segunda-feira, 26 de maio de 2014

Papa Francisco beija mão e livro de padre ativista do movimento gay.


Enquanto o Papa está na Terra Santa, clamando por paz no Oriente Médio e entre judeus e palestinos (chamando até terrorista de "homem de paz"), uma controvérsia ficou em Roma.

Foi noticiado na semana passada, que o Papa co-celebrou uma missa e beijou a mão do padre Michele de Paolis que é conhecido por defender casamento gay, ao ponto de considerar o ato homossexual semelhante em tudo ao ato heterosexual. O padre inclusive é cofundador de uma associação chamada Agedo Foggia, que é dedicada a parentes e amigos de homossexuais. O Adego Fogia trabalha de forma conjunta com uma instituição chamada UNAR (União Nacional de Antidiscriminação Razziali) que, segundo o Life News,  ameaça jornalistas com prisão se eles não mostram os homossexuais de forma positiva.

De Paolis é considerado um defensor do "anarco-catolicismo", da extrema esquerda.

O que mais me assustou, além do beijo na mão, vou ler partes do livro do padre de Paolis, que o site Life News mostrou.

Vejamos o que De Paolis escreveu:

 “[W]e must overcome the letter of Scripture. It is the same St. Paul in 2 Corinthians 3:6 who says, ‘The letter kills, but the Spirit gives life.’That this biblical letter, “killed and continues to kill, unfortunately, at times, not only morally but also physically, is a fact. The Bible ‘is’ not the word of God; the Bible ‘contains’ the word of God.Instead of wasting energy in endless controversy the Church aims to build a Christian spirituality of joyous acceptance of self, gratitude to God in the knowledge that homosexual love is a gift from Him no less than heterosexual. A spirituality in which we dialogue and we compare to all, but obey God alone. Church people completely ignore the phenomenon of homosexuality, which science has now clarified unequivocally: the homosexual orientation is not chosen freely by the person. The boy or girl will discover that it is an approach deeply rooted in personality, which is an essential aspect of his identity: it is not a disease, it is not a perversion. Some church people say, ‘It’s okay to be gay, but they should not have sex, they can not love each other.’ This is the greatest hypocrisy. It’s like saying to a plant that grows, ‘You must not flourish, you must not bear fruit!’ Yes, it is against nature! We must have patience with our Mother Church. Her attitude towards homosexuals will change."

Traduzo em azul:

"Devemos superar a letra da Escritura. É o mesmo São Paulo em 2 Coríntios 3:6 que diz: " A letra mata, mas o Espírito dá vida. Que a letra bíblica matou e continua a matar , infelizmente, às vezes, não só moralmente , mas também fisicamente, é um fato. A Bíblia não "é" a palavra de Deus, a Bíblia "contém" a palavra de Deus. Ao invés de desperdício de energia em polêmica interminável a Igreja pretende construir uma espiritualidade cristã de aceitação alegre de si mesmo, gratidão a Deus, sabendo que o amor homossexual é uma dádiva Dele nada menos do que heterossexual. A espiritualidade em que dialogamos e compararmos com todos, mas obedecemos a Deus apenas. Pessoas da Igreja ignoram completamente o fenômeno da homossexualidade, que a ciência já esclareceu de forma inequívoca : a orientação homossexual não é escolhido livremente pela pessoa. O menino ou a menina vai descobrir que ele é uma abordagem profundamente enraizada na personalidade, que é um aspecto essencial de sua identidade : ela não é uma doença , não é uma perversão. Algumas pessoas da igreja dizem : "Não há problema em ser gay, mas não deve ter relações sexuais, eles não podem amar uns aos outros . Esta é a maior hipocrisia. É como dizer a uma planta que cresce, "Você não deve prosperar , você não deve dar frutos !" Sim, é contra a natureza ! Temos que ter paciência com a nossa Igreja Matriz . A sua atitude para com os homossexuais vai mudar."
---

Bom, por onde começar para criticar tamanha estupidez escrita por um padre que recebeu beijo de um Papa?

Primeiro, deve-se dizer que o que ele chama de "superar a Bíblia" é simplesmente jogar a Bíblia no lixo.

Segundo, ele usa São Paulo como o Demônio usou a Bíblia contra Cristo. São Paulo é o autor do Novo Testamento que mais falou contra atos homossexuais.

Terceiro, a ciência não provou que a pessoa nasce homossexual. Não há nada biológico que justifique a homossexualidade.

Quarto, a homossexualidade não dá frutos!!!

---
Tudo bem, Cristo ensinou a conviver com os pecadores e perdoá-los. Mas como nosso Papa gosta de beijar mãos impuras, heim?

Rezemos por ele.


5 comentários:

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro,Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus, Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!

“Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo.”
Nossa Senhora, em La Salette, França, 1846

As evidências e as provas são abundantes!!

In Corde Jesu, semper,
Leonardo Santana de Oliveira.

silence et solitude disse...

Olá, Pedro! Será que dá para retificar o título? Ele dá uma ideia errada. Afinal, nós católicos "apoiamos os gays". Apoiamos ao mostrar-lhes que a prática homossexual é pecado e indicando a solução: a castidade. O que esse... padre faz não é "apoiar os gays". É enganá-los. Talvez pareça bobagem, mas eu fiquei especialmente sensível às palavras, desde que vi o "The Third Way". Acho que devemos todos ser mais precisos com as palavras, se queremos ajudar esses irmãos afligidos por essas afeições desordenadas. Por favor, não leve a mal a minha observação. Paz de Cristo! Fabio.

Pedro Erik disse...

Você tem toda razão, silence et solitude. Fiz pequena correção.

Obrigado.

Continue assim, me corrigindo. Preciso.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Olá Pedro, bom dia!
Ao que consta, esse padre é salesiano... No Céu, se isso for possível, Dom Bosco deve estar muito, muito triste.

Sobre o filme "the third way", comentado acima, você sabe de alguma versão com legendas?

A Paz de Cristo.

Gustavo.

Pedro Erik disse...

Sei nao, Gustavo. Alguem realmente podia fazer isso para que brasileiros vissem The Third Way. Eh um filme muito importante para muitas pessoas.
Abraco,
Pedro Erik