quinta-feira, 29 de setembro de 2016

New York Times: "Efeito Papa Francisco" Tem Afastado Fiéis da Igreja.


Está aí um jornal que a imprensa mundial lê , apesar de ser um jornal que faliu, e foi recuperado por um ricaço mexicano e que é apenas o terceiro jornal mais lido dos Estados Unidos (atrás do USA Today e do Wall Street Journal).

Por vezes, eu acho que os jornalistas "especialistas" em assuntos internacionais do Brasil só lêem o New York Times.

Bom, o New York Times é um jornal tipicamente de esquerda.

Mas agora o jornal mostra algo que já vem sendo dito há bastante tempo por outros meios de comunicação e centros de pesquisa: O estilo do Papa Francisco (conhecido como Efeito Francisco) não tem atraído fiéis para a Igreja, pelo contrário, tem afastado.

O texto afinal é muito bom, de autoria de Matthew Schmtz.

Fala, por exemplo, que um dos problemas do Papa Francisco é a mania dele em falar mal e atacar padres e bispos, taxando-os de diversos nomes ruins. Coisa que eu já falei aqui, sobre o livro que descreve os insultos do Papa contra católicos.

Schmtz pergunta por que um fiel iria frequentar uma igreja que os padres não prestam, segundo o própri Papa?

O artigos conclui corretamente dizendo que o Papa não deve buscar ações populistas, mesmo porque Cristo nunca quis ser nem foi populista.

Até no New York Times pode-se encontrar bons artigos, mesmo que sejam atrasados.

Leiam o artigo clicando aqui.

(Agradeço o texto do NY Times ao site Canon212)

5 comentários:

Anônimo disse...

O autor desse editorial é um conhecido escritor do web-site conservador First Things. Daí a estranheza de estar publicado no NYT.

Pedro Erik disse...

Não sabia, obrigado pela informação, amigo(a).
Abraço,
Pedro

RICARDO LIMA disse...

O Papa Francisco, infelizmente, é um péssimo Papa.

Vic disse...

OS LEIGOS EXCELENTES TEÓLOGOS, BISPOS, CARDEAIS E SACERDOTES COMEÇAM a interpelarem cada vez mais insistentemente O PAPA FRANCISCO em abaixo-assinados!...
Achei conveniente aqui recordar – mais aparentaria como que profetizando pelo que adviria após o papa Bento XVI deixar(?) o pontificado – parecendo de antemão prever pelo que aconteceria após retirar-se(?):
*”O papa não é um soberano absoluto, cujo pensamento e vontade são lei. Ao contrario: o ministerio do papa é a garantia de obedencia a Cristo e à Sua Palavra. Não deve proclamar suas proprias ideias senão vincular-se constantemente a si mesmo e à Igreja na obediencia à Palavra de Deus, frente a todas as intenções de adaptação e alteração, assim como frente a todo oportunismo!
*Bento XVI, Homilia em S João de Latrão – 07/05/2005

flavio disse...

Falharam na década 1870 ao extinguir os Estados Papais.
Falharam na década de 1960 ao tornar o relativismo dogma oficial.
Falharam na década de 1980 ao propor a teologia da libertação como substituto do neotomismo.
Falharão com um papa "protestante".

O Senhor puniu os modernistas e maçônicos infiltrados na Igreja com a esterilidade: Não produzem frutos! Seus teólogos são péssimos, seus sacerdotes relaxados, seus seminários vazios.....