sexta-feira, 20 de março de 2015

Monastério Católico Mar-Benham do 4º Século é destruído pelo Estado Istâmico


O monastério católico Mar Benham foi feito no século 4º pelo rei assírio Senchareb, em penitência por ter matado os próprios filhos, porque eles tinham se convertido ao cristianismo. O monastério ficava na cidade iraquiana de Bakhdida e recebi muitos visitantes para o monastério.

Pois depois de 1.600 anos de sobrevivência, o monastério foi completamente destruído pelo Estado Islâmico nesta semana. É o que noticia o jornal inglês Daily Mail.

E assim o cristianismo é destruído nos locais onde nasceu, e o mundo cristão e a Igreja Católica continuam esperando na mesa para dialogar com o Estado Islâmico.

O que dizer mais?


5 comentários:

Adilson J. da Silva disse...

Boa noite,nobre Pedro. É de doer o coração e alma ver essa imagem anexa a postagem. Santo Deus, como pode o Vaticano, em Roma, e a CNBB, aqui, não se expressar veementemente contra isso?!
Oh, Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!
Abraço!

Pedro Erik disse...

Não vi nenhuma reação do Vaticano. Nada. Zero. Nil.
É assustador. Se fosse uma mesquita antiga destruída por im drone americano... Certamente todos os jornais e o Vaticano teriam reagido.

É muito triste. Um prego na cruz.
Abraço
Pedro Erik

Adilson J. da Silva disse...

Mais, uma vez. Pedro, apenas uma pergunda. Há alguma teologia acerca desse momento escuro da Igreja no mundo (incluindo a ascensão da ONU e o silêncio do Vaticano e traição da CNBB), em que um paralelo é traçado entre ela e Cristo, ou seja, fregelação e crucificação? Só uma pergunta.

Pedro Erik disse...

Bom, tempos escuros a Igreja teve muitas vezes. Chesterton disse que a cristandade morreu várias vezes, mas tem um Deus que sabe como sair do túmulo.
Há sim teologias/diagnósticos sobre este momento. Muitas começam no Vaticano II. Mas acho que o problema é bem mais antigo. Remonta pelo menos a rev francesa.

Abraço
Pedro Erik

Anônimo disse...

Quem votou no PT está no apoio aos diabólicos muçulmanos via Dilma, defendendo o ISIS, portanto avalizados esses satanistas vãndalos.
Os islamocomunonazifascistas são farinha do mesmo saco!
Henoc