domingo, 25 de outubro de 2015

A Raiva, o Protestantismo, e Erros Teológicos no Discurso do Papa Francisco.


Eu já falei aqui do "livro dos insultos do Papa Francisco", o autor coleciona todos os insultos feitos pelo Papa Francisco. Esse Papa, que a mídia adora chamar de misericordioso, gosta  muito de atacar conservadores com todo tipo de insultos. O discurso dele de fechamento do sínodo tem tantos ataques a conservadores que o autor do livro vai completar um capítulo só comentando esses ataques.

Leiam o discurso vocês mesmos e verão o ódio que exala das palavras do Papa. Um discurso sem nenhuma classe, como denominou o site The American Catholic.

Eu não vou perder meu tempo com esse ódio do Papa Francisco.

Vou me ater a uma passagem que eu chamei no post anterior de puro Protestantismo, marcada em negrito abaixo na parte do discurso dele.

Ele disse:

The Synod experience also made us better realize that the true defenders of doctrine are not those who uphold its letter, but its spirit; not ideas but people; not formulae but the gratuitousness of God’s love and forgiveness. This is in no way to detract from the importance of formulae, laws and divine commandments, but rather to exalt the greatness of the true God, who does not treat us according to our merits or even according to our works but solely according to the boundless generosity of his Mercy (cf. Rom 3:21-30; Ps 129; Lk 11:37-54). 

A passagem é puro Protestantismo, porque diz que Deus desconsidera nossos pecados, nossa santidade, e nossas obras, nos salva apenas por Sua misericórdia. Assim, pecado e santidade não são importantes, o que importa é apenas a misericórdia de Deus. Muitas seitas protestantes dizem isso e liberam para todo tipo de pecado.

Pois, pela lógica, quem não seria salvo então?

Cristo condenou muitos quando esteve entre nós, condenou até São Pedro em certas passagens e sempre mandava os pecadores nunca mais pecar.

Além disso, Cristo não abandonou a lei defendida pelos fariseus, ele melhorou e até aprofundou como no caso do casamento. Cristo condenou o comportamento dos fariseus e não a lei que eles defendiam.

Mas vou comentar as passagens que o Papa usa para fundamentar suas palavras que dizem que Deus usa somente pela sua misericórdia, e não se o homem pecava ou não, ou fazia coisas boas ou não.

A primeira é de Romanos 3:21-30, e não tem nada a ver com o que disse o Papa, nem fala de misericórdia de Deus, mas da graça de Deus a todos, pagãos e judeus. No caso, São Paulo defende a lei dos judeus mas exalta a importância da fé em Cristo que é dada a todos e não apenas aos judeus. É um discurso aos judeus. Eu vou adicionar o versículo 31, excluído pelo Papa, vejamos (fonte Bíblia de Jerusalém):

21 Agora, porém, independentemente da Lei, se manifestou a justiça de Deus, testemunhada pela Lei e pelos Profetas,
22 justiça de Deus que opera pela fé em Jesus Cristo, em favor de todos os que crêem — pois não há diferença,
23 sendo que todos pecaram e todos estão privados da glória de Deus —
24 e são justificados gratuitamente, por sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus:
25 Deus o expôs como instrumento de propiciação, por seu próprio sangue, mediante a fé. Ele queria assim manifestar sua justiça, pelo fato de ter deixado sem punição os pecados de outrora,
26 no tempo da paciência de Deus; ele queria manifestar a sua justiça no tempo presente para mostrar-se justo" e para justificar aquele que é pela fé em Jesus.
Papel da Fé —
27 Onde está, então, o motivo de glória? Fica excluído. Em força de que lei? A das obras? De modo algum, mas em força da lei da fé.
28 Porquanto nós sustentamos que o homem é justificado pela fé, sem as obras da Lei.
29 Ou acaso ele é Deus só dos judeus? Não é também dos gentios? É certo que também dos gentios,
30 pois há um só Deus, que justificará os circuncisos pela fé e também os incircuncisos através da fé. 31 Então eliminamos a Lei através da fé? De modo algum! Pelo contrário, a consolidamos.


