sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Fulton Sheen: O Verdadeiro Significado do Natal



O Arcebispo Fulton Sheen, cuja causa de canonização está a pleno vapor, fazia programas de televisão e de rádio, ele ensinava o cristianismo de forma brilhante e com humor.

Vejamos um vídeo abaixo de 1956 no qual ele fala do verdadeiro significado do Natal. Não vou traduzir o vídeo,  mas vou colocar os principais pontos, de um vídeo belíssimo, que merece ser visto e traduzido completamente.





Depois de contar um "causo" do seu irmão e mencionar Chesterton, que também está em processo de canonização, Sheen diz que há apenas duas filosofias de vida.

A primeira é o homem em direção a Deus, o homem em busca da perfeição usando seu próprio esforço, filosofia do budismo, taoismo e dos filósofos gregos.

A segunda é Deus em direção ao homem. O homem se submetendo a Deus, reconhecendo que sozinho o homem não consegue chegar à perfeição. Reconhecendo que o homem não consegue saber de tudo. Deus o amou o homem primeiro. Religião é uma resposta a Deus.

Na hierarquia da vida: primeiro químicos, depois plantas, animais e por último o homem. Para se passar para um hierarquia deve-se morrer, deve-se abandonar a vida que se tem. 

Se o homem quer se tornar maior, Deus deve se tornar homem e dizer ao homem que ele deve morrer, se entregar a Deus para se tornar um ser superior. Mas o homem é diferente de plantas e animais, ele pensa, ele é livre.

Nossa Senhora respondeu livremente ao anjo que aceitava ser a mãe do Salvador. Ele se submeteu a Deus.

9 meses depois, Deus se tornou homem. Deus foi recebido por pastores, aqueles que sabem que não sabem nada, e por Sábios, aqueles que sabem que não podem saber tudo.

Este menino que nasceu não era homem que fez a si mesmo Deus, não era apenas um reformador social, não era apenas um mestre, como Buda ou Sócates.

Ele não veio para que nos tornemos "gente boa", mas para que nos tornemos um "novo homem". Veio mudar nossa natureza humana, nos tornar maior.

O verdadeiro significado do Natal, é que o Filho de Deus veio ao mundo para nos tornar também filhos de Deus. Não é fácil, é muito difícil, é um caminho de esperança.


(Agradeço o vídeo ao site Big Pulpit)

4 comentários:

Nik disse...

Querido amigo, Feliz Natal mais uma vez.
Me chamou a atenção, ontem, uma postagem no facebook que apontava para esta do Olavo de Carvalho: https://www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/357934387691975
Há pelo menos uma boa postagem sua aqui que me lembre sobre este assunto, como o islã entende N.S. Jesus Cristo. Pois bem, interessantíssima a colocação de Olavo que, em uma cambalhota epistemológica, abre os corações a uma certa afinidade com o islã, como se isso fosse possível em qualquer nível, histórico, cutural, moral ou teológico. Lembrei-me do falecido Orlando Fedelli e suas disputas com Olavo, a quem definiu como gnóstico e outras coisas. Vou reler alguns artigos, pois não compreendo o que Olavo pretende com isso. Simplesmente os fatos tornam irrelevante qualquer esforço dele neste sentido. Exceto se o que ele pretende seja criar uma ponte entre nós e eles. Adoraria ver o amigo comentando este assunto um dia, novamente. Paz e bem, Nik.

Pedro Erik disse...

Caro Nik,

Nao uso facebook, se poder copiar o que disse Olavo e me enviar eu comentaria com mais conhecimento.

Eu ja sabia da afinidade de Olavo com o Isla acho que ele estudou em uma tariqa e admira partes do isla. Tambem vi um video dele sobre o Isla que encontrei inumeras falhas. Parece-me que ele nao conhece bem o assunto.

E eh claro o Jesus do Isla nao eh o Jesus Cristo. No Isla, Jesus eh um profeta nascido de uma Maria que nao eh a Maria de Jesus. Nem foi crucificado, nem ressuscitou. E ensinou apenas que Maome viria.

Abraco,
Pedro Erik

Nik disse...

Pedro, pesquisei mas não encontrei aqui uma postagem recente sobre o assunto, quase uma tabela de como Cristo é compreendido pelo islã. Depois me ajuda com este link por favor?

O que Olavo escreve é o seguinte:

"Há três décadas afirmo precisamente isto: uma leitura atenta mostra que o Corão AFIRMA a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo em vez de negá-la como tantos muçulmanos apregoam. Não há escapatória. Que é o Corão segundo ele mesmo? É "Kalimat-Ullah", a Palavra de Deus. Que é Jesus segundo o Corão? "Kalimat-Ullah", a Palavra de Deus. Se a Palavra de Deus não é Deus, ela é o quê? Uma coisa criada? Impossível. Por definição, e o próprio Corão o afirma, a Palavra de Deus é eterna, é o Verbo criador. Jesus é Eterno, é o Verbo criador. Fim de conversa."

E indica este vídeo, que eu comecei a assistir tempos atrás mas desisti, me pareceu uma péssima e mal feita peça de propaganda muçulmana:

https://www.youtube.com/watch?v=WjUXd4qW9mg

No link acima temos a versão completa do vídeo, em que um muçulmano convertido explica sua interpretação do Corão e como se deu conta que Cristo é o filho de Deus etc.

Ora, eu na minha absoluta ignorância não compreendo por que se alegrar e propagandear esta ilação a partir de uma heresia como o islã - excetuando os méritos próprios e particulares do convertido - se se pode saber de tudo isso a partir do Magistério da Igreja, etc.

Nada de mais este assunto. Mas não concordo com quem me disser que esta conclusão a partir do Corão é possível, verdadeira ou condizente com o modo de pensar e viver do muçulmano. Têm uma armadilha nessa história toda, que é colocar-nos em uma fraternidade espiritual para com eles que inexiste, como sabemos.

PAX.

Pedro Erik disse...

Caríssimo Nik,

Obrigado. Agora posso comentar o que disse Olavo:

1) parece-me que o foco é criticar muçulmanos.
2) é verdade. Em um verso do alcorão está dito que Cristo é a palavra de Deus.
3) acontece que muitos outros versos do alcorão nega que Cristo seja Deus.
4) o alcorão também chama Cristo de messias mas não respeita o que a palavra significa. Nega que Cristo seja Deus.
5) no alcorão há tambem um verso dizendo que outras entidades são deuses. Mas depois nega que exista outros deuses.
6) o alcorão é contraditório e é por isso que os muçulmanos eliminam parte dele na lei da abrogacao.
7) mas repete inúmeras vezes que apenas ala é deus.
8) sem falar que manda matar os infiéis cristãos e judeus.
9) são tomas de Aquino sabia muito bem o que é o islã. Uma ideologia que prega os prazeres da carne e mata os cristãos.
10) os muçulmanos que idolatram cristo são apóstatas pois a primeira mensagem do islã é que ala é o único deus e Maomé é seu profeta.
11) também não são cristãos pois o Cristo do alcorão não é o mesmo da bíblia. Cristo no islã não ressuscitou nem foi crucificado nem ensinou aquilo que Ele ensinou na bíblia apenas que Maomé viria.

Abraço.
Pedro Erik