terça-feira, 2 de outubro de 2018

Música e Homilia: A Dor do Corpo de Cristo em Tempos de Abusos Sexuais e Traição



O  cantor católico Kevin Heider escreveu uma fantástica música sobre o Corpo de Cristo (Igreja Católica), em tempos de abusos sexuais, proteção aos cardeais que promovem pedofilia e homossexualismo, mentiras, erros doutrinários. Tantos ataques à Igreja vindo de dentro da própria Igreja. Ouçam a música "The Body" no vídeo acima.

Além disso, no site do cantor, ele escreveu sobre a inspiração para escrever essa música: o nascimento de seu filho que trouxe tanta alegria mas que não apagou a dor, a vergonha e a preocupação com o estado do Corpo de Cristo.

Vejam o belíssimo relato do cantor no site, que não é um relato, mas uma homilia imensamente mais bonita que 99% dos homilias que ouço nas igrejas. Traduzo aqui parte dessa homilia:

Meu filho nasceu na semana passada. Ele é lindo. O trabalho de parto foi longo, cheio de ansiedade, incerteza e dor imensa que minha esposa suportou em nome de nossa família.

Uma semana depois de experimentar a alegria desta nova vida, seu corpo ainda está se recuperando. A recuperação do trabalho é como outro trabalho em si mesmo. E suponho que esta é uma lição: a vida é cheia de trabalhos. A esperança, então, é que cada trabalho resulte em algo mais do que apenas a lembrança da dor.

Enquanto nos aconchegávamos, encarávamos e segurávamos nosso filho por dois dias no hospital, nossas mentes estavam divididas entre a alegria dessa nova vida e a vergonha e tristeza provocadas por recentes revelações da extensão do sofrimento que nossa igreja trouxe a tantos dos homens, mulheres e crianças que ela deveria abrigar - não abandonar.

Essa realidade trágica dominou nossas conversas durante nossa estada no hospital. Continuamos tentando falar sobre outras coisas, para levar a conversa a uma assunto mais leve, para sair do buraco de coelho. Mas continuamos voltando aos pecados de nossa igreja: décadas de abuso, encobrimentos, perversão sexual e predação pelo clero, e assim por diante. (E isso é apenas o século 20.)

Nós não poderíamos parar de falar sobre isso, em parte, porque não conseguimos encontrar as palavras. Como alguém encontra as palavras para entender essa corrupção? Para rezar? Para reunir coragem? Para liderar quando os líderes falharam? Para inspirar conversão real? Para se arrepender e fazer as pazes quando nenhum pedido de desculpas ou penitência parece remotamente adequado?

...

Mas eu percebi que, muito mais frequentemente do que não, o corpo de Cristo, isto é, a Igreja como uma instituição humana, se parece mais com o corpo sofredor de Cristo: é imundo. Está coberto de sangue, cicatrizes, suor e sujeira. Sua pele é flagelada e manchada pelos pecados de seus membros. Seus músculos estão fracos e desgastados. Seus vasos estão quebrados, incapazes de levar sangue ao coração, que ainda está, de algum modo, no lugar certo. Suas mãos (eu, minha esposa, nossos companheiros paroquianos, nossos sacerdotes) são muitas vezes incapazes de fazer todo o trabalho que precisa ser feito porque estão presos pelo pecado. Da pessoa de Cristo como ele foi procurado e visto durante sua vida terrena, este corpo é virtualmente irreconhecível. Quem tropeçaria em um cadáver tão feio e desfigurado e desejaria abraçá-lo?


...
Continuem lendo o relato no site de Kevin Heider 




5 comentários:

Adilson disse...

Boa postagem e boa mensagem.

Creio que a Igreja de nossos tempos está vivendo um tremendo trabalho de parto, parto este muito trabalhosos. Estamos diante de um exército de inimigos no seio da Igreja trabalhando para destruí-la. Fico muito triste quando vejo católicos em cima do muro dizendo coisas do tipo "sempre houve problemas dentro da Igreja". É uma relativização acovardada. Em que momento da História da Igreja houve um organização homossexual e pedófila com amplos poderes e controle sobre a Igreja bem no seio do Vaticano? O que houve? Por acaso não estamos esses pedradores se beneficiando exatamente dessa "misericórdia" e "pacifismo" para continuar atuando e causando ainda mais e mais e mais destruição? Pior: em que momento essa gente perdeu o temor da prática de tão terríveis pecados e abominação? Essa gente, por acaso, não sente nenhum pingo de pavor de confrontar a Igreja desse jeito? Só os demônios que desafiam Deus e ofendem Sua Igreja sem quaisquer resquício de temor. Deus nos socorra!

Pedro Erik disse...

Amém, meu caro. Deus nos socorra!

Anônimo disse...

Realmente um belo texto. E se ele estiver certo, sendo hoje a Igreja de Cristo semelhante ao seu corpo sofredor, devemos estar preparados para sua paixão. Mas sem perder a Esperança na Ressurreição.
Abraço, amigo.
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Verdade, meu amigo. Rezemos pelos que, juntos com a gente, sofrem com o Corpo de Cristo.

Abraço,
Pedro

Isac disse...

Corresponde ao que Cristo Jesus reclamava a S Pio de Pietrelcina das ingratidões dos seus ministros, as piores e mais dilacerantes, os séc XXI imersos no "Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Vós fechais aos homens o Reino dos céus. Vós mesmos não entrais e nem deixais que entrem os que querem entrar. Mt 23,13.
Esse site acompanha a trajetoria do papa Francisco, dos raros, muito atento aos fatos.