quinta-feira, 6 de março de 2014

Papa Francisco: mais uma entrevista. E mais um: "damage control".


Nos Estados Unidos, toda vez que um político diz ou faz alguma coisa que o prejudicará em eleições, entram em cena os assessores para fazer o que eles chamam de "damage control", para controlar os danos provocados pelo ato descuidado do político, como um bombeiro tentando estancar o volume de água em um cano furado.

Bom, vocês devem ter visto mais uma entrevista do Papa Francisco. Dessa vez, para o Corriere della Serra, dessa vez para o editor Ferruccio de Bortoli (você pode a entrevista em inglês, clicando aqui)

O Papa falou especificamente sobre questões relacionadas ao casamento, uma vez que há um consistório de cardeais para discutir as questões familiares e há até cardeais (como o alemão cardeal Kasper) sugerindo que aqueles que se casem novamente possam receber o sacramento da eucaristia.

O papa não se comprometeu com o que disse Kasper e defendeu a encíclica Humanae Vitae do papa Paulo VI, negou que vá ocorrer mudanças no que disse Paulo VI. Mas disse que Paulo VI também alertou que deve-se olhar com "misericórdia para os casos concretos". Bom, esta misericórdia pode de fato  abrir uma porta para mudar a doutrina. Então, fica difícil interpretar o papa Francisco.

Como ponto muito positivo, o papa Francisco defendeu a Igreja contra aqueles que a atacam por conta de casos de pedofilia e defendeu a atuação do papa Bento XVI.

Mas ele deixou arestas que exigiu que o porta-voz do Vaticano tivesse que reagir e negar algumas interpretações da imprensa.

A principal aresta é uma resposta do papa que parecia dar aval a casamentos civis, inclusive de gays.

O padre Thomas Rosica que cuida da tradução dos textos para o inglês no Vaticano, soltou o seguinte comunicado sobre a entrevista:
On behalf of the Vatican, Fr. Thomas Rosica released the following statement regarding certain interpretations of the interview:
“There have been numerous questions, calls and messages throughout the day today regarding Pope Francis’ recent interview in the Italian daily newspaper, Corriere della Sera, particularly referring to the section on marriage and civil unions.  Some journalists have interpreted the Pope’s words in the interview to reflect an openness on the part of the Church to civil unions. Others have interpreted his words to be addressing the question of same-sex marriage. I have consulted with Fr. Federico Lombardi, SJ, throughout the afternoon and have prepared the following notes on Pope Francis’ interview.
Asked specifically about “unioni civili,” (civil unions), Pope Francis responded:
“Il matrimonio e’ fra un uomo e una donna.  Gli Stati laici vogliono giustificare le unioni civili per regolare diverse situazioni di convivenza, spinti dall’esigenza di regolare aspetti economici fra le persone, come ad esempio assicurare l’assistenza sanitaria.  Si tratta di patti di convivenza di varia natura, di cui non saprei elencare le diverse forme.  Bisogna vedere i diversi casi e valutarli nella loro varieta’.”
My translation:
“Marriage (matrimony) is between a man and a woman. Civil states want to justify civil unions in order to regulate (normalize) different arrangements of cohabitation; – prompted by the necessity of regulating (normalizing) economic aspects among people, for example in providing health insurance or benefits. This consists of different kinds of living arrangements which I wouldn’t know how to enumerate with precision. We must consider different cases and evaluate each particular case.”
[It is important to understand here that “civil unions” in Italy refer to people who are married by the state, outside of a religious context.]
Journalists have asked if the Pope was referring specifically to gay civil unions in the above response. The Pope did not choose to enter into debates about the delicate matter of gay civil unions. In his response to the interviewer, he emphasized the natural characteristic of marriage between one man and one woman, and on the other hand, he also spoke about the obligation of the state to fulfill its responsibilities towards its citizens.
By responding in this way, Pope Francis spoke in very general terms, and did not specifically refer to same-sex marriage as a civil union. Pope Francis simply stated the issues and did not interfere with positions held by Episcopal Conferences in various countries dealing with the question of civil unions and same sex marriage.
We should not try to read more into the Pope’s words that what has been stated in very general terms.”
---
Em suma, o padre Rosica disse que o papa falou apenas em termos gerais sobre casamento, não entrou em detalhes como casamento gay ou casamento civil.

Como eu avalio esta entrevista?

Bom, eu acho que o papa Francisco foge de temas espinhosos (ao contrário do papa Bento XVI que achava importante atacar problemas centrais do mundo moderno). Esta fuga dele o faz falar apenas em termos gerais, como relata o padre Rosica. Acontece que o mundo não quer ouvir sobre a misericórdia de Deus, ele quer saber o que a Igreja sob Francisco pensa e vai agir sobre casamento gay, divórcio, métodos contraceptivos, perseguição cristã no mundo muçulmano, etc.

O papa Francisco tenta se esquivar, mas acaba tendo que ser retratado toda vez que dá uma entrevista.


