sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Um Aviso Muçulmano onde Jesus Cristo viveu.


A placa acima está na cidade de Nazaré, a cidade onde Jesus viveu até antes de iniciar sua pregação. Atualmente, Nazaré pertence ao estado de Israel, com mais ou menos 30% de cristãos, mas a grande maioria é muçulmana.

A placa foi destaque no jornal Israel Today e diz o seguinte em inglês (apesar de erros gramaticais), para garantir que todos entendam:

"O people of the Scripture (Christians)! Do not exceed the limits of your religion. Say nothing but the truth about Allah (The One True God). The Christ Jesus, Son of Mary, was only a Messenger of God and His word conveyed to Mary and a spirit created by Him. So believe in God and His messengers and do not say: 'Three gods (trinity)'. Cease! It will be better for you. Indeed, Allah is the One and the Only God. His Holiness is far above having a son."

Traduzo:

"Povo da Escritura (Cristãos)! Não excedam os limites de sua religião. Não falem nada sobre Alá (O Único Deus). Cristo Jesus, filho de Maria, era apenas um Mensageiro de Deus e Suas palavras transmitidas para Maria e era um espírito criado por Alá. Então acredite em Alá e em Seus Mensageiros e não falem: "Há três deuses (trindade)". Parem com isso! Será melhor para vocês. Na verdade, Alá é Um e Único Deus. Suas Santidade está muito acima de ter um filho".

Não comentemos os erros teológicos, como o fato de Trindade ser três deuses e a ideia de que Deus teve um filho como os homens têm filhos, fiquemos apenas no fato da existência da Placa ameaçadora para cristãos.

Raymond Ibrahim, para mim, é quem mais sabe sobre a ameaça muçulmana contra cristãos desde os tempos de Maomé até hoje, mesmo porque defierente de muitos intelectuais, ele entende árabe. Eu já recomendei o livro dele, Crucified Again, aqui no blog.



Neste livro que considero de leitura obrigatória, Ibrahim nos fala das Condições de Omar.

Omar foi o segundo califa depois de Maomé. Ele morreu (assassinado) no ano 644. Apesar de estudiosos (especialmente ocidentais) discutirem se estas condições foram mesmo estabelecidas por Omar, isto não importa. Todos reconhecem que a Condições viraram lei no mundo islâmico.

E o que diz estas Condições?

Os cristãos só podem coexistir dentro do mundo muçulmano se pagarem uma taxa de proteção, conhecida como jizyah, estabelecida no Alcorão (verso 9:29). As Condições de Omar determina como deve ser o comportamento dos cristãos dentro do mundo muçulmano. Extrapola o verso 9:29.

Nas Condições de Omar, os cristãos não podem construir nem ao menos reformar Igrejas, cristão não podem levantar a voz contra muçulmanos. Nem de longe comentar sobre o Islã. Em suma, as Condições de Omar determinam a destruição do cristianismo dentro de terras muçulmanas.

O aviso em Nazaré apenas reproduz, de forma bem menos agressiva, o que diz as Condições de Omar.

Ibrahim mostra em seu livro, que mesmo determinando a destruição com o tempo das Igrejas crsitãs, os muçulmanos na história não se contentaram em ver estas igrejas desmonorarem, eles, desde o surgimento do Islã, destruíram milhares de igrejas cristãs, mesmo porque as terras conquistadas pelos muçulmanos (Egito, Síria, Líbano ou Iraque) eram todas cristãs.

O que vemos hoje em dia, ataques a Igrejas em plena comemoração de Natal, na Nigéria ou no Iraque, é apenas continuação da história do Islã.

Leiam o blog de Ibrahim. Leiam o livro de Ibrahim.


(Agradeço a informação do Israel Today ao blog Creative Minority Report)

2 comentários:

Leonardo S. de Oliveira. disse...

Prezado Pedro, Salve Santíssima Virgem Maria Imaculada, Mãe de Deus, Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!

Enquanto nos perseguem, prendem, torturam, e nos matam nos países islãmicos, aqui somos submetidos a ideologias marxistas e maçônicas de multiculturalismo, diversidade, tolerância (acima da verdade e justiça).

Os católicos tentam converter os muçulmanos pela pregação do Evangelho, respeitando sempre o livre-arbitrio dos seres humanos.

Os muçulmanos tentam impor o falso deus alá por meio da violência e da espada.

Volto a dizer, desde a revolta do blasfemo e herege Lutero quando o homem se fez de Deus e dita seus gostos e sentimentos subjetivos abandonando o Reinado Social de Jesus Cristo, Deus vem castigando a humanidade.

Essa ideologia pacisfista suicída de "multiculturalismo", "diversidade" vai ser o meio pelo qual Deus punirá o soberbo homem que se fez de Deus.

Jesus Cristo mandou os católicos amarem os inimigos e orarem por eles.Maomé e seu falso deus alá manda matar escravizar os inimigos!!

Nem preciso dizer qual é a ÚNICA RELIGIÃO VERDADEIRA!!

In Corde Jesu, semper!!

Pedro Erik disse...

Caro Leonardo,

Assim como você, Chesterton também dividia o mundo entre antes e depois da revolução protestante de Lutero.
Eu coloquei um vídeo no meu outro blog (Bloco 11 Cela 18) em que o presidente da sociedade chesterton americana, Dale Alhquist, fala disso.
Veja la, mas saiba que neste outro blog eu não traduzo textos e videos.
Abraço,
Pedro Erik