segunda-feira, 30 de abril de 2012

Energia Eólica Provoca Aquecimento !

-


Que loucura, depois ambientalistas dizem que este negócio de temperatura global é uma questão resolvida na ciência. A Reuters noticia hoje que uma pesquisa nos Estados Unidos apontou que manter geradores de energia eólica tem o efeito de aquecer a região.

E pensar que no Brasil é o estado Ceará um dos que mais usam energia eólica. O Ceará não está precisando de aquecimento mesmo.

Diz o texto da Reuters (traduzido em azul):

Grandes parques eólicos podem ter um efeito de aquecimento no clima local, uma pesquisa  nos Estados Unidos mostrou isso no domingo, lançando uma sombra sobre a sustentabilidade a longo prazo de energia eólica.
O dióxido de carbono e outros gases-estufa pela queima de combustíveis fósseis contribui para o aquecimento global, o que poderia levar ao derretimento de geleiras, elevação do nível do mar, a acidificação dos oceanos, quebra de safra e outros efeitos devastadores, dizem cientistas.
Em um movimento para cortar essas emissões, muitas nações estão caminhando para fontes mais limpas de energia como a energia eólica.
 
Parques eólicos do mundo no ano passado produziram 238 gigawatts de eletricidade a qualquer momento. Esse foi um aumento de 21 por cento em 2010 e capacidade deverá atingir cerca de 500 gigawatt até o final de 2016. 

Pesquisadores da Universidade Estadual de Nova York, em Albany, analisaram os dados de satélite de áreas em torno de grandes parques eólicos no Texas, onde quatro das maiores fazendas do mundo estão localizados, durante o período de 2003 a 2011.
Os resultados, publicados na revista Nature Mudanças Climáticas, mostraram uma tendência de aquecimento de até 0,72 graus Celsius por década em áreas sobre as fazendas, em comparação com regiões próximas, sem as fazendas.
"Atribuímos esse aquecimento principalmente para parques eólicos", afirma o estudo. A mudança de temperatura pode ser devida aos efeitos da energia gerada pelos parques e pelo movimento e turbulência gerados por rotores de turbina, disse.
"Essas mudanças, se espacialmente grande o suficiente, podem ter impactos notáveis ​​em local a tempo e clima regionais," disseram os autores.

Graças a Deus, o mundo parece que está acordando para esse negócio de aquecimento global e começando a por em dúvida todos os fatores.

Na semana passada, o próprio James Lovelock (pai da teoria da Gaia, que trata o Planeta como uma divindade), disse que há muito exagero neste negócio de aquecimento global. Ele ainda disse que não é mais uma alarmista e que Al Gore (do filme Verdade Inconveniente) está errado.

 

(Agradeço a noticia da pesquisa ao site Weasel Zippers)

domingo, 29 de abril de 2012

A Psicologia dos Muçulmanos

-


O psicólogo Nicolai Sennels analisou 150 muçulmanos e 100 dinamarqueses em uma prisão da Dinamarca, tentando explicar a maior tendência para violência dos muçulmanos. Sete entre 10 presos nas prisões para jovens na Dinamarca são imigrantes, e quase todos eles foram criados em famílias muçulmanas. Os oito primeiros criminosos mais perigosos do país são imigrantes de países muçulmanos. A pesquisa foi publicada em um livro e ele ainda fez um relato para outro livro, ambos escritos em dinamarquês (capa do segundo livro acima). Ele traduziu o relato para inglês e publicou no site Jihad Watch.

Ele concluiu que há fortes diferenças psicológicas entre os muçulmanos e não muçulmanos. Também é claro para ele que a cultura muçulmana torna mais provável a formação de um criminoso e a exibição de comportamento anti-social. Sennels argumentou que é preciso reconhecer as diferenças psicológicas entre muçulmanos e ocidentais se quisermos compreender a integração fracassada de muçulmanos no Ocidente e as suas consequências cada vez mais problemáticas. 

Vou traduzir aqui o que Sennels identificou como as diferenças psicológicas entre muçulmanos e ocidentais:

a) Uma diferença muito grande entre muçulmanos e ocidentais diz respeito as suas opiniões sobre a raiva. Na cultura ocidental, a raiva é geralmente vista como um sinal de fraqueza e falta de controle e bom estilo. Por outro lado, os clientes muçulmanos vêem a tendência ocidental para negociação durante os conflitos sociais como sinal de fraqueza. Eles pensam que a falta de prontidão para usar ameaças e se envolver em uma briga física como um sinal de medo.


b) Outra grande diferença entre muçulmanos e ocidentais diz respeito as suas opiniões sobre honra. Nas sociedades ocidentais, vemos isso como um sinal de força, autenticidade pessoal e uma atitude honrosa, se somos capazes de enfrentar críticas com uma atitude calma e clara. Por outro lado, o conceito muçulmano de honra situa-se na outra extremidade da escala: o que nós, no Ocidente, categorizamos como uma resposta insegura e infantil às críticas é visto pelos muçulmanos como uma reação justa e honrosa aos insultos injustos.

c) Uma terceira diferença psicológica diz respeito ao chamado "locus de controle", a idéia de responsabilidade pessoal.  Nas sociedades ocidentais nos dizem que nós mesmos somos os principais responsáveis ​​por nossas vidas.  Os clientes muçulmanos de Sennels pensam que as fontes para o seu sofrimento são fatores externos: uma sociedade injusta e autoridades
não-islâmicas são os bodes expiatóriosmais comuns.

