sábado, 7 de junho de 2014

Rezando para Alá no Vaticano pela Primeira vez na História.


O Papa Francisco, ansiando pela paz no Oriente Médio, ofereceu "sua casa" para orações "conjuntas" entre judeus, cristãos e muçulmanos. O fato ocorrerá amanhã a noite em Roma e será a primeira vez na história que será rezado para Alá dentro do Vaticano.

Interessante é que hoje um líder muçulmano, Aitolá Khamenei, do Irã, disse que "a falta de conhecimento do Alcorão pode fazer com que se coopere com judeus".

Ele tem razão. O Alcorão condena fortemente judeus e cristãos, infiéis, em diversos versos.

Na explicação dada pelo Vaticano sobre como será o fato, não será bem uma oração conjunta e sim cada delegação de judeus, cristãos e muçulmanos terá um momento para oração nos jardins da residência do Papa. Isto mesmo, nos jardins, qual local seria apropriado para juntar estas três religiões?

Por questões óbvias, não há como judeus, muçulmanos e cristãos rezarem conjuntamente. Judeus e cristãos, por terem o mesmo Deus, na palavras do próprio Cristo, que era judeu, poderiam rezar de forma conjunta em uma sinagoga, como o próprio Cristo fez. Mas ao se ter muçulmanos, a oração conjunta se torna impossível.

Rezar para Alá dentro do Vaticano, para mim, é um acinte histórico, esta religião mata cristãos há séculos, desde que foi criada por Maomé. O Vaticano apenas legitima os líderes do Islã. Como será que eles rezarão pela paz,? Irão se manter dentro dos limites de respeito ou irão recitar os versos do Alcorão que pedem a aniquilação de judeus e cristãos?

Basta os muçulmanos dizerem "que Alá traga sua paz para a terra", que isto significará a morte de infiéis, dentro do islamismo.

O Vaticano está alertando para não se esperar que a paz chegue depois das orações. E isto também é óbvio, mesmo porque Shimon Peres, que representará os judeus não tem poder político e deixará o cargo de presidente em julho, e Mahmoud Abbas tem uma carreira de terrorismo, e quer completo fim do estado judeu, além de ter se juntado ao Hamas, grupo que domina a Faixa de Gaza, e que é uma denominação terrorista.

As orações mudarão os corações ou legitimarão as ações? Será que os muçulmanos não usarão o "apoio do Papa" para conseguir vantagens?

Como será que Abbas seria recebido no mundo muçulmano se depois das orações ele dissesse: "olha pessoal, eu acho que a gente deve amar os judeus"?

Entre os cristão, até onde eu sei, as orações contarão com o patriarca Bartolomeu da Igreja Ortodoxa, mas me pergunto que, já que é para abrir a porta para representantes das três religiões, por que não se convidou representantes protestantes?

O que eu penso do gesto do Papa Francisco em poucas palavras é que é mais um gesto midiático do Papa e eu não gosto de abrir as portas de minha Igreja para inimigos da fé cristã.

Por outro lado, nunca desprezo o poder das orações.

Por isso, rezemos pela Igreja, que ela saiba defender a fé cristã e rezemos pela paz, que só se encontra em Cristo.

Vejamos o vídeo da Rome Reports sobre a cerimônia que ocorrerá nos jardins do Vaticano:





34 comentários:

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro,Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus, Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!

"O Papa Francisco, ansiando pela paz no Oriente Médio, ofereceu "sua casa" para orações "conjuntas" entre judeus, cristãos e muçulmanos. O fato ocorrerá amanhã a noite em Roma e será a primeira vez na história que será rezado para Alá dentro do Vaticano"

As profecias estão se cumprindo.As provas e evidências são abundantes só as negam quem sofre de dissonância cognitiva.

O conciliábulo modernista de Metz criou a "igreja" conciliar que eclipsa a Santa Imaculada Igreja católica,ÚNICA Igreja de Cristo Deus (O Católico centro de tudo e não o homem).

Os antipapas conciliares são hereges modernistas públicos e a Santa Imaculada Igreja católica ensina que hereges públicos, apóstatas e cismáticos não podem ser Papas da ÚNICA Igreja de Cristo Deus.

Esse antiapapa Fraticelli só promove escandâlos e abominações e desolações em lugares Santos.

Eu poderia listar infindáveis proposições da Santa Imculada Igreja católica fundamentando e legitimando isso que te digo mas o meu comentário ficaria prolixo,portanto, citarei apenas esse ensinamento do Espírito Santo por meio de São Paulo:

"Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado!
É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens,não seria servo de Cristo.
Asseguro-vos, irmãos, que o Evangelho pregado por mim não tem nada de humano.Não o recebi nem o aprendi de homem algum, mas mediante uma revelação de Jesus Cristo."

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

Leonardo Santana de Oliveira. disse...

ATO DE ABJURAÇÃO À FALSA IGREJA CATÓLICA CONCILIAR - "SAI DELA POVO MEU", DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS!


EU Leonardo Santana de Oliveira ABJURO A TODAS AS HERESIAS, FALSOS SACRAMENTOS E DOUTRINAS DEMONÍACAS DA CONTRA IGREJA CATÓLICA INSTALADA EM ROMA E COROADA NO CONCILIÁBULO DO VATICANO II COMO A GRANDE PROSTITUTA QUE A TODOS SE ENTREGA.

RENUNCIO A TODA LIGAÇÃO QUE COM ELA TIVE NO PASSADO. PELO SANGUE PRECIOSÍSSIMO DE NOSSO SENHOR JESUS CHRISTO, DERRAMADO UMA ÚNICA VEZ NO CALVÁRIO, DEUS VERDADEIRO FEITO HOMEM, RENUNCIO À FALSA DIVINDADE ECUMENISTA DO CONCÍLIO (deus DO UNIVERSO), E ADORO AO ÚNICO E ETERNO SENHOR - PAI FILHO E ESPÍRITO SANTO - DEUS DOS EXÉRCITOS, QUE É O MESMO ONTEM, HOJE E ETERNAMENTE.

DESDE ENTÃO, FAÇO VOTOS DE PERTENCER À ÚNICA IGREJA FUNDADA POR CRISTO HÁ DOIS MIL ANOS, CIMENTADA NO SANGUE DOS MÁRTIRES, QUE É A VERDADEIRA UNA, SANTA, CATÓLICA E APOSTÓLICA. NESTA FÉ DO EVANGELHO VERDADEIRO QUERO VIVER E MORRER PARA RECEBER A VIDA ETERNA NA DERRADEIRA PARUSIA, COM OS ANJOS E SANTOS.
*
* * * * *

*
*
*
HONRA E GLÓRIA SEJAM DADAS AO PAI E FILHO E AO ESPÍRITO SANTO, ASSIM COMO ERA NO PRINCÍPIO AGORA E SEMPRE POR TODOS OS SÉCULOS DOS SÉCULOS!

Pedro Erik disse...

Caro Leonardo,

Sinto por essa sua ação. Compartilho muito de suas preocupações. Mas me mantenho confiando no Espírito Santo nesta Igreja com o Papa Francisco. O que mais me consola é estudar a história da Igreja. Tivemos papas que aceitaram heresias com os papas Liberius I, Honorius I e Virgilius. Aqueles que lutaram contra eles como Santo Atanasius e Papa Leao I não declararam que eles eram anti papas. Apesar de reconhecer que na história considerar alguém como anti papa depende da avaliação do tempo como ocorreu com o papa Anacleto.
Rezemos pelo Espírito Santo agora que chegamos próximo de Pentecostes.
Leia a história dos papas de Eamon Duffy.
ICXC NIKA
Abraço
Pedro Erik

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Eu não compartilho com você, meu caro Pedro, a sua confiança no antipapa Fraticelli e na idéia que o Espírito Santo esteja nessa falsa igreja católica, a conciliar.O Espírito Santo é o Espírito da Verdade Ele não está presente em seitas heréticas e em cismáticos.Se Ele estivesse na “igreja” conciliar Ele seria contraditório e contradição é prova de mentira.

O que eu mais amo na Santa Imaculada Igreja católica e seu edifício todo ele coerente, não existe contradição na única Igreja de Cristo, a católica.
Já a “igreja” conciliar é toda incoerente e contraditória.Seus “clérigos” só escrevem e falam por meio de ambigüidades e sofismas e são contraditórios e incoerentes ao extremo.As provas e evidências disso, você mesmo nos dá ao diariamente denunciá-los em seu interessante e corajoso blog.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Eu não compartilho com você, meu caro Pedro, a sua confiança no antipapa Fraticelli e na idéia que o Espírito Santo esteja nessa falsa igreja católica, a conciliar.O Espírito Santo é o Espírito da Verdade Ele não está presente em seitas heréticas e em cismáticos.Se Ele estivesse na “igreja” conciliar Ele seria contraditório e contradição é prova de mentira.

O que eu mais amo na Santa Imaculada Igreja católica e seu edifício todo ele coerente, não existe contradição na única Igreja de Cristo, a católica.
Já a “igreja” conciliar é toda incoerente e contraditória.Seus “clérigos” só escrevem e falam por meio de ambigüidades e sofismas e são contraditórios e incoerentes ao extremo.As provas e evidências disso, você mesmo nos dá ao diariamente denunciá-los em seu interessante e corajoso blog.

