quarta-feira, 28 de maio de 2014

Reinaldo Azevedo quer o fim do Celibato. O que a Bíblia diz?


O jornalista da Veja Reinaldo Azevedo quer o fim do celibado. Ele diz que a Igreja está atrasada, que a Igreja "não é armário" para esconder gays e pedófilos, que o celibato já fez sentido, mas hoje não faz mais.

Daí, para fundamentar seu argumento, ele cita a Bíblia três vezes: Mateus 8:14-15, I Tim 3:1-2 e I Tim 3:4-5.

Então, ele diz: "Não quero ser ligeiro. Sei bem que há outras passagens que endossam o celibato."

Bom, para começar, apesar de "não querer ser ligeiro", ele só menciona passagens a favor do seu argumento. Isto é desonesto. Ainda mais que a sentença dele "Não quero ser ligeiro..." está escondida no meio de um parágrafo.

Vamos então fazer o serviço que ele não fez. Mostrar as passagens da Bíblia que defendem o celibato. E tecer mais alguns comentários. Eu fiz isso no blog do próprio Reinaldo Azevedo ontem, mas até o momento não vi publicado meus três comentários (depois falo sobre o que eu acho do blog de Reinaldo Azevedo e do próprio).

Para começar e sermos honestos vou colocar as passagens que supostamente aprovam o fim do celibato, segundo Reinaldo Azevedo (em vermelho):

“E Jesus, entrando em casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, e com febre. E tocou-lhe na mäo, e a febre a deixou; e levantou-se, e serviu-os”. (Mateus 8:14-15)

“Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar. Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento” (I Tim 3:1-2)

“Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia. Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)” (I Tim, 3:4-5).

Agora, vamos mostrar o apoio ao celibato na Bíblia (em azul), coisa que o jornalista da Veja não mostrou. Há passagens tanto no Evangelho de São Mateus como em I Timóteo, que foram mencionados pelos jornalista. Se ele olhasse apenas as partes da Bíblia que mencionou, já teria encontrado contraponto para seus argumentos.

Vejamos:

Mateus 19:8-12
Os fariseus perguntaram: «Então, como é que Moisés mandou dar certidão de divórcio ao despedir a mulher?» Jesus respondeu: «Moisés permitiu o divórcio, porque sois duros de coração. Mas não foi assim desde o início.Por isso digo-vos: quem se divorciar da sua mulher, a não ser em caso de fornicação, e casar com outra, comete adultério»Os discípulos disseram a Jesus: «Se a situação do homem com a mulher é assim, então é melhor não se casar».Jesus respondeu: «Nem todos entendem isto, a não ser aqueles a quem é concedido.De fato, há homens castrados, porque nasceram assim; outros, porque os homens os fizeram assim; outros ainda castraram-se por causa do Reino do Céu. Quem puder entender, entenda».

1 Coríntios 7:7-9
Eu gostaria que todos os homens fossem como eu. Mas cada um recebe de Deus o seu dom particular; um tem este dom, e outro tem aquele. Aos solteiros e às viúvas, digo que seria melhor que ficassem como eu.Mas, se não são capazes de dominar os seus desejos, então casem-se, pois é melhor casar-se do que ficar abrasado.

1 Coríntios 7:32-33
Eu gostaria que estivésseis livres de preocupações. Quem não tem esposa, cuida das coisas do Senhor e do modo de agradar ao Senhor.Quem tem esposa, cuida das coisas do mundo e de como agradar à esposa,e fica dividido. Assim também, a mulher solteira e a virgem cuidam das coisas do Senhor, a fim de serem santas de corpo e espírito. Mas a mulher casada cuida das coisas do mundo e de como possa agradar ao marido.

1 Tim 5:9-12
A mulher só será inscrita no grupo das viúvas com sessenta anos e não menos, se tiver sido esposa de um só marido,se tiver em seu favor o testemunho das suas boas obras, criado filhos, sido hospitaleira, lavado os pés dos fiéis, socorrido os atribulados, aplicada a toda a boa obra. Rejeita as viúvas mais jovens; pois, quando os seus desejos se afastam de Cristo, elas querem casar-se,tornando-se censuráveis por terem rompido o seu primeiro compromisso.
--
Quero dizer que não entendo a argumentação de que o celibato não tem mais sentido para a Igreja, segundo Azevedo.

Pois uma pequena pesquisa histórica sobre a Igreja verá que os piores anos do papado ocorreram justamente com papas casados e em concubinato (período do fim do século 9 ao começo do século 11). Neste período, as famílias poderosas de Roma dominavam o papado, vários papas foram assassinados, por vezes por sucessores. Será que o celibato não agiu no sentido de curar este problema, perguntemos aos papas Bento VIII e Leão IX que foram papas no período.

