quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Dia Movimentado na Política dos Estados Unidos

-

Uma ex-mulher que quer detonar um candidato a presidência e outro candidato que abandona a corrida presidencial para apoiar este outro da ex-mulher.

Bom, o candidato Newt Gingrich, que está em segundo lugar nas pesquisas, casou três vezes. Nas duas primeiras, ele traiu a mulher. A segunda mulher, Marianne Gingrich, deu uma entrevista que deve ir ao ar hoje, dizendo que Gingrich queria um "casamento aberto", mantendo a mulher e a amante. Isto pode destruir a carreira de Gingrich. Ele se converteu ao Catolicismo apenas no ano passado, mas costuma falar em caráter e santidade do casamento. A foto acima mostra Gingrich com Marianne.

Um blog nos Estados Unidos disse em tom de brincadeira que "o inferno não tem tanto ódio quanto uma mulher traída". Além disso, Marianne já foi a amante, não é flor que se cheire. Então, deve-se ter cuidado em tomar como certo o que ela diz, mas o histórico de Gingrich não ajuda. 

A outra notícia é de Rick Perry que ao que tudo indica está abandonando a corrida para presidência para apoiar justamente Gingrich. Talvez Perry tenha escolhido o dia e o candidato errados.

Não sei como isso vai repercutir. O primeiro colocado nas pesquisas, Mitt Romney, está também em um mal momento, pois foi mal no último debate e está sendo atacado por ser muito rico (apesar de muitos candidatos do partido democrata de Obama serem até mais ricos que ele) e por não querer mostrar a declaração do Imposto de Renda.

Não sei se isso tudo vai ajudar meu candidato, Rick Santorum (em terceiro lugar nas pesquisas), talvez apenas consolide a vitória de Romney.

Vamos ver.

2 comentários:

maisvalia disse...

A realidade meu caro Pedro Erik é que a não ser que ocorra um forte terremoto politico, o Romney será o adversário do hussein.
Abs

Pedro Erik disse...

Acho que é verdade, maisvalia. Dificilmente, Romney perderá. Mas se a declaração do IR dele estiver muito problemática, ele pode dançar.

Ele quer mostrar a declaração apenas em abril, depois de eleito candidato pelo Partido Republicano. Mas a pressão está grande.

Abraço,
Pedro Erik