domingo, 3 de fevereiro de 2013

Teólogo do Papa explica por que Mulheres não podem ser Padres

-

Eu já falei deste assunto no início de janeiro, colocando alguns argumentos teológicos, mas repito aqui o assunto pois achei bem profunda a entrevista do padre dominicano Wojciech Giertcych, que é um assessor do Papa Bento XVI (ele faz parte do que se chama Família Pontifícia, que auxilia o trabalho do Papa). Ele explicou na semana passada por que mulheres não podem ser padres na Igreja Católica. Ressalto quando ele diz que Cristo foi "contra cultural" na sua época e continua sendo.

Vejam o vídeo abaixo. Vou traduzir a entrevista dele, em azul.




Em teologia, nós não nos baseamos no que a humanidade espera, mas na palavra revelada de Deus. E  o sacerdócio não é uma instituição social humana, o sacerdócio católico está relacionado com o sacerdócio estabelecido por Cristo. O que significa que os homens não são livres para inventar um sacerdócio de acordo com nossos costumes. Nós interpretamos o sacerdócio por meio de Cristo.

O sacerdócio católico foi instituído por Cristo, não foi inventado pela Igreja. Os apóstolos não foram escolhidos em votação popular, eles foram escolhidos por Cristo. Ele escolheu homens como apóstolos, e Cristo incarnou não como uma pessoa sem sexo, mas como homem. Estes são os fundamentos básicos que justifcam que a Igreja não pode mudar o sacerdócio para adotar mulheres como padres.

Cristo não teve medo de ser "contra cultural" na sua época. Ele disse coisas que os fariseus não gostaram, Ele fez coisas que não estavam de acordo com que era esperado pela sociedade. Ele não seguiu os poderosos da época. Ele tinha suas próprias palavras, sua própria missão. Assim, o argumento de que Cristo veio em uma época cultural diferente e que agora a cultura é outra é disfuncional.

A Igreja, apegada à verdade que ela recebeu de Cristo, é livre dos apelos culturais do momento.

No mundo antigpo, os pais decidiam pelos filhos em todos os aspectos, o pai decidia o casamento e até podia matar seu filho. No início da Igreja, as jovens que não aceitavam os ditames dos pais por vezes decidiam ser virgens para Cristo e nós conhecemos muitas mártires deste tipo, que morreram por Cristo. Estas virgens de Cristo dignificaram (revolucionaram) as mulheres da época.

Lendo as escrituras, parece-me que as mulheres tinham acesso especial ao coração de Cristo, visto no jeito que elas se aproximavam dele, que conversavam com Ele, que tocavam nele. Nós até podemos dizer que as mulheres entenderam com mais facilidade o mistério de Cristo, pelos dons de fé das mulheres, por talvez ter mais facilidade em receber a graça divina.

No entanto, elas não foram agraciadas com a missão apostólica, que Cristo deu aos homens.


(Agradeço o vídeo ao site New Advent)

10 comentários:

avmss disse...

Bom texto, obrigado pela tradução. Bastante importante quando ele disse que o sacerdócio não é uma instituição social humana, e que foi estabelecido por Cristo. De fato, a mulher tem mais facilidade em receber a graça divina, não é atoa que o Salvador não caiu do Céu, mas veio por uma mulher(ou melhor, a mulher), a primeira entre todos que recebeu Nosso Senhor Jesus Cristo. Maria aceitou receber essa missão que não era qualquer uma; dar à luz, cuidar e educar "simplesmente" o Filho de Deus, depois vê-Lo crescer e se sacrificar por todos nós , foi de uma responsabilidade, dedicação, amor e dor incríveis, assim como Nossa Senhora, as mulheres tendem a ser mais receptivas. Quanto ao que você enfatizou - Cristo foi "contra cultural" e continua sendo - é muito boa.

Abraço

Pedro Erik disse...

Obrigado, grande avmss. Ótimo comentário.

Como você fez, no meu outro post sobre o assunto, o blogueiro Jason Liske ressaltou que o ser humano mais importante que já existiu foi uma mulher: Nossa Senhora.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Acredito que isso irá mudar na bíblia existem muitas mulheres que foram importantíssimas a principal delas foi a Virgem Maria, mulheres foram agraciadas com missão apostólica mas infelizmente o machismo ainda prevalece. E mulheres continuam sem muita voz.

