segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Arcebispo para Cuba fala o que é viver na Ilha de Fidel Castro


Eu ia dizer: atenção Frei Betto, olhe o que diz o arcebispo Musaró. Mas tenho certeza que o chamado Frei Betto sabe muito bem do que diz o arcebispo.

O arcebispo para Cuba (nuncio apostólico), Bruno Musaró, nomeado em 2011 pelo Papa Emérito Bento XVI, descreveu como é viver em Cuba, a ilha de Fidel Castro (foto acima)

Aqui vai o que disse Musaró (Traduzo em azul).

In Cuba you die. 
In Cuba eating is a luxury.
The Cuban people live in conditions of absolute poverty and degradation without human or civil rights. They are the victims of a socialist dictatorship that has kept them enslaved for fifty-six years.
Only freedom can give hope to the Cuban people.
The only hope Cubans can have for a better life is to leave their island.
Italians who complain about many things in Italy should know that in Cuba a physician only earns 25 euros per month and that in order to live with dignity many Cuban professionals have to work as waiters at night.
In Cuba everything is controlled by the government, even milk and meat. Beef is a luxury and anyone who dares to slaughter a cow in order to eat it is arrested and sent to prison.
After more than half a century, praise is still being heaped on this Revolution, but, in the meantime, the Cuban people don’t have proper work and don’t have a way of feeding their own children.
I’m grateful that the pope sent me to that island, and I hope to be there when the socialist regime comes to an end.

Em Cuba, você morre. 
Em Cuba, comer é um luxo. 
O povo cubano vive em condições de pobreza absoluta e degradação, sem os direitos humanos e civis. Eles são vítimas de uma ditadura socialista que os manteve escravizados por 56 anos. 
Só a liberdade pode dar esperança ao povo cubano. 
A única esperança que cubanos podem ter uma vida melhor é deixar esta ilha. 
Os italianos que se queixam de muitas coisas na Itália deve saber que em Cuba um médico só ganha 25 euros por mês e que, a fim de viver com dignidade muitos profissionais cubanos têm de trabalhar como garçons durante a noite. 
Em Cuba tudo é controlado pelo governo, mesmo leite e carne. A carne bovina é um luxo, e quem se atreve a matar uma vaca para comer é preso e enviado para a prisão.
Depois de mais de meio século, a revolução ainda é exaltada, mas, enquanto isso, o povo cubano não têm trabalho próprio e não tem uma maneira de alimentar seus próprios filhos. 

Eu sou grato que o papa enviou-me para esta ilha, e espero estar lá quando o regime socialista chegar ao fim.


-- 
Tem vídeo sobre o que disse Musaró.

----

Frei Betto (e muitos esquerdistas pelo mundo afora) sabem que é verdade o que disse o arcebispo, mas publicamente deve dizer que o nuncio está sendo influenciado pelo imperialismo, e assim se mantém a exaltação da destruição do povo cubano.

Que o povo cubano se livre da estupidez socialista. 

Que atraso é continuar socialista quando as ex-potências socialistas já abandonaram há muito tempo esta ideia ateia estúpida, que matou milhões e milhões na história!

Cuba hoje depende de socialistas sul-americanos para sobreviver (além da ajuda de cubanos que trabalham nos Estados Unidos).


(Agradeço a informação ao site The American Catholic)

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia!
A Folha de SP publicou um texto interessante sobre Cuba:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrissima/il3001201106.htm

Pela reportagem e seu texto, não consigo compreender como as pessoas até hoje exaltem tanto o socialismo.

Que Nossa Senhora de Fátima rogue por nós.

Um abraço,

Gustavo.

Pedro Erik disse...

E o mundo ainda acha esses caras bonzinhos, Gustavo. Eles (Fidel, Chavez, etc) enriquecem roubando e tirando a liberdade do povo e os freis bettos da vida vão exaltando-os.
Abraço
Pedro Erik