quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Conselhos do Papa Francisco e a Lógica Matemática.


De vez em quando, eu ensino lógica matemática. E nas minhas aulas eu gosto de começar mostrando o vazio de certas frases de alguns pensadores renomados. Por exemplo, tem uma frase de Ruy Barbosa nas paredes da universidade que dou aula. A frase é a seguinte: "Fora da Lei, Não Há Salvação".

Eu mostro aos meus alunos, que para um matemático a frase não faz muito sentido. Pode-se mostrar a frase em conjuntos, com a Lei sendo um conjunto e Salvação sendo um subconjunto da Lei. No entanto, a lógica exige as definições de "Lei" e "Salvação".  E quando se começa a definir Lei e Salvação, observa-se que sim, que há vários tipos de "salvação" fora de diferentes tipos de lei, ao contrário do que diz a frase. A frase em si é vazia.

Eu costumo dizer que a lógica matemática é mais pura, no sentido de que ela não é constrangida por modelos de pensamento ou ideias preconcebidas. Diferente, por exemplo, do raciocínio econômico que tem o viés do "custo de oportunidade".

No Brasil, pensar em lógica demais faz uma pessoa se aproximar da loucura, especialmente em ano de eleições, com tantas falácias lógicas sendo ditas diariamente.

Mas eu falo de lógica, porque assim que eu li os 10 conselhos do Papa, acendeu a luz vermelha da lógica na minha cabeça. Fiz até um comentário no blog Creative Minority Report sobre isso e aqui vou explicar melhor.

O que mais me chamou atenção foi o primeiro conselho, que me lembra pensamentos de hippies. Nem a Revista Caras tem tanta falta de profundidade. Perdão Papa, mas é verdade.

O primeiro conselho diz: "Viva e Deixe Viver".

Eu me lembrei da música de Paul McCartney: "Live and Let Die" de um filme de 007.

A proposição "Viva e Deixe Viver" é a mesma coisa de dizer "Viva e Deixe Morrer", em termos de lógica?

Se "viver" significar: permitir que a pessoa faça o que deseja. Os dois conselhos são idênticos, pois a pessoa pode querer deixar de viver. Além disso, pensando no conjunto dos conselhos, não há nenhum que me impeça de considerar que as duas proposições sejam idênticas. Se consideramos o conselho 7, "respeitar a natureza", a igualdade das proposições é reforçada. Pode-se definir a natureza de forma mais ampla, como envolvendo também os humanos, a morte faz parte da vida na natureza.

Em termos teológicos, o primeiro conselho do Papa Francisco é ainda pior do que na lógica. Porque "deixar viver" significa "deixar pecar".

Você "deixaria" seu filho viver?????

Deus, nosso pai, não quer seus filhos pecando, Ele nos deus seus mandamentos e seu próprio Filho para evitar isso.




3 comentários:

Anônimo disse...

Olá!
Será que o Papa Francisco é católico?
Não dou importância a profecias, mas o Papa está forçando a barra...

Enquanto isso, na Primavera Árabe do Oriente médio...

A Paz do Senhor.
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Realmente, eu fico muito assustado com a falta de profundidade dos comentários do Papa. Ele não se preparou para ser Papa e o pior é que parece que não sabe disso.

A Paz do Senhor, para você também, Gustavo.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Olha, com todo o respeito mas ele me parece mais com um personagem do Peter Sellers