terça-feira, 23 de maio de 2017

Trump: "Ideologia Jihadista Deve ser Exterminada". Mas Problema é mais Embaixo.


Depois de mais um ataque terrorista em solo europeu (dessa vez em Manchester), no qual a linda criança acima de 8 anos foi morta, Trump chegou na ferida. Disse ele:

"The terrorists and extremists and those who give them aid and comfort must be driven out from our society forever. This wicked ideology must be obliterated, and I mean completely obliterated, and innocent life must be protected. All civilized nations must join together to protect human life and the sacred right of our citizens to live in safety and in peace.”

O problema é que a ideologia é fruto de uma religião de milhões de pessoas.

Quem leu o Alcorão e conhece a vida de Maomé sabe exatamente de onde vem a "ideologia jihadista". E os jihadistas não se cansam de mostrar de onde vem o incentivo para os ataques.

Como eu costumo dizer, enquanto líderes europeus não forem em praça pública e rasgarem o Alcorão dizendo que aquela religião não será admitida, a ideologia jihadista permanecerá.

É preciso banir o Islã. É a verdade pura e simples.

Muita gente, reis e santos do passado sabiam disso e fizeram justamente isso. Pensavam assim desde escritores como Dante, Camões e Cervantes até São Tomás de Aquino e São Francisco, como relato no meu livro Guerra Justa: do Império Romano ao Estado Islâmico.

Li hoje que a polícia inglesa monitora mais de 3500 possíveis jihadistas, e que pelo menos uns 400 participaram do Estado Islâmico na Síria e voltaram para o Reino Unido.

O terrorista de Manchester era conhecido da polícia, isso não evitou a morte de 22 pessoas.

Não é possível monitorar tanta gente.



5 comentários:

Isac disse...

São os maleficios nesse triste episodio da montagem do serpentario dentro do proprio país, traindo o povo, como sucedia no programa $$antos, "tudo por ("sô" deu$) dinheiro"!
Aguardem, capachos ingleses do Islã, os próximos desenlaces dessa interminável chacina!

RICARDO LIMA disse...

E ainda aparecerão aqueles que dizem que todas as religiões são iguais. :(

Anônimo disse...

Meu amigo, bom dia!
Salve Maria!
Não que eu queira "ensinar o Pai Nosso para o vigário", mas se não me falha a memória, uma das condições para uma guerra justa seria as reais condições de vitória. Rasgar o corão e banir o islã é simplesmente absurdo e motivo de uma guerra total, infelizmente. Se nem na época áurea da Igreja (séc. XII e XIII) o islã foi suprimido, imagine na nossa época decadente!

Abraço,

Gustavo.

Pedro Erik disse...

Gustavo,
Alguns teóricos modernos colocam "possibilidade de sucesso" como um critério, realmente. E isso pode ser lido como um cálculo de chance de vitória.

Mas a tradição da Guerra Justa desconhece completamente esse critério, não é um critério que tenha tradição na Igreja, e além disso não foi usado por inúmeros santos. Santo Agostinho, o fundador da teoria, não usou isso, nem muito menos santos que foram a guerra em completa desvantagem como Santa Joana D'arc e São Lourenço.

Em suma, é um critério intruso sem tradição. E errado do meu ponto de vista.

A guerra justa é relacionada com a Justiça​, não com cálculos.

Falo disso no meu livro.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Obrigado pelo ensinamento.
Abraço,
Gustavo.