quinta-feira, 10 de abril de 2014

Quem matou o Padre? O Appeasement da Igreja


Chama-se de "appeasement" a política inglesa de satisfazer os desejos de Hitler para que não houvesse guerra. Bom, não deu certo de maneira nenhuma. A guerra veio, milhões foram mortos e a Inglaterra quase foi destruída.

Esta semana, eu falei aqui de um padre holandês e 13 cristãos que foram mortos na Síria por terroristas islâmicos.

O papa Francisco falou sobre o assunto.

Ele disse que o padre sempre tinha realizado boas obras para todos e por isso "era admirado por cristãos e muçulmanos."

E completou dizendo:

"Sua morte brutal me encheu de profunda dor e me fez pensar novamente das muitas pessoas que sofrem e morrem naquele país torturado, minha amada Síria que há muito tempo é dominada por um conflito sangrento, que continua a gerar morte e destruição. Eu também estou pensando nas muitas pessoas sequestradas, cristãos e muçulmanos, sírios e os de outros países, que incluem bispos e sacerdotes ".

"Do meu coração, peço a todos para se juntarem na minha oração pela paz na Síria e na região, e eu envio um apelo para os responsáveis ​​na Síria e para a comunidade internacional: baixem as armas, acabem com a violência! Não à guerra! Não mais a destruição."

---
Bom, com o discurso do papa não se sabe quem matou o padre e quem seqüestra "cristãos e muçulmanos". A culpa não parece ser nem de cristãos, nem de muçulmanos. Como se os cristãos não fossem os mais perseguidos no mundo, especialmente no Oriente Médio.

Se o mundo conhecia a doutrina de dominação de Hitler antes da Segunda Guerra, a Igreja conhece há mais de 1000 anos a doutrina de dominação islâmica. Quantos santos e mártires são vítimas do Islã na história? Só para dar um exemplo, o último ato de Bento XVI foi beatificar 800 italianos que morreram vítimas de islâmicos.

Quem matou o padre, Igreja Católica?



2 comentários:

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro, Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus,Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor.

Antes de mais nada,meu caro Pedro, devo dar-te os meus parabéns com esse seu mais novo texto,simples,perfeito, racional e lógico!!

Já era esperado essa manifestação políticamente correta do senhor Bergoglio sobre mais esse ataque dessa falsa religião mometana contra um cristão.

E pensar que os anticatólicos no afã de criminalizar a única Religião verdadeira, a católica, costumam fazer uma acusação por associação ao islã quando nos estigmatizam com os epítetos de "fundamentalistas", "radicais" e fanáticos",eles querem dizer que os católicos também matam as pessoas por não serem católicas.O que é uma mentira preconceituosa pois a única Religião verdadeira, ensina que devemos amar os inimigos e orar por eles.Por isso eu sei como ninguém os recursos retóricos que os anticatólicos usam para tentar calar os católicos tíbios e mornos, pois eu era um deles.

O senhor Bergoglio ao se lamentar de forma políticamente correta e ambígua (como sempre) está sendo fiel aos "ensinos" do conciliábulo modernista de Metz.

Mas vamos dizer que algum leitor seu me conteste dizendo que estou deturpando as palavras do bispo da "igreja" conciliar, então, para deixar tudo "preto no branco" (como um leitor seu exigiu quando me acusou de ser "cismático" como os católicos de Écône que salvaram a Sagrada e Eterna Tradição dos aggionamento conciliar), vou citar o Evangelii Gaudium, Exortação Apostólica do bispo Francisco, onde ele diz que o alcorão não manda os "irmãos" muçulmanos praticarem esses atos de violência.No ponto seguinte (nº 253), o bispo da "igreja" conciliar chega a conclusões concretas:

«Nós, cristãos, deveríamos acolher com afeto e respeito os imigrantes do Islão que chegam aos nossos países, tal como esperamos e pedimos para ser acolhidos e respeitados nos países de tradição islâmica». Este número termina com uma afirmação falsa e escandalosa: «Frente a episódios de fundamentalismo violento que nos preocupam, o afeto pelos verdadeiros crentes do Islão deve levar-nos a evitar odiosas generalizações, porque o verdadeiro Islão e uma interpretação adequada do Alcorão opõem-se a toda a violência». O bispo da "igreja" conciliar alguma vez já leu o Alcorão?

Se algum conciliar rasgar as vestes e exigir ainda mais "preto no branco" eu darei mais evidências do que eu falo é a verdade.

In Corde Jesu, semper.




Pedro Erik disse...

Muito obrigado, meu caro Leonardo.

Sobre o Evangelii Gaudium e Islã, eu comentei aqui no blog sobre o que disse o padre Samir. Pesquise por Samir no blog. Vai lhe ajudar.

ICXC NIKA

Abraço,
Pedro Erik