quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Irã, Rússia e China vão Fazer Exercícios Militares Juntos


Eles dizem que querem mandar uma "mensagem ao mundo", em especial ao Ocidente e especificamente aos Estados Unidos, ao juntar as forças armadas em treinamentos militares.

Bom, talvez a gente possa encaminhar a mensagem ao Papa Francisco, que está querendo proibir armas nucleares no Catecismo.

Rússia e China são potências nucleares e o Irã deseja ser.

Vejam a notícia sobre isso clicando aqui 


2 comentários:

Adilson disse...

Ao contrário do que os milhares de jornalistas imbecilizados acreditam, russo, chineses e muçulmanos acompanham e estudam atentamente os acontecimentos no Ocidente; ainda mais agora, com o poder de informações que a INTERNET possibilita: a mente dessa gente é poderosa em matéria de orquestrar suas ações voltadas para a conquista de poder. Eu acredito nisso, e há anos me dei conta disso.

Por exemplo, eles sabem que em matéria de liderança religiosa cristã o Ocidente está quebrado e potencialmente vulnerável: eles já perceberam que há um ESQUERDISTA e IMBECILIZADO sentado no trono de São Pedro. E isso significa, também, que esse mesmo homem sentado no Trono de São Pedro DESPREZA a tradição dos grandes sábios católicos do passado, a ponto de HOSTILIZAR o conservadorismo, pois tem uma mentalidade semelhantes a dos revolucionários, que é o desprezo pela verdade e pela FORÇA DE CARÁTER: o sim, sim e não, não que o PAPADO da Igreja sempre praticou.

Portanto, conjecturando, creio que esses inimigos do Ocidente já devem ter concluído: "embora os EUA tenham um presidente FORTE e pró o NACIONALISMO americano, temos um papa que é inimigo dos EUA e que anda de braços dados com aqueles que financiam as LOUCURAS e a DESTRUIÇÃO no Ocidente. Logo, esse é um grande momento para unir forças e avançar contra o Ocidente."

Minha conclusão: diante dessa noticia trazida pelo BLOG, eu acho que o atual momento do Ocidente se assemelha aquele momento da história no século V, quando os bárbaros intensificaram as invasões lá no norte da África, quando Roma estava aos frangalhos. A única diferença é que, no caso do norte da África, a Igreja ainda tinha homens grandes em fé e em sabedoria, como santo Agostinho, para confortar os católicos.

Posso tá exagerando, mas é isso que me vem a cabeça, pois já é fato: NÃO TEMOS UM PAPA CATÓLICO para socorrer a Igreja.

Pedro Erik disse...

Exato, meu caro. Obrigado pelo ótimo comentário.

Abraço