segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

México sob ataque de Satanás por conta da Adoração a "Santa Morte". Igreja pede Exorcistas.


Uma caveira vestida como noiva. Esta é a Santa Morte, que é adorada no México, por populares e especialmente pelo narcotráfico. O culto se espalha como droga e a Igreja Católica está lutando uma guerra espiritual contra ela. Os padres mexicanos fazem apelo para que mais exorcistas venham para o México. É o que conta a BBC.

O narcotráfico mexicano é conhecido pela sua crueldade, os traficantes decapitam e decepam os membros das vítimas e espalham partes dos corpos pelas ruas, pontes e estradas do País.Vejam o mapa dos grupos de narcotráfico no México abaixo:


As crianças mexicanas já são levadas a adorar a Santa Muerte.



Diz a BBC, que teve tradução do site G1:

Se nas ruas o México trava uma batalha diária contra a violência, no plano espiritual, o inimigo a ser combatido é outro: segundo padres católicos, o país está sob ataque do 'Satanás'.

O Diabo, afirmam os religiosos, seria o responsável pela recente onda de violência que assola o país, impulsionada pelo tráfico de drogas.

O assunto é encarado de forma tão séria pela Igreja Católica que o número de padres especializados em exorcismo - prática que expulsaria espíritos malignos - também vem crescendo no México.

Segundo os últimos dados disponíveis, pelo menos 70 mil pessoas morreram vítimas da violência no país, incluindo criminosos, membros das forças de segurança e civis inocentes.

Mas, para os padres, não se trata apenas de números. A selvageria dessas ações também vem chamando atenção.

Nos últimos anos, vêm se tornando cada vez mais frequentes, em várias partes do México, casos de crianças que acham corpos desmembrados nas ruas quando vão à escola. Ou motoristas que, enquanto dirigem, passam por pontes com corpos pendurados.

'Nós acreditamos que, por atrás de todos esses episódios, há um agente das trevas cujo nome é Satanás. Nosso Deus quer que tenhamos aqui um ministério do exorcismo e liberação, para lutar contra essa força obscura', diz o padre exorcista Carlos Triana, da Cidade do México.

'Assim como acreditamos que Satanás estava por trás de Adolf Hitler, possuindo e dirigindo ele, também acreditamos que ele (Satanás) está por trás dos cartéis das drogas.'

Os padres exorcistas do México dizem que, nos últimos tempos, cresceu a procura por seus serviços.
A demanda é tão alta que alguns deles já estão recusando atendimentos, uma vez que precisam exorcisar demônios praticamente todos os dias.

'Isso não acontecia antes', diz o padre exorcista Francisco Bautista, outro exorcista na Cidade do México.

A maioria dos casos, explica ele, requer uma forma mais branda de exorcismo, chamada 'orações de liberação', eficaz quando a pessoa ainda controla parte de sua mente ou do seu corpo.

Nos casos mais raros, quando o Demônio possui alguém completamente, diz ele, o bispo da diocese tem de intervir.

Na avaliação de Bautista, a crescente demanda pelo exorcismo é parcialmente explicada pela grande quantidade de mexicanos participando do culto da Santa Muerte.

Estima-se que o culto, cujos frequentadores veneram um esqueleto vestido de noiva carregando uma foice, tenha cerca de 8 milhões de seguidores - incluindo aí imigrantes mexicanos na América Central, nos Estados Unidos e no Canadá.

'Esse culto foi adotado por traficantes de drogas que pediram ajuda à Santa Muerte para evitar ir à prisão e ganhar dinheiro', diz Bautista. 'Em troca, eles oferecem sacrifícios humanos. E por isso a violência vem aumentando', explica.

Outra razão para o crescimento dos exorcismos, argumenta Bautista, é a descriminalização dos abortos na Cidade do México, em 2007. Tanto o culto quanto o aborto deixaram o México vulnerável aos espíritos malignos, insiste ele.

'As duas coisas estão relacionadas. Há uma infestação de demônios no México porque nós abrimos as portes para esse tipo de crença', explica.

Se causa surpresa o número de mexicanos que acredita na Santa Muerte, também provoca espanto quantos deles, como os padres Triana e Bautista, creem que o Diabo e os demônios estão 'operando' no país.

O exorcismo é uma prática antiga e aparece em diferentes religiões, mas muitos fieis duvidam da existância de demônios.

A linha de frente dos exorcistas no México é a região norte do país, onde, nos últimos sete anos, os militares vêm combatendo os cartéis de drogas.

Tal como os soldados, os sacerdotes têm travado ali um conflito espiritual. Um desses padres é Ernesto Caro, que vive em Monterrey, uma cidade marcada por tiroteios e seqüestros freqüentes.

Ele exorcizou vários membros dos cartéis de drogas - e de um caso em particular ele não se esquece. Era um assassino de uma gangue, que confessou crimes terríveis. Caro disse que o homem cortava as vítimas em pedaços e gostava de ouvi-las chorar enquanto decepava seus membros. Além disso, também queimava pessoas vivas.

Segundo o padre, o homem havia dedicado sua vida ao serviço da Santa Muerte.

