as religiões os aceitem, ou que a sociedade não ache-os errados.

Atenciosamente,
Pedro Erik

Anônimo disse...

É evidente que a sociedade será afetada e eu torço muito por isso, que a sociedade seja afetada. E depois de afetada, permita liberdade de casamento a indivíduos que merecem; não o casamento religioso. O casamento perante o Estado. Estou preocupado com todas seguranças que um casal de homem e mulheres possuem do Estado e não está sendo oferecida a pessoas que querem casar com mais de um indivíduo, do mesmo sexo ou não.

Eu acho que teríamos um mundo, com filhos de casais homossexuais ou não. Crianças não nascem com os preconceitos dos adultos. Podem ser explicadas dos motivos que levaram seus dois pais ou duas mães a formar um casal de um gênero, podem aceitar o amor dos pais. O problema delas será os outros, com comentários, olhadas e preconceitos.

Quanto ao não podem exigir, eu concordo.

Pedro Erik disse...

Caro Anónimo,

Este negócio de que crianças não nascem com o preconceito de adultos me lembra a estupidez do Paulo Freire ou de Rousseau. Como se as crianças nascessem já sabendo do que é certo ou errado e apenas os adultos deturpassem.

As crianças tem o Reino do Céu (como disse Cristo) pela inocência do erro e não pelo conhecimento do certo.

O Estado deve garantir qualquer contrato feito entre adultos (olha os adultos aqui de novo). Mas também deve saber o que é uma família para prover uma sociedade melhor e conhecer que uma criança precisa de um (apenas um) pai e uma (apenas uma) mãe.

Finalmente, concordamos, o que é um grande passo, que os gays ou os que defendem a poligamia (ou mesmo o casamento com animais. Falei disso no blog, procure bestialidade), não podem exigir que a religião os aceite ou os case.

Abraço,
Pedro Erik