d) A quarta característica muito importante, diz respeito a identidade muçulmana. Enquanto a igualdade e a tolerância são promovidas como alguns dos nossos valores fundamentais nas sociedades ocidentais, há uma discriminação muito forte entre muçulmanos e não muçulmanos entre os muçulmanos. Entre os seus 150 clientes muçulmanos, muitos são de segunda ou terceira geração de imigrantes na Dinamarca. Mas, no máximo, um punhado sentiram que eram dinamarqueses. A maioria deles se viam como marroquinos, paquistaneses e somalis, etc.

e) Os homens muçulmanos são contadas a partir do nascimento que, como um muçulmano,  eles são seres humanos melhores, aos olhos de tanto de outros muçulmanos e Alá. Eles também aprendem por meio de palavras e tradições culturais que eles são melhores do que as mulheres muçulmanas. A supressão das mulheres não apenas prejudica as mulheres. Ele também tem sérios efeitos negativos sobre o desenvolvimento psicológico dos homens. Sem querer ou ser capaz de se abrir para o mundo emocional de mulheres deixa os homens menos maduros, menos capazes de lidar com seus sentimentos de forma construtiva, e também prejudica a sua sexualidade.


Estas são as principais diferenças psicológicas identifcadas por Sennels, mas recomendo a leitura de todo o artigo. 

 

sábado, 28 de abril de 2012

"Ele é cego, a Noite não significa nada para ele"

-


Este blog saúda a fuga de Chen Guangcheng de sua prisão domiciliar na China. Chen é um advogado cego que luta contra a política de filho único da China (esterilizações forçadas, abortos e prisões de quem não segue esta política).

Já falamos dele aqui no blog três vezes: aqui, aqui e aqui.

Hoje o mundo acordou sabendo que Chen fugiu de sua prisão domiciliar no vilarejo de Dongshigu — província de Shandong, no período da noite e supostamente estaria na embaixada dos Estados Unidos.

O Chen  gravou um vídeo no qual confirmou sua fuga e fez um apelo ao premiê Wen Jiabao. “Não foi nada fácil, mas finalmente eu escapei. Todas as histórias contadas na internet sobre o tratamento brutal que eu e minha mulher termos recebido são certas”. Chen denunciou que sua mulher já foi capturada dentro de casa, jogada ao chão e envolta em um cobertor, para ser espancada por horas. Também alegou que ele próprio e a mãe foram alvos de ataques. “Se o senhor levar a cabo uma investigação detalhada e se revelar a verdade, as pessoas o agradecerão. Mas se seguir ignorando tudo, o que a gente pensará?”

O New York Times trouxe a história e uma linda frase do artista chinês Ai Weiwei, também perseguido pelas autoridades chinesas, e que também enfrenta prisão domiciliar:

“You know he’s blind, so the night to him is nothing, I think that’s a perfect metaphor.”  (Você sabe, ele é cego, a noite não significa nada para ele. Eu acho que isto é uma metáfora perfeita).

Realmente, a noite, período de sofrimento e dor, não venceram a força de Chen Guangcheng. E agora, será que o mundo, especialmente os Estados Unidos, enfrentará o dragão chinês que prende e mata seus dissidentes?


Alvorecer - O Filme

-

Cinco jovens aparentemente deixam uma festa pela manhã e pegam um carro. Eles vão se acidentar. Tudo vai mudar para eles e para um padre que passa a caminho da Igreja para realizar a missa.

É o filme espanhol Alba (que em português seria Alvorecer e que no filme é o nome de uma garota).

O filme é produzido pela produtora Contra Corriente em colaboração com a diocese da cidade de Rodrigo na Espanha.

Interessante uma diocese fazendo filmes e mostrando o ponto de vista de um padre e daqueles que esperam pela missa. O ponto de vista dos jovens é mais comum nos filmes, mas não o que aparece em Alba: jovens pedindo perdão.

Vejam o trailer abaixo.



É um filme simples e curto (22 minutos) e pode ser totalmente assistido no youtube. Parar assistir clique aqui.


(Agradeço a indicação do filme ao Rome Reports)

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Padre Espanhol: "Viver como Gay é Viver no Inferno"

-

O padre espanhol Juan Antonio Reih Plá fez um sermão na sexta-feira santa no qual, referindo-se a vários tipos de comportamento malígnos, incluindo adultério e roubo, ele acrescentou o comportamento homossexual à lista. Com relação a cada exemplo de pecado, o bispo falou do ato em si, e a consequente destruição da alma. Com relação ao comportamento homossexual, Reig Pla, disse:  

"Não se deve corromper as pessoas, nem mesmo com mensagens falsas. Eu gostaria de dizer uma palavra para essas pessoas levadas por tantas ideologias que acabam deixando de orientar adequadamente a sexualidade humana. Eles pensam que desde a infância eles tiveram uma atração para pessoas do mesmo sexo e, às vezes, para provar isto, eles se tornam corruptos e se prostituem em boates homossexuais. Garanto-vos que eles vão se encontrar no inferno. "

A partir daí houve ataques de grupos de homossexuais. O padre deu uma entrevista em seguida e confirmou sua posição e ainda disse que o comportamento homossexual pode ser curado. Ele disse:

"Há um programa calculado de desconstrução que é tolerado em todos os cenários (em educação desde os primeiros estágios da infância, em parte dos meios de comunicação, no trabalho e lazer, etc), que inclui também a promoção e proteção de grande número de leis malígnas e alguns grupos de lobby poderosos  determinam o que é politicamente correto, e, portanto, socialmente aceitável
 
Com base nesses fatores, muitas crianças, adolescentes e adultos estão cada vez mais convidados a questionar sua identidade sexual, e, eventualmente, eles são convidados a" verificar e provar suas" preferências sexuais  e alguns caem na armadilha.