“O que mais me consola é estudar a história da Igreja. Tivemos papas que aceitaram heresias com os papas Liberius I, Honorius I e Virgilius. Aqueles que lutaram contra eles como Santo Atanasius e Papa Leao I não declararam que eles eram anti papas.”

O que mais me consola é estudar a Sã Doutrina e ver que Ela é que me dá certeza que estou defendendo a Santa Igreja católica contra uma falsa igreja que tenta se passar por católica para enganar milhões e milhões de católicos em todo o mundo.A história da Santa Igreja também é uma agradável e importante fonte de estudos.É por estudar a história da Santa Igreja que hoje eu tenho certeza que Ela é divina pois existiram inúmeros antipapas, como você mesmo citou, e nem eles conseguiram destruir a única Igreja de Cristo ( O Católico centro de tudo e não o homem).

ResponderExcluir

Leonardo Santana de Oliveira.8 de junho de 2014 09:17
Mas você, prezado Pedro, só errou ao dizer, “Tivemos papas que aceitaram heresias com os papas Liberius I, Honorius I e Virgilius...” [sic], se um papa aceita heresias ele deixa ipso facto seus cargos vacante.
Neste sentido a lei canônica:

Canon 2314, § 1: “Todos os apóstatas da fé cristã, e todos os hereges e cismáticos: (1) são ipso facto [automaticamente] excomungados.”

Uma coisa é certa, meu caro Pedro, na história da Santa Igreja já tivemos maus católicos, antipapas e isso só prova que a Santa Imaculada Igreja católica é a única Igreja de Cristo (O Católico centro de tudo e não o homem).
Veja, por exemplo, por 40 anos a cristandade foi tratada com o espetáculo de melancolia de dois e até três papas rivais invocando sua obediência no grande cisma do ocidente.

Temos também contra os excessos do (anti)papa e em geral contra os abusos da Cúria,ergueu-se qual novo Elias o celebre Girólamo Savonarola.O genial Savonarola prior do convento dominicano, em Florença.

Contra Savonarola foi instaurado um processo onde foi condenado, a morte “como herético,cismático e desprezador da Santa Sé”.Morreu na fogueira.Crime esse cometido por um antipapa e seus papolatras.

Girólamo Savonarola, em sua época, era um “desobediente” , um “excomungado”, um “cismático” e um “detrator do Papa”.No entanto, a Santa Imaculada Igreja lhe fez justiça.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

e inspiro nesse Santo homem na luta contra os hereges modernistas e os antipapas conciliares de hoje.
“Apesar de reconhecer que na história considerar alguém como anti papa depende da avaliação do tempo como ocorreu com o papa Anacleto.”

Papa Honório I, que por ter caído em heresia foi formalmente julgado e sentenciado pela Igreja, pode procurar pessoalmente em documentos do Magistério da Igreja, em especial no Denzinger, números 550-552 e 569, o qual reproduz a condenação ao Papa Honório I pelos Papas Agatão III e Leão II.
Devo lembrar, meu caro Pedro, o ensinamento do último Papa,Pio XII, onde ele ensina magistralmente que nem todo pecado,embora grave, por sua natureza separa o homem da Igreja como a heresia e a apostasia. (Pio XII;D.S.3803).

“Rezemos pelo Espírito Santo agora que chegamos próximo de Pentecostes.
Leia a história dos papas de Eamon Duffy.”


Rezemos sim, para que o Espírito Santo faça as escamas caírem dos olhos dos católicos, a crise que passamos é a pior de todas que a Santa Igreja já passou.Já passamos pela crise ariana, pela crise das invasões bárbaras, a crise dos hereges cátaros, a invasão islâmica, a crise da heresia protestante,a crise da revolução francesa e russa.Citei só essas existem muitas outras, mas nenhuma, repito, nenhuma crise é igual a essa em que os hereges modernistas por meio de um conciliábulo criou uma nova igreja totalmente diferente da Santa Imaculada Igreja católica.
Tudo é diferente nessa “igreja” conciliar e contradiz tudo que a Santa Imaculada Igreja católica sempre ensinou e condenou.As provas e evidências são abundantes e você mesmo as cita em vosso blog.

No mais, fico aqui rezando e combatendo os hereges modernistas e tentando alertar os católicos para saírem dessa caverna platônica que é a falsa igreja católica, a conciliar.

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

Pedro Erik disse...

Caríssimo Leonardo,

A lei canônica diz que ninguém pode julgar um papa, enquanto ele está no poder. Só o tempo no futuro, pode fazer que um papa seja excomungado por outro papa, como Leão II fez com Honorius I. nNinguém pode dizer que um papa é anti papa, mesmo se herético. É preciso outro papa. Ao mesmo tempo, como disse São Roberto Belarmino, ninguém é obrigado a seguir suas heresias.

Além disso, só um papa pode excomungar cardeais.

Saiba também que eu não tenho confiança na pessoa de nenhum papa, mas sim no Espírito Santo. Rezo pelo Papa Francisco reconhecendo que ele é meu líder e também seus imensos defeitos.

O Papa Pio X estava certíssimo sobre o modernismo. E compartilho da visão de que a Igreja segue atualmente um caminho errado em muitos setores e que há inúmeros padres e cardeais hereges.

Mas a história da Igreja conta um enorme quantidade de fatos. Há papas que renegaram Cristo (Papa Marcellinus), há papas que foram hereges (Papa Honorius), há papas que foram acusados de somomia (Papa Bonifácio VIII), há inúmeros papas perversos.

E houve também momentos que mesmo os santos se dividiram para saber quem era o papa e quem era o anti papa, como Santa Catarina de Siena e São Vicente.

A história dos papas, como milhões de circunstâncias, só mostra uma coisa: a força do Espírito Santo, diante de humanos tão corruptos.

Grande abraço,
Pedro Erik

Leonardo Santana de Oliveira disse...

lPrezado Pedro,Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus,Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!

“Saiba também que eu não tenho confiança na pessoa de nenhum papa, mas sim no Espírito Santo. Rezo pelo Papa Francisco reconhecendo que ele é meu líder e também seus imensos defeitos.”

“Se aparecer em qualquer tempo (...) um Romano Pontífice que antes da sua assunção ou promoção (...) tenha se desviado da fé ou incidido em heresia, seja nula, inválida e vazia a sua assunção ou promoção, mesmo se feita com o consentimento unânime de todos os cardeais”.

(Paulo IV – Bula Cum ex apostolatus)

Se alguém, segundo os Santos Padres, e em igual Fé conosco, não anatematiza de coração ou oralmente a todos os hereges que a Santa Mãe, a Igreja, repele e anatematiza, junto com os seus escritos, até a um só acento (...) e se não julga que eles são ímpios e que nisto são detestáveis os seus juízos e que as suas sentenças são vazias, inválidas e sem força, ou antes, execráveis, este seja condenado”.

(São Martinho, Sínodo de Latrão de 649, Cânon XVII).

Existe mais proposições para citar mas só essas bastam.




Se você da jurisdição à um herege público como Fraticelli ai é com você.Mas que Fraticelli é um herege público isso de fato ele é.Reze meu caro Pedro, assim como eu rezo para esse herege público,Fraticelli, se arrepender de suas blasfêmias e heresias.

“ A lei canônica diz que ninguém pode julgar um papa, enquanto ele está no poder. Só o tempo no futuro, pode fazer que um papa seja excomungado por outro papa, como Leão II fez com Honorius I. nNinguém pode dizer que um papa é anti papa, mesmo se herético. É preciso outro papa. Ao mesmo tempo, como disse São Roberto Belarmino, ninguém é obrigado a seguir suas heresias.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Além disso, só um papa pode excomungar cardeais.”

Sim, isto é ensinado pela Igreja, porém é referente ao Papa no exercício do cargo, isto é, enquanto católico. Bonifácio VIII traz a palavra de São Paulo: “Spiritualis homo judicat omnia; ipse autem a nemini judicatur” (1 Cor 2,15; D.S. 873). Inocêncio III ensinou para os fiéis o direito de julgar a um papa infiel: “Tendo eu só a Deus por juiz nos outros pecados, só no pecado que eu cometesse contra a Fé, poderia eu ser julgado pela Igreja”. E refere a causa, o juízo divino: “porque quem não crê já está julgado” (Jo. 3,18).
(P.L. 27,656s; IV Sermão sobre o Romano Pontífice).

E o “criterium veritatis” para isso é a unidade visível de Fé dessa pessoa com as Escrituras, a Tradição e o Magistério dos Papas e Concílios, de toda a Igreja Universal, em todos os tempos. O herético, “separado” dele, não é o juiz do fiel; é o inverso: o fiel é que é o juiz do herético e até dos anjos infiéis. São Paulo anatematiza tal doutrina que faculta ensinar “além do recebido” (Gal. 1,8-9). O Concílio de Éfeso ensinou que o antes Superior, incidente em heresia, “estará subordinado” (subjacebit), ao antes inferior ortodoxo


O Papa Paulo IV denunciou e condenou que hereges, cismáticos, apostatas da Fé não podem ser Papa da única Igreja de Cristo.Com a Bula Cum Ex Apostolatus Officio, o Papa Paulo IV diz que é dever do verdadeiro Papa Católico impedir o magistério do erro.Os hereges modernistas, denunciados e condenados na Pascendi, tem a cara de pau de dizer que esse documento, que é Direito Divino, não vale mais.Não vale mais na "igreja" aggionarta descartável deles, pois na Santa Imaculada Igreja católica passarão céus e terras mas as palavras de Cristo, e de Seus legítimos sucessores de São Pedro, não passarão.

