segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Boko Haram copia ISIS e mata 1.000 Cristãos na Nigéria em apenas uma cidade.


Enquanto o mundo olha para os terroristas do ISIS no Oriente Médio continua a matança de cristãos na Nigéria. No sábado, eu li que foram mortos 1.000 cristãos, isto mesmo, mil cristãos, na cidade Gwoza. O texto do site Townhall diz que muitos falaram que tinha sido mortos 100, mas na verdade foram 1.000. O exército nigeriano tinha abandonado a cidade e deixou os cristãos a própria sorte.

Traduzo abaixo o que diz o site Townhall:

O número de mortos pelo terroristas islâmicos do Boko Haram na cidade de Gwoza que é predominantemente cristã é cerca de 1.000, e não 100 que foi dito em muitos relatórios, o especialista em relações nigerianos Adeniyi Ojutiku disse a Baptist Press. 

O Exército nigeriano abandonou suas armas e fugiu de Gwoza quando o Boko Haram atacou na quarta-feira (06 de agosto), queimando edifícios do governo, matando moradores e fazendo reféns. Alguns moradores conseguiram fugir para as montanhas que fazem fronteira com Camarões e estão sem comida ou água.

Notícias vieram à tona hoje (15 de agosto) de um outro ataque de 10 de agosto na remota aldeia de Doron Baga, no nordeste da Nigéria, onde Boko Haram raptou dezenas de meninos e homens, deixando mulheres, meninas e crianças abandonadas lá. 

"Esta é uma nova dimensão nesta crise", disse Ojutiku. "Uma dimensão completamente nova. Eles estão agora seguindo a estratégia de ISIS. Eles atacam e ocupam a cidade. Agora que eles começaram a adotar metodologia ISIS, eles devem estar recebendo o tipo de tratamento ISIS que está recebendo." 

Com base em um relatório recebido por Ojutiku na quarta-feira, 13 de agosto, a partir de um colega de confiança que mora em Gwoza, 997 haviam sido mortos e outros se tornaram reféns. Os relatórios anteriores foram baseados em informações recolhidas no dia 6 de agosto, o dia do ataque, quando os sobreviventes foram forçados a fugir da cidade. 

Novos relatórios corroboram o relato de Ojutiku. De acordo com a AFP, cerca de 300 mulheres e 500 crianças protestaram por dois dias, às portas de uma base militar em Maiduguri, exigindo que seus maridos e pais não sejam enviados para recapturar Gwoza, pois eles não têm armas adequadas. 

Boko Haram busca estabelecer a lei islâmica, já havia matado 4.239 entre cristãos, muçulmanos moderados, funcionários do governo e civis em ataques contra as comunidades religiosas no norte da Nigéria. 

--
É o ISIS fazendo escola, mesmo em grupos terroristas que já estavam em atividade antes de se saber algo sobre o ISIS. E a escola está aberta ao mundo, mesmo porque muitos terroristas do ISIS são ocidentais.

Rezemos pelos cristãos da Nigéria e por todo o povo de lá.


13 comentários:

Anônimo disse...

Que tristeza amigo...
Até quando?!

Tens notícia sobre a repercussão dos apelos do Papa? Algum muçulmano se manifestou contra essa barbárie?

Até mais.
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Caro Gustavo,

Neste final de semana, eu debati com um cara chamado Pedro Ravazzano sobre as declarações dos muçulmanos.

O tal Pedro, parecia bonzinho e cristão (usa o símbolo cristão). Mas ao final se revelou um muçulmano xiita que defende que infiéis são impuros.

Eu já debati com muçulmanos no Brasil e no exterior. E a história é sempre a mesma. Eu mostro o Alcorão e os caras fogem e na fuga vão dizer que eu preciso estudar mais.

Quem me indicou o site do cara foi o comentarista Duddu, aqui do meu blog.