Aqueles de nós, sacerdotes que sabem sobre a vida privada das pessoas, ouvindo e ajudando os fiéis que o solicitam, sabemos que as conseqüências para muitas pessoas são sofrimento e destruição, isto é, coloquialmente falando, é um 'inferno' em suas vidas."


Os ataques ao padre continuaram. Entao, ele decidiu liberar alguns depoimentos de pessoas que tentaram atos homossexuais, para mostrar o sofrimento delas. 

Obviamente, ele não liberou o nome das pessoas apenas os depoimentos. E eles mostram realmente uma vida no inferno. Vejam alguns depoimentos:

"Eu tinha 18 anos quando me tornei atraído pela primeira relação com o mesmo sexo", escreveu uma mulher de 22 anos. "Tudo começou por curiosidade, e fazer algo diferente, mas acabou em um mar de confusão Infelizmente, o psicólogo da minha universidade me incentivou a me aceitar como eu era, porque "eu nasci assim". "Ela afirma que, embora ela tenha se confessado e feito um trabalho com um grupo de freiras, ela ainda sentiu "vazia e sozinha."

Depois de um relacionamento abusivo e obsessivo com outra lésbica, a mulher diz que finalmente encontrou a ajuda que ela precisava de uma organização católica chamada "Esperança é Possível", que apoia os homossexuais em sua busca para superar o estilo de vida gay.   

Um homem de 18 anos escreve:


"Efetivamente, atração pelo mesmo sexo tem sido, para mim, um inferno. Porque a tendência homossexual não consiste apenas da atração, mas por trás dele estão escondidos de uma série de fatores e feridas que condicionaram essa tendência. Eu sofri a rejeição dos meus colegas quando eu era pequeno. Eu não tinha amigos. Na escola eles me intimidaram, eu era ruim em esportes ... isso me fez desenvolver sentimentos de inferioridade, solidão, auto-piedade, tristeza, ansiedade, confusão, e por se sentir diferente das outras crianças. Além disso, eu desenvolvi uma forte dependência à masturbação e pornografia, com a qual fugi da realidade. Eu tinha baixa auto-estima e eu não me respeitava. Isso é um inferno.

"No entanto, desde que eu comecei a trabalhar para escapar que da atração pelo mesmo sexo, minha vida mudou drasticamente. Comecei a lutar contra os sentimentos de auto-piedade, negatividade, e a mentalidade de vítima." Ele diz que começou a participar de esportes e forçar-se fora de seu isolamento social, fazer amigos e aprender a ver outros homens de uma forma realista, "sem idealizar," que muitas vezes levou sua atração por "desaparecer".


O padre Reig Pla tem recebido apoio de muitos indivíduos e organizações, de acordo com seu website, incluindo a Federação Internacional de Associações Médicas Católicas, o Fórum da Família espanhola, a União Católica de repórteres e jornalistas da Espanha, e o Congresso Mundial das Famílias.
 

(Agradeço o assunto ao site Pew Sitter)

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Egito: Sexo com Mortos e Casamento com Crianças

-

O site Al-Arabiya News noticia hoje que o parlamento egípcio, agora dominado por islamistas (como são chamados aqueles que procuram seguir o Islã de forma estrita), discute duas leis: a primeira permite que homens façam sexo com suas esposas mesmo após seis horas da morte delas e a segunda aprova o casamento com crianças, o que já é legal em muitos países islâmicos (como mostra a foto acima).

Associações de mulheres temem a aprovação das leis, argumentando que prejudicaria o desenvolvimento do país, pois as mulheres não teriam acesso ao emprego e à educação.

O projeto de lei que permite sexo com  mortos se chama "Sexo de Despedida" (!).

A maioria das constituições dos países islâmicos são sujeitas à lei islâmica Sharia. A Sharia é baseada no Alcorão e no Hadith (tradição dos feitos e palavras de Maomé). Mas como nem o Hadith nem muito menos o Alcorão conseguem responder a todos os assunto legais, a Sharia é matéria de interpretação e jurisprudência (chamada de fiqh). Vários líderes religiosos tentam interpretar a Sharia e assim estabelecer leis.

A idéia de que o Islã permite o casamento com mortos veio de um líder religioso, interpretando os textos sagrados do Islã.

No caso do casamento com crianças, o Alcorão e o Hadith são bem claros no momento em que o próprio Maomé casou-se com uma criança de seis anos, consumando o casamento quando ela tinha nove anos.Na semana passada, o Irã alegou que o fato de um diplomata no Brasil estar acariciando crianças na piscina de um clube de Brasília era apenas um problema cultural. Não é bem cultural, é religioso mesmo.

Então, entendo a argumentação das associações de mulheres baseada no desenvolvimento do país, e não atacando a Sharia (há medo de retaliação), mas a Sharia vai continuar por aí justificando o casamento com crianças. Não há nada no texto do Al-Arabiya dizendo que as mulheres condenam o sexo entre um vivo e um morto.


(Agradeço a indicação do artigo do Al-Arabiya ao site Jihad Watch. O jornal inglês Daily Mail também fala das leis egípcias hoje)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

De 0 a 12 anos - Um Filme de um Pai

-

O cineasta Frans Hofmeester se tornou pai, ficou fascinado (como é normal), e resolveu bater fotos semanais de sua filha Lotte de 0 a 12 anos. Ficou Sensacional. Imagino a paciência do pai e da filha para se postarem tendo o mesmo fundo branco do lençol atrás (para não tirar o foco de Lotte) durante todo este tempo.

