quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Presidente da Síria diz que a Europa apoia Terrorismo Islâmico e é Culpada pela Crise dos Refugiados


Bom, ele tem razão. Europa e Estados Unidos acharam que podiam fazer uma guerra mais barata contra o presidente da Síria se dessem armas para rebeldes, sem nunca se ter certeza se esses rebeldes não eram eles mesmos terroristas islâmicos. Hoje, esses rebeldes desapareceram no mar de terroristas que domina a Síria.

O Ocidente achou que Assad ia sofrer o que sofreu Kadafi na Líbia, mesmo vendo que foi na Líbia, depois da queda de Kadafi, que rebeldes mataram um diplomata americano.

Em suma, vivemos tempos de líderes ocidentais estúpidos, sem coragem de defender o que é certo. Daí, recebem lições de ditadores islâmicos. E o mundo vira um caos.

Vejam texto da Agência Estado, abaixo:


PRESIDENTE DA SÍRIA DIZ QUE EUROPA APOIA TERRORISMO E É CULPADA POR CRISE DE REFUGIADOS
Beirute, 16/09/2015 - O presidente da Síria, Bashar Assad, culpou a Europa pela atual crise de refugiados, dizendo que é resultado direto do apoio do Ocidente ao terrorismo na Síria ao longo dos últimos quatro anos. Além disso, Assad disse que sua prioridade é derrotar o terrorismo em seu país e exortou todas as facções políticas e armadas no país para se unirem na luta contra os grupos terroristas, disse em uma entrevista que foi ao ar nesta quarta-feira

Assad descreveu como um fracasso impor um controle no sistema de imigração, forçando refugiados a se arriscarem através de mares perigosos e acusou a Europa de apoiar o terrorismo e fornecer proteção para terroristas. "Se você está preocupado com eles (os refugiados), pare de apoiar os terroristas", disse Assad se dirigindo a Europa.

Em entrevista à imprensa russa, Assad também disse que não pode haver solução política para a crise de seu país até que o terrorismo seja derrotado. Ele destacou o grupo Estado Islâmico, que capturou cerca de um terço do território sírio juntamente com grandes áreas de terra no vizinho Iraque, assim como a filial da Al-Qaeda na Síria, a Frente Nusra, e "alguns outros", sem especificar.

O governo em Damasco há muito tempo tem chamado todos os grupos armados que lutam contra as forças de Assad de "terroristas". Assad não fez referência à extrema violência que suas forças têm usado em áreas civis durante a guerra civil do país, agora em seu quinto ano.

Moscou tem sido um grande defensor de Assad durante toda a crise. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que é impossível derrotar o Estado Islâmico sem cooperar com Damasco. Ele incentivou outros países a seguir o exemplo da Rússia e oferecer apoio militar ao governo de Assad.

Nos últimos dias, Moscou enviou tanques de batalha e outros armamentos, juntamente com conselheiros militares, técnicos, guardas de segurança e unidades habitacionais portáteis para a Síria, com o objetivo aparente de criar uma base aérea perto da cidade costeira de Latakia, um reduto de Assad.

Autoridades norte-americanas disseram que Moscou está simplesmente tentando sustentar Assad e rejeitou a sua participação na guerra global contra o grupo Estado Islâmico. Na entrevista, Assad não abordou diretamente os movimentos russos.

O presidente da Síria pediu a formação de uma frente unida contra o grupo Estado Islâmico,
dizendo que a prioridade de cada cidadão sírio único é de estar seguro.

"Nós, os partidos políticos, o governo e os grupos armados que lutavam contra o governo, devemos todos nos unir para derrotar o terrorismo", disse Assad. Ele acrescentou que só iria desistir do poder se o povo pedir para ele fazer isso e não os Estados Unidos.

Assad disse que os EUA, que tem liderado uma coalizão de ataques aéreos contra militantes na Síria e no Iraque, se recusa a trabalhar e coordenar com seu governo.

O líder sírio sugeriu também que ele estava preparado para dividir o poder com alguns membros da oposição, mas acrescentou que nenhuma solução política pode ser implementada
a menos que o terrorismo seja derrotado pela primeira vez. Fonte: Associated Press. 



12 comentários:

Anônimo disse...

Olá amigo!
Me parece um fato: a ordem num regime islâmico só é possível com ditadura. Por isso, o Assad é um mal menor.
E você sabe me dizer se ele é mau mesmo ou é exagero dos esquerdistas?

Um abraço,

Gustavo.

Pedro Erik disse...

