segunda-feira, 17 de março de 2014

Blog de Férias. Mas antes: mais de 500 católicos mortos na Nigéria.


A agência de notícias católica Fides anunciou que mais de 500 católicos foram mortos e mais de 20 igrejas destruídas pelo grupo terrorista islâmico Boko Haram na Nigéria desde 2009.

É uma péssima notícia para se deixar antes de ir de férias. Mas devemos enfrentar a realidade e o Islã avança contra o cristianismo, como não se via antes do século 20. Por enquanto, o mundo e a Igreja não enfrentam a situação, assistem a morte dos cristãos.

Os próprios bispos da Nigéria apesar de falar dos ataques do islâmico Boko Haram, procuram dizer que não se trata de conflito religioso e sim de "vaqueiros (maioria muçulmana) contra fazendeiros (maioria cristãos)".  A Igreja continua procurando qualquer justificativa para retirar o componente religioso.

Rezemos para que a Igreja reconheça (como fizeram os santos do passado, como São Tomás de Aquino) a ideologia islâmica como perversa ao cristianismo e se levante na defesa dos cristãos, não apenas com discursos onde nem se cita os algozes islâmicos para não ofendê-los.

O blog só volta dia 28/03.

ICXC NIKA



6 comentários:

Lura do Grilo disse...

Um massacre Pedro. Praticamente não se fala na comunicação social ou, se se fala, é "violência religiosa".

Pedro Erik disse...

Uma desgraça, caro Lura do Grilo, para a própria história da Igreja, com tantos mártires que morreram por mãos islâmicas e tantos santos (como São Tomás e São Francisco) e poetas (como Dante) que condenaram o Islã, vê a Igreja tão silenciosa e acanhada na defesa da fé.

Rezemos pelos nossos mártires que eles nos inspirem.

Abraço,
Pedro Erik

Duddu Pontes disse...

Boas férias amigo! Aproveita!
Deus te abencoe!
Até a volta! Forte abraco!

Pedro Erik disse...

Obrigado, amigo Duddu.
Deus lhe abençoe também.
Abraço
Pedro Erik

Nik disse...

Pedro, para o retorno das férias: https://shoebat.com/2014/03/17/actual-literal-islamic-human-slaughterhouses-christians-discovered/

Pedro Erik disse...

Obrigado, Nik.
Vou ver sim.
Abraco,
Pedro Erik