Vejam o vídeo de Hofmeester abaixo:



video





Parabéns ao pai e a filha. Ficou demais.


(Agradeço o vídeo ao site New Advent)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Maomé existiu? (Parte 2)

-

Eu já falei aqui do livro de Robert Spencer (capa acima) no qual ele discutiu se Maomé existiu. Falo novamente do assunto porque Spencer deu uma entrevista interessante sobre o assunto.  Além disso, recentemente, eu discuti com um "ex-seminarista" sobre os fatos que atestam a existência de Cristo. Spencer compara estes fatos com a existência de Maomé.

Vejam abaixo o vídeo da entrevista de Spencer, não vou traduzir toda entrevista, pois são 14 minutos, vou apenas resumir os principais pontos que ele disse:

1) Maomé existiu? Spencer responde que provavelmente sim, mas ele foi um tipo de Robin Hood, um pessoa foi transformada em lenda, inventaram os fatos sobre ele.

2) Por que ele pensa que Maomé pode não ter existido? Spencer argumenta que Maomé não é citado nem pelos conquitadores árabes nem pelos conquistados no século 7. Não há nenhuma menção a Maomé ou ao Corão, até 60 anos após a morte de Maomé. Ontem, Spencer escreveu um texto dizendo que o bispo de Jerusalém (São Sophronius), quando a cidade foi conquistada pelo segundo califa (Umar), mais ou menos 15 anos após a morte de Moemé, não cita nenhuma vez Maomé ou muçulmanos quando escreve sobre a conquista. Muçulmanos só escrevem sobre o assunto depois de quase dois séculos (923 dC).

3) Por que ninguém discute mais a existência de Cristo? Como eu mesmo escrevi quando discuti com o "ex-seminarista" (Deonísio da Silva), Spencer lembra que logo na década de morte de Cristo há várias menções sobre as obras e a morte de Cristo, por isso nenhum ateu que tenha lido minimante discute isto, ao contrário do "ex-seminarista".

4) Qual a diferença entre a violência islâmica e a violência que se vê no Velho Testamento? Spencer diz que Deus, no Velho Testamento, manda avançar militarmente sobre um cidade, mas em em nenhuma parte da Bíblia se diz que cada fiel deve seguir o exemplo daqueles que destruíram as cidades inimigas e atacar todos os que não compartilham da mesma religião. Isto é, o Deus judeu-cristão não manda cada fiel replicar o arto de guerra executado em um período específico da história. No Corão, ao contrário, cada muçulmano deve replicar os atos de Maomé de guerra e conquista e de matar os infiéis.

5) O que ele tem a dizer daquele que sçao muçulmanos moderados que não andam por aí defendendo a guerra contra o ocidente?  Spencer observa que os moderados na verdade não seguem o que está escrito no Corão, eles são seres humanos normais que não se apegam muito aos preceitos da sua religião.



Complemento sugerindo um livro para aqueles que querem ler algo sobre a violência praticada no Velho Testamento. O livro se chama "Is God a Moral Monster?: Making Sense of the Old Testament God" de Paul Copan.

Para uma ótima análiise do livro de Spencer que inclui muitas informações, leiam o texto do escritor Bruce Thornton.

Spencer ainda escreveu um texto no site American Thinker se perguntando: Se Maomé não existiu, por que ele foi inventado? Respondeu dizendo:

Todo império da época tinha uma religião cívica. O Império Romano do Oriente (bizantino) era cristão. Seu rival Pérsia, entretanto, era zoroastra. O Império Árabe rapidamente controlado, precisava unificar enormes extensões de território, onde diferentes religiões predominavam. O império foi crescendo rapidamente, logo rivalizando com os impérios bizantino e persa em tamanho e poder. Mas no início, não tinha uma teologia política convincente para competir com as que suplantou e, para solidificar suas conquistas. Ele precisava de uma religião comum - uma teologia política que fornecem a base para a unidade do império e lealdade seguro para o Estado.


(Agradeço o vídeo da entrevista ao site Notes on the Culture Wars  e o texto de Bruce Thornton ao site Jihad Watch)

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Mutilação Genital Feminina no Reino Unido

-

O jornal inglês Daily Mail revelou na semana passada que 100 mil meninas com idades que começam com  10 anos sofreram mutilação genital no Reino Unido. Isto mesmo, no Reino Unido. A prática bárbara é recorrente na África como forma de manter a castidade feminina, mas a imigração para os países ocidentais faz com que a prátrica ocorra em países do Ocidente. Será que ocorre no Brasil?

O pior é que o Reino Unido não conseguiu prender sequer um médico (ou mesmo dentista) que realiza a prática. As crianças são as maiores vítimas dessa imbecilidade cultural africana. 

A super modelo da Somália, Waris Dirie (foto abaixo), que foi mutilada quando tinha a idade de 5 anos no seu país, e é embaixadora da ONU, faz campanha contra essa prática bisonha.



O jornal revela os tipos de mutilação genital:

A maioria das mutilações genitais femininas (MGF) ocorrem na África e países do Oriente Médio, onde é visto como vital para a preservação da castidade. Na Somália, Sudão e empartes do Egito mais de 90 por cento das mulheres são forçadas a passar com o procedimento.