A Bula Cum Ex Apostolatus Officio do Papa Paulo IV é o pesadelo dos hereges modernistas radicais e dos moderados.
Quando os hereges modernistas radicais e moderados afirmam que esse Documento, que é Direito Divino, não vale mais na “igreja” conciliar aggiornata descartável deles, eles caem na condenação do Santo Papa Paulo IV:
“10. Ilicitude das ações contrárias e sanção divina.
Portanto, a homem algum seja lícito infringir esta página de Nossa Aprovação, Inovação, Sanção, Estatuto, Derrogação, Vontade, Decreto, ou por temerária ousadia contradizer-lhes. Porém se alguém pretender atentar, saiba que haverá de incorrer na indignação do Deus Onipotente e de seus Santos Apóstolos Pedro e Paulo.
Dado em Roma, junto a São Pedro, aos 15 de fevereiro do ano da Encarnação do Senhor de 1559, 4º ano de nosso Pontificado.
Paulo IV.”

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“O Papa Pio X estava certíssimo sobre o modernismo. E compartilho da visão de que a Igreja segue atualmente um caminho errado em muitos setores e que há inúmeros padres e cardeais hereges.”


Rogo, prezado Pedro, que assim como você leu a Encíclica Pascendi e concorda que os hereges modernistas e a “igreja” conciliar segue um caminho que não é da Santa Imaculada Igreja católica, leia a essa Bula do Santo Papa Paulo IV e verá que devemos nos condenar e combater esses antipapas da “igreja” conciliar.

“Mas a história da Igreja conta um enorme quantidade de fatos. Há papas que renegaram Cristo (Papa Marcellinus), há papas que foram hereges (Papa Honorius), há papas que foram acusados de somomia (Papa Bonifácio VIII), há inúmeros papas perversos. “

Bem como eu já disse não nego que existiu maus católicos e antipapas no passado.O exemplo maior foi São Pedro (primeiro Papa) que quando pensou nas coisas dos homens e não de Deus foi chamado de satanás.O próprio Pedro negou Cristo 3 vezes e depois foi censurado por São Paulo publicamente na crise da heresia judaizante.

Mas como eu disse todas essas crises não se compara com a crise atual.Os hereges modernistas criaram uma falsa igreja, subverteram os Sacramentos(um dos poucos Sacramentos que esses hereges modernistas não adulteraram foi o Batismo), a Liturgia, os símbolos católicos.A “missa” do antipapa Montini foi criada por um maçôn Annibale Bugnini e com ajuda de 6 hereges protestantes.

E a nova teologia ecumenista irênista sincretista que transformou Cristo Deus ( O Católico centro de tudo e não o homem) em um hippie pacifista do paz amor.

O antipapa Fraticelli teve a cara de pau de dizer que na passagem da expulsão dos vendilhões do templo,Nosso Senhor estava FINGINDO que estava zangado.

Bem as provas e evidências disso são abundantes , me furto de citar pois todos nós sabemos.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“O Papa Pio X estava certíssimo sobre o modernismo. E compartilho da visão de que a Igreja segue atualmente um caminho errado em muitos setores e que há inúmeros padres e cardeais hereges.”


Rogo, prezado Pedro, que assim como você leu a Encíclica Pascendi e concorda que os hereges modernistas e a “igreja” conciliar segue um caminho que não é da Santa Imaculada Igreja católica, leia a essa Bula do Santo Papa Paulo IV e verá que devemos nos condenar e combater esses antipapas da “igreja” conciliar.

“Mas a história da Igreja conta um enorme quantidade de fatos. Há papas que renegaram Cristo (Papa Marcellinus), há papas que foram hereges (Papa Honorius), há papas que foram acusados de somomia (Papa Bonifácio VIII), há inúmeros papas perversos. “

Bem como eu já disse não nego que existiu maus católicos e antipapas no passado.O exemplo maior foi São Pedro (primeiro Papa) que quando pensou nas coisas dos homens e não de Deus foi chamado de satanás.O próprio Pedro negou Cristo 3 vezes e depois foi censurado por São Paulo publicamente na crise da heresia judaizante.

Mas como eu disse todas essas crises não se compara com a crise atual.Os hereges modernistas criaram uma falsa igreja, subverteram os Sacramentos(um dos poucos Sacramentos que esses hereges modernistas não adulteraram foi o Batismo), a Liturgia, os símbolos católicos.A “missa” do antipapa Montini foi criada por um maçôn Annibale Bugnini e com ajuda de 6 hereges protestantes.

E a nova teologia ecumenista irênista sincretista que transformou Cristo Deus ( O Católico centro de tudo e não o homem) em um hippie pacifista do paz amor.

O antipapa Fraticelli teve a cara de pau de dizer que na passagem da expulsão dos vendilhões do templo,Nosso Senhor estava FINGINDO que estava zangado.

Bem as provas e evidências disso são abundantes , me furto de citar pois todos nós sabemos.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“O Papa Pio X estava certíssimo sobre o modernismo. E compartilho da visão de que a Igreja segue atualmente um caminho errado em muitos setores e que há inúmeros padres e cardeais hereges.”


Rogo, prezado Pedro, que assim como você leu a Encíclica Pascendi e concorda que os hereges modernistas e a “igreja” conciliar segue um caminho que não é da Santa Imaculada Igreja católica, leia a essa Bula do Santo Papa Paulo IV e verá que devemos nos condenar e combater esses antipapas da “igreja” conciliar.

“Mas a história da Igreja conta um enorme quantidade de fatos. Há papas que renegaram Cristo (Papa Marcellinus), há papas que foram hereges (Papa Honorius), há papas que foram acusados de somomia (Papa Bonifácio VIII), há inúmeros papas perversos. “

Bem como eu já disse não nego que existiu maus católicos e antipapas no passado.O exemplo maior foi São Pedro (primeiro Papa) que quando pensou nas coisas dos homens e não de Deus foi chamado de satanás.O próprio Pedro negou Cristo 3 vezes e depois foi censurado por São Paulo publicamente na crise da heresia judaizante.

Mas como eu disse todas essas crises não se compara com a crise atual.Os hereges modernistas criaram uma falsa igreja, subverteram os Sacramentos(um dos poucos Sacramentos que esses hereges modernistas não adulteraram foi o Batismo), a Liturgia, os símbolos católicos.A “missa” do antipapa Montini foi criada por um maçôn Annibale Bugnini e com ajuda de 6 hereges protestantes.

E a nova teologia ecumenista irênista sincretista que transformou Cristo Deus ( O Católico centro de tudo e não o homem) em um hippie pacifista do paz amor.

O antipapa Fraticelli teve a cara de pau de dizer que na passagem da expulsão dos vendilhões do templo,Nosso Senhor estava FINGINDO que estava zangado.

Bem as provas e evidências disso são abundantes , me furto de citar pois todos nós sabemos.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

O novo código de direito canônico criado na decada de 80 é a transformação de colocar as heresias conciliar do conciliábulo modernista de Metz em linguagem canônica.Esse novo código de direito canônico não é da Santa Imaculada Igreja e sim da falsa igreja católica, a conciliar.

Como mostrei acima, o Código de Direito Canônico da Santa Igreja católica nós autoriza a julgar um Papa factualmente, mas julgamentos formais é prerrogativa da Santa Igreja e de um futuro Papa ( verdadeiro Papa ortodoxo, e não esses hereges modernistas que estão na “igreja” conciliar).

“E houve também momentos que mesmo os santos se dividiram para saber quem era o papa e quem era o anti papa, como Santa Catarina de Siena e São Vicente.”

A única diferença é que desde o conciliábulo modernista de Metz a Santa Imaculada Igreja católica foi eclipsada por uma seita conciliar que engana milhões e milhões de católicos no mundo todo.

Repito a “igreja” conciliar não é a Santa Imaculada Igreja católica, as provas e evidências atestam isso de maneira irrefutável. E ensinou S. Celestino I: “Não temos por católico o que for contra o já fixado.”

“A história dos papas, como milhões de circunstâncias, só mostra uma coisa: a força do Espírito Santo, diante de humanos tão corruptos.”

Nisso concordo com você e assino com meu sangue.São as crises que provam que a Santa Imaculada Igreja católica foi edificada por Cristo ( O Católico centro de tudo e não o homem)


Prezado Pedro, essa crise é a maior de todas e está nas mãos de nós leigos o importante dever de defender e proteger a Santa Imaculada Igreja católica dos hereges modernistas.O “clero” conciliar apostatou e são hereges públicos que atendem ao interesses da maçonaria.

Esse encontro com os líderes das duas falsas religiões é uma das evidências!!

