terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

São Celestino V: Inspiração do Papa para Renunciar

-

Foto acima mostra o Papa visitando o túmulo do Papa Celestino V.

Papa Celestino V  (nome de nascimento Pietro Angelerio) assumiu o papado também já idoso aos 79 anos (Bento XVI assumiu com 78 anos) em 1294, e logo depois de assumir emitiu um decreto permitindo a renúncia dos papas. Então após cinco meses de papado, Papa Celestino V renunciou.

São Celestino era considerando um monge santo, o modelo dele era João Batista, usava roupas muito simples, fazia jejum todos os dias, exceto aos domingos. Muitos monastérios e religiosos adotaram o nome do Papa Celestino V.

O grande Emon Duffy, autor de um dos melhores livros sobre papado, chamado "Saints and Sinners: A History of the Popes" (foto abaixo), relata que São Celestino assumiu o papado depois de dois anos sem papa, por conta de brigas internas e relacionadas aos reis da época. Ele foi eleito porque era reconhecido como homem santo pelo seu comportamento, esperava-se que ele limpasse a Igreja da corrupção. Mas Celestino não queria ser Papa, e se perdia nos assuntos administrativos e financeiros, era facilmente enganado. Por isso pediu renúncia.


Dois teólogos católicos muito conhecidos,  Scott Hahn e Taylor Marshall, relacionaram duas visitas que o Papa Bento XVI fez às relíquias de São Celestino com a renúncia anunciada no domingo passado. E identificam que o Papa Bento XVI se tornou cada vez mais devoto de São Celestino quanto mais ficava debelitado fisicamente.

As visitas do Papa Bento XVI às relíquias de Celestino V ocorreram em 2009 (visitação ao túmulo do Papa Celestino em Áquila) e em 2010 quando visitou as relíquias de São Celestino em Sulmona, perto de Roma.

No mesmo ano de 2010, no livro Luz do Mundo, o Papa conta ao jornalista Peter Seewald que um papa deve renunciar se ele vê que ele não é mais fisicamente, psiocologicamente ou espiritualmente capaz de conduzir a Igreja.

Hoje, o Papa Bento XVI seguiu os passos de São Celestino, ao reconhecer que não tem mais o vigor de corpo para seguir o papado. Foi um ato de extrema coragem e santo, em nome de uma Igreja forte em tempos tão difíceis.


2 comentários:

avmss disse...

Scott Hahn tem um livro muito bom, chamado "O Banquete do Cordeiro", neste ele mostra como ficou surpreso com a semelhança do Livro da Revelação e a Santa Missa, quando ainda era protestante e estava frequentando a missa católica para estudo. Quem me indicou foi o mesmo padre que tinha me indicado aquele livro do pe.Fortea. Já encomendei para lê-lo mais tarde. Quanto ao futuro papa, penso que um forte candidato é o ganês Peter Turkson(64 anos), tem também Angelo Scola(italiano, 71 anos) e Marc Ouellet(canadense, 68 anos) o que você acha? Acho que a idade deve fazer diferença para o novo Pontíficie, até porque com a renúncia de Bento XVI isso ficou bem claro.

Abraço

Pedro Erik disse...

Não sabia deste livro de Hahan. O que eu tenho dele é um livro usado para ensinar teologia para principiantes. Muito bom.

Sobre a eleição do novo Papa, eu não sei, acho que o Scola é forte, também li sobre o canadense, mas não sei, é difícil. Que o Espírito Santo iliumine como sempre.

Grande abraço, meu amigo avmss.
Pedro Erik