O primeiro tipo envolve a remoção do clitóris. O segundo tipo envolve a remoção do clitóris e parte dos lábios - a parte exterior da vagina. Este é o tipo mais comum e representam cerca de 80 por cento dA MGF. O terceiro tipo envolve a remoção de todos os órgãos genitais externos e costura da abertura vaginal. O tecido da cicatriz, eventualmente, se desenvolve e apenas um pequeno furo é deixada em aberto.O último tipo é o mais grave e muitas vezes deixa as mulheres com infecções graves e cicatrizes emocionais. Ele envolve o corte e costura da vagina e, por vezes, a introdução de uma substância estranha na vagina.

Que Deus proteja as crianças e as mulheres sujeitas a isso. Que Jesus Cristo avance sobre a África protegendo as crianças.



domingo, 22 de abril de 2012

Blog Thyself O Lord Presta Homenagem a Thiago Klimeck

-

Que Deus tenha Thiago Klimeck, ator que se enforcou de forma acidental ao interpretar Judas na encenação de Paixão de Cristo em Itararé, São Paulo. Hoje, foi declarada a morte do ator.

Que a família supere a dor da perda. E que os organizadores do evento prestem toda a assitência a família.

Acima, foto do material usado quando ocorreu o acidente.

Que Thiago encontre a paz eterna.



sábado, 21 de abril de 2012

O Que é Beleza? Etsuro Sotoo

-

Estudantes de todo mundo se reuniram para tentar responder uma pergunta: O Que é Beleza? Etsuro Sotoo, escultor japonês, que trabalhou na Igreja Sagrada Família de Barcelona, disse que beleza é uma combinação de arte, ciência e religião. Como nem todo mundo é artista ou cientista, Sotoo diz, você tem que começar com a religião para entender a beleza. Brilhante.

Sotoo se converteu ao catolicismo depois que viu esta belíssima Igreja de Barcelona.

Eu tive a imensa graça de visitar esta Igreja,  uma obra de arte de Antoni Gaudí. A foto de detalhe da Igreja que ilustra este post foi eu que tirei (linda, não é?). Como alguns posts que escrevo por vezes aparecem em outros blogs, tenham a gentileza de dar crédito a minha foto. Esta foto certamente une arte, ciência (de Gaudí) e religião.

Vejam o vídeo abaixo da Rome Reports sobre a reunião dos jovens com Etsuro Sotoo. Traduzo em azul.




Estes estudantes universitários vieram de todo o mundo para discutir uma questão - O que é beleza? Não é tarefa fácil, especialmente porque como diz o ditado, "a beleza está nos olhos de quem vê".

O escultor japonês Etsuro Sotoo analisou esta questão. Durante décadas, ele trabalhou na "Sagrada Família" de Gaudi em Barcelona. Ele diz, a resposta é uma combinação de ciência, arte e religião, uma vez que todos as três buscam a verdade.

Etsuro Sotoo
Escultor, "Sagrada Familia"
"Nem todo mundo é um artista ou um cientista, por isso, se você quiser entender a ciência e arte, você tem que começar com a religião e isso acabará por levá-lo a entender a arte e ciência".

Acima de tudo, Sotoo diz que o poder da beleza é um sentimento que vem de dentro, de uma  conexão única e pessoal, a mente não é tudo, mas o coração.

Etsuro Sotoo
Escultor, "Sagrada Familia"
"Cada um de nós tem uma caixa interna que ressoa. A caixa está quieta e silenciosa, mas então algo vai desencadear um sentimento. Pode ser uma única palavra de uma mãe ou um pai. Uma palavra é suficiente para os nossos corações dizerem 
'eu entendo.

 "RACHEL GRUBB 
Estudante (EUA) 
"Eu sou um música, assim um monte de coisas que ele estava falando sobre a beleza da arte e arquitetura, literatura e música, são as coisas que eu acho que posso oferecer aos outros com a minha própria música também."

 MARIA MORGAN
 Estudante (EUA)
 "Ele disse, estude com o amor senão o que você estuda será apenas conhecimento. Quando ele disse isso houve uma reação dinamite de todo mundo aplaudindo, porque eu acho que ela ressoa bem com estudantes universitários. " 

A trajetória pessoa de Sotoo o levou de volta para Barcelona em 1978. Ele já estava ensinando arte no Japão, mas quando ele viu a "Sagrada Família" de Gaudi tudo mudou. A Basílica provocou uma mudança artística e espiritual, que o levou a se converter ao catolicismo. 

Etsuro Sotoo 
 Escultor, "Sagrada Familia" 
"A medicina ainda não descobriu que o nosso coração está aqui, nos nossos sentimentos. O mundo inteiro diz que temos de pensar com a mente, usar a cabeça. Mas o coração também tem neurónios. 4700 deles, então o coração também pensa "  

A religião, a arte e a ciência são vistas separadamente, Sotoo explica que elas estão todas conectadas e são apenas uma. Ele diz que elas fazem parte de um único mistério que é mantido à tona pela verdade e beleza.


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nova Constituição na Turquia. O que vem por aí?

-

A Turquia moderna foi fundada pelo general Mustafa Atartuk e tem um forte apelo secular. Atarturk afastou o domínio islâmico da política e das leis. O artigo 2 da Constituição do país diz que a República da Turquia é democrática, secular e governada pelo estado de direito. O artigo 14, mais controverso, ressalta que o secularismo está até acima dos direitos humanos. Controla a defesa dos direitos humanos. O artigo estabelece que "nenhum direito e liberdade estabelecidas na Constituição deve ser exercido com o objetivo de violar a integridade do estado, com seu território e nação, e colocar em risco a existência da ordem democrática e secular da República por causa de direitos humanos".