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

Pedro Erik disse...

Meu caro Leonardo,

Esta crise atual está longe de ser a pior crise da Igreja,meu amigo. Longe muito longe. Santo Atanásio riria de nossos problemas.

Na época do arianismo, 80% dos bispos defendiam Arius. 80%, como lembrou o Cardeal Newman. Santo Atanásio tem o apelido de "contra mundo" por atacar quase sozinho o arianismo.

Entre os séculos 9 e 11, tivemos papas que mataram papas, tivemos sínodo cadáver, fora as matanças populares por causa de papas.

E sobre papa hereges, é claro que um herege não pode ser papa. Mas quem pode declarar um papa herege? Você não pode, nem o Bento XVI.

Procure ver os que os santos falaram do assunto. Os santos falam que hereges deixam de ser papas, e deixam mesmo, após a declaração que são hereges por outro papa.

Ninguém está acima de um papa, nem pode estar.

Imagine se qualquer teólogo pudesse declarar que o papa é um herege. Como a Igreja, que somos todos nós, saberia quem é o papa? Ninguém pode declarar um papa herege, só outro papa.

Vivemos a crise do modernismo, que Nossa Senhora nos ajude. O Espírito Santo sabe o que faz. Como disse Deus a Jó: "onde estava você
quando eu criei o mundo"

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Bom dia!
Caros amigos, Pedro e Leonardo, desculpem-me a franqueza das palavras seguintes. Vamos lá:
Leonardo, você fala demais. Precisa refletir sobre o que nos ensina São Pedro em 1 Pd 3,15. Principalmente o final do versículo - fazei-o com suavidade e respeito.
E que negócio é esse de "o católico centro de tudo e não o homem" quando se refere a Cristo? Isso está cheirando a Nestorianismo...
Leonardo, por fim, sugiro a leitura do livro "A Bondade" do padre Willian Faber, o qual não li, mas conheço alguns excertos. Digo-lhe apenas um: "A bondade tem convertido mais pecadores do que o zelo, a eloquência ou a instrução; e estas três coisas jamais converteram alguém sem que a bondade tenha tido nisso alguma parte.”
Um abraço, amigos.
A Paz do Senhor,
Gustavo Silveira.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus,Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor.


“ Esta crise atual está longe de ser a pior crise da Igreja,meu amigo. Longe muito longe. Santo Atanásio riria de nossos problemas.

Na época do arianismo, 80% dos bispos defendiam Arius. 80%, como lembrou o Cardeal Newman. Santo Atanásio tem o apelido de "contra mundo" por atacar quase sozinho o arianismo. “

A crise ariana foi uma terrível crise, mas não se compara com a crise hodierna onde os hereges modernistas criaram uma falsa igreja.Eles, os hereges modernistas, criaram uma nova doutrina, um novo evangelho, adulteraram os sacramentos, adulteraram a liturgia, criaram uma falsa missa com ajuda de um maçon e 6 hereges protestantes.Sem contar que fizeram de Nosso Senhor (O Católico centro de tudo e não o homem) um hippie pacifista do paz e amor.

Meu caro Pedro, estudei ( e continuo estudando) todas as crises que ocorreram na Santa Igreja mas em nenhuma delas os hereges criaram uma falsa religião que se passa pela Santa Igreja no intuito de enganar milhões e milhões de católicos.

As provas e evidências nos mostram que a “igreja” conciliar e seus “clérigos” e seus antipapas são ensinam e fazem tudo que a Santa Igreja católica sempre condenou.A tentativa que vocês conciliares usarem as crises do passado ( crises essas que não se compara com essa crise de hoje onde milhões e milhões de católicos são enganados por essa falsa igreja e seus “clérigos” hereges modernistas) para de alguma forma justificar e se anestesiar por seguirem hereges públicos é absurdo.

“Entre os séculos 9 e 11, tivemos papas que mataram papas, tivemos sínodo cadáver, fora as matanças populares por causa de papas.”
Hoje ocorre muito pior,milhões e milhões de católicos como cegos seguem hereges modernistas e antiapapas que ensinam um evangelho diferente do que sempre foi ensinado.E por seguirem hereges modernistas milhões de almas vão se perder.Perder a alma é muito pior que perder a vida.
“Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“E sobre papa hereges, é claro que um herege não pode ser papa. Mas quem pode declarar um papa herege? Você não pode, nem o Bento XVI.”

Ótimo, meu caro Pedro, pelo menos nisso concordamos, hereges públicos não podem ser Papas pois se fossem as portas do inferno prevaleceriam contra a Santa Igreja e Nosso Senhor (O Católico centro de tudo e não o homem).
Quanto a declarar um papa herege não só posso como devo a Sã Doutrina católica me autoriza fazer julgamentos factuais, julgamentos formais somente a Santa Igreja católica e um futuro Papa (verdadeiro e ortodoxo) pode fazê-lo.

Um herege notório que cai em heresia não necessita de um julgamento formal para ser considerado como tal. Seria o mesmo que exigir que um corpo em decomposição necessitasse de um BO para ser declarado como morto, o que é absurdo. Ele pode continuar em seu cargo visivelmente, mas invisivelmente ele está fora da Igreja, e o que vale para a Igreja primacialmente não são realidades materiais, mas espirituais.

Em suma, a Igreja não pode depor um papa, mas pode julgá-lo futuramente como herege, como fez com Honório e já mencionado mais acima.

O antipapa Bento 16 não pode julgar nada que for católico pois é uma herege modernista (moderado) público.

“Ninguém está acima de um papa, nem pode estar.

Imagine se qualquer teólogo pudesse declarar que o papa é um herege. Como a Igreja, que somos todos nós, saberia quem é o papa? Ninguém pode declarar um papa herege, só outro papa”
Eu sei muito bem que ninguém pode estar acima do Papa, estou combatendo antipapas hereges públicos e já citei um documentos do sagrado magistério que me autoriza julgar(factualmente) um herege público.

Não é qualquer teólogo que pode declarar um papa herege, mas a própria Lei da Santa Igreja que faz um herege público cair do seu cargo.Volto lembrar o que São Paulo ensinou mas você, infelizmente, ignora:

“Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado! É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Cristo. Asseguro-vos, irmãos, que o Evangelho pregado por mim não tem nada de humano. Não o recebi nem o aprendi de homem algum, mas mediante uma revelação de Jesus Cristo.”

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Viu meu caro Pedro, não é qualquer teólogo que declara um papa herege é a própria Lei de Cristo que São Paulo ensinou.
Todos os documentos que citei se baseia nessa passagem.Portanto quando você diz “Ninguém pode declarar um papa herege, só outro papa.”, você contradiz o que São Paulo ensinou, você contradiz o que o Santo Papa Paulo IV ensinou.E lembre-se:
“Se alguém vem a vós sem ser portador desta doutrina, não o recebais em vossa casa, nem o saudeis. Aquele que o saúda participa de suas más obras” (II Jo I, 10-11).
Os antipapas conciliares não portam a Sã Doutrina católica e sim uma doutrina herética modernista.
“Procure ver os que os santos falaram do assunto. Os santos falam que hereges deixam de ser papas, e deixam mesmo, após a declaração que são hereges por outro papa.”

Ok!!Já te mostrei o que um Santo diz sobre o assunto, São Paulo disse que se um sucessor dos Apóstolos ensinar outra doutrina seja anátema.Mas vou citar mais um Santo,mas poderia citar muitos outros Santos, Doutores e Papas.
A propósito, tratando de defender a infalibilidade papal, Santo Afonso de Ligório escreve:
“Os nossos adversários objetam com o cânon ‘Si Papa’, no qual o papa S. Bonifácio mártir, declara que o Soberano Pontífice não deve ser julgado por ninguém, a menos que ele seja depreendido como desviado da Fé (Cap. 6, dist. 40). Nossos contraditores argumentam: ‘Se o papa é capaz de cair em heresia, ele não pode ser infalível’. Respondemos: Se ele cair em heresia como pessoa privada, estaria privado do Pontificado no mesmo instante, porque não poderia ser cabeça da Igreja estando fora dela. (…) Dissemos: Se o papa caísse em heresia como pessoa privada, porque, enquanto papa, dando ensinamentos ex cathedra à Igreja Universal, ele não poderia ensinar nenhum erro contra a Fé. Isso, porque a promessa de Cristo não pode deixar de realizar-se. As portas do inferno não prevalecerão jamais contra a Igreja. Devemos recordar a sentença de Orígines: ‘Se as portas do inferno prevalecessem contra a pedra sobre a qual a Igreja está construída, elas prevaleceriam também contra a própria Igreja’” (Santo Afonso de Ligório, citado por Homero Johas, op. cit., p. 77).

“Vivemos a crise do modernismo, que Nossa Senhora nos ajude. O Espírito Santo sabe o que faz. Como disse Deus a Jó: "onde estava você
quando eu criei o mundo"

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Claro que o Espírito Santo faz o que faz, tenho plena consciência disso.E sei mais ainda que Ele nos ensinou por meio de São Paulo:

“Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado! É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Cristo. Asseguro-vos, irmãos, que o Evangelho pregado por mim não tem nada de humano. Não o recebi nem o aprendi de homem algum, mas mediante uma revelação de Jesus Cristo.”

