sábado, 19 de julho de 2014

Vídeo: A Ameaça do Califado Islâmico.



Aprenda em cinco minutos com o autor do excelente livro Crucified Again (já falei deste livro aqui no blog), Raymond Ibrahim, o que é o califado e por que isto é uma ameaça real.

Todos, todos mesmos, que querem entender por que o Islã ameaça o mundo, deveriam ler o livro de Raymond Ibrahim.

No vídeo, abaixo, ele explica o califado, dado o impacto das ações do gruo terrorista ISIS (falamos diversas vezes aqui no blog deste grupo, como aqui e aqui).




Não vou traduzir palavra por palavra, apenas relato o que diz Ibrahim.

Primeiro, o jornalista pergunta o que é o ISIS e qual o objetivo principal objetivo do grupo. Ibrahim explica que o objetivo prinipal do ISIS é o objetivo comum de todo grupo radical islâmico: a formação de um califado (um estado islâmico potente) que siga a lei sharia (lei islâmica que tem fonte o Alcorão e a vida de Maomé).

Daí, o jornalista diz que o avanço do ISIS no Iraque e na Síria tornou mais próximo a realidade do ressurgimento de um califado, e pergunta se é possível a formação de um califado. Ibrahim diz que sim, mas que levará tempo.

Então, o jornalista pergunta o que é o califado. Ibrahim responde que quando Maomé morreu formou-se um estado islâmico, onde religião e estado eram a mesma coisa, a lei do estado é a lei religiosa muçulmana. No califado, o principal objetivo é se expandir, invadir terras de infiéis, dominar e subjugar ao Islã.

O jornalista pergunta o imapcto no sistema legal de uma região quando o ISIS invade uma região. Ibrahim usa o exemplo do Pacto de Omar (uma regra islâmica do século 7 que impõe dominação sobre cristãos, eles devem pagar impostos para viver em terras muçulmanas ou devem ir embora ou morrem e não podem construir igrejas ou rezar publicamente ou fazer proselitismo).

Então o jornalista pergunta sobre os ocidentais que estão juntando a grupos islâmicos. Eles voltarão para casa. Pergunta se Ibrahim está preocupado com o impacto disso. Ibrahim diz que sim e fala com preocupação do impacto global destas pessoas, que são de diversos países.

O jornalista pergunta o que os Estados Unidos devem fazer, se devem rever sua estratégia de ajudar certos grupos de extremistas. Ibrahim diz que os Estados Unidos devem reavaliar sua situação e ver quem realmente são os mocinhos, como os cristãos que estão sendo mortos por todos.

---
Bom, hoje mesmo eu leio que as casas dos cristãos estão sendo marcados pelo ISIS com a palavra "Nasara" que é um pejorativo para cristãos.

Também leio que o ISIS destruiu a sede da Igreja Católica Síria de Mosul.

E também leio novamente textos que dizem que há mais jovens britânicos se "alistando" para serem terroristas do que para o exército da rainha.


(Agradeço o vídeo ao site Jihad Watch)

2 comentários:

avmss disse...

Muito obrigado por esse post e também pela indicação sobre o número de Cristo "888": http://jimmyakin.com/2005/01/888_yes.html
Jimmy Akin explicou muito bem, esse número é por causa do nome de Jesus em grego(iEsous - Ἰησοῦς). No qual cada letra também pode representar um valor numérico como nas letras romanas, com o caso do romano servir apenas para algumas letras. O somatório delas dá 888! Nossa, é perfeito(ou melhor, mais que perfeito)!
Isso me lembra um post seu em que você cita o professor de Ciência da Computação Adam Drozdek que diz que Deus é mais do que infinito. Por que isso me lembra? Porque no Antigo Testamento como já disse num comentário anterior, o 7 representa a perfeição, dou um exemplo que não tinha dado - o símbolo(ou sinal) da aliança de Deus com Noé, o arco-íris, que tem 7 cores essenciais, um fenômeno que dispersa a luz, que que lindo não é mesmo? Tristemente esse símbolo é usado atualmente como símbolo do homossexualismo, para nós vermos como o demônio zomba das coisas de Deus. Voltando ao assunto, o 8 estando acima de 7, então nos quer mostrar que Deus é mais do que perfeito também.
Outra coisa, ontem à noite surpreendentemente me deu uma vontade de assistir um filme que já estava comigo há um tempo "Quo vadis?", de 1951 do diretor Mervyn LeRoy, que se baseia no romance do escritor polonês Henryk Sienkiewicz(ganhador do prêmio Nobel da literatura). Assisti, e o filme é fantástico. Lembro-me do pároco da minha paróquia usando esse termo "Quo vadis(Aonde vais)?" durante a homilia da Missa da solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo; um morreu pela cruz, outro pela espada já que era cidadão romano; o padre continuou e falou dos dois como irmãos perfeitos em Cristo, ambos que eram totalmente diferentes um do outro se uniram, ao contrário de irmãos de berço como Abel e Caim, Jacó e Esaú. Hoje pelo canal do romereports no youtube descubro que o grande incêndio de Roma foi na noite de 18 de Julho de 64, no filme só fala o ano, exatamente 1950 anos depois! A indicação que recebi desse filme foi do blog ocatequista.com.br há uns dois anos atrás.
A resposta de Jesus Cristo a São Pedro é o título do livro do Raymond Ibrahim. No evangelho de João 13, 36; Pedro faz essa mesma pergunta e Cristo responde que agora ele não poderia segui-Lo, só depois de mais maduro e Jesus vencido a morte é que Pedro pôde segui-Lo e ser crucificado como Jesus foi, com a exceção de Pedro não ser digno o suficiente ele foi crucificado de cabeça para baixo. Interessante, Cristo e seu apóstolo foram para o centro da imundice pagã consolar os pequenos cristãos que tanto sofriam com os romanos. O sangue dos mártires purificaram aquela terra. Se o demônio zomba do belo e do sagrado, Deus purifica e tira a miséria das pessoas com sua Divina Misericórdia, que no diário de Santa Faustina tanto nos mostra.

*desculpa ficou grandinho o texto, mas sua frase para os comentários diz para falarmos o que realmente nós queremos dizer, então... hehe

Abraço

Pedro Erik disse...

Muito obrigado por suas palavras, meu amigo avmss.
Você trouxe muita informação e também mais importante muito amor a Cristo.
Deus lhe abençoe.
Grande abraço,
Pedro Erik