O artigo 14 pode ser controverso, mas o país afastou a lei Sharia (lei islâmica) do seu ordenamento jurídico, ao contrário de outros países islâmicos, como Arábia Saudita, Irã, Paquistão, Síria, Afeganistão e Palestina. Apesar do país ser formado 90% por muçulmanos.

Mas agora a Turquia está elaborando uma nova constituição.

Ontem representantes de minorias religiosas se reuniram com parlamentares para discutir esta nova constituição.

O representante da Igreja Católica, Monsenhor Ruggero Franceschini, disse que foi uma conversa amistosa e sincera e eles falaram sobre os problemas enfrentados pelas minorias religiosas. Disse ainda:

 “All of us expressed our views as to how to resolve the problems of all religious groups. Our biggest problem is the issue of receiving acknowledgment. Other Catholic churches carry out their services with the help of associations; but we, Roman Catholics, cannot even repair our churches. We can’t properly administer our properties. I am an Italian, and I think that historical churches are the richness of all humanity, not only of the people belonging to that church.” (Todos nós expressamos nossas opiniões a respeito de como resolver os problemas de todos os grupos religiosos. Nosso maior problema é a questão de receber reconhecimento. Outras igrejas católicas realizar seus serviços com a ajuda de associações, mas nós, os Católicos Romanos, não pode sequer fazer reparos em nossas igrejas. Não podemos administrar adequadamente os nossos imóveis. Eu sou um italiano, e eu acho que as igrejas históricas são a riqueza de toda a humanidade, não só das pessoas que pertencem a essa igreja.)

O que sairá desta constituição em um momento que o governo turco se torna mais anti-Israel e a União Européia corre riscos sérios?




(Agradeço a notícia da reunião entre minorias religiosas e parlamentares ao site Jihad Watch)

quinta-feira, 19 de abril de 2012

"Nós Estamos Passando Fome", Presidente Ahmadinejad

-


Um vídeo circula no mundo hoje (vejam abaixo), nele o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, passeia em carro aberto quando um idoso chega gritando "eu sou aposentando, estou faminto". O presidente ignora o idoso, mas se mantém calmo recebendo mensagens em papel. Depois, uma garota em um véu sobe no carro, fala direto com ele, e sai tranquilamente pela parte de trás do carro.

O vídeo foi relatado pelo jornal inglês Daily Mail.

É muito raro qualquer vídeo na internet que mostre quanlquer coisa no Irã, por isso o site Atlas Shrugs desconfia, acha que o vídeo pode ter sido programado, por causa das sanções dos Estados Unidos e da Europa contra o programa nuclear iraniano.

Na minha opinião, as chances são de 50%. Realmente é muito estranho este vídeo em carro aberto, mostrando dois tipos de pessoas inofensivas, um velho e uma adolescente se aproximando de Ahmadinejad, sem que haja qualquer reação mais forte da segurança. Mas, por outro lado, o país está passando realmente por uma crise econômica fortíssima.

Em todo caso, sem pensar no povo, o Irã continua seu programa nuclear e ainda desafia o Ocidente economicamente. Na semana passada, o país avisou que não exportaria mais petróleo para a Espanha. A Espanha se junta a Grécia, França e Reino Unido que também não recebem mais petróleo do Irã. O Irã retalia a Europa que está em crise e que vai deixar de importar petróleo iraniano em julho.




(Agradeço o vídeo ao site Atlas Shrugs)

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Obama: "Não Li Mas Eu Acho..."

-

Uma das coisas mais comuns das universidade brasileira é o aluno e mesmo professor irem para um debate de algum assunto, não se preparar e nem mesmo ler os textos que baseiam o debate. Em uma das últimas vezes que participei de um debate foi na Universidade de São Paulo. Eu vi e mostrei para todos que nem o renomado professor que comandava o debate, nem o debatedor tinham lido o texto em discussão, pois as perguntas que eles faziam estavam respondidas claramente no texto. E pior, além de não terem lido, eles queriam emitir opinião. É o famoso "não li mas eu acho...". Quando começa a fala com esta frase, a chance da pessoa falar algo interessante ou renovador caem para quase 0%.

Parece que, na academia brasileira, a pessoa não precisa ler, já nasce sabendo.

Pois não é que ontem eu descobri que o Obama faz parte da turma do "não li, mas eu acho".

Obama quando era senador participava da comissão de relações exteriores do senado, mas regularmente chegava atrasado e não via o debate, nem lia os textos em discussão. Fizeram uma compilação em vídeo de todas as vezes que ele pedia desculpas por chegar atrasado e ainda queria fazer perguntas sem ter assistido ao debate.

Vejam que interessante abaixo, não precisa traduzir, porque ficará repetitivo. Obama pede desculpas pelo atraso e por não ter assitido a discussão prévia, mas vai emitir opinião.





(Agradeço o vídeo ao site Notes on the Culture Wars)

terça-feira, 17 de abril de 2012

Oposição a Obama: Republicanos e Católicos

-

Os americanos realmente sabem fazer campanhas políticas na televisão. Lá não tem horário eleitoral obrigatório, partidos e organizações conseguem dinheiro e produzem vídeos que são exibidos na televisão. Aqui vou exibir dois vídeos que defendem o voto contra Obama na próxima eleição. O primeiro é do Partido Republicano, o segundo é de uma organização católica.