Sabe o que o Espírito Santo também faz?Ele só fala a Verdade e nunca se contradiz.O Espírito Santo NUNCA iria atuar nessa “igreja” conciliar que contradiz tudo que Ele sempre ensinou antes do conciliábulo modernista de Metz.

Para encerrar, vou citar mais um ensinamentos do Espírito Santo em que baseio para lutar contra os hereges modernistas (radicais e moderados) da “igreja conciliar:

“Caríssimos, estando eu muito preocupado em vos escrever a respeito da nossa comum salvação, senti a necessidade de dirigir-vos esta carta para exortar-vos a pelejar pela fé, confiada de uma vez para sempre aos santos.Pois certos homens ímpios se introduziram furtivamente entre nós, os quais desde muito tempo estão destinados para este julgamento; eles transformam em dissolução a graça de nosso Deus e negam Jesus Cristo, nosso único Mestre e Senhor.” (Espístola de São Judas)

Abraços!!!

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

Pedro Erik disse...

Caro Leonardo,
Sua teoria não se sustenta, meu amigo. Você mesmo destrói seus argumentos:
Vejamos. Vou colocar aqui algumas frases suas e depois retruco. Suas frases estão numeradas (e entre parênteses) e minhas respostas não estão.

Você diz:

1)Você diz: “Eles, os hereges modernistas, criaram uma nova doutrina, um novo evangelho, adulteraram os sacramentos, adulteraram a liturgia, criaram uma falsa missa com ajuda de um maçon e 6 hereges protestantes.Sem contar que fizeram de Nosso Senhor (O Católico centro de tudo e não o homem) um hippie pacifista do paz e amor.Hoje ocorre muito pior,milhões e milhões de católicos como cegos seguem hereges modernistas e antiapapas que ensinam um evangelho diferente do que sempre foi ensinado.E por seguirem hereges modernistas milhões de almas vão se perder.Perder a alma é muito pior que perder a vida.”

RESPONDO: Meu amigo, quantos modernistas durante a história criaram um nova doutrina? Praticamente todos os hereges eram modernistas e pensavam em uma nova doutrina. Arius era modernista, assim como Lutero, e John Huss.

Mesmos os Franciscanos já ensinaram um evangelho diferente e foram condenados por um papa depois considerado herético (João XXII). João XXII estava certo em condenar a doutrina franciscana do pobrismo.

Quantos modernistas e papas durante a história não acharam que era moderno se submeter a um novo rei? Quiseram servir a Constantino, a Justiniano, a Carlos Magno...

Sobre maçons, a Igreja teve e deve ter maçons em seu clero. Mas continua viva a condenação ao pelagianismo da maçonaria, meu amigo.

CONTINUO...

Pedro Erik disse...

2)Você diz:"Quanto a declarar um papa herege não só posso como devo a Sã Doutrina católica me autoriza fazer julgamentos factuais, julgamentos formais somente a Santa Igreja católica e um futuro Papa (verdadeiro e ortodoxo) pode fazê-lo."

RESPONDO: Você pode falar o que você quiser sobre os papas, Leonardo. Mas só um papa pode declarar outro herético. Esta sua afirmação é vazia.

3) Você diz:"Um herege notório que cai em heresia não necessita de um julgamento formal para ser considerado como tal. Seria o mesmo que exigir que um corpo em decomposição necessitasse de um BO para ser declarado como morto, o que é absurdo. Ele pode continuar em seu cargo visivelmente, mas invisivelmente ele está fora da Igreja, e o que vale para a Igreja primacialmente não são realidades materiais, mas espirituais."

RESPONDO: Um herege precisa sim de julgamento formal. Caso contrário, seria um completo caos e pior do que o julgamento dos homens.

4)Você diz: "Eu sei muito bem que ninguém pode estar acima do Papa, estou combatendo antipapas hereges públicos e já citei um documentos do sagrado magistério que me autoriza julgar(factualmente) um herege público."

RESPONDO: Se você sabe que ninguém está acima de um papa, então não haveria razão para abjurar a Igreja. Você pode julgar da maneira que quiser, mas só um papa pode condenar um papa.

5) Você citou São Paulo: “Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado! É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Cristo. Asseguro-vos, irmãos, que o Evangelho pregado por mim não tem nada de humano. Não o recebi nem o aprendi de homem algum, mas mediante uma revelação de Jesus Cristo.”

RESPONDO: Leonardo, São Paulo estava falando daqueles que se diziam cristãos e sem nenhum conhecimento da teologia cristã.

Aliás, você me lembrou de um fato. São Paulo advertiu o próprio São Pedro sobre seu comportamento em relação aos judeus (incidente de Antioquia). São Pedro errou fortemente, mas nem por isso São Paulo deixou de prestar respeito a São Pedro e de considerar que São Pedro era legítimo e líder dos apóstolos.
---
Repense suas observações, Leonardo. Você cai em contradição.

Cuidado também para que a lógica de que a Igreja está em heresia não seja sua mais forte fonte de cristianismo.

Eu costumo assinar: ICXC NIKA, pois sei que Cristo sem pre vence, inclusive papas hereges.

Abraço,
Pedro Erik

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Gustavo Silveira, Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus,Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor.

“Caros amigos, Pedro e Leonardo, desculpem-me a franqueza das palavras seguintes. Vamos lá:
Leonardo, você fala demais. Precisa refletir sobre o que nos ensina São Pedro em 1 Pd 3,15. Principalmente o final do versículo - fazei-o com suavidade e respeito.”

Concordo plenamente com essa passagem, mas existem outras que também os Santos Apóstolos manda tratar com dureza os religiosos hipócritas.

Nosso Senhor usava do remédio da compaixão e do remédio da severidade quando necessário. Atualmente, este último remédio causa repugnância a fresca mentalidade de nosso tempo é tida como ofensiva e como método corretivo foi lançada fora. Será que Nosso Senhor usava o método errado? O problema é que hoje as pessoas só querem o que é agradável dos evangelhos, rejeitam o que incomoda os ouvidos.

Será que você não leu nunca que Ele chamou os fariseus de hipócritas, de raça de víboras, de filhos do diabo?
E você não leu que Ele usou até o chicote contra os vendilhões no templo?
Que chicote, e que espada da palavra não usaria Cristo, hoje, contra os vendilhões do Templo?
E contra os que deturpam a Escritura, que diria Cristo ?
Claro que Ele não usou só a palavra fustigante. Usou também a palavra de misericórdia. Mas Nossa Senhora, no Magnificat , nos alertou que ""A Misericórdia de Deus se estende de geração em geração para aqueles que O temem" (Luc., I, 50).
Não para aqueles que O desafiam com soberba herética.
Assim como se cura o doente combatendo a doença, assim se atrai para verdade, combatendo e refutando as heresias e as mentiras.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

E que negócio é esse de "o católico centro de tudo e não o homem" quando se refere a Cristo? Isso está cheirando a Nestorianismo...”
Esse negócio é que eu faço questão de dizer, ou melhor, clamar de cima dos telhados, que só existe um Cristo O Católico (o antipapa Fraticelli disse que não acredita em um Deus católico) e clamo do alto dos telhados que Cristo é O CENTRO DE TUDO E NÃO O HOMEM porque o antipapa Fraticelli disse que o homem é o centro de tudo.Engraçado cheirou Nestorianismo em minha palavras que lembra que Cristo é católico e centro de tudo e não o homem como o antipapa Fraticelli disse, mas não sente cheiro de heresia no seu ídolo Bergoglio.Meu caro Gustavo seu olfato não anda bem.
O que você, meu caro Gustavo, sentiu, ou melhor, que heresia você cheirou quando o antipapa Fraticelli disse que Cristo não é católico e que o homem é o centro de tudo?

Ou será que seu olfato só cheira suspeita de heresia em quem baseado na Sã Doutrina católica denuncia e desmáscara esses hereges modernistas públicos?

Lamentabili!!

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“Leonardo, por fim, sugiro a leitura do livro "A Bondade" do padre Willian Faber, o qual não li, mas conheço alguns excertos. Digo-lhe apenas um: "A bondade tem convertido mais pecadores do que o zelo, a eloquência ou a instrução; e estas três coisas jamais converteram alguém sem que a bondade tenha tido nisso alguma parte.”

Muito obrigado pela indicação do livro, prometo que vou ler, retribuindo a gentileza indico para você os “liberais moderados” são os piores do que os liberais radicais ver o excelente livro de Felix Sarda.Liberalismo é um pecado, capitulo 16, este trabalho foi aprovado pela congregação do índice vaticano sob o Papa Leão XIII.

Leia Cônego Júlio Antônio dos Santos O Crucifixo, meu livro de estudos – 1950:
I - Natureza do respeito humano

O respeito humano é o respeito pelas coisas humanas colocado acima do respeito pelas coisas de Deus; é a estima pelo homem preferida à estima por Deus.

O respeito divino coloca-nos na presença de Deus a quem devemos conhecer, amar e servir porque é nosso Criador, Senhor, Juiz e Remunerador.- O respeito humano é a negação de tudo isto. Transfere sacrilegamente para o homem os direitos e a honra que são reservados a Deus. O homem é considerado como senhor e juiz, e, por isso, toda a vida exterior é para lhe agradar.

