sexta-feira, 30 de maio de 2014

Real Academia de Psiquiatria admite: Gays não nascem Gays e Podem Mudar de Orientação Sexual


Outro dia, eu falei aqui de um padre italiano ativista gay que recebeu um beijo do Papa Francisco. Este padre costuma declarar que a "ciência já mostrou que o homossexual não escolhe ser gay". Para o padre, o homossexual então já nasceria gay, algo biológico determinaria que a pessoa é gay.

Pois não é que a Academia Real de Psiquiatria do Reino Unido mostrou que a ciência, ao contrário do que diz o padre, não está nada resolvida em relação aos gays. A Academia divulgou um Comunicado sobre orientação sexual. O comunicado da Academia Rela não poderia ser mais confuso.

A Academia admite que gays não nascem gays ao dizer que são também necessários "fatores ambientais" e também diz que "a orientação sexual não é imutável". Um gay, então, pode deixar de ser gay. 

Mas mesmo dizendo que a orientação sexual pode ser mudada com o desenvolvimento da pessoa, a Academia parece recomendar terapias apenas para revalidar a orientação sexual da pessoa.  

Vejam o texto do Comunicado:

It is not the case that sexual orientation is immutable or might not 
vary to some extent in a person’s life. Nevertheless, sexual orientation for 
most people seems to be set around a point that is largely heterosexual or 
homosexual. Bisexual people may have a degree of choice in terms of sexual 
expression in which they can focus on their heterosexual or homosexual side.

It is also the case that for people who are unhappy about their sexual 
orientation – whether heterosexual, homosexual or bisexual – there may be 
grounds for exploring therapeutic options to help them live more comfortably 
with it, reduce their distress and reach a greater degree of acceptance of 
their sexual orientation. 


Traduzo em azul:

Não é o caso que a orientação sexual é imutável ou não possa variar 
até certo ponto na vida de uma pessoa. No entanto, a orientação sexual para 
a maioria das pessoas parece ser em torno de um ponto que é em grande parte heterossexuais ou 
homossexual. Bissexuais pode ter um grau de escolha em termos de sexual 
expressão em que eles possam se concentrar em seu lado heterossexual ou homossexual. 

É também o caso que, para as pessoas que estão descontentes com a sua sexual 
orientação - seja heterossexual, homossexual ou bissexual - podem haver 
motivos para explorar opções terapêuticas para ajudá-los a viver mais confortavelmente 
com isso, reduzir o sofrimento e atingir um maior grau de aceitação 
sua orientação sexual.

Em suma, a Academia Real de Psiquiatria está completamente perdida.

Mesmo admitindo possibilidades de mudanças na orientação sexual, a Academia Real de Psiquiatria continua se rebaixando ao politicamente correto e proíbe terapias que visam mudar a orientação sexual, especialmente se gays querem voltar a ser heterossexuais.

Finalmente, deve-se dizer que nunca foi identificado nada biológico que determine o homossexualismo. E o Comunicado da Academia apesar de falar em fatores biológicos não cita nenhum. Simplesmente, porque eles não existem.


(Agradeço o texto da Academia Real ao site Culture War Notes)

2 comentários:

Rodrigo Adem disse...

Pois é, a grande imprensa não vai publicar uma notícia dessas.

Pedro Erik disse...

É verdade, caro Rodrigo. A grande imprensa tem uma narrativa que anda convencendo até padres, bispos e etc: gays são apenas outro tipo de sexo definido pela biologia.

Eu também já falei aqui no blog que os casos de pedofilia em geral envolvem homossexuais (coisa de 80% dos casos) e de casos de pedofilia em Hollywood e na Igreja Anglicana . Não me consta de ser assunto na grande imprensa, brasileira ou estrangeira.

Abraço,
Pedro Erik