sexta-feira, 15 de abril de 2016

Um Papa que Recorrentemente Defende Judas Iscariotes


Não pensei que viveria para ver isso. Tão trágico e absurdo, mas é a verdade dos fatos. O Papa Francisco por duas vezes, pelo menos, defendeu Judas Iscariotes.

O site Amateur Brain Surgeon relatou essas duas vezes que o Papa Francisco defendeu Judas Iscariotes e também disponibiliza a doutrina católica milenar sobre Judas Iscariotes, que por sinal é bem simples de ser entendida. A Doutrina diz que Judas Iscariotes traiu Deus em pessoa, traiu a Igreja, merece fogo eterno. Judas Iscariotes não se arrependeu de última hora e voltou seus olhos para Deus, ele teve o remorso comum às almas perdidas no inferno!!

Mas o Papa Francisco parece discordar.

Ele sempre usa Judas para atacar aqueles que o Papa acha que não são misericordiosos, especialmente católicos conservadores e teólogos.

Em 29 de outubro de 2014, o Papa Francisco disse:

"Judas não foi o pior dos pecadores. Eu não sei quem foi o pior pecador...Judas, pobre homem, é aquele que  se fechou para o amor e por isso se tornou um traidor. E eles todos fugiram durante a Paixão de Cristo e abandonaram Jesus. Eles todos são pecadores".

Nessa semana passada, dia 11 de abril, o Papa voltou a defender Judas Iscariotes, Ele disse que os líderes judeus tinham sidos cruéis com Judas por não aceitarem as moedas de volta que foram pagas para matar Cristo, assim o líderes judeus teriam provocado o suicídio de Judas. Em suma, a culpa é dos líderes judeus!, para o Papa Francisco.

Vejamos as palavras dele:

"Me dói quando eu leio pequenas passagens no evangelho de São Mateus, quando Judas, que tinha se arrependido, vai aos sacerdotes e diz: "Eu pequei e quero dar...dá a eles as moedas, Quem se importa - os sacerdotes dizem para ele, não é nosso problema. Os sacerdotes fecharam seus corações para este pobre, arrependido homem, que não sabia o que fazer. E Judas foi e se enforcou. O que eles fizeram quando Judas se inforcou? Eles falaram entre eles: "Ele era um pobre homem?" Não. Aquelas moedas foram o preço do sangue, eles nãpo devem entrar no templo...Eles se referiam à uma regra ou outra regra....Os doutores da lei."

Quem poderá ir ao inferno, se quem trai Deus mereceria o perdão?

Pela lógica do Papa Francisco, se Judas merece perdão, os sacerdotes que lhe pagaram as moedas também mereceriam, pois todos eles fizeram o mesmo pecado, traíram Deus. Não se pode dizer, pelo menos um Católico não pode dizer, que os sacerdotes seguiram a lei, pois Cristo é a Lei. Cristo é o cumprimento do Velho Testamento.

Leiam no site Amateur Brain Surgeon o que a Doutrina da Igreja fala de Judas, que como  eu disse é simples. Judas não se arrependeu a Cristo (Deus) e sim cometeu mais um pecado, o pecado do desespero do remorso ao se matar. E os sacerdotes também são condenados por Deus por insistirem no cumprimento do acordo com Judas.

Vejamos algumas passagens:

The devil is so crafty,” says S. Chrysostom, ‘that he allows not a man (unless very watchful) to see beforehand the greatness of his sin, lest he should repent and shrink from it. But as soon as a sin is fully completed, he allows him to see it, and thus overwhelms him with sorrow and drives him to despair. Judas was unmoved by Christ’s many warnings; but when the deed had been wrought, he was brought to useless and unavailing repentance.” 

Repented himself. 

Not with true and genuine repentance, for this includes the hope of pardon, which Judas had not; but with a forced, torturing, and despairing repentance, the fruit of an evil and remorseful conscience, like the torments of the lost. In Gr. μεταμεληθείς.

Brought again the thirty pieces or silver to the Chief Priests

. To rescind his bargain. As if he had said, “I give back the money; do ye, on your part, restore Jesus to liberty.” So S. Ambrose (in Luc. xxii.), “In pecuniary causes, when the money is paid back, justice is satisfied.” And S. Hilary, “Judas gave back the money that he might expose the dishonesty of the purchasers.” And S. Ambrose, “Though the traitor was not absolved himself, yet was the impudence of the Jews exposed; for though put to shame by the confession of the traitor, they insisted wickedly on the fulfilment of the bargain.” 

Judas then added to his former sin the further sin of despair. It was not a more heinous sin, but one more fatal to himself, as thrusting him down to the very depths of hell. He might, on his repentance, have asked (and surely have obtained) pardon of Christ. But, like Cain, he despaired of forgiveness, and hung himself on the self-same day, just before the death of Christ. For he could not bear the heavy remorse of an accusing conscience. 

 Thus S. Leo, “0 Judas, thou wast the most wicked and miserable of men, for repentance recalled thee not to the Lord, but despair drew thee on to thy ruin!” And again, “Why dost thou distrust the goodness of Him who repelled thee not from the communion of His Body and Blood, and refused thee not the kiss of peace when thou camest to apprehend Him? But thou wast past conversion (a spirit that goeth and returneth not); and with Satan at thy right hand, thou followedst the mad desire of thy own heart, and madest the sin which thou hadst sinned against the King of Saints to recoil on thine own head; that thus, as thy crime was too great for ordinary punishment, thou mightest pronounce, and also execute, the sentence on thyself. 


3 comentários:

Vic disse...

IDEM AQUI...
O mesmo se poderia dar aqui: "Ninguém pode ser condenado para sempre porque não é a lógica do Evangelho - nº 297 - mas no S Evangelho está escrito que o Filho do Homem dirá aos malfeitores: "Apartai-vos de mim para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos" Mt 25,41.
Quem não desejar sair de uma situação pecaminosa, pior, se grave, como amasiamento, sodomia, mas tenciona permanecer no erro, arriscando-se, condenar-se-á por toda a eternidade!
No entanto, o papa Francisco quereria dizer que não se poderia privar indefinidamente da comunhão um casal que se mantém no pecado...
Imaginem se forem certos relativistas padres a decidirem...
E que seria em nome da misericordia - complacencia com o erro - gerando mais confusão num povo descristianizado, cuja fé está bastante anuviada, deteriorada até por certos clérigos!

RICARDO DA SILVA LIMA disse...

Infelizmente, o Papa Francisco é um péssimo papa.

Tristes tempos os nossos.

Fabio Simmermam Felipe disse...

Papa dos tempos modernos, agora que precisávamos de um defensor do Eterno!