9 - O respeito humano é uma apostasia infame

“Foi o respeito humano que fez morrer o Filho de Deus. Pilatos teria sido inabalável às instâncias e gritos dos Judeus que pediam a morte de Jesus por estar convencido da inocência do Salvador, e da injustiça deles, mas apenas o ameaçaram com César, toda a sua firmeza não pôde vencer o temor de desagradar a César. Ó respeito humano, exclama alguém, em quantos corações tens dado a morte a Cristo, e em quantos não O tens deixado nascer! Deixamos de ser de Deus ou receamos ser d'Ele, pelo temor do juízo dos homens”. Quem quiser ser amigo deste mundo perverso declara-se por isso mesmo inimigo de Deus.

Leia, também, caro Gustavo, A intolerância católica (sermão pregado na Catedral de Chartres em 1841, Cardeal Pie).

“Ut inimiccos Sanctae Ecclesiae humiliari digneris, Te rogamus, Audi nos!” (“Para que vos digneis humilhar os inimigos ad Santa Igreja, nós Te rogamos, ó Senhor”!)

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Se meu jeito te incomoda, sinto dizer, mas não vou mudar pois imito Nosso Senhor ( O Católico centro de tudo e não o homem) e sigo São Paulo quando diz a Tito: “Increpa illos dure” – Increpa-os duramente” (Ep. Tito, I, 13).
Aproveito sua crítica e seus bons conselhos, cheios de estima e caridade, para explicar, para outros leitores do site, porque é legítima a polêmica, e como, na polêmica, devemos e podemos imitar a Cristo e a São João.
São João Batista é quem diz a primeira palavra polêmica contra os fariseus no Evangelho de São Mateus.
Quando os fariseus vão até junto ao rio Jordão ver São João Batista, ele lhes lança o primeiro "bom dia" que aparece no Evangelho, apostrofando os fariseus:
"Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera de Deus que vos ameaça?" (Mt. III, 7).
Se os católicos dulçurosos, liberais e sentimentais vivessem naquele tempo, seriam capazes de acusar São João Batista de não ter caridade e de ser mal educado. Afinal, os fariseus vinham mansinhos, dizendo-se penitentes, e São João os recebe com duas pedradas!? Perguntariam certos católicos de coração romântico e liberal: "É assim que ele queria converter aquelas pessoas?"
Entretanto, Jesus declarou que nunca houve um homem nascido de mulher, maior que João Batista.
Donde se conclui que estão completamente equivocados aqueles que querem dizer, para todo o mundo, palavras doces e respeitosas. Os inimigos de Deus devem ser atacados.
Também Nosso Senhor vai atacar os fariseus violentamente.
E muito obrigado meu caro Gustavo, por dizer que “falo demais” pois Nosso Senhor ( O Católico centro de tudo e não o homem) disse:
“ e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo.”
E as testemunhas de Nosso Senhor ( O Católico centro de tudo e não homem) tem que “falar demais” para dar testemunha e combater os hereges modernistas!!
con mio addio senza rancore

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus, Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!
“Sua teoria não se sustenta, meu amigo. Você mesmo destrói seus argumentos:
Vejamos.”
Isso não é minha teoria, isso é ensinado pela Santa Igreja católica.Meus argumentos são baseados no Depósito da Fé e que foi ensinado pela Santa Igreja coluna sustentáculo da verdade.Você simplesmente ignorou as fontes que citei ( fontes essa que são o Depósito da Fé católica) e preferiu usar dos sofismas modernistas para defender esse antipapa e essa falsa igreja que tenta se passar pela Santa Imaculada Igreja católica.Mas como você mesmo disse, vejamos, se eu mesmo acabo com meus argumentos.

“Meu amigo, quantos modernistas durante a história criaram um nova doutrina? Praticamente todos os hereges eram modernistas e pensavam em uma nova doutrina. Arius era modernista, assim como Lutero, e John Huss.

Mesmos os Franciscanos já ensinaram um evangelho diferente e foram condenados por um papa depois considerado herético (João XXII). João XXII estava certo em condenar a doutrina franciscana do pobrismo.

Quantos modernistas e papas durante a história não acharam que era moderno se submeter a um novo rei? Quiseram servir a Constantino, a Justiniano, a Carlos Magno...

Sobre maçons, a Igreja teve e deve ter maçons em seu clero. Mas continua viva a condenação ao pelagianismo da maçonaria, meu amigo.”

Você realmente sabe o que é a heresia modernista?O Papa São Pio X ensinou na Encíclica Pascendi que os modernistas são os piores inimigos da Santa Igreja católica.

Em 1907 o Papa São Pio X declarou, com toda autoridade papal, no Motu Proprio Praestantia Scripturae que estão excomungados latae sententiae todos aqueles que defenderem os erros da heresia modernista, condenados no decreto Lamentabili Sine Exitu e na encíclica Pascendi Dominici Gregis.
Desde então muita coisa aconteceu.
O modernismo infiltrou-se na Igreja e nos seminários. E também em toda a sociedade por meio dos livros, jornais, filmes, arte e música.
Ocorreram duas guerras mundiais.
O modernismo tentou até se camuflar sob a forma da Nova Teologia, também condenada pelo Papa Pio XII na encíclica Humani Generis.
E, por fim, lamentavelmente triunfou no Concílio Vaticano II. E quem afirma isso não é nenhum “tradicionalista”, mas sim Jean Guitton, filósofo modernista e amigo íntimo do antiPapa Paulo 6:
“Quando leio os documentos concernentes ao Modernismo, tal como ele foi definido por São Pio X, e quando os comparo com os documentos do Concílio Vaticano II, não posso deixar de ficar desconcertado. Porque, o que foi condenado como uma heresia em 1906, foi proclamado como sendo e devendo ser doravante a doutrina e o método da Igreja. Dito de outro modo, os modernistas em 1906 me aparecem como precursores. Meus mestres faziam parte deles [os modernistas]. Meus pais me ensinavam o Modernismo. Como São Pio X pode repelir os que agora me aparecem como precursores?” (Jean Guitton, Portrait du Père Lagrange, Éditions Robert Laffont, Paris, 1992, p.55-56).

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Você para se fundamentar seus argumentos, usou os hereges Arius , assim como Lutero, e John Huss, Franciscanos.
Franciscanos não.Hereges que deturparam as idéias de São Francisco, por isso eram chamados de Fraticelli: Extremos defensores das ideias de São Francisco de Assis, especialmente no que diz respeito a pobreza, e consideravam a riqueza da Igreja como um escândalo, e que indivíduos clérigos como tendo viciado o seu estatuto. Apareceram nos séculos XIV e XV, principalmente na Itália. Foram declarados heréticos pela Igreja em 1296 pelo Papa Bonifácio VIII

Quanto aos outros hereges que você citou, ainda bem que você reconhece que esses homens são hereges.Então por qual motivo os descendentes desses hereges são elogiados e louvados pela “igreja” conciliar e seus antipapas?

O antipapa Fraticelli até se ajoelhou para receber “bênçãos” desses hereges que desprezam à Cristo (O Católico centro de tudo e não o homem) ?E os antiapapas João Paulo 2 e Bento 16 que foram nas “igrejas” luteranas (lembrando que a Santa Imaculada Igreja católica proibi isso).
A “igreja” conciliar até assinou com os hereges luteranos ( até você mesmo,conciliar, admitiu que são hereges) um documento sobre a herética doutrina da “justificação” condenada, juntamente, com Lutero pelo concílio Infalível Dogmático de Trento.E você deve saber que a “igreja” conciliar vai comemorar em 2017 500 anos da revolta protestante.E o senhor vem me falar de contradição, que eu mesmo acabo com meus argumentos?
E o panteão de Assis onde a “igreja” conciliar pisou no sangue dos mártires católicos, pisou na Santa Igreja católica e foi “orar” pela paz mundial maçônica?
E o senhor vem me falar de contradiçã
A Santa Igreja católica é militante na terra e Ela combate as heresias dentro e fora d´Ela desde os tempos dos Santos Apóstolos.Mas os hereges modernistas por meio do conciliábulo modernista de Metz criou outra igreja para se conciliar com o mundo e os inimigos de Cristo.

A história da Igreja é realmente fascinante e prova que ela é de instituição divina. Afinal, os maus tentam destruí-la há dois mil anos, nunca conseguiram e nem conseguirão.
Por cesaropapismo, entende-se a tentativa por parte do Estado de usurpar as funções da Igreja, pretendendo sua subordinação. A questão é sempre mal explorada pelos protestantes, que nunca conseguem provar suas teses.

