quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Estado Islâmico Diz que Papa Francisco é o Inimigo Número 1.


Bom, ao que parece, não adianta muito ser bonzinho e pacífico extremista, em querer negociar, em dizer que terroristas são vítimas da ganância do capitalismo.Não adiantar muito dizer que o Alcorão é igual a Bíblia, que Maomé era boa gente e que Alá é o mesmo Deus cristão. Não adiantou dizer tudo menos dizer que o Islã é intrinsecamente  e historicamente contra o cristianismo.

O Estado Islâmico disse que o Papa Francisco é o inimigo número 1 e criticou o Papa por querer dialogar com o Islã "moderado". O inimigo não é Vladimir Putin ou Assad ou Obama que de uma maneira ou de outra matam terroristas do Estado Islâmico.

Se fosse o Papa Bento XVI os próprios padres e bispos iriam culpar o discurso de Regensburg de 2006, proferido por Bento XVI e criticado por Jorge Bergoglio quando era cardeal. Mas como é o Papa Francisco há um silêncio sepulcral.

O Islã "moderado" que o Estado Islâmico cita é especialmente o Dr. Tayeb, grande imã do Egito, e considerado o mais influente líder islâmico do mundo. Certa vez, o Papa Francisco disse que Tayeb ensinou a ele que o Islã é pacífico. Só que Tayeb diz uma coisa para o Papa e outra para os muçulmanos. Vejam aqui a reportagem sobre esse amigo do Papa Francisco.

O Estado Islâmico mostra clipes destruindo o Vaticano e até matando o papa.

Vejam abaixo parte da reportagem do jornal The Express.

ISIS names Pope ‘enemy number one’ for being a ‘NON-BELIEVER’

THE Pope has been named by Islamic State (ISIS) as “enemy number one” in the latest issue of its propaganda rag.


ISIS, otherwise known as Daesh, has named the leader of the Catholic Church as the ultimate foe of the bloodthirsty regime.
Pope Francis, real name Jorge Mario Bergoglio, was branded a "non-believer" by the twisted group in their monthly publication. 
The 79-year-old is also accused of "defending" homosexuals, adding it is "immoral" in their article, entitled 'in the words of the enemy'. 
The barbaric troupe continued their ideological rant, criticising Pope Francis for "seeking dialogue with moderate Islam", including Ahmed al Tayeb, an Arab preacher of the prestigious Islamic university Al Azhar in Cairo, Egypt.
The imam was labelled an "apostate" - someone who renounces religion - by ISIS, who criticised his comments on Christianity calling it "a faith of love and peace". 
ISIS has previously released a video showing the end of the world and suggests they are planning an assassination of the pope. 
A clip shows tanks advancing on a post-apocalyptic Rome, with a voiceover claiming Isis will take over the city, take women as slaves and destroy all crucifixes. 


3 comentários:

Adilson disse...

O que fazer? Apenas rezar, divulgar, dialogar e alertar. E aqui temos um triste dilema: está mais fácil falarmos sobre isso entre os protestantes e não cristãos, pois eu mesmo já fui atacado por católicos pelo fato de eu expor socialismo e o politicamente correto do papa Francisco. Até mesmo páginas do facebook, como a Liga Cristã Mundial, que faz postagem sobre os crimes islâmicos, não tolera qualquer senso crítico contra o papa. Já fui bloqueado em uma página denominada "Mulheres Brasileiras contra a Lei Sharia/islamização" pelo simples fato de reproduzir as próprias palavras do papa Franscisco publicada pela revista CRUX, em que dizia que era injusto dizer que o islã é violento. E olha que essa página do facebook posta noticias que desmascara o pacifismo falso do islã. Inclusive já ajudei essa página, mas quando vi que o pessoal controlava as publicações e eram muito progressistas e desconheciam a Tradição, fui obrigado a abandoná-los. Triste. Ou seja, há um exército católicos cujas mentes sofre de um fenômeno chamado "fragmentação da consciência", um produto do modelo de ensino esquerdista. Ora, a maioria esmagadora dos católicos no Brasil estudam em escolas públicas que são esquerdistas, e a minoria em escolas católicas caríssimas já dominadas pela mentalidade revolucionária. Professores realmente católicos ou são atacados ou não conseguem emprego: se tornaram "fora da lei". Deus nos proteja.

Pedro Erik disse...

Amém, meu caro Adilson.
Abraço,
Pedro

Vic disse...

Podemos nós cristãos acreditarmos em supostos dirigentes de uma crença pagã, criada por Maomé, de um deus que é a deusa da lua Alah?
Esse deus dos maometanos difere-se radicalmente do nosso, pois o deles é até totalitarista, por sinal, foi aliado de Hitler via dirigentes dos governos islãmicos!
No presente são aliados dos desequilibrados comunistas...
Se eu cresse em Alah, também seria devoto da mula-sem-cabeça!