'O culto é o primeiro passo para o satanismo e, em seguida, para este grupo de pessoas [os traficantes]. É por isso que ele foi escolhido para esse trabalho.'

'A Santa Muerte está sendo usada por todos os nossos traficantes de drogas e aqueles vinculados a esses assassinatos brutais. Descobrimos que a maioria deles, se não todos, são devotos da Santa Muerte', acrescenta.

O culto também é frequentado por criminosos, policiais, políticos e artistas.

'A maioria dos fiéis vem dos setores mais pobres da sociedade mexicana', diz o jornalista José Gil Olmos, que já publicou dois livros sobre o assunto.

As primeiras referências à Santa Muerte surgiram no século XVIII, explica Olmos, e não em tempos astecas, como muitos acreditam.

'Na era moderna, o número de seguidores explodiu, especialmente após o início dos anos 1990, quando o México mergulhou em uma grande crise econômica.'

Naquele período, muitos mexicanos de classe média encontraram-se na miséria. Desesperados, procuraram conforto na Santa Muerte, acrescenta Olmos.

'Mas, há oito anos, a Santa Muerte ganhou acolhida entre membros do cartel de drogas. Por quê? Porque essas pessoas dizem que Jesus ou a Virgem Maria não podem lhes dar o que eles pedem, ou seja, proteção contra os soldados e policiais, seus inimigos.'

A reportagem da BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, visitou o maior culto da Santa Muerte, uma cerimônia anual que acontece no bairro de Tepito, na Cidade do México, um local fortemente marcado por crime e tráfico de drogas.

Ali se localiza um dos maiores santuários da Santa Muerte no México. O altar é mantido arrumado por Enriqueta Romero, de 60 anos, cuja vida mudou drasticamente há 12 anos, quando chocou seus vizinhos colocando uma figura da Santa Muerte em sua janela.

Ao longo dos anos, mais e mais pessoas começaram a se aproximar para pedir ajuda ou agradecer à divindade. E agora, milhares se reúnem ali para a cerimônia mais importante da veneração, que ocorre anualmente no dia 31 de outubro, véspera do Dia de Finados, no México.

'A Santa Muerte nos ama e nos cura. As pessoas vêm aqui para pedir-lhe ajuda, desde a um filho na prisão ou com Aids, ou algo para comer', diz Romero.

Durante a visita da reportagem, algumas pessoas chegavam ao santuário ajoelhadas. Uma delas era um homem que carregava um bebê de 20 dias em seus braços. Ele diz ter vindo para apresentar sua filha recém-nascida à imagem da Santa Muerte.

Mas todas essas pessoas estão possuídas, como a Igreja diz?

'Não, eu também acredito em Deus, na Virgem Maria, e em todos os santos, mas sou mais devoto da Santa Muerte. Ela é a única que me ajuda mais', diz José Roberto Jaimes, um homem de 20 anos que veio de joelhos para agradecer à divindade depois de passar três anos na prisão.

Romero diz acreditar que a própria igreja seja responsável pela ascensão do culto, dado o número de escândalos de pedofilia que vieram à tona nos últimos anos.

'Acabaram com a nossa fé quando soubemos o que os padres vinham fazendo. Qual direito eles têm de nos criticar? Que acreditamos na Santa Muerte? Isso não é ruim. O ruim é o que eles fizeram', diz Romero.

Questionado sobre o que acha de criminosos também seguirem a seita, Romero afirmou que 'estamos em um país livre e todos podem fazer o que quiser. Todos teremos de responder a Deus em algum momento', diz ele.

Foi o ex-presidente do país Felipe Calderón quem lançou a ofensiva contra os cartéis de drogas no México em 2006, com o envio de tropas militares às regiões mais atingidas pela criminalidade.

Ao longo dos anos, os militares descobriram numerosos santuários, templos e até mesmo igrejas da Santa Morte, além de inúmeras evidências de sacrifício humano.

'Ele (Calderón) começou uma guerra contra esses bandidos. Também começou uma guerra contra o culto à Santa Muerte e pediu à Igreja para ajudá-lo', diz o padre Caro.

'Mas a Igreja não está dizendo que o México ficará melhor e a salvo se nós fizermos exorcismo porque o Diabo está por trás de tudo isso', completa o padre Triana.

'Nós temos de ser discretos (com essas práticas), do contrário nós podemos ser ridicularizados, até mesmo por nossos seguidores', conclui Triana.

-----
Adoração a Santa Morte é o primerio passo para o satanismo?

Certa vez, eu li um excelente teólogo católico americano, Dr. Taylor Marshall, dizer que conhece muitos padres exorcistas que têm atacado o satanismo que tem fonte em livros e filmes do Harry Porter.

Eu não duvido, nem um pouco, é a adoração da magia.

E  muito me preocupa ao ver que tantos desenhos animados hoje em diz tenham como personagem monstros.

Aliás, existe até uma coleção de bonecas que se comportam e se vestem como vampiras, vudus, monstros, etc. É o caminho para satanismo.

Atenção país, não comprem, nem estimulem este tipo de leitura, filmes e desenhos animados para seus filhos!!