O problema começou com Constantino e o famoso Concílio de Nicéia. O imperador convocou o concílio e teria influenciado as decisões, o que colocaria em dúvida o valor dos dogmas.
Porém, se é verdade que o imperador convocou o concílio, foi com a anuência do papa S. Silvestre e foi o papa e não o imperador quem indicou para presidirem o concílio, Osio, bispo de Córdova, e Vito e Vicente, presbíteros romanos (conforme o padre Leonel Franca, no livro "Catolicismo e Protestantismo").
Veja que interessante este trecho da carta do bispo Ósio de Córdoba ao imperador Constantino (importante reforçar que quando a escreveu ele estava em Milão, para onde foi conduzido e preso pelo mesmo imperador):
“Recorda-te que és mortal. Teme o dia do juízo e conserva-te puro para ele. A ti Deus deu o Império; a nós confiou a Igreja. E assim como o que te roubasse o Império se oporia a ordem divina, do mesmo modo guarda-te de incorrer no horrendo crime de intrometer-se no que toca a Igreja...” (conf. Llorca, Bernardino. Historia de la Iglesia Catolica, tomo I. Madri, BAC, 2001, pág. 413).
Desta forma, o valor e a forma dos dogmas não foram violados.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Nem sempre as ingerências foram negativas. Às vezes, a Providência se utiliza de caminhos tortuosos para fazer o bem. O Imperador da Áustria, Francisco José, por meio do bispo de Cracóvia, vetou a eleição do cardeal Rampolla (na sucessão de Leão XIII), em seu lugar, foi eleito S. Pio X.
Deus ( O Católico centro de tudo e não o homem) usou de cesaropapismo para levantar um Papa para combater a heresia modernista.Deus usou do cesaropapismo,por meio de Constantino,para tirar a Sua ÚNICA Igreja das catacumbas e com isso construir a Civilização Ocidental.

O Santo Papa Leão XIII, ensinou que a Igreja sem o Estado é uma alma sem corpo e o Estado sem a Igreja é como um corpo sem alma.

Foram os hereges galicanos,anglicanos que tentaram fazer a Santa Igreja Católica se submeter ao cezaropapismo, onde a Santa Igreja seria subordinada ao Estado.Mas essas heresias foi combatida pela Santa Igreja e condenada.




Repito a Santa Imaculada Igreja católica sempre foi militante e luta contra as heresias e mundo dominado pelo maligno desde os tempos dos Santos Apóstolos.Foi a falsa igreja conciliar que se conciliou com o mundo e com os inimigos históricos de Cristo.Foi a falsa igreja conciliar, que desobedecendo a Santa Igreja, se submeteu aos Estados anticatólicos laicos (maçons).

“Sobre maçons, a Igreja teve e deve ter maçons em seu clero. Mas continua viva a condenação ao pelagianismo da maçonaria, meu amigo.”

Que bom que você concorda que a “igreja” conciliar tem maçons, só que o problema é que eles hoje se passam por altas autoridades da Santa Imaculada Igreja católica.Se passam até por Papas.Mas se continua viva a condenação ao “pelagianismo da maçonaria”, então a “igreja” conciliar e seus antiapapas conciliares cai em contradição pois os ambíguos e prolixos documentos do conciliábulo mordenista de Metz ensina que não existe mais hereges, cismáticos, pagãos, e os maçons são chamados pelos antiapapas conciliares de “homens de boa vontade”.

E o senhor vem me falar de contradição?


“Você pode falar o que você quiser sobre os papas, Leonardo. Mas só um papa pode declarar outro herético. Esta sua afirmação é vazia.”

Não meu caro essa minha afirmação não é vazia ela, é baseada do Depósito da Fé,como já provei.

Continuando as citações que demonstram a possibilidade do fiel "julgar o Papa", agora que está mais claro o significado desta expressão que corretamente compreendida não contraria a verdade católica, vejamos o que prescreveu o Cânon "Si Papa", cujo ensinamento foi atribuído por Santo Afonso de Ligório ao Papa São Bonifácio Mártir:

Leonardo Santana de Oliveira disse...

"Ninguém ouse redargüir as culpas de um Papa, porque ele julga a todos e não deve ser julgado por ninguém, a não ser que seja encontrado como desviado da fé (Cânon "Si Papa" Decretum, v, 23, Parte I, Dist. XI, C. 6).

Ou seja, o Papa legítimo não deve ser julgado por ninguém "a não ser que seja encontrado como desviado da fé". É o mesmíssimo ensinamento dos papas São Símaco e Inocêncio III! E como os fiéis presumidamente não tem sequer condições de emitirem uma sentença jurídica sobre o Papa herege (pois isso é algo que somente a Igreja pode fazer, e devemos presumir que São Bonifácio Mártir sabia desta mais elementar doutrina católica), novamente fica provado que o fiel tem o direito de fazê-lo em âmbito pessoal, de acordo com sua consciência.


Há duas formas em que um ofensor é julgado e sentenciado: pela própria lei (ab jure) ou por um julgamento eclesiástico que consiste em um julgamento ou sentença de um juri competente (ab homine), que pode ser referido como um julgamento judicial ou sentença judicial. A própria lei inflige sentenças automáticas, também conhecidas como penalidades latae sententiae, enquanto que um competente júri inflige sentenças declaratórias ou condenatórias, também conhecidas como penalidades ferendae sententiae:
"Cânon 2217, n. 2: Uma penalidade é chamada: (2) latae sententiae, se uma penalidade específica é ligada a uma lei ou um preceito de tal forma que é incorrido ipso facto [automaticamente] pelo cometimento do crime; ferendae sententiae, se deve ser infligida pelo júri ou superior."
Enquanto um papa pode ser julgado e sentenciado pela própria lei, ele não pode ser julgado e sentenciado por um júri ou superior. Por conseguinte, um papa não pode incorrer em penalidade ferendae sententiae (uma sentença condenatória ou declaratória) porque ele não tem superior na Terra que pode julgá-lo e sentenciá-lo.

O Cânon 192 decreta duas formas em que um portador de cargo perde seu posto: pela própria lei ou por um ato de um superior legítimo:
“Cânon 192: A privação ou perda de um cargo pode ser incorrida tanto de acordo com a própria lei, quanto através do ato do superior legítimo.”
E o mesmo se aplica a um papa que se torna um herético público e automaticamente perde seu cargo por deserção pública da fé. Não é qualquer superior que julga judicialmente e depõe o papa, mas a própria lei julga e depõe o papa.

A punição pelos pecados mortais de heresia, apostasia ou cisma é excomunhão automática (ipso facto) e perda da associação com a Igreja Católica:
“Canon 2314, § 1: Todos os apóstatas da fé cristã, e todos os hereges e cismáticos: (1) são ipso facto [automaticamente] excomungados.”
Por conseguinte, todos que são excomungados pelo pecado mortal de heresia não são católicos, inclusive o papa.

É o limite acentuado por São Paulo: "Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado!" (Gl 1, 8-9)

Volto a dizer todo católico pode e deve fazer julgamentos factuais, pois foi ordem de Nosso Senhor (O Católico centro de tudo e não o homem) para todo fiel julgar sob reto juízo e não pela aparência.Portanto, meu caro Pedro, meu argumento, como provei, não é vazio.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

“: Leonardo, São Paulo estava falando daqueles que se diziam cristãos e sem nenhum conhecimento da teologia cristã.”

É impressionante como você repete os sofismas dos hereges modernistas para poder defender antiapapas hereges públicos.Mas tenho esperança que você acorde dessa cegueira, eu já estive cego também.Bem vou usar a autoridade de alguém bem maior que eu e você.
Para comentar esta importante passagem chamarei em meu socorro São Vicente de Lérins, que em sua obra "Commonitorium" (06) teceu ótimo comentário sobre esse ponto. Ele explica que o "ainda que nós" inclui até mesmo São Pedro. Vejamos:

"8 (...) a autoridade do apóstolo se manifestou então com maior severidade: "mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema". (gl 1,8) E por que disse São Paulo ainda que alguém – nós e não ainda que eu mesmo? Porque quis dizer que se inclusive Pedro, André, João, ou o colégio inteiro dos apóstolos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Tremendo rigor, com ele que, para afirmar a fidelidade á fé primitiva, não se exclui nem a si mesmo nem aos outros apóstolos".

Percebamos, então, que de acordo com o Santo é exatamente a aplicação de um "tremendo rigor" que nos obriga a anatematizar qualquer herege, inclusive Pedro (se for o caso), inclusive o Papa!Lembrando que se um Papa cair em heresia ele cai automaticamente de seu cargo pois Pedro (oPapa) é blindado pelo Espírito Santo.

Você contradiz o que a Santa Igreja católica ensina, levado por sofismas modernistas, e vem falar de contradição?

“Aliás, você me lembrou de um fato. São Paulo advertiu o próprio São Pedro sobre seu comportamento em relação aos judeus (incidente de Antioquia). “
Excelente comentário esse, pois me dá a oportunidade de esmagar mais um sofisma do hereges modernistas.

A diferença monumental é que os falsos papas do Vaticano II foram advertidos por erros de fé, ao passo que São Pedro foi advertido por costumes que punham em risco a prática da religião católica. Os delitos contra os costumes, via de regra, não causam separação da Igreja, ao contrário dos delitos contra fé, quais sejam, Cisma, Apostasia e Heresia (Cânon 2314, § 1), que são os pecados mais graves que existem e causam a separação do Corpo de Cristo.


“São Pedro errou fortemente, mas nem por isso São Paulo deixou de prestar respeito a São Pedro e de considerar que São Pedro era legítimo e líder dos apóstolos.”