(Agradeço a entrevista e a resposta do padre Rosica ao site The American Catholic)

8 comentários:

FireHead disse...

No seguimento desta e das duas notícias anteriores do teu blogue, já reparaste que quanto mais se afasta um Papa da verdadeira doutrina cristã, mais o mundo gosta dele? Fica assim provado, que quanto mais se quer agradar ao mundo, mais se afasta de Deus.
Que o próximo Papa (já nem peço a conversão deste) possa ser melhor.

Abraço,
Hugo

Pedro Erik disse...

É verdade, meu amigo Firehead. Cristo já alertou sobre isso, o mundo não é o Reino Dele.

Mas rezemos para que este papa entenda que além de ser inócuo é errado acariciar o mundo.

Abraço,
Pedro Erik

Leonardo Santana de Oliveira. disse...

Prezados Pedro e FireHead, Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus, Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!

O que eu mais amo na Sã Doutrina de Cristo é que ela é toda coerente do começo ao fim.Com a ajuda do Sagrado e eterno Magistério da única Igreja de Cristo fica fácil saber quem honra Nosso Senhor só com os lábios mas está com o coração longe dEle.

Vou dar um exemplo particular, o meu, sobre o carnaval.Eu sempre adorei carnaval mas quando me converti de verdade ao catolicismo eu desconfiei que carnaval e cristão são termos contraditórios.O que eu fiz fui estudar, procurei opinião de católicos que era a favor de curtir essa festa pagã e dos que são contra.Então com quem ficar?

Claro que fui consultar o que diz a Santa Igreja Católica coluna sustentáculo da Verdade e os seus Santos e Santas (que são os perfeitos seguidores de Nosso Senhor e por isso receberam o prêmio da Vida Eterna e hoje estão junto de Nosso Senhor rogando por nós).Bem vi que a Santa Igreja e os Santos (as) condenavam essa "festa" e resolvi ficar em casa estudando a Sã Doutrina e a História da Santa Madre Igreja.

Resumindo ser Cristão é obedecer a Nosso Senhor e Sua única Igreja que é a católica, simples assim.

Portanto, prezados amigos, me causa espanto que o senhor Bergoglio não conhecer essa passagem ( ou se conhece faz questão de ignorar):

"Adúlteros, não sabeis que o amor do mundo é abominado por Deus? Todo aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus." São Tiago IV,4

Ai de vós clérigos conciliares, ai de vós!!

Sancte Michael Archangele, Defende nos in praelio.

Pedro Erik disse...

Esse verso de São Tiago é fantástico, Leonardo.

Obrigado por lembra-lo, amigo.

Ah, se os cristãos, começando pelo papa, lembrassem desse verso sempre.

ICXC NIKA
Abraço,
Pedro Erik

Duddu Pontes disse...

Boa noite, Pedro!

Acho que é importante, na defesa do papa Francisco, ressaltar a parte em inglês(e me desculpe se eu tiver traduzido errado) que ele fala que matrimônio é entre homem e mulher!

Creio que aqui ele reafirma a doutrina católica! Mas isso não veremos reproduzido nas grandes mídias, já que desagrada ao mundo!

Rezemos pelo Pontífice!
Abraco, meu amigo!

Pedro Erik disse...

Claro, Duddu.
É verdade.

Abraço, amigo.
Pedro Erik

Isaías disse...

Sem criticar o papa Francisco pelo que o interpelam por aí, apesar de na net não ser benquisto pelos tradicionais em geral, sinto-me sem capacidade para tal; apenas é bem preocupante quando o S Padre passa a ser objeto de seguidos destaques em rasgados elogios á sua conduta, proveniente de arquiinimigos da Igreja católica; seria no mínimo para projetarem uns contra os outros!
De minha parte, tenho uma imensa saudade do grande papa Bento XVI, o odiado pelas hostes ateístas por ser fiel à doutrina da Igreja e não dar chances aos oportunistas globalistas de se aproveitarem de suas falas para manipularem ou as ideologizarem.
É o caso da CNBB: se não elogiada pelo PT, nunca o contestou de forma explícita, nem ao menos advertindo o povo de votar em merxistas!
Quando os inimigos da Igreja-Cristo elogiam algum membro ou uma instituição ligada a ela, a dedução é obvia: favorece seus planos de poder e marxismo juntos.
Aliás, se estão no poder é graças aos Judas Iscariotes ordenados, desde D Hélder e ss, quer muitos religiosos coniventes, quer muitos milhões dentre o povo que se deixaram seduzir, pois se fosse de fato cúpula e povo cristãos, entenderiam que se associar a comunistas é pactuar com Satã e suas legiões - PT e membros do partido - outros idem como PC do B, PSOL, PSTU etc.; todos odeiam a Cristo e a doutrina da Igreja católica, além de quererem a relativização da sociedade.

Pedro Erik disse...

Obrigado, Isaías.
Ótimo comentário.

ICXC NIKA
Abraço
Pedro Erik