Será que o fim do celibato não seria um retrocesso?

Além disso, deve-se observar o que acontece com as igrejas cristãs que permitem o casamento dos padres. O que está acontecendo por lá? Eles têm menos homossexuais ou pedófilos. Outro dia, eu falei aqui dos casos de pedofilia da Igreja Anglicana, em que os pastores são casados. Será que têm menos gays?

Azevedo está tratando um problema universal (pedofilia e homossexualidade) como se fosse um problema da Igreja Católica.

---
Finalmente, eu já respondi aqui o que eu acho do jornalista Reinaldo Azevedo. Mas aqui vai de novo.

Inicialmente, digo que respeito o jornalista Reinaldo Azevedo. Ele tem uma ótima base de leitura e eu diria que eu aprendi bastante durante o tempo que passei lendo seu blog. Considero que ele é um dos poucos bons jornalistas brasileiros, apesar de achar que ele vive em terra de gente cega, ele tem um olho.

Por outro lado, há pelos menos uns três anos eu não acompanho o blog dele (li este este texto que critico hoje porque era destaque no site da Veja). Não acompanho o blog dele porque não consigo conviver com o orgulho do jornalista. Parei de ler o blog dele quando eu o corrigi e ele me criticou, depois viu que eu estava certo, corrigiu seu texto, mas não publicou meus comentários, e eu nunca faço comentários de baixo calão.

Também não tenho muita paciência com blogs que vivem de criticar o PT. Eu também detesto o PT e tudo que ele representa. Mas acho que o PT ( e o próprio Brasil) não é tão importante assim. Muitos dos problemas do PT (e do Brasil) são problemas de outros partidos (países) no mundo.

Em suma, em questões da Igreja Católica, eu não recomendo o blog de Reinaldo Azevedo. Apenas se você quer ler alguém que detesta o PT (e apoia o Jose Serra).

Para concluir, já que este blog é dedicado a São Tomás, pergunto-me: o que seria da filosofia se São Tomás tivesse casado?



8 comentários:

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Prezado Pedro,Salve Santíssima Imaculada Virgem Maria,Mãe de Deus,Co-Redentora pois trouxe ao mundo O Redentor!!

A "igreja" conciliar e seus "clérigos" mais uma vez atacam a Santa Igreja católica, dessa vez, é a questão do celibato que já tinha sido resolvido à séculos pela Santa Imaculada Madre Igreja católica.

Quando eu era anticatólico e tinha meus olhos voltados para matéria eu não entendia o celibato e usava os mesmos argumentos que hoje o clêro apóstata usa para poder acabar com o celibato.

Seu texto está muito bem desenvolvido,portanto, vou me furtar de citar as passagens que define o celibato ( você magitralmente os citou).Mas reforçando o celibato só é problema para esses hereges modernistas que não tem vocação nenhuma para ser sacerdote de Cristo Deus (O Católico centro de tudo).O celibáto é o ato que os religiosos e religiosas consagram a sua virgindade à Deus (O Católico centro de tudo)e com isso são como anjos pois fazem da terra um pedaçinho do céu.


"O jornalista da Veja Reinaldo Azevedo quer o fim do celibado. Ele diz que a Igreja está atrasada, que a Igreja "não é armário" para esconder gays e pedófilos, que o celibato já fez sentido, mas hoje não faz mais."

Velho sofísma utilizado pelos anticatólicos (apesar desse senhor se dizer católico) de que a causa da pedofilia é causado pelo celibato.A explosão de pedofilia ocorreu porque desde o maldito conciliábulo modernista de Metz os seminários foram invadidos por homossexuais.

O livro "Goodbye Good men", de Michael S. Rose, explica bem essa crise pedófila que se instalou no seio da Igreja. Grosso modo, tem a ver com o liberalismo clerical instalado pelo Concílio Vaticano II, que transformou os seminários católicos em ambientes de perversão homossexual e heresia, com a introdução, inclusive, de métodos freudianos de seleção de vocacionados. A pedofilia é mera conseqüência.

Leonardo Santana de Oliveira disse...

Os antipapas conciliares e seus "clérigos" conciliares tentam subverter tudo que é católico seja Dogmas ou não.Esses malditos hereges modernistas sentem profundo ódio da Santa Imaculada Igreja católica.

O celibato é atacado também pelo mundo que não suporta que haja pessoas que levem uma vida de acordo com as Leis de Cristo e de Sua ÚNICA Igreja, a católica,FORA DA QUAL NÃO HÁ SALVAÇÃO!!O celibato católico faz o mundo rugir de ódio pois ele é dominado pelo maligno e vive dos vícios e pervesões.

