segunda-feira, 15 de setembro de 2014

ISIS simplesmente imita Arábia Saudita.


Há poucos dias, o New York Times mostrou que enquanto o mundo se assusta com o ISIS, a Arábia Saudita continua decapitando gente.

Ontem, eu li na Fox News que, também enquanto o mundo se assusta com o ISIS, a Arábia Saudita prendeu e desapareceu (levou para local desconhecido) 28 cristãos.

Não se pode praticar o cristianismo na Arábia Saudita, nem construir igrejas cristãs. Mas em geral o país aceita que cristãos estrangeiros façam seus cultos dentro de suas casas. No entanto, ao que parece a descoberta de um culto em uma casa fez com que a polícia religiosa da Arábia Saudita, conhecida como Comissão para a Promoção da Virtude, prendesse os cristãos.

Os Estados Unidos perambula por países islâmicos, especialmente Arábia Saudita e Egito, procurando apoio para sua guerra contra o ISIS.

O ISIS odeia a Arábia Saudita, existem vídeos declarando isso, por conta dos laços políticos e econômicos entre a Arábia Saudita e Estados Unidos (Bin Laden também fazia as mesmas críticas a Arábia Saudita, apesar dele ser saudita). E Arábia Saudita ver o ISIS como uma ameaça muito forte sobre seu poderio sunita no Oriente Médio. Então, é muito provável que a Arábia Saudita ajude na guerra contra o ISIS.

Mas, no que interessa, o ISIS é realmente diferente da Arábia Saudita?

Na semana passada, eu vi um vídeo com um entrevista a um ateu asqueroso muito conhecido nos Estados Unidos, o "comediante" Bill Maher. Por vezes, até um ateu que odeia o cristianismo (pelas razões mais estúpidas), pode ver que o Islã é completamente diferente das outras religiões, que o Islã expressa o mal nas páginas de seu livro sagrado.

Não tenho tempo para traduzir o vídeo todo, no entanto, mas em certo momento o repórter Charlie Rose diz, de forma até simplória:  "Eu não acredito que o Islã apoie esta matança".

Maher responde: "você está errado, o Islã defende esta matança em cada página do Alcorão".

"Em cada página do Alcorão" é obviamente um exagero, mas é sim fácil encontrar apoio para as ações do ISIS e da Arábia Saudita no Alcorão.

Vejam o vídeo abaixo:






(Agradeço o vídeo de Maher ao site Weasel Zippers)

2 comentários:

Nik disse...

Pedro, uma daquelas personagens que já ouvimos falar mas nunca lhes dedicamos a menor curiosidade, por ene motivos e me surgiu ontem, completa, num artigo da Crisis Magazine, é o Charles de Foucauld.

http://www.crisismagazine.com/2014/victim-jihad-life-death-charles-de-foucauld?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+CrisisMagazine+%28Crisis+Magazine%29

O artigo é magnífico. Mas ainda melhor é o verbete dele em espanhol na Wiki.

http://es.wikipedia.org/wiki/Carlos_de_Foucauld

Fascinante homem, história de vida impressionante, o deserto da Argélia, o coração sedento de Verdade, a conversão. Que bela lembrança da Crisis neste artigo, me preencheu um buraco enorme, que nem sabia que tinha.

Abraço.

Pedro Erik disse...

Muito obrigado pela dica, Nik. Vou lê-lo.

Grande abraço,
Pedro Erik