O novo vídeo do Partido Republicano usa as próximas palavras de Obama. Obama durante a campanha disse regularmente que não usaria desculpas para resultados ruins na economia se fosse eleito. Foi eleito e a partir daí passou usar muitas desculpas: culpa do Bush, tsunami no Japão, crise na Europa e até máquinas de saques de dinheiro bancária que supostamente eliminam postos de trabalho. No final, o próprio Obama, já presidente, diz que se não se consegue melhorar a economia, os eleitores devem votar em outro candidato.O vídeo diz que é uma ótima sugestão de Obama.

Vejam abaixo.


Os católicos estão em guerra aberta com Obama nos Estados Unidos. Primeiro, por causa do histórico do presidente de sempre defender o aborto (Obama inclusive votou a favor de uma lei que na prática defende a morte de crianças que nascessem vivas após tentativa de aborto), segundo porque Obama agora quer obrigar a todas as instituições católicas a prover métodos contraceptivos e abortivos para seus empregados. Este assunto está agora na Suprema Corte dos Estados Unidos.

A USCCB (a CNBB de lá) divulgou um texto mostrando os ataques da adminitração Obama e de governos estaduais contra a liberdade religiosa no país. O texto se chama Our First, Most Cherish Liberty  (A Mais Importante e Mais Querida Liberdade) . E promete um vigília de quinze dias de oração pela liberdade religiosa.

"Se Deus não constrói a casa, em vão labutam os seus construtores" (Salmo 127:1). Se não são as regras de Deus que são usadas para formar um país, tudo que se faz para a nação é em vão. É com base nesta linda passagem que uma organização católica defende o voto contra Obama na eleição de novembro.

O vídeo argumenta que os católicos estarão de frente de um desafio histórico nas eleições de novembro. O futuro da geração atual e futura está em jogo. Diz que a Igreja sempre contou com os fiéis para defender os direitos mais sagrados. Muitos problemas nos EUA estarão em jogo: recessão, desemprego, impostos, energia. Mas algumas questões são inegociáveis: vida, casamento (Obama está do lado daqueles que querem redefinir o casamento, em favor de gays) e liberdade.

 Vejam vídeo abaixo:




(Agradeço os vídeos ao Weasel Zippers e ao Creative Minority Report)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

O Problema de "Juntar as Escovas".

-

A psicóloga Meg Jay da Universidade de Virginia nos Estados Unidos fez um excelente texto no New York Times deste domingo. Não é muito fácil achar um texto conservador no New York Times, mas este, apesar de não defender o casamento, mostra por que casais que coabitam antes do casamento têm mais chance de divórcio. O texto se chama The Downside of Cohabiting Before Marriage ( vou traduzir como O Lado Negativo de Juntar as Escovas antes de se Casar).

Claro, há muitos exemplos de casais que coabitaram antes de se casar e continuam casados e felizes. Mas Meg Jay discute por que com frequência coabitar antes de se casar costuma não funcionar.

Vou traduzir o texto dela. Leiam abaixo:

O Lado Negativo de se Juntar as Escovas antes de se Casar.


Aos 32 anos, um das minhas clientes (vou chamá-la de Jennifer) teve um casamento regado a vinho e caro. Até então, Jennifer e seu namorado tinham vivido por mais de quatro anos. O casa,ento teve presença de familiares, amigos e dois cachorros. 

Quando Jennifer começou terapia comigo tinha passado menos de um ano do casamento, ela estava procurando um advogado para o divórcio. "Quando Jennifer começou terapia comigo menos de um ano depois, ela estava procurando um advogado de divórcio. "Passei mais tempo planejando meu casamento que eu passei feliz casada", soluçou. Mais desanimador para Jennifer era que ela tinha tentado fazer tudo certo. "Meus pais se casaram jovens, eles se divorciaram. Nós vivemos juntos! Como isso aconteceu? " 

Coabitação nos Estados Unidos aumentou em mais de 1.500 por cento no último meio século. Em 1960, cerca de 450.000 casais não casados ​​viveram juntos. Agora, o número é mais de 7,5 milhões. A maioria dos jovens adultos na faixa dos 20 anos vai viver com um parceiro pelo menos uma vez, e mais da metade de todos os casamentos serão precedidos de coabitação. Essa mudança tem sido atribuída à revolução sexual e à disponibilidade de controle de natalidade, e em nossa economia atual, compartilhando as contas faz coabitar atraente. Mas quando você falar com as pessoas em seus 20 anos, você também ouvir em outra coisa: a coabitação como profilaxia. 

Em uma pesquisa nacional realizada em 2001 pelo Projeto Casamento Nacional, então na Universidade Rutgers e agora na Universidade de Virginia, quase metade dos que tinha 20 e poucos anos concordaram com a afirmação: "Você só se casa com alguém se ele ou ela concordar em conviver com você em primeiro lugar, de modo que você pode descobrir se vocês realmente vão se dar bem." Cerca de dois terços disseram acreditar que morar juntos antes do casamento era uma boa maneira de evitar o divórcio. 

Mas essa crença é contrariada pela experiência. Os casais que coabitam antes do casamento (e especialmente antes de um noivado ou um compromisso mais firme) tendem a ser menos satisfeitos com seus casamentos - e têm mais chance de se divorciar - que os casais que não. Esses resultados negativos são o chamado efeito coabitação. 

