quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Educação no Ocidente, no Estado Islâmico e a Civilização da Idade Média


Muitos dizem que vivemos o "mundo moderno", no sentido que nosso mundo é mais avançado que o passado. Desprezamos o passado. Nós seríamos melhor, mais sábios. Até a Igreja Católica acha que é "arcaico" o que foi definido pelos seus santos e doutores e até pelo próprio Cristo.

Pois é, mas hoje eu li as seguintes notícias:

1) Pesquisa nos Estados Unidos entre os estudantes mostra que os estudantes estão se sentido oprimidos pela ditadura "politicamente correto". A maioria silencia sobre suas crenças e opiniões com medo de serem condenados pelo "politicamente correto" dos professores. E apesar disso, eles não sabem que podem denunciar essa ditadura, pois grande parte dos estudantes dos EUA nem sabe o que é a Primeira Emenda da Constituição Americana. Não sabem que esta Primeira Emenda defende a liberdade religiosa e a liberdade de expressão. O ensino americano (e ocidental) vive o Estado Islâmico do Politicamente Correto.

Falando em Estado Islâmico, li também sobre a educação infantil no Estado Islâmico.

2) O Estado Islâmico eliminou história, filosofia, música e matemática do ensino das crianças e promove chicotadas para quem se desviar do ensino islâmico.

E o mundo ocidental continua falando muito mal da Idade Média diz que é a idade das trevas.

Vejamos o vídeo abaixo no qual o professor Anthony Esolen conta o que tinha na Idade Média, não era nada de trveas e sim de muita luz e ensino. Época de criação das universidades, da notação musical, das igrejas góticas (nada mais bonito que uma igreja gótica), da Divinda Comédia de Dante (ainda hoje o melhor poema que o homem foi capaz de compor)... E eles, na Idade Média, não, não acreditavam que a terra era quadrada, sabiam que era redonda há séculos.





 

2 comentários:

Anônimo disse...

Pedrão, as escolas japonesas (e depois sul-coreana e agora chinesa) são vistas como modelo de eficiência por vários escritores no ocidente, geralmente de origem protestante e mesmo católicos conservadores, em blogues, revistas e afins. Logicamente a mídia e intelectuais progressitas são contra, acham que é autoritária, automática e tal....
Mas esquecem que estas escolas não existiam antes da segunda guerra mundial, elas foram feitas sob um curriculo que já existia em muitos bons colégios ocidentais.....católicos e protestantes reformados!
Em colégios de freira, até recentemente, os antigos internatos, o padrão de conduta e ensino era bem próximo aos colegios padrão japoneses. As "crianças" eram obrigadas a arrumar seu ambiente desde cedo, a educação era rigida e tinham uma boa formação humana coligada com formação técnica.
Hoje, no Braisl, o que sobrou dessa educação clássica se encontra em colégios militares, pois a educação católica tradicional e seus colégios praticamente desapareceram, pois o custo é alto e são obrigados a rezar a cartilha estatal....
O resultado do fim dos grandes colégios católicos no Brasil é igual a burrice do Marques de Pombal com a expulsão dos jesuítas.....
A educação brasileira estatal é péssima, sinceramente, se os pais que são obrigados a deixar seus filhos nas escolas públicas não tomarem uma ou duas horas por dia de estudo em casa e não cultivarem o hábito da leitura, correm o risco de estar abandonando o filho em uma fábrica de delinquentes juvenis semi analfabetos.

Pedro Erik disse...

Ótimo comentário, amigo. Muito obrigado

Abraço,
Pedro Erik