terça-feira, 23 de setembro de 2014

Papa Francisco tirou emprego de São Miguel Arcanjo



Ontem, no site Pewsitter, eu vi um das melhores combinações de notícia e foto que já vi. A notícia dizia que o Papa Francisco considerava sacrilégio matar em nome de Deus, e abaixo da notícia vinha a foto do São Miguel Arcanjo, líder das milícias celestes, milícias que Cristo disse que poderiam vim em seu socorro se Ele quisesse.

Ora São Miguel Arcanjo mata em nome de Deus, assim o Papa Francisco estaria desempregando o Anjo.

Este é o lado meio cômico da notícia, não é só isso.

O próprio Cristo mostrou ira em nome de Deus, em várias ocasiões, como quando expulsou os mercadores do templo (usando um chicote), quando chamou os fariseus de sepulcros caiados e quando chamou o próprio São Pedro de demônio. E Cristo não renegou o Velho Testamento (que tem várias guerras em nome de Deus), pelo contrário, o exaltou e disse que veio para cumpri-lo.  E toda a teoria da guerra justa católica, desde Santo Agostinho, defende que pode sim se matar em nome de Deus, dadas algumas condições. Sem falar que as Cruzadas foram incentivadas por inúmeros papas e santos (como São Tomás de Aquino, São Francisco de Assis e São Bernardo Clairvaux) em nome de Deus, contra muçulmanos, e em defesa dos cristãos que tentavam visitar os lugares sagrados.

Eu sei, vocês vão dizer que o Papa Francisco estava se referindo ao ISIS que mata em nome de Alá. Se este é o caso, no entanto, ele deveria ser mais claro e não falar assim de forma tão geral.

Há hoje na Igreja uma verdadeira satanização da guerra, que no final sataniza a própria história da Igreja. Esta satanização ao meu ver tem uma longa história, mas começou mais fortemente quando o Papa Paulo VI declarou dentro da ONU: "não mais guerra", seguindo uma frase John Kennedy.

Esta satanização não é originária dentro da Igreja, a Igreja adquiriu do mundo secular. Muitos hoje dizem "não mais guerra", como se pudéssemos ter o  paraíso na Terra, coisa negada por Cristo. Muitos no mundo defendem o "paz e amor" hippie como solução do mundo. Em geral, esta solução acaba permitindo matanças como vemos no Iraque que agora sofre o fim do cristianismo no país depois de 2 mil anos.

Eu estou escrevendo um texto sobre o assunto, espero terminá-lo no próximo ano.

2 comentários:

Duddu Pontes disse...

Boa noite amigo Pedro!
Ficarei felicíssimo em ler seu texto assim que ele estiver pronto!

Abraco!

Pedro Erik disse...

Obrigado amigo Duddu.
Geralmente eu só divulgo meus papers quando tenho certeza que serão publicados.
O editor do meu texto sobre islamismo que publicarei no reino unido me disse que publicará meu texto em novembro. Assim que publicar vou divulgar no blog.
Este que estou escrevendo deve demorar pelo menos um ano.
Grande abraço, meu amigo.