Pesquisadores originalmente atribuíram o efeito coabitação para a seleção, ou a idéia de que cohabitores eram menos convencionais sobre o casamento e, portanto, mais abertos ao divórcio. Como a convivência tornou-se uma norma, no entanto, estudos têm mostrado que o efeito não é totalmente explicada pelas características individuais como educação, religião ou política. A pesquisa sugere que pelo menos alguns dos riscos pode estar na coabitação em si. 

Como Jennifer e eu trabalhamos para responder a sua pergunta, "Como isso aconteceu?" Nós falamos sobre como ela eo namorado passaram de namoro para a coabitação. Sua resposta foi consistente com estudos que relatam que a maioria dos casais dizem que "simplesmente aconteceu". 

"Nós estávamos dormindo juntos em nossas casas o tempo todo", disse ela. "Gostamos de estar juntos, por isso era mais barato e mais conveniente. Foi uma decisão rápida, mas se não der certo, havia uma saída rápida. " 

Ela estava falando sobre o que os pesquisadores chamam de "deslizar, não decidir." Mudar de namoro para dormir juntos para depois coabitar pode ser um declive gradual, não marcado por anéis ou cerimônias ou às vezes até mesmo por uma conversa. Casais contornam falar sobre por que eles querem viver juntos e o que isso significará. 

Quando os pesquisadores perguntam aos parceiros que coabitam estas questões, os parceiros têm muitas vezes diferentes não relatadas agendas, que são mesmo inconscientes. As mulheres são mais propensas a ver a coabitação como um passo para o casamento, enquanto os homens são mais propensos a vê-lo como uma maneira de testar um relacionamento ou adiar o compromisso, e esta assimetria de gênero está associado com interações negativas e menores níveis de compromisso mesmo após quando a relação progride para o casamento. Uma coisa homens e mulheres concordam, porém, é que os seus padrões para um que um parceiro coabite são mais baixos do que para um cônjuge.  

Deslizando para a convivência não seria um problema se deslizar para fora fosse mais fácil. Mas não é. Muitas vezes, os adultos jovens entram para o que eles imaginam que vai ser de baixo custo, situações de baixo risco de vida apenas para encontrar-se incapazes de sair da relação meses, até anos mais tarde. É como usar um cartão de crédito com 0 por cento de juros. No final de 12 meses quando o juro sobe para 23 por cento você se sente preso, pois seu saldo é muito alto para pagar. Na verdade, a coabitação pode ser exatamente assim. Na economia comportamental, é chamado de consumidor lock-in.  

Lock-in é a queda na probabilidade para mudar para outra opção uma vez que um investimento foi feito. Quanto maiores os custos de instalação, menos provável a mudança para uma situação melhor, especialmente quando confrontados com os custos de mudança, ou o tempo, dinheiro e esforço que necessita para fazer uma mudança.

A coabitação é carregada com a instalação e custos de mudança. Viver juntos pode ser divertido e econômico, mas depois de anos vivendo entre coisas juntadas juntos, dividindo apartamento, animais de estimação e mobiliário novo, mais tarde, estes custos de instalação tem um impacto sobre a probabilidade de sair. 

Jennifer disse que nunca sentiu que seu namorado estava comprometido com ela. "Eu senti como se estivesse em uma audição interminável para ser sua esposa", disse ela. "Tivemos toda a mobília. Tivemos os nossos cães e os mesmos amigos. Ele apenas tornou muito, muito difícil de quebrar. Então era como se nós tivéssemos no casado porque estávamos vivendo juntos  e fizemos 30 anos. " 

Já tive outros clientes que também desejam que não tivessem afundado seus 20 anos em relacionamentos que durariam apenas alguns meses se não tivessem vivido juntos. Outros querem se sentir comprometidos com os seus parceiros, eles ainda estão confusos sobre se eles optaram conscientemente por seus companheiros. Basear relações na conveniência ou na ambiguidade pode interferir com o processo de reivindicação das pessoas que amamos. Uma vida construída em cima de "talvez você será" simplesmente pode não ser dedicada quanto uma vida construída em cima do "eu aceito" do casamento. 

A conexão desfavorável entre coabitação e do divórcio parece que estar diminuindo, no entanto, de acordo com um relatório divulgado no mês passado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos. Mais uma boa notícia é que uma pesquisa de 2010 pelo Pew Research Center revelou que quase dois terços de americanos viram a coabitação como um passo para o casamento. 

Essa visão compartilhada e grave de coabitação pode ter um longo caminho para atenuar o efeito negativo da coabitação, porque por outro lado pesquisas mostram que casais que coabitam em série e aqueles que usam a coabitação como um teste têm maior risco para piores qualidade de relacionamento e mais chances de dissolução da relação eventualmente. 

A coabitação chegou para ficar, e há coisas que os adultos jovens podem fazer para proteger seus relacionamentos a partir do efeito da  coabitação. É importante discutir a motivação de cada pessoa e o nível de comprometimento de antemão e, melhor ainda, para ver a coabitação como um passo em direção intencional, em vez de um teste conveniente para, casamento ou a parceria. 

Também faz sentido antecipar e avaliar regularmente as restrições que podem dificultar a saída. 

Eu não sou a favor ou contra a viver juntos, mas eu defendo que os jovens adultos saibam que longe de proteger contra o divórcio e a infelicidade, coabitar com alguém pode aumentar suas chances de cometer um erro - ou de passar muito tempo em um erro. Um mentor meu costumava dizer: "A melhor hora para trabalhar no casamento de alguém é antes que o casamento aconteça", e na nossa época, este momento pode significar a coabitação.





(Agradeço o texto ao New Advent)