O Salmo 129 (o salmo tem uma contagem que depende da Bíblia, tenho impressão que é esse 130(129), pois o 129 (128) não tem nada a ver) fala da misericórdia de Deus diante de tantos pecados de Israel. O que o Salmo quer dizer é que pelos pecados todos estarão no Inferno, a misericórdia de Deus nos salva. É verdade, mas é bem diferente de dizer que Deus não sofre com os pecados e não é louvado pela santidade humana, como o Papa disse. Vejamos:

SALMO 130 (129)

Das profundezas clamo a ti, Iahweh: 2 Senhor, ouve o meu grito! Que teus ouvidos estejam atentos ao meu pedido por graça! 3Se fazes conta das culpas, Iahweh, Senhor, quem poderá se manter? 4Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. 5Eu espero, Iahweh, e minha alma espera, confiando na tua palavra; 6minha alma aguarda o Senhor mais que os guardas pela aurora.Mais que os guardas pela aurora 7aguarde Israel a Iahweh, pois com Iahweh está o amor, e redenção em abundância: 8ele vai resgatar Israel de suas iniquidades todas.

No evangelho São Lucas 37-54, Cristo critica quem se esconde por meio de lei práticas mas carrega muito pecado dentro do coração. Em suma, Cristo condena o pecado e não exalta a misericórdia de Deus. E Ele não condena a lei judia, mas sim os fariseus hipócritas que conhecem e pregam a lei mas não a cumprem. Vejamos:

37 Enquanto falava, um fariseu convidou-o para almoçar em sua casa. Entrou e pôs-se à mesa.
38 O fariseu, vendo isso, ficou admirado de que ele não fizesse primeiro as abluções antes do almoço.
39 O Senhor, porém, lhe disse: "Agora vós, ó fariseus! Purificais o exterior do copo e do prato, e por dentro estais cheios de rapina e de perversidade!
40 Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior?
41 Antes, dai o que tendes em esmola e tudo ficará puro para vós!
42 Mas ai de vós, fariseus, que pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus! Importava praticar estas coisas sem deixar de lado aquelas.
43 Ai de vós, fariseus, que apreciais o primeiro lugar nas sinagogas e as saudações nas praças públicas!
44Ai de vós, porque sois como esses túmulos disfarçados, sobre os quais se pode transitar, sem o saber!"
 45 Um dos legistas tomou então a palavra: "Mestre, falando assim, tu nos insultas também!"
46 Ele respondeu: "Igualmente ai de vós, legistas, porque impondes aos homens fardos insuportáveis, e vós mesmos não tocais esses fardos com um dedo sequer!
47 Ai de vós que edificais os túmulos dos profetas, enquanto foram vossos pais que os mataram!
48 Assim, vós sois testemunhas e aprovais os atos dos vossos pais: eles mataram e vós edificais!
49 Eis por que a Sabedoria de Deus" disse: Eu lhes enviarei profetas e apóstolos; eles matarão e perseguirão a alguns deles,
50 a fim de que se peçam contas a esta geração do sangue de todos os profetas que foi derramado desde a criação do mundo,
51 do sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que pereceu entre o altar e o Santuário. Sim, digo-vos, serão pedidas contas a esta geração!
52Ai de vós, legistas, porque tomastes a chave da ciência! Vós mesmos não entrastes e impedistes os que queriam entrar!"
53 Quando ele saiu de lá, os escribas e os fariseus começaram a persegui-lo terrivelmente e a cercá-lo de interrogatórios a respeito de muitas coisas,
54 armando-lhe ciladas para surpreenderem uma palavra de sua boca.


Em suma, nenhuma citação usada pelo Papa apoia o argumento dele de que somente a misericórdia é importante. Nem podia apoiar, pois cristianismo não é isso.


3 comentários:

Ricardo DA SILVA LIMA disse...

O Papa Francisco continua com os seus "deslizes" doutrinários. Os quais, na minha falha opinião, não são deslizes coisa nenhuma.

Infelizmente.

Pedro Erik disse...

Caro Ricardo,

Depois de dois gênios teólogos, João Paulo II e Bento XVI, papa Francisco é bem fraco. Não é nada difícil mostrar seus erros. Ele inclusive já falou como ele despreza teólogos. Não lembro quem falou, mas há uma frase que diz que se despreza aquilo que somos fracos. É a história das uvas e da raposa.

Infelizmente isso tudo é verdade. O pior é ve-lo incentivar o erro de forma tão agressiva.
Abraço,
Pedro Erik

Vic disse...

Não estou nem um pouquinho surpreso, nem de fé abalada, nada, nada; achei que o Sínodo anterior teria sido para preparar a nós para o queria o próximo!
Notou que em nenhum lugar citou Jesus Cristo como o Sumo Bem e de quem vêm todos parãmetros para seguirmos?
A Igreja em si é a extensão do Corpo de Cristo e não alicerçada em humanos santos ou Judas que apareceram nesses 2000 anos; somos os membros e que membros de uma 2015ª de classe malvada!