quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Gay que fornecia Drogas para Obama foi morto a martelada porque soltava Pum!


Bom, seguramente esta é uma das histórias mais bizarras e funestas que já li. E porque esta notícia é tão relevante para ser noticiada nesta semana pelo jornal inglês Daily Mail apesar do assassinato ter ocorrido em 1986?

O jornal não diz, mas eu respondo:
1) A vítima fornecia maconha para Obama e seus amigos;

2) Obama era um dos mais viciados da turma e gostava de fumar até a última fumaça de maconha trancado em um carro;

3) A vida pregressa de um presidente é importante para conhecer o que ele pensa no cargo;

4) Obama este mês falou que maconha é tão ruim quanto álcool (comentei isto no meu outro blog);

5) O grande efeito perverso da maconha é sobre o cérebro (também comentei aqui neste blog);

6) Será que o cérebro de Obama foi afetado pela maconha?

Bom, eu não tenho certeza. Mas Obama não libera suas notas da faculdade para o público (por que será?). Também a mídia dominada pelo amor a Obama não costuma comentar as gafes e estupidezes dele, mas o cara já esqueceu o nome das filhas e já inventou uma língua (o austríaco), além de outras inúmeras gafes (também já falei disto aqui neste blog). A Revista Time fez uma lista das 10 maiores gafes. Há gente que mostra que Obama fez mais gafes que George Bush e Sarah Palin juntos. E há também sites que catalogam as gafes de Obama.

Finalmente, por que um blog católico como este acha esta notícia importante?

Por que a esposa do assassino fala uma verdade: o que pode curar o vício da droga é a família. No caso de Obama, certamente deve ter sido o apoio dos avós maternos.

Voltando à notícia que saiu ontem no jornal inglês Daily Mail, traduzo o texto do jornal abaixo (em azul) :

EXCLUSIVO: traficante de colégio de Obama que ele agradeceu pelos "bons tempos "foi espancado até a morte com um martelo por seu amante gay.

O traficante colegial que o presidente Barack Obama agradeceu em seu anuário pelos "bons tempos" foi espancado até a morte por seu amante, após uma série de brigas por flatulência e drogas, o MailOnline pode revelou.

Raymond Boyer, conhecido como "Gay Ray" por Obama e pela gangue  Choom Gang foi espancado até a morte com um martelo, em 1986, sete anos após ter vendido drogas ao futuro presidente e seus amigos.


Sua amante Andrew Devere, um prostituto, deu à polícia uma longa lista de razões para o assassinato, incluindo que Boyer, um surfista e desempregado chefe de cozinha, constantemente o derrubava, fazia o amante implorar por drogas e tinha o hábito de soltar pum no rosto de Devere.



O fim sórdido para a vida de Ray aos 37 anos estava em contraste direto com a vida dos jovens que ele fornecia drogas, que levaram uma vida bem sucedida e produtiva.

Desde que ficava dopado com Obama e seus amigos de uma escola privada, Ray perdeu o emprego como gerente de uma pizzaria local e acabou vivendo de ajuda governamental em cima de uma oficina de automóveis.

A extensão total do fim terrível de Ray e os motivos bizarros para isso foram definidos na pleito judicial de Devere, que foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato.

Documentos judiciais de 1991 descobertos pela primeira vez pelo MailOnline, revelam que Devere matou Ray no dia de Ano Novo de 1986 porque: 1) Ray estava matando um amigo de Devere de tanto fornecer drogas; 2) Ray tinha envergonhado Devere na frente de outras pessoas; 3) Ray tinha desenvolvido o hábito de soltar pum na cara de Devere; 4) Ray uma vez atacou Devere com uma faca, cortando o dedo de Devere; 5) Ray fez Devere implorar por drogas.

Por fim, os documentos dizem que a gota d'água veio na manhã em que Devere matou Ray, quando a vítima se recusou a dar Devere dinheiro para comprar medicação para aliviar dor de garganta do assassino.


Obama nunca escondeu que na sua juventude consumia drogas e recentemente colocou no registro que ele sentia que a maconha não era pior do que o álcool.

Obama mencionou em sua própria autobiografia que ele usava drogas. E o livro de David Maraniss "Barack Obama: The Story"  revelou a existência do Choom Gang (Choom é uma gíria para fumar maconha) e seu revendedor Ray. 

Sabia-se que Ray tinha sido assassinado, mas só agora o MailOnline pode revelar a trágica história completa de sua vida. 

Raymond Boyer, originário da Califórnia, era um surfista atlético que ganhava a vida como gerente de uma pizzaria perto da escola privada onde Obama e seus amigos adolescentes foram ensinados no Havaí. 


Mama Mia Pizza restaurante, que também tinha um bar, ficava no centro de uma próspera universidade em Honolulu durante os dias de contra cultura de 1979. 

Na época, a maconha - ou pakalolo como era conhecido localmente - estava florescendo na ilha. Ela era cultivada nas colinas e fumava-se abertamente nas ruas e praias.

