sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Higienizando a Pedofilia nas Universidades

-

G.K Chesterton disse esta excepcional frase acima para lembrarmos que muitas vezes aqueles que estão nas universidades têm idéias completamente estúpidas. Eu tenho esta frase estampada em uma camisa. Podemos traduzí-la como: "Sem educação, nós estamos sujeitos a um perigo horrível e mortal de considerar seriamente as pessoas educadas".

Por que eu me lembrei desta frase, que muitas vezes carrego pelas ruas na minha camisa? Porque eu li algumas idéias que saem da academia sobre pedofilia no jornal New York Post.

O texto do jornal diz que alguns professores universitários estão querendo liberalizar a pedofilia.

O primeiro passo é higienizar o nome pedofilia, querem que agora se chame "intimidade intergeracional", como fizeram com os homossexuais, que agora são homoafetivos.

Depois, querem mostrar que a pedofilia não traz transtornos psíquicos nenhum para as crianças, por meio de "diversos estudos".

Terceiro passo, e muito importante para eles,  é acabar coma idéia de que as crianças são inocentes. Isto é, eles querem fazer crer que as crianças também têm desejos sexuais e por isso merecem fazer sexo. A pedofilia para estes idiotas deveria ser classificada apenas como mais uma opção sexual, como a homossexualidade.

Não é a primeira vez que escrevo sobre idéias diabólicas sobre pedofilia que saem de "pessoas educadas".

Por exemplo, em novembro de 2012, mostrei as idéias estúpidas de dois terapeutas holandeses. Eles disseram que a melhor maneira de combater a pedofilia é liberar a pedofilia na internet. Podem acreditar, confiram no link.

Em setembro de 2011, falei sobre um documentário da Rome Reports sobre os casos de pedofilia da Igreja Católica.

Em dezembro de 2011, escrevi sobre os casos de pedofilia entre artistas de Hollywood.

Em abril de 2012, escrevi sobre o relatório de uma auditoria independente sobre os casos de pedofilia de padres católicos nos Estados Unidos. O relatório mostrou, por exemplo, que a imensa maioria dos casos de pedofilia vinha de padres com tendências homossexuais. Nos casos de pedofilia, 82% das vítimas eram meninos, apenas 18% eram meninas. E que apenas 23 padres, entre mais de 40 mil nos EUA, são acusados deste terrível crime. São poucos, mas terrivelmente prejudiciais para a Igreja, e a Igreja sabe que deve expurgá-los.

O texto do New York Post confirma o que disse o relatório sobre a pedofilia entre membros do clero da Igreja Católica: a pedofilia é provocada na grande maioria dos casos por homossexuais, pois ativistas gays são apoiadores da idéia de higienizar a pedofilia para que a prática seja aceita na sociedade.


(Agradeço este terrível artigo do New York Post ao site Pew Sitter)

2 comentários:

Unknown disse...

Meu Deus..aonde isso tudo vai chegar?

Pedro Erik disse...

Não sei, meu caro.

Mas costumo me lembrar de quando Cristo, andando sobre as águas, chamou Pedro. Quando Pedro se preocupou com as águas, tirando os olhos de Cristo, ele afundou.

Devemos lutar contra a estupidez humana olhando para Cristo, para o que Ele nos ensinou. Caso contrário, afundamos.

Abraço,
Pedro Erik