É verdade, Gustavo, o mundo muçulmano não conhece, nem respeita democracia. Ditadores como Assad, Mubarak, Sisi, e também o Rei da Jordânia controlam os islâmicos extremistas e protegem cristãos em seus territórios. Isso segurou o mundo pacífico até a Primavera Árabe, quando o Ocidente achou que essa Primavera traria democracia e isso seria bom. O caso do Egito mostrou o que sai da democracia no mundo islâmico: distador radical islâmico. É o que a democracia gerou na Faixa de Gaza, também.

E o Ocidente, incluindo o Papa, continua achando que o problema da democracia no mundo muçulmano é culpa da pobreza das pessoas e não da ideologia muçulmana.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Boa Tarde, Pedro !!!

Gostaria que o amigo, se possível, desse uma olhada nesse artigo: , e nos relate sua percepção sobre o mesmo.

O orignal está aqui: .

Rezemos e Viva Cristo Rei !!!

Emanoel

Pedro Erik disse...

Caro Emanoel,

Não recebi o link. Mande novamente.
Abraço

Anônimo disse...

Desculpe Pedro, realmente não foi.

http://gatesofvienna.net/2015/09/an-ugly-ominous-silence/

http://www.midiasemmascara.org/artigos/internacional/estados-unidos/16060-2015-09-16-02-19-56.html

Viva Cristo Rei !!!

Emanoel

Pedro Erik disse...

Caro Emanoel,

No meu livro, que trata de guerra justa, eu digo que o "elefante na sala" é a teoria da guerra justa católica.

Há muitos séculos, doutores da Igreja (São João Damasceno, São Bernardo, São Lourenço de Brindisi e São Tomás de Aquino) sabem o que é o Islã e justificam a guerra contra a ideologia islâmica.

Mas hoje a Igreja joga fora seus doutores e chama o Islã de Religião de Paz.

O problema com os candidatos a presidentes nos EUA é recorrente no mundo. E assim o mundo está um caos. E a Europa, os EUA e resto do Ocidente vão desaparecendo culturalmente, abandonando Cristo.

O artigo que você enviou centra suas críticas nos candidatos nos EUA, mas podia ter usado qualquer eleição no Ocidente e a própria Igreja.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Correto, mas esse aí também não é flor a se cheirar, bem como não era seu afeto Kadaf. Em suma todo muçulmano e; principalmente nesse caso, um anti Israel como esse, é e sempre será um inimigo do Ocidente.
Quem é contra mim, espalha, disse Jesus.

Adilson disse...

Boa noite Pedro.

Acabei de desligar a TV no canal GloboNews... não suportei ver a jornalista numa mesquita usando véu (pasme!)fazendo uma entrevista sobre o recebimento de refugiados... muçulmanos, claro! Assad está cheio de razão: e a Europa apoia terroristas islâmicos porque a Europa foi tomada pela esquerda socialista! No Brasil, nada é noticiado sobre as monstruosidades dos muçulmanos e nem o silêncio da irmandade islâmica em relação ao EI. Desisti. Tudo que tenho e quero fazer é rezar e preparar meus filhos intelectualmente para o que há de vi sobre o Ocidente. Desse mundo nada espero... trago em mim a certeza de que o Senhor, o Justo Juiz, julgar as esquerdas pelo ataque à sua amada Igreja.

Abraços!

Pedro Erik disse...

Verdade, caro(a) Anônimo.
Abraço

Pedro Erik disse...

Interessante, mesmo, Adilson, como jornalista ocidental adora usar véu quando em terras islâmicas. Mas quando em terras cristãs pode usar biquíni em cerimônias religiosas.
Eu sempre me lembro de uma jornalista da CNN que estava no Egito relatando que achava lindo a Primavera Árabe e ate que foi quase estuprada pelos manifestantes.
Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Pedro, quando o livro ficará pronto ? Pois vou adquiri-lo.

Viva Cristo Rei !!!


Emanoel

PS: Quando ao anônimo, gostaria de dizer algo a respeito de Israel. Os Judeus que estão estabelecidos hoje em Israel não seguem a Nosso Senhor Jesus Cristo, pois não o reconhecem como o Messias, então, logo eles não são católicos e ainda acreditam que a antiga alinça não foi revogada. Ver Evangelho de São Marcos (14: 24). Ora se os atuais judeus não reconhecem Nosso Senhor como o Messias, logo a quem eles seguem e por quem eles esperam? Por isso, São Pio X disse o famoso "Non Possamos" apoiar a criação do Estado de Israel, pois antes os judeus devem se converter. Mas, como diz São Paulo na Carta aos Hebreus no fim dos tempos os judeus se converterão e reconhecerão Nosso Senhor Jesus Cristo, como o Messias.
Então guardemos a Fé e Viva Cristo Rei !!!

Pedro Erik disse...

Caríssimo Emanoel,
A editora me disse que estará disponível no próximo ano. Aguardo ainda a data certa. Passei os originais para eles no início do mês.
Abraço, irmão.
Pedro Erik