quarta-feira, 12 de março de 2014

Depois de 1200 anos, as Igrejas Ortodoxas se reunirão em Concíclio.


Depois de anos submersa pelo comunismo, a Igreja Ortodoxa russa se levanta com a força do número de seus fiéis (tem a maior quantidade de fiéis entre as igrejas ortodoxas) e também com a força de Vladimir Putin. E já aparenta querer dominar as outras igrejas ortodoxas. Foi anunciado esta semana que se planeja uma reunião entre as igrejas ortodoxas para 2016. Algo, que não acontece desde o século 8, 1.200 anos atrás.

O patriarca Kirill da Igreja Ortodoxa russa disse que todas as decisões do Conselho serão tomadas por consenso (unanimidade), e não por maioria de votos.

O patriarca disse também que a agenda do próximo Conselho deverá contar com questões como a condução dos cristãos do Oriente Médio e nas regiões do Norte de África, a questão do culto do consumo, que é o principal causa da crise econômica, a destruição da moral e da família, e as questões de clonagem e das mães de aluguel.


O jornal Huffington Post disse que o Concílcio de 2016 será realizado na Turquia na Basílica de Santa Irene, um edifício bizantino que foi construído no pátio externo do Topkaki Palace que é agora um museu e não tem sido usado como uma igreja desde a conquista muçulmana de Constantinopla, em 1453.

As igrejas ortodoxas são 14 igrejas independentes, com sedes na Europa Oriental, Rússia e Oriente Médio. Há 250 milhões de cristãos ortodoxos no mundo (165 milhões na Rússia).

Elas tiveram um encontro prévio em Istambul e denunciaram a crise na Ucrânia e a perseguição a cristãos no Oriente Médio. Duas igrejas ortodoxas (Tcheca e de Antioquia) não compareceram a este encontro por divergências com as outras. Há também a questão de que a Ucrânia tem duas igrejas ortodoxas, mas nenhuma faz parte da comunidade de igrejas orotodoxas. Em suma, não deve-se esperar muito do encontro, certamente a volta com poder da Igreja Ortodoxa russa será um peso no Concílio. Mas também não se sabe que mundo teremos em 2016.

De toda forma, é um fato sensacional, sob qualquer aspecto, termos este Concílio depois de 1.200 anos.



2 comentários:

avmss disse...

Pedro, não vejo com bons olhos essa Igreja Ortodoxa Russa, pois pra mim ela está muito comprometida com o pessoal de Putin.
O site que você mostrou das 14 igrejas ortodoxas, não cita a igreja da Armênia, uma das primeiras a se converter ao cristianismo. Nem sabia que a Polônia tinha Igreja Ortodoxa.

Abraço

Pedro Erik disse...

Caro avmss,

Acho que as 14 fazem parte deu uma comunidade, há mais fora desta comunidade.

E você tem razão sobre a Igreja russa.

Abraço,
Pedro Erik