Não, mas teria certeza que São Pedro se trataria de um pecador público; um mau católico, como já existiram tantos outros maus papas na história, já que um papa, como qualquer ser humano, pode pecar. Ainda assim, tratar-se-ia de um mau católico e não um cismático, herege ou apóstata.

São Pio XII ensinou isso “nem todo pecado, embora grave, por sua natureza separa o homem da Igreja como a heresia e a apostasia” (Pio XII; D.S.3803).

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Repense suas observações, Leonardo. Você cai em contradição.

Cuidado também para que a lógica de que a Igreja está em heresia não seja sua mais forte fonte de cristianismo.”

Repensei minhas observações e provei que tudo que eu digo é baseado na Sã Doutrina e no Sagrado e Eterno Magistério.Você, simplemente ignorou, ou segundo, conclui-se que o senhor não conhece a Bula Cum Ex Apostolatus Officio do Papa Paulo IV.
Como provei, usando os ensinamentos dos Santos Papas, dos Doutores e Santos, ou seja,usando o Sagrado Magistério provei que não estou em contradição.Infelizmente você que caiu em contradição pois ignorou minhas fontes e contradisse todas elas no afã de defender essa falsa igreja que se passa por católica.

Sua confusão, e contradição, é justamente por achar que a “igreja” conciliar é a Santa Imaculada Igreja católica.
As provas e evidências nos mostra que essa “igreja” conciliar não é a Santa Imaculada Igreja católica.Você mesmo vive denunciando mas,infelizmente, se recusa enxergar as provas e evidências.

O papa não pode pregar “doutrina nova”, ensina o Vaticano I (D.S. 3070). Ninguém pode alterar o Direito divino.

Aqueles que afirmam que a seita do Vaticano II é a Igreja Católica afirmam que a Igreja Católica oficialmente endossa falsas religiões e falsas doutrinas. Isso é impossível e significaria que as portas do Inferno prevaleceriam contra ela.



“Eu costumo assinar: ICXC NIKA, pois sei que Cristo sem pre vence, inclusive papas hereges.”
Meu caro Pedro, é claro que Cristo (O Católico centro de tudo e não o homem) vence tudo e à todos, mas Ele nos quer militantes combatendos os hereges modernistas que hoje promovem abominação e desolação em lugares Santos.

Kasper (louvado pelo antipapa Fraticelli) reconheceu o óbvio, a saber, que o Vaticano II foi ambíguo para favorecer interpretações esdrúxulas:“Em muitos lugares, [os Padres Conciliares] tiveram que encontrar fórmulas de concessões, em que, freqüentemente, as posições da maioria estão localizadas imediatamente próximas àquelas da minoria, projetadas para limitá-las. Assim, os textos conciliares em si têm um enorme potencial de conflito, sendo uma porta aberta à recepção seletiva em uma ou outra direção” (Cardeal Walter Kasper, L’Osservatore Romano, 12 de abril de 2013).
Pois bem, sem nos alongarmos, apenas colocamos aqui o ensinamento da Igreja, que condena as ambiguidades justamente pelo fato delas possibilitarem várias interpretações, sendo este um meio comum utilizado pelos hereges que procuravam introduzir erros sob aparência de verdade através. Vejamos as palavras do Papa Pio VI condenando o Sínodo de Pistoia:
"Eles [os Papas nossos predecessores, os Bispos, e certos Concílios Gerais] conheciam bem aarte maliciosa própria dos inovadores, os quais, temendo ofender os ouvidos dos católicos, se esforçam por encobrir sob fraudulentos jogos de palavras os laços das suas astúcias, afim de que o erro, escondido entre sentido e sentido (São Leão Magno., Carta 129 da edição Baller), se insinue mais facilmente nos espíritos e aconteça que — alterada a verdade da sentença por meio de umcurtíssimo acréscimo ou variante — o testemunho que devia dar a salvação, em conseqüência de uma sutil modificação, conduza à morte.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Se esta indesejável e falaz maneira de dissertar é viciosa em qualquer manifestação oratória, de nenhum modo deve ser praticado num Sínodo, cujo primeiro mérito deve consistir no adotar no ensino uma expressão de tal modo clara e límpida que não deixe espaço ao perigo de controvérsias. Porém, se no falar se engana, não se pode admitir aquela subdola defesa que se costuma aduzir e pela qual, quando tenha sido dita alguma expressão dura demais, se se encontra a mesma explicada mais claramente em outra passagem, ou ainda corrigida, como se esta desenfreada licença de afirmar e de negar a bel prazer, que sempre foi uma fraudulenta astúcia dos inovadores como cobertura do erro, não tivesse que valer antes para denunciar o erro mais do que para justificá-lo: como se às pessoas particularmente despreparadas a afrontar casualmente esta ou aquela parte de um Sínodo exposto a todos em língua vulgar estivessem sempre presentes as outras passagens a contrapor, e que ao confrontá-las cada um dispusesse de tal preparo a reconduzi-las sozinho, a tal ponto de evitar qualquer perigo de engano que eles difundem erroneamente.
Édanosíssima esta habilidade de insinuar o erro que Nosso Predecessor Celestino (São Celestino, Carta 13, n. 2, in Coust) descobriu nas cartas do Bispo Nestório de Constantinopla e condenou com duríssimo apelo. O impostor, descoberto, repreendido e alcançado por tais cartas, com o seu incoerente multilóquio envolvia o verdadeiro com o obscuro e, confundindo de novo uma coisa com outra, confessava aquilo que havia negado ou se esforçava em negar aquilo que tinha confessado.
Contra tais insídias, apesar de tudo renovadas em toda época, não foi colocada obra melhor em ação do que aquela de expor as sentenças que sob o véu da ambigüidade envolvem uma perigosa discrepância de sentidos, assinalando o perverso significado sob o qual se acha o erro que a Doutrina Católica condena” (Pio VI, Bula Auctorem Fidei, de 29 de Agosto de 1794. Os destaques são nossos).
Esta condenação de Pio VI condena o Vaticano II, que além de ambíguo foi propriamente heretizante ou até herético. Vale notar que esta mesma condenação de Pio VI foi repetida por São Pio X na Pascendi. .


Meu caro Pedro, você ou qualquer outro conciliar, podem me acusar de tudo mas nunca poderá me acusar de não seguir o que a Santa Igreja católica sempre ensinou por séculos e séculos.Todos os meus argumentos se baseiam no Depósito Sagrado da Fé.Eu não emito opinião minha em questões Doutrinárias, sigo exclusivamente o que ensina a Santa Imaculada Igreja católica, coluna sustentáculo da verdade.Por seguir os ensinamentos da Santa Imaculada Igreja católica e de seus legitimos Papas que combato e denuncio a "igreja" conciliar e seus antiapapas!!

In Corde Jesu, sempre,
Leonardo Santana de Oliveira.


Meu caro compare essa profecia de Profecia do Arcebispo Fulton Sheen de 1948 com o que ocorre desde o conciliábulo modernista de Metz onde foi criada uma falsa igreja católica, a conciliar:

“Ele [Satanás] estabelecerá uma contra-igreja que vai macaquear a Igreja, porque ele, o Diabo, é o macaco de Deus. Ela terá todas as notas e características da Igreja, mas ao inverso e esvaziada de seu conteúdo divino. Será um corpo místico do Anticristo que em todas as exterioridades se parecerá com o corpo místico de Cristo... Então se verificará um paradoxo - as mesmas objeções com as quais os homens no século passado rejeitaram a Igreja serão as razões pelas quais eles agora aceitarão a contra-igreja.”
(Arcebispo Fulton Sheen, Communism and the Conscience of the West)
Eles têm os templos; nós, a Fé!

Pedro Erik disse...

Caro Leonardo,

Você está querendo vencer pelo cansaço, amigo.

Eu cansei, porque você escreveu 11 partes sem retrucar meus pontos, apenas descrevendo seus conhecimentos da Igreja. Continuo achando que sua tese não se sustenta.

Caro, chegou a hora de parar o debate.

VOCÊ JÁ ESTÁ CHAMANDO SÃO PEDRO DE MAU CATÓLICO.

Alguém que chama São Pedro de "mau católico", pode qualquer coisa.

Desculpe, amigo, mas acabou o debate sobre este assunto.

Passemos para outro assunto.

ICXC NIKA.

Abraço,
Pedro

Paulo disse...

Extremamente radical e controverso, o Leonardo pelo que apresenta, admitiria que a Igreja antes do V II era uma maravilha e depois transformou-se no que é, esquecendo que desde a década de 20 está sistematicamente infiltrada de maçons, comunistas e protestantes - lista Pecorelli - caso Bugnini etc. - e os problemas que adviriam do V II foram de interpretação proposital-liberal de seus inimigos e depois o acusaram de ter sido um anti Concilio para justificarem os supostos erros que provieram dele; uma bem montada farsa.
Leonardo se comporta como sedevacantista e herege dos brabos, como caluniar o papa Bento XVI, mesmo o papa Paulo VI que denunciou "A fumaça se Satanás penetrou nas frestas da Igreja" e foi traído por muitos de seus amigos nas redações de texto.