Leia lá no site do tal Pedro Ravazzano, o meu debate com ele.

http://www.islamidades.com/2014/08/lideres-muculmanos-se-pronunciam-contra.html

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Estranho... Pedro Ravazzano é um membro do Salvem...

Anônimo disse...

Creio que já estamos vivendo o tempo do..." más novas sobre más novas", pois qualquer guerra é horror e, a chama da guerra acesa, parece que tão cedo não vai se apagar.
O que vemos (e vemos pouco) são cenas do inferno se derramando sobre a Terra. O coração dói demais ao saber que no Iraque, na Síria e tantos outros lugares, as pessoas estão sendo dizimadas, trucidadas, sem que se levante a voz de um defensor. E saber que tudo isso só vai crescendo e se espalhando... Meu Deus, quem conseguirá manter a fé?

Obrigada, Mara

Anônimo disse...

Coloquei, há poucos minutos, um comentário aqui. Quero te pedir, agora, dê uma olhada no artigo "Imagem de Nossa Senhora chora no Iraque" e, se achar por bem, divulgue aquele artigo. Está no site www.rainhamaria.com.
O Céu acompanha os destinos dessa humanidade rebelde, e surda, que não ouve os apelos de Jesus Cristo!

Obrigada, Mara

Pedro Erik disse...

Obrigado, Mara.

Nós temos que rezar e lutar contra. Certa vez, eu li que Santa Clara levantou a hóstia consagrada contra o "sarracenos" (muçulmanos).

Há inúmeros santos que enfrentaram os muçulmanos na história. E também há milhares de mártires (Papa Bento XVI canonizou 800 no seu último ato como Papa).

A guerra é antiga e é sim do bem contra o mal. O Islã idolatra a morte, Cristo é vida.

E como diz meu lema: Cristo sempre vence (ICXC NIKA). Esperança.

Vou ver o site que recomendou. Obrigado.

Pedro Erik disse...

Mara,

Tem certeza que o nome do site é esse? Não encontrei.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Pedro Erik:

O site é www.rainhamaria,com.br
O artigo: Fim dos Tempos: Imagem de Nossa Senhora chora sangue em Igreja no Iraque. Postado em l8.08.14.
Por favor, pode conferir.
Obrigada, Mara

Pedro Erik disse...

Obrigado, Mara.
Vou conferir sim.
Abraço
Pedro Erik

José Santiago Lima disse...

Amigo Pedro, interessante vídeo sobre a perseguição promovida pelos "bonzinhos" e "pacíficos" muçulmanos aos coptas no Egito. Infelizmente, meu péssimo conhecimento do idioma inglês não me permitiu compreender tudo...

Pedro Erik disse...

Caríssimo José,

Mande o vídeo. Os cristãos do Egito também sofrem muito nas mãos islâmicas.
Abraço
Pedro Erik

Anônimo disse...

Pedro,

Pelo que já li do que o dono do blog islamidades escreve, ele não é muçulmano xiita (ao menos não oficialmente). Ele é um exemplo das "novas experiências católicas", pois pertence a um grupo cujo carisma era de evangelizar a África - a começar na África do Norte -(http://www.missionariosdaafrica.com/), onde os fundadores queriam que os missionários se adaptassem à realidade local. Pois bem, como quase tudo após a década de 1960, essa inculturação parece que virou relativismo e adesão às práticas locais (incluindo o Islamismo), daí tantos "panos quentes" em relação aos muçulmanos. A mim parece que é algo semelhante às práticas do CIMI com os índios: tanto se adaptou que parou até de condenar o infanticídio em nome da cultura e agora diz que não se deve tentar promover a catequese.

Abraços,

André

Pedro Erik disse...

Obrigado, André, pela explicação.
Mas para mim qualquer um que defende que certos seres humanos são impuros ou é nazista ou hindu ou muçulmano. Como ele defendeu com todo amor o xiita Sistani, eu o considero xiita.
Abraço
Pedro Erik