Aqui no Brasil, nós também de certa forma idolatramos uma "santa morte", é o que basicamente faz o espiritismo.

Rezemos pelo México e pelas crianças.


(Agradeço a indicação da reoprtagem ao site New Advent)

9 comentários:

Nik disse...

Nós precisamos estudar mais tudo o que se tratou na postagem acima. O mal, o inimigo, a infiltração nas crianças, enfim, tudo pode ser relacionado de alguma forma. Este artigo fornece uns complementos interessantes: http://www.huffingtonpost.com/r-andrew-chesnut/death-to-santa-muerte-the-vatican-vs-the-skeleton-saint_b_3291499.html

Aqui, vários outros, ricos em fotos e pontos de vista. Em tempo, quem assistiu a série Breaking Bad, sabe exatamente onde este culto se encaixa nos cartéis mexicanos.

http://www.huffingtonpost.com/tag/santa-muerte

Nik disse...

Ah, e este link aqui que não estava encontrando, é o FBI estabelecendo o uso da Santa Muerte pelos cartéis e denunciando a inflitração desta maldição nos EUA. A coisa ainda vai piorar muito, Pedro.

http://www.fbi.gov/stats-services/publications/law-enforcement-bulletin/2013/february/santa-muerte-inspired-and-ritualistic-killings-part-1-of-3

Em o Homem Eterno, tu se lembrará, GKC dá uma definitiva definição e explicação para estes cultos da morte, que persistem em plena cristandade e em meio a tanto trabalho de evangelização.

Pedro Erik disse...

Caríssimo Nik.

Muito obrigado pelas informações. Eu não as conhecia. Vou verificar todas.

Rezemos, meu amigo.

Abraço,
Pedro Erik

avmss disse...

Pedro, com certeza temos que nos preocupar com que nossos filhos vão ler ou assistir. Mas Harry Potter, eu assisti toda a série e li os três últimos livros, além do divertimento da história há muitos valores neles, centrado na amizade dos três principais personagens. Não podemos exagerar e ficar vendo demônios em tudo. A saga d'O Senhor dos Anéis ou O Hobbit há muita magia e foi escrita por um grande católico ou mesmo As Crônicas de Nárnia de C.S. Lewis. Chesterton em seu livro Ortodoxia, nos fala no capítulo Ética da Elfolândia, que não há problema em nos aventurarmos na imaginação, evidentemente ele citou contos tradicionais, enquanto a de J. K. Rowling é uma história nova.
Na trama de Potter, há claramente o vilão e seus comparsas, que praticam as magias negras, como a morte e a tortura, e há os do bem que possuem princípios e valorizam bastante a amizade e a família, como no final que Harry se sacrifica por eles.
Por tudo que conheço da história, sinceramente, não consigo ver alguma fonte de maldade nele, mas sim o contrário.
Quanto ao México, vê-se como eles são um povo bastante sofrido. Esse ano li o livro Guerra dos Cristeros de Enrique Mendoza Delgado, modesto por ter um pouco mais de 100 páginas, mas o suficiente para conseguir relatar essa história, que você mesmo já falou aqui no blog citando o filme.

Abraço

Anônimo disse...

Muito bom esse post,Pai!

Pedro Erik disse...

Obrigado, filho.

Beijo,
Papai

Eduardo Araújo disse...

Caro Pedro, a respeito de desenhos animados é de preocupar muito o conteúdo dos que são veiculados em canais pagos como o Cartoon Network.

Num deles, a Morte (caracterizada como a Ceifadora) é uma amiguinha de crianças (por sinal extremamente mal educadas)!!

Em outro, crianças ultra agressivas e impregnadas de malícia, criaram um grupo chamado "Turma do Bairro", que visa combater a "tirania dos adultos" (!). Nesse desenho, ainda, os pais são sempre mostrados como bobalhões ou meros repressores idiotizados.

Menciono o Cartoon, canal pago, até porque os desenhos de lá costumam passar em seguida para a tv aberta - e aí, meu caro, tome lixo cultural e moral na cabeça de quantas crianças, meu Deus!

E quando a gente tenta alertar isso, há sempre os que dizer não passar de teoria da conspiração ou, até, fanatismo religioso. Como se não fosse possível comprovar a olhos vivos cada uma dessas peças desconstrutivistas, as quais tem inegavelmente um propósito deletério em relação à família tradicional (ou seja, a família, pura e simplesmente).

Pedro Erik disse...

É verdade, caro Eduardo, tanto o que você falou sobre desenhos quanto o que disse sobre a reação mais comum.
Aliás esta reação comum vem até de padres.
Estou muito preocupado com o mundo que meus filhos terão.
Rezo diariamente.
Mas tenho que ter fé em Cristo pois ICXC NIKA.
Abraço
Pedro Erik

Pedro Erik disse...

É verdade, avmss, não podemos ver demônio em tudo.

Eu já visitei inclusive o local da universidade de Oxford onde foi filmado Harry Porter.

Mas eu confio em Taylor Marshall e vejo em Harry Porter muito foco na magia (até negra), enquanto a mensagem de Tolkien é controle da magia e até destruição do anel.

Abraço,
Pedro Erik