Mais uma vez essa "igreja" conciliar dá mais uma evidência que é a prostituta do apocalipse, uma seita que tenta se passar pela ÚNICA Igreja de Cristo, a Santa Imaculada Igreja católica.


“Eis que o inimigo antigo e homicida se ergueu com
veemência, transfigurado em anjo de luz (…) Ali,
onde está constituída a Sede do beatíssimo Pedro
e Cátedra da Verdade para iluminar os povos,aí
colocaram o trono de abominação da sua impiedade,
para que, ferido o Pastor, se dispersassem as ovelhas”
(Ritual do Exorcismo publicado por Leão XIII).

Eduardo Araújo disse...

O interessante é que os casos de pedofilia no clero (uma ínfima parte deste, aliás) são relacionados com homossexualismo e ao contrário do que defendem pontos de vista simplórios, como o do Reinaldo, tais ocorrências são descumprimento do celibato, então logicamente não podem ser atribuídos a este. Grosso modo é como alguém sustentar que o descumprimento da lei é devido ... à lei!

Voltando ao dado inicial: notem bem como os anticatólicos (e certos 'católicos' da linha do jornalista) passam sorrateiramente por cima do homossexualismo que está por trás do punhado de casos de pedofilia do clero. Em verdade, dever-se-ia falar de pederastia, mas aí vai ferir as suscetibilidades da idiotia policitamente correta.

Pedro Erik disse...

Beleza de comentário, Eduardo.

Adorei o "é como alguém sustentar que o descumprimento da lei é devido ... à lei!"

Muito bom.

Abraço,
Pedro Erik

Pedro Erik disse...

Obrigado, caro Leonardo.
Abraço
Pedro Erik

FireHead disse...

Compreendo os dois lados da barricada e tanto de um lado como o outro parece ter (algum) fundamento bíblico. Pessoalmente é uma questão na qual eu prefiro não ter uma opinião. Antigamente até os próprios Papas tinham filhos (o que permitiu a corrupção na Igreja, com membros da Igreja filhos doutros membros) e hoje em dia as igrejas católicas de ritos orientais continuam a permitir que os padres sejam casados. Mesmo na Igreja Católica Romana, que compreende mais de 90% de todos os católicos do mundo, existem - e é bom realçar isso - padres que também são casados e devidamente autorizados. Por exemplo, os imensos pastores anglicanos que eram casados antes de serem aceites como padres. Obviamente que a Igreja não lhes pediria para se divorciarem, certo?

O que me leva a ter uma certa inclinação para o celibato dos padres tem a ver com as consequências inerentes aos próprios casamentos. Imaginemos um padre que está a passar por uma situação conjugal difícil. Que moral teria ele para falar do casamento às pessoas casadas que o procuram? Imaginemos também um padre que tem filhos que por um motivo qualquer se desviaram do caminho certo. Que moral teria ele para falar da educação que os pais deveriam dar aos seu filhos? Ou então um padre que deixa de amar a sua mulher... vai passar a apoiar o divórcio, ou manterá um casamento de fachada? E um padre, que precisa de se dedicar a Deus e à Igreja, aos cuidados da(s) sua(s) paróquia(s), como arranja tempo para a família por ele fundada, sabendo que uma família também requer tempo e dedicação? Ele sentir-se-ia dividido entre as obrigações familiares e Deus.

Como podemos ver, são muitas as questões. Portanto, em princípio, eu sou a favor do celibato. Mas, como se diz por aí, não há bela sem senão. Acredito que o celibato é um das grandes razões para haver hoje em dia uma baixa de vocações.

Abraço.

Pedro Erik disse...

Caro Firehead,
Cristo e São Paulo exaltaram aqueles que "se castram" por Deus.
O problema da falta de padres é bem mais complexo. A Igreja Anglicana e as igrejas ortodoxas também sentem muito a falta de pastores e elas permitem casamento e têm uma abrangência bem menor do que a Igreja Católica.
Abraço
Pedro Erik

FireHead disse...

Certo, mas ainda assim não invalida os pressupostos que eu aqui coloquei. Próprio Pedro era casado, pois tinha sogra. Muito possivelmente era viúvo. Seja como for, a pedido de Cristo, Ele, tal como todos os outros, deixaram tudo para O seguir. Como é óbvio, não são todos os cristãos que têm de deixar tudo para O seguir, mas sim aqueles que são chamados para executarem as tarefas dos apóstolos. E esses são os padres. Caso contrário, a humanidade há muito que se teria extinguido.