Anônimo disse...

Já foi muito bem explicado, JESUS escolheu doze Apóstolos e não há discriminaçao, porque ele mesmo disse: não fazer acepção de pessoas. Portanto o CRISTO determinou o homem não muda, senão ELE JESUS teria escolhida algumas mulheres. Conforme os evangélicos dizem: ta na Biblia, se tá e' o que é a verdade.

Anônimo disse...

O fato de mulheres não poderem ser padres pode ser interpretado como um reflexo de uma sociedade antiga, machista, aonde apenas o homem detinha o poder. Independente do fato de Cristo ter tido apenas apóstolos homens, não existe passagem que diz que Ele decidiu que mulheres não poderiam alcançar os altos cargos da igreja ocupados por homens. Durante a ascensão da igreja católica, juntamente com a ascensão de impérios católicos, como Roma, homens detinham todo o poder. Reis, generais, conselheiros e, principalmente, o clero, que, representando a igreja católica, possuía uma quantidade absurda de ouro e terras. Então, o fato de mulheres não poderem ser padres não vem da palavra do Senhor e sim da herança de uma sociedade menos evoluída acompanhada de erros humanos cometidos pelo alto escalão da igreja. Se as mulheres têm mais facilidade em receber a graça divina, elas que deveriam sem padres.

Pedro Erik disse...

Caro Anônimo,
Como diz o post, Cristo não se curva a modismo ou receios de ser vistos de uma forma ou de outra, Cristo é Deus, é eterno.

O fato de só ter padres homens vem exatamente de Cristo. Cristo era homem em sua plenitude, assim ensina a Igreja. Cristo também só escolheu apóstolos homens. O fato deles serem homens faz parte da teologia divina.

Assim, a Igreja não pode mudar isso. Mulheres são exaltadas pelo cristianismo, mas podem sem plenas sem precisar padres. Podem ser servir muito a Cristo, sem precisar ser padres. Veja Madre Teresa de Calcutá e as doutoras da Igreja, Danta Teresa D'Avila, Santa Teresinha de Lisieux.

Abraço,
Pedro Erik

Rubilar Tomasi disse...

A Igreja Católica já mudou suas ideias e interpretações sobre a Bíblia para se adaptar aos "novos tempos" e isso foi bom. A viabilização do sacerdócio às mulheres é um caminho sem volta, mas talvez a nossa geração não verá isso. Jesus escolheu somente homens como apóstolos, mas a pergunta é de se Ele representava o pensamento puro de Deus ou se recebeu influências da cultura da época, que era muito machista? Penso que atrelar a consagração da hóstia à sexualidade de um ser humano não está em sintonia com a evolução do pensamento da Igreja, bem pelo contrário, parece ser uma contradição.

Pedro Erik disse...

Caro Rubilar,

Você está tratando Cristo como apenas um ser humano. Ele é Deus. Seus ensinamentos e atos são eternos.
Se fosse como você fala, a Igreja não tinha nem sido criada.

Cristo, segundo a Igreja, é tão Deus quanto Deus e o Espírito Santo. E Deus é eterno, não foi criado, como diz o Credo. Se Ele escolheu só homens é porque assim é que deve ser feito eternamente.

Abraço,
Pedro

Rogerio Abreu disse...

Se o Bergólio fosse realmente papa mas ele é um antipapa. O papa verdadeiro é o Bento XVI que foi defenestrado em um golpe.
Nao tem legitimidade o Bergolio e vive falando sandices : mulheres nao podem ser padres, não pode jogar as cinzas dos mortos na natureza...
E ainda a pedido da conspiradora, Sabatela, ter apoiado Dilma. Deve estar meio caduco e não resolveu o problema da Curia , deveriam torná-lo emérito, pois quem com ferro fere...

Pedro Erik disse...

Papa Francisco realmente disse sandices, mas negar que as mulheres possam ser padres não é uma delas. As mulheres não podem ser padres realmente.
São João Paulo II, Bento XVI, Cristo e toda a história da Igreja dizem isso, amigo.
Abraço,
Pedro