quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Aliança Esquerdismo e Islamismo desde Karl Marx até Obama.


O Esquerdismo representa desprezo por religião, feminismo, casamento gay, sexo livre. Enquanto o Islã exige plena subordinação à religião, despreza as mulheres, mata gays e libera sexo livre só para homens.

O Esquerdismo é bem velho, para mim, está nas palavras da serpente do paraíso que disse ao homem que ele podia ser como Deus. O Islã, veio bem depois.

Mas esquerdismo e Islã têm uma aliança antiga. O Islã aprendeu com o esquerdismo como deturpar tudo que seja ocidental, especialmente o cristianismo e o capitalismo. O esquerdismo apoiou o Islã para atacar seus inimigos imperialistas.

Esta aliança é assunto de um ótimo artigo de Stephen Schwartz do site First Things. Schwatz já mostra como a lógica do "qualquer coisa contra tudo que representa a cultura ocidental" já estava presente em Karl Marx e Lenin. 

O discurso dos comunistas é que os muçulmanos são vítimas do imperialismo do ocidente, por isso estão liberados para matar, estuprar, crucificar, etc.

O que disse hoje Maria Harf do Departmento do Estado do Governo Obama, ilustra bem isso:

We’re killing a lot of them and we’re going to keep killing more of them. So are the Egyptians, so are the Jordanians. They’re in this fight with us. But we cannot win this war by killing them. We cannot kill our way out of this war. We need in the medium to longer term to go after the root causes that leads people to join these groups, whether it’s lack of opportunity for jobs 

Ela diz que o Obama está atacando os terroristas, mas que a causa do terrorismo é a falta de oportunidade, de trabalho dos muçulmanos. Em outras palavras, a culpa é do capitalismo.

O que Lula, Chavez, Fidel Castro falam de terrorismo é no mesmo sentido que expressou Harf. 

Enquanto os terroristas só falam no Alcorão.

Vejam aqui parte do texto de Schwartz, leiam o resto no site.

FAMOUS COMMUNISTS AND ISLAM

by Stephen Schwartz
2 . 11 . 15


For some time, an argument has been made that the liberal left, in refusing to examine the problems of Islam, has betrayed its Enlightenment roots. That is, while secular, feminist, and protective of free speech in dealing with its Western peers, the liberal left has been accused of abandoning its heritage in its quest for political correctness regarding Muslims.
In truth, however, the left has a distinguished background of courting Islam as a weapon against Western capitalism. Its most representative figures from the past did so frankly, as the following rehearsal of their statements demonstrates.
Karl Marx supported the Ottoman empire, then accused of atrocities against Christians and non-Turkish Muslims. In 1853, as the Crimean War pitting Russia against Turkey began, Marx wrote, 
 It is not to be denied that Turkey, the weak state, has shown more true courage, as well as more wise statesmanship, than either of her powerful allies [Britain and France] . . . we may justly attribute the delays and hesitation shown in the manoeuvres of Omer Pasha [Latas] to the paralyzing and temporizing influence of Lord Redcliffe and M. [Edmond] de la Cour, [British and French ambassadors to Turkey] over the Divan [the Ottoman court]. At the moment when [Omer Pasha Latas] was opening the campaign, they procured orders to be sent to him to delay the beginning of hostilities. . . . If there be a general war, it will not be the fault of Turkey, but next to Russia, of France and England. They might have prevented it infallibly, but they did not.
Omer Pasha Latas was a brutal and corrupt Ottoman functionary hated especially by Balkan Muslims.
Thus was a pattern established: defend Muslim autocrats, blame the West.
Lenin was so excited by the defeat of Russia by Japan in 1904, the failed Russian revolution of 1905, the 1906 constitutional revolution in Persia, and the 1908 Young Turk revolution in the Ottoman empire, that he wrote, 
in Persia Russian counter revolution played and continues to play what amounts to a decisive role, while in Turkey the revolution was at once confronted with a counter-revolutionary coalition of the powers, Russia at their head. True, the general tone of the European press and of the diplomatic statements would appear to contradict this. If we are to believe these statements and the semi-official press, there is universal “sympathy” with regenerated Turkey, a universal desire to see her constitutional regime strengthened and developed, general praise for the “moderation” of the bourgeois Young Turks. All these fine words, however, are typical of the base bourgeois hypocrisy of Europe’s “present-day” reactionary governments and present-day reactionary bourgeoisie.
Once again: Muslims as manipulated victims, the West at fault, and, repudiation of Western sympathy for modernization of Muslim societies.

(Agradeço Harf ao site Weasel Zippers e o texto de Schwartz ao site Big Pulpit)

4 comentários:

Adilson J. da Silva disse...

Boa tarde, Pedro. Salve Maria! Uma boa quarta de quaresma. Que Cristo possar receba e que Ele nos mostre o que é melhor para bem servi-lo com nossa abstinências de hoje.

Como sempre, a postagem de hoje nos convida a comentar. Pergunto: não seriam essas sucessivas sequências de fatos, em especial a escanção do marxismo na sua expressão cultural e política, a confirmação de que já estamos sob um império global anticristão? Para mim, a miséria intelectual que os marxistas semearam e vem semeando por meio dos idiotas úteis nos sistemas educacionais e culturais de governos do mundo inteiro é quase irreversível. Olho a minha volta e vejo um exército de milhões de pessoas que se comportam como zumbis, mesmo tendo nas mãos grandes tecnologias.

Pedro Erik disse...

Gostei da sua percepção de que estamos cercados de zumbis. Você tem toda razão. Por vezes me assusto ao ver o nível de ignorância da era vda comunicação instantânea.
Sobre o mundo anticristão, Cristo nos alertou que o mundo era dominado pelas forças do mal. Cristãos vivem exilados.
Abraço
Pedro Erik.

Anônimo disse...

Bueno, Cristo disse: "Pois quem não é contra nós, é a nosso favor." (São Marcos 9, 40)

Estes esquerdistas praticam o inverso: "Pois quem é contra eles (cristãos), é a nosso favor".


Abraço.

Jonas

Pedro Erik disse...

Muito bem lembrado, Jonas.
Muitas vezes vejo o mal uso dessa frase de Cristo.
Mas você usou-a de forma excelente.
Abraço
Pedro Erik