quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Vídeo: Casamento Natural vs Casamento Gay

-

O vídeo abaixo explica com traquilidade por que é errado o governo promover o casamento gay. A lógica do vídeo é responder à seguinte pergunta: "o que governo deve promover" ?

A resposta é que o governo deve promover aquilo que é bom para sociedade, o comportamento que vai na direção de uma população que tem maior capacidade para se desenvolver. Por isso, o governo promove a segurança pública, permite a existência de várias profissões, e proíbe as drogas.

No mesmo sentido, o governo deve promover o casamento natural, permite que as pessoas sejam livres para encontrar seus parceiros, mas deve proibir o casamento gay.

O casamento natural entre o homem e uma mulher traz:

1) Crianças, o futuro da sociedade;
2) Melhores adultos. Toda criança precisa de um pai e de uma mãe.Crianças de casamentos naturais têm 6 vezes menos chance de cometer suícidio, por exemplo;
3)  Protege a mulher. Mulheres que que não se casam têm mais chance de sofrerem violência;
4) Civiliza o homem. Homens moderam seu comportamento depois que se casam;
5) Reduz crime e pobreza, pois os adultos que são filhos de casais naturais têm mais capacidade psicológica para se manter em um trabalho que as sustentem.

O que traz o casamento gay? O contrário do que vai acima, e ainda piora a liberdade de expressão e a liberdade religiosa.

Promover o casamento entre um homem e uma mulher é promover uma socidade melhor. Promover o casamento gay é simplesmente promover um tipo de comportamento.  

A lei deve tratar todos da mesma forma, mas não todos comportamentos da mesma forma.

Abaixo vai o vídeo:




(Agradeço a indicação do vídeo ao site Aggie Catholics)

2 comentários:

FireHead disse...

Mas porque é que chamam "casamento" a uma união entre duas pessoas do mesmo sexo se um casamento é só única e exclusivamente uma união entre duas pessoas de sexos diferentes? Que se juntem se bem entenderem, mas que chamem a isso outro nome, como por exemplo "emparelhamento". Não desejo a morte dos gays, mas também já estou farto da ditadura deles.

Eduardo Araújo disse...

FireHead, aí é que reside, justamente, uma velha tática desconstrucionista: distorcer o significado de uma palavra, atribuindo-lhe acepção distinta. Depois, é esperar que a propaganda "goebelliana", após mil repetições, ponha o sentido original num obscuro esquecimento, prevalecendo o novo significado. A continuar/intensificar-se essa ditadura gayzista, podemos esperar para dentro de alguns anos a palavra "casamento" constando no dicionário como simplesmente união de pessoas (assim mesmo: sem qualificar nem quantificar). É o pandemônio tão sonhado pelo marxismo cultural.