quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Como Reconhecer o Demônio? Basta saber o que significa seus nomes.


O padre Robert Barron falou em um vídeo sobre a presença do Diabo na Bíblia e na vida humana atual, e descreveu como podemos reconhecer a presença do demônio. É um vídeo bem interessante.

Não vou traduzir palavra por palavra o que ele disse, não tenho tempo, apenas vou relatar e comentar a argumentação dele.

video

Padre Barron começa mencionando o capítulo 6 do Evangelho de Marcos, aquele no qual Jesus envia seus apóstolos. A primeira ordem de Jesus é que eles expulsem os demônios. E a primeira coisa que os apóstolos dizem a Jesus quando voltam das suas missões é que expulsaram muitos demônios em nome de Jesus.

Marcos 6: 7-13

7 Chamou os doze discípulos, começou a enviá-los dois a dois e dava-lhes poder sobre os espíritos imundos.
8. Jesus recomendou que não levassem nada para o caminho, além de um bastão; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura.
9. Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas.
10. E Jesus disse ainda: «Quando entrardes numa casa, ficai nela até partirdes.
11. Se fordes mal recebidos num lugar e o povo não vos escutar, quando sairdes sacudi a poeira dos pés como protesto contra eles».
12. Então os discípulos partiram e pregaram para que as pessoas se convertessem.
13. Expulsavam muitos demónios e curavam muitos doentes, ungindo-os com óleo.

Além dessa passagem de Marcos, relatada pelo Padre Barron, temos também em Lucas 10:17-20.

17. Voltaram alegres os setenta e dois, dizendo: Senhor, até os demônios se nos submetem em teu nome!
18. Jesus disse-lhes: Vi Satanás cair do céu como um raio.
19. Eis que vos dei poder para pisar serpentes, escorpiões e todo o poder do inimigo.
20. Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos estão sujeitos, mas alegrai-vos de que os vossos nomes estejam escritos nos céus.

Aliás, se vocês acessarem o site Bíblia Católica on Line, e colocarem a palavra demônio para pesquisar, virão páginas e páginas de Jesus expulsando e mencionando os demônios em suas palavras. Por que os padres não falam de demônio em suas homílias?

Padre Barron continua dizendo que infelizmente muitos seminários não lidam corretamente com os demônios. Muitos tentam ver apenas um simbolismo nos atos de Jesus. Barron diz que esta versão não corresponde a verdade, não faz jus ao que diz a Bíblia.

Barron diz que a Bíblia reconhece o pecado pessoal, o pecado institucional, mas também um terceiro nível de pecado, o pecado espiritual aquele que é influenciado pelo espírito malígno de anjos caídos. 

Há duas formas de se verificar a presença do demônio. A forma direta observada nos exorcismos, mas também uma forma velada indireta, que sugere e tenta os homens

Barron lembra o afresco da Catedral de Orvieto (que coloquei como foto inicial deste post). Neste afresco temos a presença do Anticristo sendo manobrado pelo demônio, intervindo em suas ações, cochichando em seus ouvidos.

Barron passa a falar de como a Bíblia chama o demônio. Ele fala de quatro expressões:

1) Diabo. Diabo significa aquele que separa, que destrói. Então se vemos famílias destruídas, comunidades divididas (padre Barron não menciona, mas eu acrescentaria o cristianismo dividido), temos uma ação malígna, demoníaca. Deus é a completude, a verdade integral.

2) Satanás. Satanás significa "aquele que acusa". O acusador busca a destruição, busca reduzir as pessoas a rótulos. Ações deste tipo são diabólicas, podemos corrigi-la pessoalmente evitando condenar, acusar as pessoas.

3) Pai da Mentira. A Bíblia chama o demônio de "Pai da Mentira". Mentir é resultadi de mutos pecados. Eu costumo dizer que o custo da mentira é colossal. Basta pensar que quase a totalidade dos problemas judiciários é que alguém mentiu.

4) Barron por último cita uma definição da Primeira Carta de São João, também relatada no Evangelho de São João (8:43-47): Diabo é o "assassino desde o princípio". Diabo é a cultura da morte. Aí temos o aborto, genocídios, guerras, etc. A falta de Deus gera guerras e morte.

Em relação a esta última definição, Donald McClarey lembrou o que Alexander Solzhenitsyn, historiador e crítico do comunismo da União Sovietica disse.

Solzhenitsyn foi pergutado por que ocorreu o comunismo na Rússia. Ele respondeu que pesquisou muito sobre o assunto, mas que só encontrou uma resposta: falta de Deus. A falta da crença em Deus no país permitiu o avanço do comunismo. Em suma, o comunismo é uma obra diabólica inciada bem antes da chegada do comunismo na Rússia.

Ao final do vídeo, Barron nos lembra que o demônio está presente na vida humana, mas que Cristo vence e domina o mal.

ICXC NIKA.


(Agradeço o vídeo de Barron ao artigo de Donald McClarey)

Nenhum comentário: