sábado, 11 de fevereiro de 2012

Graças a Deus: Igreja Católica não é uma Democracia.

-

Atualmente, os Estados Unidos vive uma guerra histórica entre Obama e a Igreja Católica. Já expliquei o caso aqui no blog. O governo Obama quer que todas as instituições (inclusive religiosas) forneçam métodos contraceptivos e abortivos para seus empregados. Os hospitais e escolas católicos teriam que ir de encontro a doutrina católica e prover remédios para abortos para seus empregados. A Igreja Católica reagiu. 90% dos bispos do país leram uma carta durante a missa dizendo que o que Obama queria era uma afronta a liberdade religiosa.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe biden, que é católico, disse até que ia pedir para Obama rever o caso. Mas Obama não deu ouvidos. Ontem, Obama disse que ia acalmar os ânimos sugerindo uma pequena mudança. As instituições católicas não iria pagar pelos métodos, mas as seguradoras sim. Isto é, os empregados de instituições católicos continuam tendo acesso a métodos abortivos, mas a Igreja não iria pagar nos prêmios dos seguros. Isto é, quem trabalhasse nas instituições continuavam tendo acesso a produtos condenados pela Igreja, justamente por serem empregados dessas instituições. A USCCB (a CNBB de lá) não aceitou e declarou que continua condenando o governo Obama por atacar a liberdade religiosa.

Uma das grandes argumentações do governo Obama e de muita gente nos Estados Unidos (até mesmo de católicos) é de que a grande maioria das mulheres católicas já usa métodos contraceptivos e abortivos, então a Igreja deve aceitar. Essa argumentacão é uma grande bobagem, pois a Igreja tem sua doutrina que não depende do número de pessoas que as segue.

Isto é a Igreja, graças a Deus, não é uma democracia.


Quem escreveu muito bem sobre isso foi o blog Peter's Barque (A Barca de Pedro)

Leiam todo o texto do Peter's Barque, mas aqui vai algumas partes traduzidas:

Um dos argumentos que a administração Obama tem jogado ao defender a decisão do Orgão de Saúde HHS é que mais de 90% das mulheres católicas têm usado ou estão usando contraceptivos, e tiveram abortos. Usando essa estatística, o HHS está dizendo a Igreja Católica que, uma vez que tantos católicos já estão desafiando a proibição da Igreja sobre estas duas questões, não há realmente nenhum problema de consciência, e que é hora da Igreja assumir a realidade da vida e remover as proibições sobre a contracepção artificial e o aborto. É hora de a Igreja abandonar a filosofia ultrapassada e apoiar as próprias pessoas que Ela se propõe a servir em vez de aliená-los.

Achar que empurrar essa idéia de que tantos católicos desafiam a Igreja sobre o aborto e contracepção é a única razão para a Igreja abandonar sua missão e papel neste mundo é tão espantosamente ignorante que é incompreensível. Aqui vai uma notícia: A Igreja Católica, ao manter e defender a Tradição Apostólica e os ensinamentos que foram passados ​​para nós desde o primeiro século, está servindo ao seu povo.

Se a Igreja nunca abandonar a Tradição Apostólica, em seguida, ela não seria mais a Igreja Católica. Ela seria apenas mais uma criação feita pelo homem que com o tempo iria se dissolver na obscuridade. Há uma razão pela qual Ela existe há dois mil anos e é precisamente porque ela não é uma instituição criada pelo homem, mas por Cristo, e é por isso que a Igreja não pode abandonar suas doutrinas e tradições. Ela não pode. É muito simples. E é isso que a maioria daqueles que se opõem à posição da Igreja sobre o aborto e a contracepção não podem ou não querem entender.

Outra coisa que muitos não-católicos e os esquedistas não entendem sobre a Igreja é que ela não é uma democracia. A Igreja não pode simplesmente colocar em votação essas proibições sobre a contracepção e o aborto. Crenças católicas não são determinadas pelo voto do povo, nunca foram, e agradeço a Deus por isso. O que a Igreja crê e passou para seus povos ao longo dos tempos, é o que foi ensinado desde o tempo dos Apóstolos e a Igreja não pode alterar nenhum dos ensinamentos, semelhante ao que o Papa João Paulo II respondeu quando confrontado sobre a ordenação de mulheres, ele simplesmente disse que não pode ser feito. A Igreja não tem o poder ou autoridade para mudar a Verdade e a Tradição como ensinado por Cristo aos seus apóstolos e os apóstolos a seus sucessores, os bispos de hoje.

Podemos encontrar alguns bispos e clérigos desafiandoa Igreja em vez de defendê-la, mas a responsabilidade recai sobre eles, não sobre a Igreja Católica. Desde a época de Judas Iscariotes, sempre houve e sempre haverá pessoas dentro da Igreja que desafiam a sua autoridade. Mesmo que todos os fiéis abandonassem a Igreja, a Igreja não teria nenhuma medida, a não ser continuar a ensinar a verdade como ela tem sido transmitida a Ela, sem falhar. Essa é a missão divina da Igreja.

A partir dos documentos mais antigos da Igreja do primeiro século, o aborto e a contracepção foram sempre considerados e ensinados a ser pecados mortais. Isso não é algo que a Igreja inventou quando o Papa Paulo VI deu ao mundo Humane Vitae. Ele confirmou e defendeu dois mil anos de Verdade. Ele simplesmente não poderia fazer o contrário. Ele não estava em seu poder para fazê-lo. Mesmo se quisesse permitir que este mal dentro dos ensinamentos da Igreja, ele não poderia ter feito isso. O Espírito Santo não teria permitido. O Espírito Santo, o protetor e guia da Igreja, não permitiria erro de entrar na Igreja. Apesar de todos os papas ruins e anti-papas que ocuparam a Cátedra de Pedro, o Espírito Santo nunca permitiu qualquer um deles ensinar o erro doutrinário.

Parabéns ao autor do blog Peter's Barque. Sensacional.

2 comentários:

The Ordinary Catholic disse...

Thank you Erik for linking my essay here in your blog. I appreciate since I feel many Catholics and non-Catholics need to know what our Church truly is.

The Ordinary Catholic, Peter's Barque

Pedro Erik disse...

Many thanks, for your message,
Ordinary Catholic. I feel honored.

You have a great blog, I hope Brazilians follow you. Here, we strongly need to know Catholicism. As John Paul II used to say, Brazilians are culturally Catholic, we need be Catholics.

Hail Mary to you and your family.

Best always,
Pedro Erik