quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Quem matou o Americano foi um Britânico. E Muitos Franceses acham Bom.


O jornal inglês Daily Mail revelou que quem matou o jornalista americano (que era católico), James Foley, foi um britânico. No vídeo, o assassino tem forte sotaque britânico. E o Reino Unido diz que sabe quem é.

Diz o jornal:

U.S. Secret Service and intelligence services in the United Kingdom are searching for Foley's executioner who spoke with a British accent in the video, the Guardian reported Wednesday.
The Englishman is believed to be the ringleader of a group of British fighters holding other foreign hostages in Syria.

He is reportedly from London, and one of the point-men engaged in hostage negotiations in Raqqa, Syria, an ISIS stronghold. 

One former hostage told the Guardian that the British executioner is 'intelligent, educated and a devout believer in radical Islamic teachings,'.

Traduzo em azul: (O serviço secreto americano e a inteligência britânia estão atrás do assassino de Foley que falou com forte sotaque britânico no vídeo, o jornal The Guardian disse ontem. O inglês faz parte de um grupo de britânicos que lutam pelo ISIS. Relata-se que ele é de Londres, e um dos que fazem as negociações com os reféns em Raqqa, na Síria, reduto militar do ISIS. Um antigo refém disse ao The Guardian que o assassino é britânico, é inteligente, educado e um fiel devoto dos ensinamentos islâmicos).

Eu já tinha lido sobre isso, mas ontem, li de novo que há mais britânicos se unindo ao ISIS do que ao exército do Reino Unido (!).

Ontem, eu também li que a ICM Research perguntou na Alemanha, Reino Unido e na França se a população tinha opinião favorável ou não com relação ao ISIS.

O resultado surpreendeu pela enorme quantidade de franceses que defendem o ISIS, 16% da população, coisa de 10 milhões de pessoas! Vejam abaixo:


Como disse o arcebispo Emil Nona, o ISIS vai chegar no Ocidente. Mesmo porque há muitos defensores do ISIS dentro do Ocidente e muitos já estão lutando pelo califado islâmico.


(Agradeço a informação sobre o assassino britânico e sobre a pesquisa ao site PewSitter,  e a informação sobre britânicos no ISIS ao site Weasel Zippers).

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá!
Eu não sei o que é pior: o ISIS ou pessoas que defendem o ISIS. Numa expressão de minha terra: é o fim da picada! 10 milhões de franceses!
Apenas duas considerações: a amostragem considerada e quem são esses apoiadores: muçulmanos, esquerdistas, ateus ou cristãos?
Forte abraço.
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Caro amigo, Gustavo

Eu não li nada sobre as características dos entrevistados na pesquisa. Mas imagino que eles não fizeram isso, devem estar chamando de francês aqueles encontraram nas ruas ou nos telefones franceses.

Em uma pesquisa é sempre complicado fazer perguntas pessoais, pode-se perder o entrevistado. O cara pode ficar enraivado e não responder de forma tranquila.

Abraço,
Pedro Erik

avmss disse...

Num país onde é eleito com "consciência" um socialista para presidência não é de se estranhar muito essas coisas...
Na França, a religião que tem mais praticantes em número absoluto é o islamismo: http://www.gatestoneinstitute.org/3426/islam-overtaking-catholicism-france

Sem falar da eugenia, em que abortam praticamente todos os bebês com trissomia 21 ou com outras anomalias. Bem que eles poderiam deixar de hipocrisia e não mandar atletas para os Jogos Paraolímpicos. Falando nisso, acho que deve ser onde o Brasil mais vai se destacar em 2016. Dando uma olhada no quadro de medalhas dos últimos anos vê-se que a França caiu bastante e o Brasil por outro lado cresceu muito. Mas o caso brasileiro há um fator importante que deve tomar cuidado são os casamentos consanguíneos. que aumentam em muito a chance dos filhos nascerem com problemas genéticos.

Abraço

Pedro Erik disse...

Abraço, amigo avmss.

Pedro Erik