quinta-feira, 24 de abril de 2014

João XXIII: Ecumenismo e nome de Impostor como principais qualidades?


Não acredito de maneira nenhuma que a Rome Reports leia meu blog, mesmo porque é escrito em português (um dialeto, como diria Diogo Mainardi) e não tenho tantos leitores. Mas ontem eu fiz uma comentário de que a Rome Reports havia feito dois vídeos para os futuros santos: Papa João Paulo II e Papa João XXIII, e que havia uma grande diferença nestes vídeos. No vídeo para João Paulo II a Rome Reports colocou os 10 feitos dele, para João XXIII apenas a opinião do atual papa.

Parece que a Rome Reports sentiu a pressão (outros devem ter apontado a diferença de tratamento) e resolveu selecionar 8 feitos do Papa João XXIIImas parece-me que não deveriam ter feito isso, não ajudou. Pois a seleção destes 8 feitos (por que não conseguiram fazer 10?) como benéficos ficou muito ruim. Eu teria deixado pelo menos quatro de fora.

Vejamos o vídeo. Traduzo os 8 feitos de João XXIII segundo a Rome Reports, em azul:





Depois de sua eleição para o papado, João XXIII rapidamente se tornou conhecido como o "Papa Bom" pelos cristãos, que trabalharam de perto com ele e o conhecia pessoalmente. Amplamente reconhecido pela convocação do Concílio Vaticano II, João XXIII, também era conhecido por sua caridade que teve durante todo seu pontificado com impacto duradouro sobre a Igreja.

Uma Nova História
O Bom Papa fez mudanças simples, mas importantes. Ele estabeleceu a tradição de recitar publicamente o Angelus da janela do Palácio Apostólico, aos domingos e oferecendo peregrinos uma pequena catequese.

PESSOAL
Como o Papa e bispo, João XXIII sempre quis ser próximo aos fiéis. Ele foi o primeiro papa a sair dos muros do Vaticano para visitar paróquias, hospitais e prisões em Roma. Às vezes ele até escapava da Guarda Suíça para andar pela cidade sozinho.

ÚNICO
João XXIII corajosamente escolheu o nome de um anti-papa do século XV e, ao fazer isso, redimiu o nome. Cardeal Roncalli não tinha medo de levar o nome de um impostor que tinha sido evitado por 500 anos.

PAZ
Durante seu pontificado, João XXIII testemunhou duas guerras mundiais que dividiram o mundo em dois regimes políticos opostos. Ele reconheceu a necessidade de construir pontes de paz e trocou cartas com líderes mundiais como Khrushchev, o líder da União Soviética.

MENSAGENS
Pela primeira vez na história, João XXIII abordou, não só os católicos, mas "todos os homens de boa vontade" em sua carta encíclica "Pacem in Terris ". A encíclica argumentou fortemente contra o uso de um conflito armado como um meio de obter justiça.

REFORMA
Apenas alguns meses depois de sua eleição para o papado, João XXIII anunciou um Consistório para eleger nove novos cardeais, mais da metade deles não eram italianos. Ele nomeou cardeais do Japão, África, Filipinas e Venezuela, oferecendo também uma maior representação dentro da Curia.

VATICANO II
Sem dúvida, a maior obra de João XXIII foi a convocação do Concílio Vaticano II, uma reunião de todos os bispos de todo o mundo para estudar e discutir a situação da Igreja. Um pontífice idoso, considerado um papa de transição, realizou numa das mais profundas mudanças na Igreja nos tempos modernos.

ECUMENISMO
João XXIII trabalhou para aumentar o diálogo entre cristãos e todas as outras denominações, convidando até muçulmanos, índios americanos e membros de várias denominações cristãs como observadores do Concílio Vaticano II. Ele também estabeleceu o primeiro departamento do Vaticano para promover a unidade entre os cristãos.

Em sua morte, multidões gritavam "santidade agora", enquanto eles faziam suas últimas homenagens, um gesto que seria visto novamente anos depois, com a morte de João Paulo II. Ambos os papas continuarão suas histórias comuns enquanto eles são elevados para a santidade juntos neste domingo.

---
O grande frei Clemente Rojão disse que a Igreja é antipolitica. Tenho lá minhas fortes dúvidas.

Rezemos pela Igreja.

2 comentários:

Duddu Pontes disse...

Pedro, boa noite!

Já li, devido aos estudos de minha monografia sobre o CVII, uma biografia sobre João XXIII e, de acordo com a mesma, o homem foi extremamente virtuoso. Um pastor de ovelhas 'a la papa Francisco', humilde, preocupado com os outros e, principalmente, antenado às mudanças dos tempos que viriam, quer queiramos ou não, a afetar a Igreja! Creio que realmente tenha sido o Espírito Santo a soprar em Roncalli pra que ele convocasse o Concílio! Agora, como ele morreu antes de seu fim, não creio que todos os resultados tenham sido o que ele esperava.

Enfim, que SÃO JOÃO XXIII INTERCEDA POR NÓS!

Abraco!

Pedro Erik disse...

Caro Duddu,

Infelizmente, tenho lido muito sobre ele nos últimos dias e racionalmente não consegui me convencer da santidade dele. Mas continuarei estudando o assunto.

Já li gente defendendo seu argumento: o Vaticano II é bom, ruim é o "espírito do Vaticano II".

Mas o Vaticano II não trouxe nenhum dogma novo nem discutiu nenhum, então o que mas sobressai é o chamado espírito.

Como a Igreja o declarou santo (mesmo que seja por razões políticas), eu, humildemente, peço a intercessão dele para que o "espírito do Vaticano II" seja para o benefício da Igreja e não para sua destruição.

Abraço,
Pedro Erik