sábado, 2 de agosto de 2014

O Twitter do Terror.


Vejam o vídeo abaixo. Nele, líderes do Hamas dizem: "Nós amamos a morte, tanto quanto eles (judeus, infiéis) amam a vida."

Quem poderá negar esta afirmação, conhecendo a história do Islã, os conflitos entre muçulmanos, judeus e cristãos e o Alcorão?





A foto acima mostra soldados do grupo terrorista  islâmico ISIS (Islamic State of Iraq and Syria) em frente a cabeças decepadas de inimigos, que por vezes são também muçulmanos.

O site da FoxNews tirou esta foto do twitter de militantes do ISIS.

Diz o site (traduzo em azul):

O grupo extremista sunita muçulmano conhecido como ISIS (Estado Islâmico no Iraque e na Síria) está usando sites de mídia social como Twitter e Facebook e sites de upload de vídeo como o YouTube e LiveLeak.com para lançar o medo em todo o Oriente Médio, enquanto faz uma campanha brutal para criar um califado que se estenderia do norte da África até o Iraque. 

No vídeo mais recente, os terroristas são mostrados na cidade iraquiana de Tikrit executando dezenas de homens, de acordo com uma descrição postada no Twitter. O clipe de cinco minutos mostra os militantes colocando as vítimas em uma caravana de caminhões e levando-os para um campo, deitando-os os homens no chão, então um terrorista mata um a um com uma AK-47.

Você pode ver o vídeo clicando no link da FoxNews, eu não vou expô-lo aqui.

O texto de vários outros vídeos e diz que eles são postados em muitas contas do twitter.

O Papa João Paulo II falava da cultura da morte se referindo ao aborto, temos também uma cultura da morte no Islã.

O que o mundo vai fazer?


(Agradeço o vídeo ao site Jihad Watch)

3 comentários:

Lura do Grilo disse...

"O que o mundo vai fazer?" Nada: atacar quem se defende destes bárbaros.

Ricardo DA SILVA LIMA disse...

Se existissem cruzados modernos, estes poderiam agir, defendendo estas comunidades católicas destes diabólicos muçulmanos. Mas, infelizmente, não os há mais.

Pedro Erik disse...

Creio realmente, Ricardo, que o mundo paga um preço bem alto por desprezar os cruzados.

Rezemos por eles. Que os espírito deles renasça na defesa dos cristãos.

Abraço,
Pedro Erik