Ray, 30 na época, viveu a existência hippie arquetípica, dormindo em um ônibus velho com dois macacos de estimação, e desfrutava em pleno do estilo de vida promíscuo e hedonista da comunidade gay na ilha do Pacífico.

Ele também distribuía drogas para os amigos - e foi através do fornecimento de maconha que ele entrou em contato com o jovem Obama, conhecido como Barry, que estava freqüentando a escola Punahou nas proximidades.

Obama, 18 anos, estava apenas começando a explorar suas raízes negras - sendo criado por seus avós brancos - foi um dos principais membros de um grupo chamado Choom Gang.

Choom é gíria da ilha para fumar maconha e o grupo fazia excursões para o campo, onde eles ficavam dopados e faziam festas, às vezes viajavam na van de Ray.

Os membros da gangue também gostavam de cerveja e basquete, e criou-se regras para o fumo de 'Bud'.

Um delas era que perdia-se a vez se não inalasse corretamente e outra, a favorita de Obama, era de que você podia furar a fila e fumar duas vezes ao cortar o círculo e gritar "interceptado".

O jovem Obama popularizou o conceito de "hits do telhado", quando todas as janelas de um carro eram fechadas para  que você pudesse sugar a última fumaça de maconha no teto.


Ray, apesar de mais velho, era uma parte integrante da gangue, conhecido por sua capacidade de "marcar bom bud" e conduzi-los até o Monte Tântalo para a festa.

Ele até tem uma menção no anuário da escola de Obama, em que ele escreveu seus agradecimentos a: "Tut [a avó], Vovô, Choom Gang, e Ray por todos os bons momentos."

Enquanto os outros membros da quadrilha foram para universidade e fizeram carreiras como advogados, escritores e homens de negócios, a vida selvagem de Ray estava apenas começando a desvendar.

Ele perdeu o emprego no Mama Mia e viveu em cima de uma oficina de automóveis em uma área decadente do centro de Honolulu.

Seus relacionamentos se tornaram cada vez mais sórdidos e ele acabou dormindo com um viciado em drogas chamado Andrew Devere, 17 anos mais jovem.

Enquanto ele dormia no dia de Ano Novo 1986, Devere, chateado com o tratamento de Ray, pegou um martelo e, literalmente, esmagou os miolos de Ray. Seu corpo não foi encontrado até oito dias depois.

Devere disse que ele tinha a intenção de dar um tito em Ray, mas não conseguiu obter uma arma e estava planejando matá-lo à noite, mas ele caiu no sono. Ele finalmente o espancou até a morte na manhã seguinte.

Ele disse : "Eu não estava bravo com ele no momento em que eu fiz isso .... Mas eu sabia que tinha que fazer isso porque .... mais tarde ... Eu sabia que eu iria fazer, você sabe, eu iria esquecer como ele me tratava."

Devere, que foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato, foi solto em 2007, desde então se mudou para o continente.

Ele agora tem uma esposa e, embora desde então tenha sido condenado por delitos de drogas leves, mas ele tem um emprego.

Ele está muito traumatizado para falar sobre sua antiga vida, mas sua esposa, Elizabeth, disse ao MailOnline que o episódio macabro é um aviso para qualquer um.

"Ele está envergonhado sobre isso, mas eu disse a ele que você não pode fugir disso. As drogas sempre alteram a sua mente. Eu também tenho um passado. Por causa das drogas e seu estilo de vida frequentava um ambiente muito duro para se sobreviver. Ele sobreviveu sendo prostituto. Eu acho que as drogas afetam as pessoas de maneiras diferentes. Depende de como você é criado. Se você tiver as ferramentas adequadas para lidar com elas, então está tudo bem. Mas, se não, elas definitivamente não lhe farão bem."

----

Qualquer um já fez besteiras na vida (muitos santos católicos cometeram pecados gravíssimos), a questão é o arrependimento e o conhecimento do que é certo. Obama parece que ainda não se arrepende ou sabe o que é certo.


(Agradeço o texto do Daily Mail ao site Weasel Zippers)

3 comentários:

Duddu Pontes disse...

Pedro, boa noite, Salve Maria!

Que história, hein? Uma viagem no tempo e no passado do atual homem mais importante do mundo! Seria interessante que esses fatos passassem na grande mídia, mas sabemos que isso não acontecerá!

Aquele abraco! Deus te conserve!

Pedro Erik disse...

É verdade, caro Duddu.
A mídia protege Obama. Por exemplo, imagine se Bush usasse um avião não tripulado para matar terroristas mas que acabasse matando civis?
Obama faz isso e ninguém diz nada
Abraço
Pedro Erik

Anônimo disse...

Eu nunca usei drogas. Mas o Obama não é perfeito. Nenhum homem somente acertou na vida. Obama é humano. Julgar é fácil.
As pessoas querem ver os erros do passado de alguém bem-sucedido para tentarem julgar e diminuir o mérito do outro. Os medíocres pensam que assim vão atenuar seu próprio fracasso diante da vida e diante de alguém que conseguiu chegar no topo.
Menos julgamento. Mais trabalho e humildade.
Fui.